Fintech: Quais os tipos e normas das startups brasileiras

O fenômeno da fintech está associado à tendência da transformação digital, incluindo setores que sempre pareceram muito sólidos e conservadores, como é o sistema financeiro.

Hoje, já existem mais de 400 startups atuando na área, segundo dados do FintechLab. O desafio é modernizar as transações financeiras, priorizando a segurança de dados que a relação banco e cliente exige. Além de fintechs focadas em soluções específicas, como pagamentos e gestão, há uma crescente expansão dos bancos digitais.

O desafio consiste em assegurar um sistema aberto com uma política de dados atenciosa. Da parte dos consumidores, o desejo é um só: inovação com praticidade a baixo custo.

Assim, as fintechs vêm para preencher lacunas, oferecendo serviço financeiro com um custo mais baixo que o encontrado no mercado e com foco em tecnologia.

Tipos de fintech

Dependendo da frente de atuação, as fintechs podem ser classificadas em alguns tipos, com 25% focando em pagamentos e remessas, 17% em gestão financeira empresarial e 15% em pagamentos.

Fintechs de crédito e negociação de dívidas

Um dos tipos mais procurados, as fintechs de crédito servem como mediadores entre quem está procurando empréstimo com financeiras que oferecem ofertas. Em geral, são priorizados os juros baixos na hora de apresentar os recursos ao interessado.

Fintech pagamentos

Entre as opções de fintech serviços financeiros, o tipo “pagamentos” é o mais presente no Brasil, em termos de números. Foca em facilitar o processo de compra e venda, com cartão de débito e crédito e sem cobrar taxa de aluguel, além dos tipos pré-pagos.

Fintech de investimentos

As fintech de investimentos têm como premissa oferecer formas de realizar aplicações, por meio do uso de algoritmos. Assim, indicam um circuito de investimento fora do eixo tradicional.

Fintech de gestão financeira

As plataformas para gestão financeira buscam atender às demandas do público e, também, operar como fintech para empresas. Entre as funcionalidades estão criação de orçamento pessoal, uso do cartão de crédito, controle fiscal, faturamento, folha de pagamento e contabilidade.

Fintech de crowdfunding

Projetadas para reunir recursos conseguidos coletivamente, são comumente utilizadas para captação de recursos. Aqui, vale desde iniciativas para causas sociais como projetos culturais até novos negócios.

Fintech de eficiência financeira

Com cada vez mais transações bancárias online, mostram-se necessários tipos de fintech financeira focados em prevenir fraudes, proteção de dados e verificação de identidade de usuário. Esses tipos atuam em parceria com empresas do mercado financeiro.

Fintech Blockchain e Bitcoin

Por definição, Blockchain são os espaços em que ocorrem transações descentralizadas, como contratos, transferências, registros e operações financeiras que envolvem criptomoedas.

Fintech seguros

Essas startups buscam comparar valores e serviços de diferentes corretoras de forma rápida e eficaz.

Pontos para ficar atento: regulamentações

Para quem deseja embarcar nesse mercado, é preciso analisar alguns detalhes do cenário.

1. Conselheiros digitais são robôs

Educar o usuário, de forma correta, mostrando que lidar com inteligência artificial é tão fundamental quanto investir nessa tecnologia. Os robôs advisors necessitam de registro de gestor de investimentos expedido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para operar, além de uma corretora parceira.

2. Regulamentação do mercado

A expansão desse mercado alertou especialistas do Banco Central sobre a necessidade de criar normas sobre as operações. Segundo o BC, algumas negociações não requerem regras específicas, enquanto outras mostram-se arriscadas.

Outra organização que tem acompanhado essas inovações é a CVM, responsável por regular o mercado de capitais.

3. Padrões internacionais

Embora o foco das fintechs brasileiras seja o mercado nacional, as diretrizes devem ser pensadas em uma projeção internacional, já que a internet possibilita esse movimento.

Cases de sucesso de fintechs brasileiras

Aprender com quem faz é um dos princípios de startups. Assim, separamos uma seleção de fintechs brasileiras que têm inovado no mercado.

  • BLU365: A plataforma é focada em realizar negociações online de débitos, priorizando a rapidez e a segurança das transações;
  • Confere: O app atua na automatização de processos de vendas realizado com cartões, vouchers ou bandeiras;
  • Juno: Focada em auxiliar empresas, a Juno oferece envio de boletos, pagamento com cartão de créditos e consultoria para gestão de processos e cobranças;
  • Liuv: Objetiva oferecer pagamentos mobile com as funções click and collect e grab and go;
  • ReCB: A ferramenta proporciona aos gestores emissão, acompanhamento e notificação sobre boletos, além de valores mais em conta para emitir,
  • Troco Simples: O problema de cash-out pode ser resolvido proporcionando o troco de forma digital associado ao CPF.

Fique por dentro das soluções techfin

A TOTVS está de olho na inovação nos diferentes setores. Por isso, acompanhe nosso blog para aprofundar os seus conhecimentos, fortalecer processos com estudos e pesquisas com quem entende do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *