Consolidação de balanços contábeis: como um ERP pode otimizar sua rotina?

Ter um controle contábil de excelência é obrigação de qualquer empresa. Afinal, as informações contábeis são importantes tanto para a gestão interna do negócio quanto para o cumprimento de obrigações fiscais e societárias. O desafio é ainda maior quando é preciso lidar com o balanço de várias empresas de um mesmo grupo.

No post de hoje, vamos mostrar por que grupos empresariais precisam ter atenção no momento de realizar a consolidação de balanços contábeis, qual é a importância do processo e, ainda, por que a tecnologia pode ser uma importante aliada nesse processo. Confira!

O que é a consolidação de balanços contábeis?

A consolidação de balanços contábeis é uma demonstração financeira referente a um grupo empresarial. Em linhas gerais, podemos dizer que é a integração dos balanços contábeis de cada subsidiária e da controladora. Assim, é possível avaliar a saúde financeira de um grupo consolidado por meio de números concretos.

Essa tarefa, claro, é bastante complexa. Afinal, ela envolve o levantamento de dados de cada unidade do negócio por meio de documentos e da integração dos dados. Todo o processo é regulado pela Comissão de Valores Imobiliários, que aponta quais são as empresas que precisam realizar a consolidação e com o apoio de quais tipos de arquivo.

Os principais documentos exigidos são:

  • Demonstração de Resultado de Exercício (DRE);
  • Demonstrações de Lucros e Prejuízos Acumulados;
  • Demonstração do Fluxo de Caixa;
  • Parecer do Conselho Fiscal do grupo.

Outros anexos podem ser incluídos, como parecer de auditorias, sejam elas realizadas por uma equipe interna ou por uma contratada. Outro dado importante é o cálculo das equivalências patrimoniais (Método de Equivalência Patrimonial — MEP), obrigatório para empresas que declaram Imposto de Renda de acordo com o lucro real.

O MEP é um cálculo feito para a mensuração de investimentos de acordo com o patrimônio líquido de cada empresa do grupo. Assim, são evitadas distorções nas demonstrações contábeis de cada subsidiárias.

Outra importante etapa da consolidação de balanço contábil está no Balanço Patrimonial, ou seja, o levantamento de todo o histórico de aquisição de ativos e desconto de passivos. Dessa forma, é possível verificar a avaliação patrimonial de todo o grupo e de cada uma das suas unidades.

Por que a contabilização é importante?

A importância da contabilização de balanço é clara, já que é um processo previsto em lei e supervisionado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Isso acontece porque é apenas o balanço que permite a análise correta da situação financeira e contábil de um grupo empresarial em sua totalidade.

Essa análise poderá ser utilizada, por exemplo, para atrair investidores externos, conseguir linhas de crédito ou dar segurança aos credores. Ou seja, a contabilização é uma espécie de certificado de que um grupo é sólido, pode trazer bons retornos para investidores e que todas as suas unidades (ou maioria) já estão entregando resultados positivos, crescentes e sustentáveis.

A contabilização é crucial também para a gestão interna da empresa. As lideranças podem avaliar uma enorme quantidade de informações financeiras e contábeis, para verificar se existem processos realizados de forma pouco eficaz ou se alguma unidade está passando por mais dificuldades que as demais, por exemplo.

Por fim, vale lembrar que uma boa consolidação de balanços contábeis fortalece a imagem de um grupo transparente, ou seja, tem desdobramentos na própria imagem e reputação de uma organização.

Quais empresas precisam fazer a consolidação de balanço contábil?

Como falamos, a consolidação de balanço contábil é um processo regulado em lei e controlado pela CVM. Ela é obrigatória para grupos formados por duas ou mais empresas cujas unidades são controladas por uma delas. Isso não significa, no entanto, que apenas as organizações de capital aberto precisam fazer a consolidação.

Sociedades controladas em conjunto, mesmo as limitadas, também devem fazer a consolidação, bem como empresas de capital aberto que tenham investimentos em outras empresas.

Como o ERP pode auxiliar?

Empresas já perdem bastante tempo com obrigações fiscais: de acordo com a Receita, são mais de 600 horas/ano gastas na mensuração e declaração de resultados. Evidentemente, a consolidação de balanços também entra nesse cálculo e o volume de informações utilizados, bem como o fato de serem sensíveis, pode tornar o processo burocrático ainda mais lento.

A boa notícia é que é possível contar com a tecnologia para agilizar e dar segurança à consolidação, principalmente com o uso de ERP (Enterprise Resource Planning ou Planejamento dos Recursos Corporativos). O software, conhecido também como sistema de gestão integrada, oferece uma série de benefícios no momento da consolidação. São eles:

Velocidade no levantamento de dados

Já deu para entender que a consolidação implica no uso de uma grande quantidade de informações que são praticamente impossíveis de serem coletadas e analisadas de forma totalmente manual — o que também implicaria maiores riscos de erro humano.

Contudo, o ERP é um sistema que levanta dados de cada área da empresa e integra as informações de maneira rápida e automática. Ou seja, os dados contábeis não “acumulam”, uma vez que os cálculos necessários para o balanço são feitos praticamente em tempo real.

Conformidade com a lei

A legislação fiscal e tributária brasileira é complexa e vive sob constantes mudanças. Cada estado ou município tem regras próprias, tanto em relação aos prazos quanto aos valores. Não estar de acordo com as regras, portanto, é mais um desafio para empresários. Essa situação é mais complexa quando falamos em grupos que atuam em diferentes localidades do país.

Um sistema ERP adaptado ao sistema legislativo brasileiro, no entanto, é facilmente programado para se adequar rapidamente a qualquer regra fiscal. Além disso, ele já realiza cálculos contábeis dentro do que é estabelecido pela lei. Ou seja, o seu grupo empresarial fica protegido contra erros de cálculos e consequências, como multas aplicadas pela Receita ou pelas Secretarias de Fazenda.

Gestão baseada em dados

A consolidação de balanços fiscais é importante não só para que a companhia atenda às demandas externas, mas também para melhorar a sua própria gestão. Com o ERP, os dados de cada unidade podem ser facilmente acessados por um painel de controle unificado, inclusive por dispositivos móveis como celulares e tablets.

Com o sistema de gestão integrada ainda é possível armazenar todo o histórico de movimentações da empresa, permitindo comparações históricas e o acompanhamento preciso da evolução de um grupo empresarial.

Quer saber mais sobre como um sistema ERP pode ajudar na consolidação de balanços contábeis e em vários outros processos do seu negócio? Converse com um dos nossos atendentes agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *