Sistema de gestão financeira: mantenha os custos da sua empresa equilibrados

Em um cenário empresarial cada dia mais rigoroso, estabelecer uma relação saudável entre produtividade e custos se tornou um dos maiores diferenciais das organizações de sucesso.

Manter essa balança em equilíbrio é o que viabiliza investimentos em inovação, por exemplo, e permite que o negócio chegue ao final do mês com um bom faturamento e as contas no verde.

Alcançar esse patamar, no entanto, não é tarefa simples, pois isso exige otimizações contínuas no ambiente, além de reforço tecnológico.

Nesse sentido, adotar um sistema de gestão financeira desponta como uma medida altamente eficaz, sobretudo no quesito controle, simplificação e conhecimento sobre a real situação da empresa.

Como isso é possível? A palavra é automação.

Para comprovar todo o potencial de um sistema de gestão financeira, a seguir listamos as principais vantagens da sua utilização.

Continue a leitura e entenda como uma tecnologia de automação pode otimizar os custos em uma companhia!

Automação de processos

Com foco voltado para a otimização de processos e o melhor aproveitamento de dados e informações, a automação é um conceito pertencente a qualquer ERP.

É a partir dela que o sistema retira toda a sua eficiência na hora coletar, armazenar, gerir e integrar informações das mais diferentes origens dentro do negócio.

A automação de processos gera fluxos de trabalho mais rápidos, decisões mais precisas e a redução sistemática de erros e gargalos nas operações.

A comunicação inteligente e em tempo real é a base para uma gestão completa, que conta com a participação de agentes externos, como fornecedores e parceiros integrados às atividades da empresa.

Conferência de Obrigações Fiscais TOTVS 2019

Do mesmo modo, a automação acaba por substituir a execução de processos manuais, improdutivos e mais suscetíveis a falhas, por alternativas modernas, informatizadas e livres da burocracia de papel, planilhas etc.

Projeções mais realistas

Quando se fala em gestão financeira, não há margem para imprecisões.

É fundamental ser metódico nas análises e preciso nas projeções realizadas. Isso só é possível quando se tem um suporte informativo e documental das finanças.

Nesse contexto, o sistema de gestão financeira é o pilar que sustenta as organizações modernas quando o assunto é visibilidade das atividades.

De maneira direta, essa ferramenta auxilia na redução de riscos financeiros, evitando perdas/prejuízos por falta de previsibilidade de receitas, despesas e custos.

Sabemos o quanto o mercado pode oscilar, sobretudo em períodos de crise.

Por isso, as empresas precisam se cercar com recursos capazes de antecipar tais mudanças, já subsidiando a escolha do melhor caminho para superar as dificuldades.

Consolidação de um único sistema

A gestão dos custos e da produtividade de uma empresa é um processo amplo, o qual integra atores e atividades em diferentes setores do negócio.

Por isso, para um bom rendimento gerencial, é imprescindível trabalhar com dados centralizados e informações acessíveis.

O ERP, nesse quesito, traz toda a integração que uma empresa precisa para gerir as suas informações e embasar as suas decisões.

A utilização de diferentes módulos em um mesmo ERP, por exemplo, enxuga a gestão, concentrando os seus esforços em um único repositório de dados.

Além de padronizar dados e processos, essa consolidação da gestão em um único sistema — ainda que por diferentes módulos — facilita o entendimento das informações por profissionais de diferentes setores, os quais detém conhecimentos distintos, mas podem se manter em sincronia graças a isso.

Gerenciamento de estoque eficaz

O gerenciamento de estoque é, sem dúvida, uma das atividades que mais drena o capital da empresa.

Em muitos casos, o descompasso entre o volume de mercadorias armazenadas e a procura existente por parte dos consumidores é o ponto fraco dessa relação.

O que costuma acontecer é uma baixa demanda em relação ao nível do estoque, fazendo que a empresa tenha altos gastos com estocagem, movimentação e manutenção de grandes armazéns.

Nesse ponto, é essencial destacar o potencial de otimização que a tecnologia tem.

Por meio de um ERP e de módulos de gestão de estoque, a empresa consegue imprimir uma administração do inventário muito mais eficiente, a partir da integração com outros setores.

Assim, por exemplo, dados advindos do setor comercial e de produção podem balizar a forma com que o estoque precisa ser abastecido.

Desse modo, o setor de compras pode repor insumos e mercadorias no tempo certo, negociando com mais precisão e economia com fornecedores.

Não bastasse, com um fluxo mais inteligente na cadeia de suprimentos, dispensa-se a necessidade de grandes estoques, já que as mercadorias entram e saem em um ritmo programado.

Maior visibilidade do negócio

Em um mercado em que boas decisões dependem de boas análises, ter visibilidade sobre as atividades da companhia é essencial.

Nesse quesito, o sistema de gestão financeira desponta como uma ferramenta bastante útil, visto que administra um alto volume de informações estratégicas do negócio e fornece um panorama mais completo aos tomadores de decisão.

A elaboração de relatórios e estatísticas de operação — processos tidos como extremamente burocráticos e complexos — são melhor desenvolvidos pelo sistema, a partir de cruzamento de dados, cálculos e avaliações automatizadas, gerando informações táticas para que os gestores possam desempenhar as suas funções.

De tal modo, ações realizadas em todos os departamentos podem ser inseridas no sistema, fornecendo uma visão mais completa e estatística acerca dos resultados financeiros da empresa.

Isso forma uma base sólida para a utilização de indicadores de desempenho e para o estabelecimento de metas e objetivos.

Eliminação de desperdício

A essência de um sistema de gestão financeira está associada ao acompanhamento de dados e informações.

Ou seja, a partir dele, líderes e gestores têm um suporte muito maior para entender as operações da empresa e avaliar como cada uma delas impacta as finanças.

Como reflexo desse controle mais aprofundado, tem-se mais condições de identificar pontos de atenção no negócio, como gargalos processuais, quedas de produtividade e, principalmente, desperdício de recursos materiais, a exemplo das perdas no estoque devido à má gestão.

Além disso, o sistema também é crucial para diminuir desperdícios de recursos humanos, realocando funcionários e colaboradores para atividades que necessitem de melhor desempenho, por exemplo.

Nesse sentido, um ERP fornece mais informações para que a empresa realize mudanças em seus processos, buscando firmar o verdadeiro conceito de eficiência, que é produzir mais gastando o mínimo possível. Isso, claro, envolve eliminar inconsistências nos processos.

Por fim, como foi possível perceber, um sistema de gestão financeira, por todas as características e vantagens que tem, mostra-se um recurso alinhado com as demandas atuais dos negócios, sobretudo no que diz respeito à visibilidade das operações.

A capacidade do ERP de fornecer um panorama da empresa é a base para que se consiga identificar problemas, empecilhos e outros incidentes que aumentam os custos e prejudicam a produtividade.

Então, quer trazer todos esses diferenciais e essas otimizações para dentro do seu negócio? A TOTVS tem a solução do tamanho da sua necessidade. Entre em contato conosco e seja o nosso próximo case de sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *