Afinal, você sabe o que é uma fábrica do futuro?

Afinal, você sabe o que é uma fábrica do futuro?

Equipe TOTVS | GESTÃO INDUSTRIAL | 20 novembro, 2018

Desde 1913, quando a primeira linha de produção começou a operar no mundo em uma fábrica da Ford, muita coisa mudou com o passar dos anos e a evolução da tecnologia. Embora o conceito teórico básico ainda seja replicado atualmente, na prática, os processos são outros. Automação, integração e fluidez são marcas fortes da chamada fábrica do futuro, a qual tem o seu conceito reinventado diariamente com o surgimento de novos recursos e soluções.

Hoje, por exemplo, muito se fala em indústria 4.0, um termo cunhado a partir da Quarta Revolução Industrial e focado na inovação constante e utilização massiva da tecnologia nos processos industriais. Um conceito plenamente alinhado ao que o mercado demanda: agilidade, personalização, qualidade e custos reduzidos.

Em razão da importância desse tema no cenário atual, preparamos este post para deixar você mais bem informado sobre o que é a fábrica do futuro e quais tendências tecnológicas estão envolvidas nesse conceito. Acompanhe!

O que há por trás da fábrica do futuro

Quando se fala em fábrica do futuro, há todo um imaginário de atributos e tecnologias envolvido. Por trás desse termo, tem-se um movimento convergente com a utilização massiva da tecnologia em diferentes processos industriais.

A preocupação com produtividade, custos mais atrativos e responsabilidade ambiental se faz bastante presente nas chamadas fábricas do futuro. Isso tem levado muitas empresas a repensar a maneira como operam, passando a investir cada vez mais em automação, recursos sustentáveis e sistemas que garantem mais interoperabilidade na cadeia produtiva.

Atualmente, já existem exemplos que materializam tal conceito, como é o caso da indústria automobilística. Hoje, linhas de produções altamente complexas e extensas nesse segmento diminuíram drasticamente as intervenções humanas, além de serem muito mais eficientes em termos de utilização de recursos para a produção.

O movimento da fábrica do futuro, em grande medida, é reflexo dos avanços computacionais que viabilizam uma integração nos processos jamais vista antes. Tecnologias baseadas em Inteligências Artificial, IoT, Machine Learning, Big Data e tantos outros conceitos garantem um aproveitamento muito maior das informações. Esse fator ajuda a indústria a se ajustar melhor às demandas do mercado, produzindo a quantidade ideal de bens.

Assim sendo, o que já se percebe — e se pode esperar ainda mais para o futuro — é a presença de fábricas mais inteligentes, em que dados orientam as decisões, algoritmos conduzem as operações e robôs assumem grande parte do trabalho pesado. Por outro lado, os profissionais precisarão ser ainda mais qualificados e alinhados aos novos padrões da indústria.

Características da fábrica do futuro

A inovação é a grande marca da fábrica do futuro. Processos manuais, lentos e burocráticos estão dando lugar a modernos sistemas, softwares e máquinas autônomas, fazendo com que se produza mais e melhor.

Nesse contexto, como já citamos, existe uma série de outros conceitos que circundam a fábrica do futuro. Muitos deles não são novidades, mas com o passar dos anos estão se aprimorando de uma forma tal que hoje são praticamente indissociáveis da indústria moderna. Veja a seguir alguns exemplos.

Inteligência Artificial

No cenário atual da indústria, os algoritmos estão mudando a forma de trabalhar e a maneira como os processos produtivos são conduzidos nas empresas. A Inteligência Artificial, por exemplo, tem uma ampla aplicação devido à sua capacidade de aprender com os erros e, ainda, assimilar comportamentos humanos que podem ser utilizados em favor da fábrica.

Além disso, trabalhando em conjunto com a IoT, as linhas de produção podem ser constantemente otimizadas a partir de informações colhidas por sensores instalados nos mais diversos tipos de equipamentos. De certa forma, isso garante ações mais precisas e um controle mais aprofundado dos processos, o que reflete em uma maior eficiência operacional.

Robôs colaborativos

Para garantir maior velocidade e eficiência nas indústrias, a utilização de robôs colaborativos tem se tornado uma estratégia cada vez mais comum. Esse tipo de robô, em vez de substituir a mão de obra humana, na realidade a potencializa.

Em outras palavras, os robôs se unem aos seres humanos no chão de fábrica, servindo como ferramenta adicional para acelerar os processos, reduzir custos e, ainda, para reduzir o desgaste e os riscos em relação aos recursos humanos, sobretudo em tarefas perigosas e repetitivas.

Fábrica virtual

Com o intuito de aprimorar o modelo tradicional de fábricas, baseado em grandes instalações, surge a chamada fábrica virtual. Esse conceito se vale da tecnologia para recriar ambientes, com o objetivo de simular situações que podem ocorrer em escala real.

Em outras palavras, recria-se virtualmente as instalações da empresa, simulando cada detalhe e, a partir disso, avaliam-se os mais diferentes aspectos do local e dos processos que ali serão executados. A ideia é prevenir riscos e aumentar o conforto na formulação do ambiente, antes mesmo de ele ser construído.

Exoesqueleto

Outra tendência que surge com a fábrica do futuro é o exoesqueleto. Como o nome sugere, essa tecnologia é uma espécie de esqueleto externo, que o trabalhador utiliza para dar mais conforto e melhorar a postura em atividades que exigem a curvatura da coluna, dos ombros e das pernas.

Plantas conectadas e modulares

Outra característica da fábrica do futuro é o seu design diferenciado. Ambientes modulares, isto é, que podem ser adaptados ao tipo de produção que se necessita, também fazem parte das projeções desse conceito.

A partir de plantas conectadas, a produção poderá se escalonar de maneira mais fluida e eficiente e as etapas do processo de produção poderão ser alteradas e rapidamente ajustadas em linha global, ainda que não sejam executadas no mesmo local.

Blockchain para ERP

Os projetos de Blockchain para ERP visam a centralizar dados dos diversos processos e partes interessadas de uma empresa em uma estrutura de dados universal. Isso garantirá mais integridade e conformidade das informações, especialmente em empresas que lidam com sistemas de gestão.

A expectativa de muitas organizações que estão testando essa tecnologia é reduzir a complexidade e as disparidades de seus bancos de dados isolados, o que acaba dando margem para fraudes e outros problemas na utilização dos dados.

Por fim, a fábrica do futuro, na realidade, já esboça uma série de características no presente. À medida que o tempo passa e a tecnologia avança, mais esse conceito ganha forma e tende a se tornar o padrão da indústria. Assim, o que foi inaugurado lá em 1913 não parou de inovar e avançar um dia sequer. Para o futuro, o que se espera é que essa jornada continue e cada tecnologia citada se torne mais presente e eficiente no contexto industrial.

Então, gostou deste artigo? Tem interesse em seguir aprendendo mais sobre a inovação na indústria? Sugerimos a leitura do nosso post sobre Inteligência Artificial. Confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *