3 benefícios da automação da produção industrial

A automação da produção industrial pode gerar muitos benefícios para o setor operacional de uma empresa, contribuindo também para a sua gestão. Isso porque, atualmente, passamos pela chamada quarta revolução industrial, ou Indústria 4.0, que junta avanços tecnológicos em atividades manuais e analíticas.

Além disso, há o advento de Internet of Things (IoT), ou Internet das Coisas, que abrange a possibilidade de máquinas e outros dispositivos, que não só de informática ou eletrônica, se conectarem à Internet.

Graças a isso, equipamentos industriais conseguem “conversar” entre si, trocando dados que podem ser usados para coordenar operações e melhorar a produção. Aliás, até 2022, conforme previsões da Cisco, as conexões M2M (Máquina a Máquina) corresponderão a mais da metade dos equipamentos e das conexões globais conectadas. Basicamente, a participação delas chegará a 51% — em torno de 14,6 bilhões de conexões M2M. Em 2017, elas correspondiam a 34%.

A Indústria 4.0 permite o aprimoramento de processos que envolvem automação industrial, como veremos adiante. Acompanhe!

A automação da produção e a indústria 4.0

A Indústria 4.0 envolve automação total, controle e monitoramento direcionados à manufatura — inclusive, à distância — e Tecnologia da Informação (TI). Além disso, sistemas cyber-físicos, a já mencionada IoT e a Internet dos Serviços têm grande impacto nesses itens, permitindo que possam ser aplicados com eficiência.

Na Indústria 4.0, há foco em processos cada vez mais efetivos, personalizáveis e autônomos, o que demanda profissionais multidisciplinares que consigam lidar com isso.

Também temos o surgimento das chamadas “fábricas inteligentes”, cujos fluxos de trabalho são estruturados, efetuados e geridos pelos próprios instrumentos tecnológicos empregados. Tal fato é possível graças a uma série de soluções, como:

  • TI otimizada, com sistemas operacionais e gerenciais integrados;
  • automação total de processos não só repetitivos e “braçais”, como acontece desde a 3° revolução industrial. É possível automatizar também atividades analíticas e estratégicas por causa das evoluções no campo da computação cognitiva e da Inteligência Artificial (IA);
  • aumento na descentralização de processos devido à automação de operações tanto repetitivas quanto analíticas. Isso possibilita que, na indústria inteligente, módulos consigam atuar de maneira independente uns dos outros, com chance de agilizarem e aprimorarem as suas próprias funções/atividades.

Tipos de automação

Há alguns tipos de automação que podem ser empregados para melhorar a produção. Veja mais sobre eles adiante.

Fixa

Essa automação industrial tem como característica a rigidez de configuração dos equipamentos. Por conta desse fator, quando se desenvolve uma configuração de controle específica, não dá para modificá-la em um momento posterior sem executar um novo projeto.

Apesar disso, se bem configurada, consegue gerar ganho de eficiência e produtividade. Esse tipo de automação é útil para quem precisa de uma produção elevada.

Programável

A automação programável facilita processos produtivos que envolvem a fabricação de uma diversidade de mercadorias. Para tanto, é preciso que classes de produtos diferentes estejam definidas no sistema da planta do equipamento.

Desse modo, é só escolher um programa distinto no controlador para iniciar a produção de um novo item. É útil para a produção de lotes de mercadorias.

Contudo, requer bom planejamento de produção, pois a reconfiguração do maquinário para cada mercadoria diferente pode demandar um tempo considerável. Isso porque até parâmetros de trabalho de máquinas e de ferramentas precisarão ser ajustadas — às vezes, até mesmo fisicamente.

Flexível

Nesse modelo, temos um equipamento de controle automático que entrega bastante flexibilidade para alterações no design de um bem. Essas alterações podem ser feitas de maneira ágil por meio de comandos fornecidos com uso de código por seus operadores.

Uma vantagem é que não há tanta perda de tempo entre os ajustes do equipamento para produzir um ou outro produto, de modo que é possível ter uma fabricação contínua de uma variedade de produtos sem que seja preciso usar o sistema de lotes.

Benefícios da automação da produção

A automação da produção gera uma série de benefícios para a indústria. Confira alguns dos principais a seguir!

1. Aumento de produtividade

A automação é capaz de realizar tarefas repetitivas e manuais rapidamente e com menos erros, o que permite ampliar a produção. Além disso, o uso de sistemas de gestão para administrar as máquinas favorece a busca contínua de processos cada vez mais eficientes, contribuindo para melhorar ainda mais a produtividade.

2. Redução dos custos

Com o ganho de escala na produção e a diminuição de erros que podem gerar descartes e perdas de produtos, ocorre a redução nos custos unitários de produção. Há, ainda, uma aplicação mais eficiente dos insumos com base em históricos e análises que buscam a melhoria nos processos fabris.

Muitos sistemas também operam de forma a otimizar o consumo energético, isto é, desligam quando não se encontram em uso ou tentam consumir energia de maneira aprimorada quando estão em funcionamento. Isso também contribui para diminuir custos.

3. Ganho de vantagem competitiva

O aumento da produtividade e a redução de custos contribuem para a empresa obter vantagem competitiva perante a concorrência. Afinal, poderá praticar preços mais atrativos, sem que haja perda de qualidade em seus produtos, pois a automação busca mantê-la mesmo que a quantidade de itens fabricados aumente significativamente.

Como aplicar a automação da produção nas indústrias

Como visto, é preciso implementar tecnologias no parque industrial para conseguir automatizar os seus processos, tanto operacionais quanto gerenciais.

Além dos exemplos citados anteriormente, existem outras soluções que podem contribuir para a automação empresarial. No campo da gestão, por exemplo, pode-se implantar uma solução Enterprise Resource Planning (ERP), ou de Planejamento de Recursos Empresariais.

Esse é um sistema integrado que tem como principal propósito oferecer apoio à empresa para que consiga gerenciar suas informações, rotinas e seus processos. Para tanto, centraliza dados estratégicos de várias áreas, como da produção, da logística e do financeiro.

Com isso, os gestores conseguem reunir informações importantes de diferentes setores para tomarem decisões dentro do parque fabril. Portanto, o sistema de gestão ERP ajuda na gestão das transformações provocadas pela automação de processos.

Outra tecnologia importante é o uso de uma solução de análise de Big Data. Ela permite processar e manipular um volume gigantesco de dados, de forma ágil, para gerar informações estratégicas. Essas podem ser análises preditivas, estatísticas apuradas, avaliações de desempenho etc.

Tais informações podem ser utilizadas tanto por gestores e colaboradores quanto por sistemas inteligentes para embasarem decisões ao lidarem com a linha de produção. Por exemplo, para calcular o volume de produção adequado para uma época sazonal, de modo que nem falte nem sobre muitos produtos em estoque.

A automação da produção é capaz de tornar a empresa mais competitiva, possibilitando a ela concorrer com agentes nacionais e internacionais. Além disso, aumenta o controle de suas atividades, permitindo aos gestores terem maior consciência do que ocorre na fábrica, especialmente se forem implementadas tecnologias de automação junto a dispositivos e sistemas de monitoramento.

Aproveite agora para conferir o e-book que preparamos sobre como escalar a produção industrial do seu negócio conforme as tendências da Indústria 4.0!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *