Biblioteca

Leia em 10 minutos

Como encarar a concorrência on-line em 5 passos

10/11/17 - por TOTVS
Esse conteúdo ajudou 1 profissionais
compartilhe:

Uma das maiores preocupações de uma empresa ao criar uma operação de varejo virtual é com a concorrência de mercado. Hoje, segundo levantamento da empresa de meios de pagamento PayPal, existem cerca de 600 mil sites de comércio eletrônico só no Brasil. Se contarmos com o fato de que a internet não tem fronteiras e seus concorrentes podem estar em qualquer parte do mundo, a concorrência cresce exponencialmente.

Essa variedade de lojas também multiplica as opções de produtos disponíveis dentro de uma mesma categoria. É como se o seu produto estivesse em uma prateleira infinita. Se o cliente está em um supermercado e procura um shampoo, quantas marcas e tipos ele vai encontrar? Algumas dezenas, no máximo. Na internet, esse número é incalculável. Uma pesquisa por essa categoria de produto em um grande site de e-commerce brasileiro gerou 11.995 resultados.

Então, para criar uma loja virtual do zero, você e seu produto precisam ser encontrados pelo cliente em meio a centenas de milhares de outras lojas e produtos. E com um preço competitivo. Além disso, é preciso gerar um movimento de clientes na loja suficiente para alavancar as vendas.

Esse cenário complica bastante a tarefa de se criar do zero lojas virtuais de sucesso. No entanto, o desafio precisa ser enfrentado. Afinal, não se pode simplesmente ignorar o potencial de crescimento do comércio eletrônico e o comportamento dos consumidores da Era Digital. Por isso, explicamos alguns passos que ensinarão você como encarar a concorrência on-line, divulgar sua loja virtual e vender produtos pela internet, destacando seu e-commerce dos demais.


1º Passo: Análise de Concorrentes.

Conhecer os concorrentes é tão importante quanto conhecer o próprio negócio. Quais lojas representam uma real concorrência de mercado? Como elas se comportam em relação a questões como meios de pagamento, condições de parcelamento, fretes, promoções, posicionamento de mídia e redes sociais, entre outros. Isso vai ajudar sua loja virtual a descobrir seus pontos fortes e fracos, e quais as melhores práticas de mercado no segmento em que atua.


2º Passo: Oferta

Não limite suas ofertas ao preço. Nem sempre será possível bater os concorrentes nesse quesito. Há outras maneiras de se oferecer vantagens aos clientes. Ofereça como brinde, produtos com menor saída. Ofereça produtos do seu mix, relacionados ao produto que o cliente pretende comprar. Monte kits de produtos para impulsionar as vendas de determinado item. Ou faça parcerias com outras empresas ou profissionais. Por exemplo: quem compra uma furadeira ganha um desconto para um curso de bricolagem. Tudo isso pode fazer a diferença e destacar a sua loja da concorrência.


3º Passo: Conteúdo

Ofereça conteúdo exclusivo para seu cliente. Ebooks, tutoriais sobre o uso de produtos, vídeos de demonstração ou aulas. Tudo isso deixa o consumidor mais seguro e bem-informado em relação aos produtos de sua loja virtual. Lembre-se de que o comércio eletrônico deu mais opções e poder de escolha ao cliente e oferecer informações úteis pode aumentar o engajamento dele em relação a seu e-commerce.


4º Passo: Serviços

Oferecer serviços de pré e pós-venda serve para enriquecer a experiência de compra do cliente. Fornecer orientação, esclarecer dúvidas ou mesmo oferecer a instalação de produtos pode ajudar sua loja virtual a conquistar e fidelizar o cliente. Procure dar à sua equipe de pós-venda, autonomia para solução de problemas. Lembre-se de que o cliente quer ver sua queixa resolvida em vez de ouvir justificativas ou explicações para uma possível falha.


5º Passo: Marketplace

Um marketplace é um portal de comércio eletrônico que agrega outras lojas virtuais. O mais famoso deles é a americana Amazon, que se converteu na maior empresa de varejo do mundo.  No Brasil, as empresas líderes do varejo eletrônico são marketplaces, como Submarino, Americanas.com, Netshoes e Magazine Luiza, entre outros. Em vez de lutar com esses gigantes, sua loja se junta a eles. A principal vantagem desse modelo é aproveitar o tráfego de sites de e-commerce bem estabelecidos, aumentando a visibilidade de seus produtos e reduzindo o investimento para implantação da loja virtual.

Em um marketplace, você consegue, de saída, acesso a um grande volume de consumidores. E não é pouca coisa. Hoje, uma única empresa de e-commerce gera cerca de 25% do faturamento do varejo brasileiro, e as 10 maiores respondem por mais da metade das vendas totais. Vale destacar que a parceria com um marketplace não exclui a possibilidade de sua empresa manter uma operação própria de comércio eletrônico.

 

Documento

Download PDF Imprimir

Esse conteúdo ajudou

Sim Não

Vendas pelo celular conquistam consumidores

Escolha de tecnologias e a transformação digital

Produtos relacionados