scrum

O que é scrum e como aplicar o método ágil entre desenvolvedores?

Equipe TOTVS | DESENVOLVEDORES | INOVAÇÕES | outubro 01, 2019

Quando se pensa em metodologia ágil, o Scrum é um dos métodos mais utilizados. A padronização facilita processos nos mais diversos ambientes organizacionais e na criação de produtos. Muito adotado em gestão de projetos, o Scrum é uma ótima escolha para quem atua com desenvolvimento de software.

A ideia de operar por tarefas com feedback mais rápido favorece o desenvolvimento de produtos mais eficientes. Como principal característica, o foco do método Scrum é tornar mais produtiva e intuitiva a resolução de problemas adaptativos complexos.

Vale dizer que agilidade e velocidade não são a mesma coisa. Enquanto a segunda opera em realizar mais no menor tempo, a primeira valoriza a resolução “pulando” obstáculos e com relativa ajustabilidade às variações da jornada.

O framework Scrum foi criado por Ken Schwaber e ganhou espaço no começo dos anos 1990 com a proposta de aplicar a metodologia ágil. Isso não significa que se deve seguir exclusivamente regras de um processo ou uma técnica de construção de produtos e, sim, encontrar a melhor solução para o seu time aplicando as premissas.

Primeiro passo: manifesto ágil!

O Manifesto Ágil Scrum é indicado por muitos Devs como o primeiro passo para aderir ao método no dia a dia a fim de obter retorno com aplicação da metodologia. A ideia é modificar o mindset da operação.

Assim, o manifesto apresenta como pensar dentro da lógica das metodologias ágeis Scrum a partir de valores que são mais importantes que outros.

1. Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas

Dentro de equipes robustas, muitas vezes é preciso lembrar o time sobre a humanidade do desenvolvimento de um software. A ideia desse ponto é observar como indivíduos interagem com o produto em vez de apenas acrescentar mais frames.

2. Software em funcionamento mais que documentação abrangente

Aqui, vale reforçar que dentro do planning scrum não se incentiva criar sem documentação, mas descrever apenas as partes mais importantes, deixando a documentação objetiva.

Outro ponto é encarar a documentação como passos dentro do projeto. Entre os valores reforçados estão ser iterativo e incremental a cada sprint.

3. Colaboração com cliente mais que negociação de contratos

Vai ter contrato? Sim! No entanto, quem atua com agile e scrum sabe da importância da colaboração no desenvolvimento e na elaboração focada na satisfação do cliente por meio de entregas de valor contínuas.

4. Responder a mudanças mais que seguir um plano

Entre os fundamentos-chave está ser receptivo às alterações, independentemente da fase do projeto. Inclusive, incentiva-se ambientes modificáveis, mas que não deixem de lado a constante produção dos desenvolvedores.

As mudanças não devem impactar no ponto de vista do desenvolvimento sustentável nem influenciar no princípio da simplicidade. Eliminar esforços por meio de equipes auto-organizáveis é fundamental.

Diferença entre Waterfall (Cascata) x Ágil

Em contraponto ao método ágil, há a estratégia do tipo Cascata ou Waterfall. Nesse modelo, segue-se um roteiro para a operação de forma pré-estabelecida, conforme os passos: análise de requisitos, projeto, implementação, testes, integração e manutenção.

Para quem adota o Scrum, a falha desse modelo consiste na pouca flexibilidade, na facilidade com que a solução criada fica obsoleta e no acúmulo de erros. A abordagem funciona melhor em desenvolvimentos com escopo definido, como licitações e serviços para órgãos públicos.

Scrum ou Kanban: qual escolher?

Na hora de escolher, o recomendável é encontrar os pontos que cada um dos métodos oferece e quais se encaixam de forma mais eficiente dentro da sua dinâmica de criação, criando o seu próprio framework.

Como destaque do Scrum está a rápida identificação da direção traçada. Já o Kanban possibilita a visualização das tarefas conforme o período. A definição do melhor método acompanha o valor agregado que proporciona ao time e, também, ao stakeholder externo.

A importância dos frameworks

Por que você deve repensar seu método de trabalho? De acordo com a Curva de Tuckman, o processo de implementação do Scrum envolve as fases:

  • Forming (aprendendo com o outro);
  • Storming (desafiando um ao outro);
  • Norming (trabalhando junto),
  • Performing (trabalhar em sinergia).

Assim, sua empresa passa a ter como base os pilares da performance no método Scrum: transparência, responsabilidade e empirismo.

Scrum na prática: o que muda na rotina de trabalho?

O Scrum na prática funciona como se a cada duas semanas fosse possível mudar de projeto. Assim, o retrabalho ocorre no prazo de uma sprint. A sugestão é evitar o planejamento reativo com o buffer, afinal, a proposta da agilidade é resolver rapidamente os problemas.

Faça parte da comunidade TOTVS Developers!

A TOTVS é sinônimo de inovação e possui uma comunidade engajada para discutir tendências nessa área. Em diferentes canais, propomos diálogos e aprendizagem de forma coletiva.

Conheça o TOTVS Developers e faça parte da nossa comunidade também!

Nova call to action

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *