Como a realidade aumentada pode beneficiar a educação

Equipe TOTVS | Biblioteca | 09 agosto, 2018

A realidade aumentada é uma tecnologia que permite que o mundo virtual se misture com o mundo real. Pessoas podem entrar no ambiente e interagir com objetos virtuais em três dimensões. Esse tipo de ferramenta vem sendo aplicada em diversas áreas, como medicina, psicologia, publicidade e, também, na educação.

O fenômeno Pokemon Go é o exemplo mais famoso da realidade aumentada. As pessoas caçam o personagem virtual que pode estar em qualquer lugar da cidade. O jogo virou febre e mostra o potencial dessa tecnologia para aumentar o interesse de alunos no conteúdo em sala de aula.

Na prática, o que a realidade aumentada faz em sala de aula é expor conteúdos em 3D, aproximando da realidade do aluno a matéria que ele está estudando. Tudo fica ainda mais atraente ao fazer isso por meio de uma tecnologia cada vez mais presente na vida de qualquer criança ou adolescente.

Conteúdo pedagógico

Estamos falando de uma nova maneira de apresentar o conteúdo pedagógico em sala de aula. Ao abrir um livro de estudos com uma foto de um vulcão e colocar o celular sobre ele, o aluno provoca uma erupção virtual. Ao aproximar o celular de uma tabela periódica e ter acesso a imagens e informações sobre um determinado elemento químico. Ver uma escultura através da tela do celular e acessar outras obras do mesmo autor, descobrir os materiais usados nela. Explorar cada veia, músculo, osso e detalhes de cada órgão do corpo humano com a tecnologia da realidade aumentada.

Alguns livros didáticos já estão vindo acompanhados de aplicativos que permitem ampliar o conhecimento por meio dessa tecnologia. Cursos de idiomas, por sua vez, estão usando a realidade aumentada como ferramenta nas aulas e se destacando no mercado ao disponibilizar para os alunos essa moderna ferramenta de estudo.

Benefícios

O resultado da aplicação dessa tecnologia é a criação de um novo ambiente de aprendizado, que torna o estudo mais divertido e interessante. Com isso, os alunos se engajam mais nos estudos, e além disso memorizam e entendem melhor os propostos.

Assim, deixam de ser sujeitos passivos, somente recebendo as informações e passam a aprender ativamente, participando e interagindo com o conteúdo. Os estudantes passam a ter também autonomia sobre a escolha do que pretendem se aprofundar. Um estímulo essencial no processo de aprendizagem. Ele mesmo vai traçando caminhos dentro do ambiente virtual para reter o conteúdo de maneira que seja mais fácil para a absorção do conhecimento.

Ao mesmo tempo, tudo isso reverte positivamente para a escola, que melhora seu relacionamento com os alunos, obtém melhores resultados e se torna uma opção atraente para a comunidade.

Desafios

No entanto, um dos grandes desafios ao aplicar esse tipo de tecnologia é preparar educadores para seu uso. Para quem não nasceu na era digital, a intimidade com as inovações pode ser mais difícil. Por isso, o uso da realidade aumentada também requer do professor todo um novo modo de pensar a pedagogia. Não se trata mais de entender a estrutura educacional com um personagem central, que domina todo o conhecimento e passa para os alunos. A educação passa a ser mais colaborativa.

É urgente essa preparação. A tecnologia já está nas escolas e a realidade aumentada é apenas uma delas. E esse é um caminho sem volta. Por isso, criar conteúdo pedagógico sem levar em conta esse novo cenário, é deixar a escola fora de sintonia com o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.