Sinistralidade: Como reduzir esse índice em planos de saúde?

Cada vez mais, busca-se reduzir a sinistralidade nos planos de saúde através de um controle e um acompanhamento feitos por softwares. Com eles, é possível ter uma integração de informações, além de controlar os custos por procedimento. Entenda mais sobre essa questão e como essa taxa pode ser melhorada.

Ajuste da taxa de sinistralidade

Todas as vezes em que o beneficiário faz uso do plano de saúde — seja para consultas, exames ou outro procedimento — é gerado um sinistro. Cada sinistro representa um custo, elevado ou não. A partir desse custo, é calculada a taxa de sinistralidade no plano de saúde.

Como calcular a taxa

Para calcular a taxa de sinistralidade basta seguir a fórmula: sinistralidade = (sinistro/prêmio) x 100. Ou seja, a porcentagem da sinistralidade é igual ao valor dos custos com o beneficiário, dividido pelo valor das mensalidades pagas por ele para o plano de saúde. O resultado é multiplicado por 100 para saber a porcentagem.

Por que é importante um controle sobre o índice de sinistralidade?

A redução de custos é boa tanto para o beneficiário quanto para as operadoras. Se o índice de sinistralidade for muito alto, ele poderá ter impacto nesse reajuste. Para evitar essa situação, a diminuição do número de sinistros pode ajudar.

Algumas práticas fazem com que os números se mantenham equilibrados e os custos sejam viáveis para ambos os lados.

Dicas de como melhorar o índice de sinistralidade

A tecnologia tem ajudado muito no controle de sinistralidade, com a integração de informações e processos, o controle de custos e a padronização do atendimento ao beneficiário. Veja a seguir algumas medidas a serem tomadas para melhorar o índice de sinistralidade.

Analisar o histórico do paciente e incentivar exames preventivos

Com soluções tecnológicas, é possível ter o registro dos dados do paciente rapidamente, já que eles ficam armazenados no sistema e podem ser acessados a qualquer momento. Analisar o comportamento e o histórico do paciente por meio dessas informações é essencial para saber quando ele acionará o plano de saúde.

Os check-ups e exames de prevenção evitam a necessidade do uso em excesso dos planos de saúde. Dessa forma, previne-se o aparecimento de doenças que podem agravar a saúde do paciente. A ANS permite que as operadoras ofereçam descontos e outras vantagens ao beneficiário que mantiver bons hábitos de saúde.

Aproveitar campanhas de saúde do governo

Durante todo o ano, o Governo Federal e a Prefeitura realizam campanhas de saúde como Outubro Rosa, Combate ao Tabagismo, Novembro Azul, entre outras. As operadoras podem aproveitar esses momentos e se envolver nas causas, sendo uma boa oportunidade para incentivar o beneficiário a cuidar da saúde de forma preventiva.

Isso pode ser feito por meio de informação, distribuição de panfletos, cartazes e até via internet. As campanhas falam muito sobre como se prevenir, além de darem algumas dicas simples e eficazes de saúde.

Acionar a coparticipação

A operadora pode optar por planos de coparticipação. Neste modelo, o beneficiário paga parte da mensalidade e também das consultas e exames. Essa pode ser uma maneira de conscientizar sobre a quantidade de vezes que o plano é acionado.

Em 2018, a ANS atualizou algumas regras para a coparticipação. Existe isenção em certos procedimentos, como exames preventivos e tratamento de doenças como o câncer. Ainda assim, é uma medida que pode contribuir para a diminuição dos procedimentos desenfreados. Uma vez que o beneficiário contribui com o custo, as contas ficam mais equilibradas para ambos.

Controlar recursos

O controle de recursos por meio de auditorias ajuda a determinar que tipos de procedimentos foram realizados e quais recursos foram utilizados. Dessa forma, é possível saber como o beneficiário usou o plano de saúde e, a partir daí, produzir relatórios de controle de sinistralidade.

Os softwares ajudam a visualizar esses relatórios em tempo real, dando mais agilidade ao processo. Assim, a operadora ficará inteirada sobre o comportamento do beneficiário e poderá tomar decisões mais assertivas. Com um sistema integrado, que possui esses dados arquivados, fica mais fácil acessá-los a qualquer momento.

Soluções tecnológicas ajudando a controlar a sinistralidade

A informação é muito benéfica para o segmento de saúde, desde a abertura do prontuário do paciente e durante todo o processo de atendimento. São soluções que atendem às principais necessidades das operadoras de saúde. Assim, é possível reduzir custos com o atendimento e com toda a gestão de contratos e beneficiários.

Para se manter sempre informado sobre novidades na tecnologia e soluções para a área da saúde, continue acompanhando nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *