Indústria e Varejo Virtual: Parceria Vantajosa

Equipe TOTVS | GESTÃO DE NEGÓCIOS | 06 agosto, 2018

O Varejo Virtual tem se tornado cada vez mais um importante canal de vendas para a indústria. Hoje, quando uma empresa desse setor passa a usar o e-commerce, ela imediatamente coloca seus produtos como uma opção de compra para 25,5 milhões de consumidores brasileiros que fizeram pelo menos uma compra on-line no primeiro semestre de 2017. Além disso, passam a fazer parte de um universo que – segundo levantamento da empresa de meios de pagamento PayPal – já reúne cerca de 600 mil sites de comércio eletrônico.

Esse número cresceu mais de 60% em três anos. Com isso, o perfil dos consumidores brasileiros começa a mudar. Hoje, eles são menos fiéis a determinadas lojas e cada vez mais pesquisam para encontrar as ofertas com melhor custo benefício na compra virtual. Essa busca abre caminho para que as indústrias briguem diretamente por espaço, destacando-se ao oferecer benefícios ao comprador, superiores aos da concorrência, em uma verdadeira relação de ganha-ganha entre indústria e consumidor.

Por isso mesmo, para as indústrias, estar presente nesse canal é conquistar uma vantagem competitiva sobre os concorrentes que estão fora dele. Ao mesmo tempo, ficar de fora do varejo virtual é abrir mão de um importante share de mercado em potencial.

Além disso, encurtar o caminho até o consumidor final por meio do comércio eletrônico, traz uma série de outros benefícios para as indústrias.

Relacionamento: A primeira vantagem é estreitar o relacionamento do público com a marca. O contato direto é uma ótima oportunidade para fidelizar os clientes mais lucrativos. Lembre-se de que o comércio eletrônico permite saber exatamente quem são eles. Uma alternativa para as indústrias é apostar na criação de um clube de compras dentro da sua loja virtual, com experiências de compra exclusivas para esses consumidores.

Marketing: A loja virtual, assim como as redes sociais, pode ser uma excelente oportunidade de marketing para a indústria. A empresa pode usar seu e-commerce para divulgar conteúdos de interesse do cliente, explicações sobre o uso, dar voz ao consumidor. Sem passar por intermediários.

Competitividade: Lojas de fabricantes podem oferecer mais produtos em sua categoria, com preços competitivos e opções selecionadas. Desse modo, podem ser bastante atraentes para o consumidor. Observe que no oceano de opções oferecidas no comércio eletrônico, a marca do produto é uma garantia de qualidade para o cliente, que muitas vezes prefere comprar diretamente do fabricante.

Capilaridade: Antes, para chegar a um novo mercado, era preciso desenvolver um sistema de distribuição para o produto e estabelecer parcerias com o varejo local. Com a venda direta pela internet, as fronteiras são derrubadas e a indústria tem a possibilidade de atender qualquer cliente, em qualquer local.

Sinergia off-line: Um levantamento do Google mostra que 82% dos consumidores já utilizaram seus smartphones dentro de lojas físicas para decidir se realizariam a compra ou não. Muitos deles vão às lojas para observar o produto de perto e depois fechar a compra na plataforma on-line. Por que perder essa oportunidade? Com sua própria loja virtual, a indústria pode captar parte desses consumidores. Ou criar sua própria loja-conceito no mundo físico, para divulgar marca e produtos, com vendedores especializados, para enriquecer a experiência do cliente em relação à marca.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.