plano-de-gerenciamento-de-riscos

Por que contar com um plano de gerenciamento de riscos?

Equipe TOTVS | GESTÃO DE NEGÓCIOS | 16 julho, 2020

Um dos principais objetivos do plano de gerenciamento de riscos está em ajudar a prever, evitar ou suavizar possíveis riscos para a saúde da empresa. Ao tomar uma decisão ou traçar uma nova estratégia, é importante mapear a avaliar todo o processo, para que os resultados sejam os melhores possíveis.

Para uma gestão de riscos eficiente, é importante definir um ciclo de ações, que inclua no acompanhamento das ações preventivas, mitigação e análise dos concorrentes. Se você quer saber mais sobre esse tema, continue a leitura deste artigo e descubra!

A importância do plano de gerenciamento de riscos

Ao pensarmos nos motivos que levam à criação de um mapeamento de riscos, é necessário considerar valores, experiências, infraestrutura e habilidades contidas em uma empresa.

Todos os esforços empregados na trajetória de uma organização representam uma bagagem valiosa, em momentos de sucesso ou de falhas. É a partir de erros que aprendizados podem tomar forma e servir como base para avaliar próximas decisões de risco.

O plano de gerenciamento de riscos também atua no cumprimento de exigências da legislação, como as leis específicas de saúde e segurança do trabalho, no caso da Portaria nº 05, de 20/08/92.

Principais riscos encontrados nas empresas

Riscos estratégicos, riscos financeiros, riscos de saúde e segurança, regulatórios, ambientais, comerciais e de governança. Três tipos de risco, no entanto, encontram maior destaque nos negócios, são eles:

  • Risco de liquidez: quando há perda de capital ou de valor na venda de um ativo, devido à sua desvalorização de acordo com o tempo, como imóveis e maquinários complexos;
  • Risco operacional: quando há prejuízos provocados por erros e falhas nos processos da empresa, seja com pessoas, tecnologias ou imprevistos, bem como contratos inadequados e compromissos não honrados,
  • Risco sistemático: quando os riscos se aplicam não somente à empresa ou a um ativo, mas afetam o sistema econômico como um todo, e podem representar um desafio para todas as organizações de determinado mercado. Fatores como inflação e crises financeiras podem ser determinantes.

eBook Grátis - Guia Prático Para Uma Gestão Financeira Que Garanta o Lucro da Empresa

Como fazer um plano de gerenciamento de riscos?

Em uma empresa, os riscos podem ser de natureza estratégica, financeira, operacional, corporativa ou até mesmo por razões de compliance. O segmento escolhido para atuar e o nicho de mercado atendido também têm influência direta nos processos e riscos corridos pela organização.

Ao colocar o gerenciamento de riscos em prática, a análise aplicada no seu negócio deve englobar aspectos como:

  • Fator gerador e eventos que provoquem a criação de riscos;
  • A probabilidade e a frequência em que eventos de riscos ocorrem;
  • Consequências enfrentadas por uma situação de risco,
  • Ações de contingência, que reparam e minimizam os efeitos dos fatos geradores de riscos.

Nesse sentido, contar com os colaboradores de cada departamento é uma ação valiosa na identificação de riscos e em sua prevenção, uma vez que a equipe está envolvida nas rotinas diárias da empresa. Algumas metodologias também podem ajudar, como as que citaremos a seguir.

Metodologias adotadas no plano de gerenciamento de riscos

No dia a dia empresarial, é de extrema importância contar com métodos ágeis e produtivos, que sejam eficientes na prevenção de riscos. Alguns exemplos que podemos citar são:

  • PMBOK: O Project Management Body of Knowledge, ou Corpo de Conhecimento em Gerência de Projetos, oferece parâmetros de atuação para rotinas e processos. É responsável por trazer instruções e conceitos referentes a entradas e saídas e ao ciclo de vida de projetos, aumentando as chances de sucesso;
  • FMEA: Failure Mode and Effect Analysis, ou Análise de Modo e Efeito de Falhas, identifica, descreve e delimita os defeitos encontrados pelo processo (modo de falha), analisando seus efeitos e causas, para, então, eliminá-los;
  • APR: A Análise Preliminar de Riscos usa uma análise qualitativa dos riscos e aponta os principais afetados, com uma ação bastante focada na segurança da equipe e individual do colaborador,
  • What if: o método “E se?”, basicamente, reúne colaboradores com maior experiência em determinadas áreas e aplica-lhes perguntas como “e se determinada situação acontecer, o que deve ser feito?”. Contar com dicas de quem já passou por situações parecidas é importante na descoberta de soluções rápidas.

Dados concretos no plano de gerenciamento de riscos

Os dados disponíveis no ERP representam um forte aliado, ao oferecerem relatórios sobre a operação do negócio e possibilitarem uma leitura mais clara sobre o andamento de cada setor, aos olhos do gestor.

Ter acesso a informações seguras e concretas é fundamental na identificação e validação dos pontos fortes e fracos da organização, e também serve como um alerta na hora de repensar novas abordagens.

A automatização de processos pode, por exemplo, identificar uma falha nos servidores de pagamento e aplicar uma reinicialização, reparando e minimizando os danos provocados.

Da mesma forma, o sistema auxilia a corrigir ações com baixa performance. Tudo isso sem contar que toda e qualquer estratégia deve ser documentada e monitorada, verificando continuamente os níveis de desempenho e estratégia de cada departamento.

Conte com a tecnologia para gerenciar seus riscos

Ao longo deste conteúdo, explicamos o que é o plano de gerenciamento de riscos, sua importância para os negócios, os principais riscos encontrados nas atividades diárias e como colocar essa ação em prática, com metodologias eficientes.

Contar com a tecnologia também é essencial para gerenciar os riscos, e nesse ponto você pode contar com a TOTVS, uma empresa 100% brasileira, referência em inovação e softwares voltados para a gestão, atuando há mais de 30 anos no mercado.

Seja qual for o porte da sua organização, nossos sistemas estão prontos para se encaixar exatamente nas suas necessidades, adequando-se à sua rotina. Se você gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o tema, descubra por que o ERP é essencial nas empresas.

Continue acompanhando o blog da TOTVS e não se esqueça de assinar a newsletter, para receber novidades diretamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *