drp

Como fazer e qual a importância de um DRP eficiente?

Equipe TOTVS | GESTÃO PARA O ATACADISTA DISTRIBUIDOR | 27 dezembro, 2019

No setor do varejo, um dos principais desafios é atender à demanda dos clientes e, ao mesmo tempo, ter um controle de estoque eficiente. Para isso, é preciso trabalhar em um bom planejamento, que pode ser feito usando o DRP (Planejamento das Necessidades de Distribuição).

Quando aplicamos esse conceito no varejo, podemos fazer a previsão de estoque, atender bem os clientes e evitar prejuízos. Neste artigo, explicamos melhor como criar um planejamento de distribuição eficiente e como superar os problemas da cadeia de distribuição.

Qual a importância do DRP?

O DRP evita a incidência de falta de produtos nas gôndolas e atrasos nas entregas para os clientes. Isso é possível por meio de um registro das informações sobre os processos operacionais do negócio.

Essa ferramenta auxilia a organização dos envios entre o CD (Centro de Distribuição) para os PDVs (Pontos de Venda). Com ele, é possível reduzir as ocorrências de falta ou excesso de produtos nestes pontos.

Desse modo, pode-se aprimorar a eficiência operacional, reduzir custos e, ainda, diminuir o índice de perdas de venda. Com isso, a empresa se destaca entre a concorrência e oferece uma melhor experiência de compra para o consumidor final. 

Nova call to action

Como fazer um planejamento eficiente

O planejamento de distribuição logística é composto basicamente por três etapas principais. Para que ele seja eficiente, é preciso que todos esses processos estejam alinhados. Veja como o DRP funciona:

1. Levantamento de produtos

É feito um levantamento de produtos disponíveis no centro de distribuição e também nos pontos de venda. Esse levantamento pode ser feito com o RFID, um sistema que lê as etiquetas de radiofrequência dos produtos e transmite os dados para um computador. Com isso, é possível obter informações que ajudam a desenvolver estratégias. Desse modo, é possível determinar:

  • Previsão de demanda de mercadoria;
  • Estoque do centro de distribuição disponível para venda;
  • Pedidos de entrega atuais e futuros;
  • Produção pendente;
  • Lead time dos pedidos;
  • Fluxo de entrega,
  • Quantia mínima de mercadoria para compra, armazenagem e distribuição.

2. Recursos necessários

Com os dados levantados acima, é criado um modelo para determinar os recursos necessários ao desenvolver estratégias da logística. Isso envolve:

  • O produto necessário, na quantidade ideal, nos lugares e períodos certos;
  • Planejamento do transporte necessário;
  • Mão de obra, equipamentos e estrutura conforme o centro de distribuição;
  • Estoque necessário,
  • Nível de compras por produto.

3. Criação de estratégias

Chega então, a etapa de elaborar um planejamento de recursos de distribuição. Com as informações disponíveis no sistema, o gestor pode decidir a melhor estratégia para o controle de estoque e para organizar o processo de distribuição.

Isso inclui a compra de mercadoria e o equilíbrio entre oferta e demanda. Desse modo, é possível evitar problemas relacionados à falta ou ao excesso de produtos nos PDVs.

Principais benefícios do DRP

Além do que já citamos neste artigo, o DRP possibilita equilíbrio em relação à demanda dos pontos de vendas. Outros pontos vantajosos são:

Redução de custos

Quando se trabalha exatamente com a demanda do cliente, os produtos não ficam parados no estoque, evitando perdas financeiras. Também não há o risco de desperdício, outro ponto que gera redução de custos.

Experiência do cliente

A falta de mercadoria no ponto de venda pode causar má impressão nos clientes. Afinal, quando entramos em um estabelecimento procurando por um produto e encontramos uma prateleira vazia, isso gera frustração. Ter um bom planejamento de um centro de distribuição evita esse problema e proporciona uma boa experiência ao cliente.

Aumento da eficiência

Um sistema de gestão empresarial permite, também, ter mais eficiência nas operações e nos processos da empresa. Ao ter todos os dados armazenados em uma mesma plataforma, diferentes níveis de gestão podem acessar essas informações.

Isso evita falhas de processo e ruptura de estoque, pois os processos são automatizados. Um fluxo de trabalho mais organizado ajuda todo o negócio, o que gera mais lucros e faz o empreendimento se desenvolver.

Sistema de gestão da TOTVS

Como vimos, para ter um bom planejamento dos recursos de manufatura e também de distribuição, é preciso ter os setores da empresa organizados. Com um sistema de gestão empresarial (ERP), isso é possível.

O Protheus, sistema de gestão da TOTVS, possibilita toda a gestão do seu negócio, desde financeiro, contabilidade, parte fiscal, gestão de estoque e de custos, faturamento, compras e muito mais. Com ele, é possível contratar os modelos que atendem às demandas do seu empreendimento.

Pode ser usado também em empresas de pequeno, médio e grande porte. Isso porque é um software flexível, que se adequa às suas necessidades. Conheça como o ERP funciona e todas as suas possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *