Como usar o SEO para e-commerce nas lojas virtuais? Veja dicas para otimizá-lo

Equipe TOTVS | 20 dezembro, 2022

Uma loja virtual que existe, mas não é acessada, é como um estabelecimento que não ganha visitas porque ninguém o encontra. E dificilmente esse será o desejo de um empreendedor, não é mesmo? É por isso que SEO para e-commerce entra como uma solução.

Embora nem todos os empreendedores conheçam os mecanismos de buscas, eles estão a todo tempo ajudando ou — se não existe estratégia — atrapalhando sua loja de ser vista.

A busca orgânica pode trazer tanto tráfego qualificado para o site quanto os anúncios em que sua marca investe muito dinheiro. A diferença é que o primeiro é de graça. Você deve estar se perguntando: como, então, fazer SEO para meu negócio digital?

Isso é o que mostraremos nesse conteúdo. Além de explicar o que é e quais são as vantagens de investir nele, vamos trazer 8 estratégias para se aplicar no e-commerce e também alguns erros para evitar. Vamos nessa? Boa leitura!

O que é SEO para e-commerce?

SEO para e-commerce se refere a técnicas de otimização de sites (Search Engine Optimization) usadas especificamente no comércio eletrônico, visando a melhorar seu ranking nos mecanismos de busca, principalmente o Google.

Sendo assim, esse termo serve para se referir a todas as aplicações práticas que vão favorecer um e-commerce, baseando-se sempre em uma série de melhorias.

Ou seja, não é apenas uma mudança que vai afetar o seu site, mas várias estratégias associadas. Basicamente: SEO só funciona se ele for feito a partir de uma visão conjunta, considerando uma página toda e não apenas um elemento dela.

E como os fatores de ranqueamentos dos mecanismos estão em constante evolução, o SEO para e-commerce também se torna uma prática constante, dependendo de atualizações contínuas.

Quais são os benefícios do SEO para e-commerce?

Apesar de ser no longo prazo, o SEO para e-commerce tem benefícios refletidos em resultados reais indiscutíveis. Para se ter uma ideia, pelo menos, 43% de todo o tráfego de comércio eletrônico vem da pesquisa orgânica do Google, como mostra o Statista.

Corroborando isso, 23,6% dos pedidos de e-commerce estão diretamente ligados ao tráfego orgânico, segundo dados do Hubspot. Estamos falando de um benefício gigantesco: conversão em vendas.

Mas, talvez o grande fator para isso tudo é o bom posicionamento na busca orgânica: mais de dois terços de todos os cliques nas SERPs vão para os 5 principais resultados.

Quando consideramos só o primeiro site, 95% do tráfego de pesquisa vai para a primeira página de resultados de pesquisa. Esses dois dados foram reunidos pelo Reboot Online.

Tudo isso deixa bem claro a grande vantagem de apostar em SEO. Você garante tráfego qualificado para seu site — pois esses visitantes vão até ele buscando informações, produtos ou serviços específicos — e ainda se torna mais visível. E o melhor: sem gastar com isso.

Como consequência, mais pessoas conhecem seu negócio e mais vendas sua loja consegue fechar. Em última instância, então, o SEO para e-commerce aumenta sua taxa de conversão, percebe?

Estamos falando agora de algo obrigatório para o sucesso. Se antes algumas marcas varejistas se preocupavam em participar dos espaços digitais, agora essa é uma regra básica para conseguir sobreviver no mercado de e-commerce.

Como fazer SEO para e-commerce? Conheça 8 estratégias para aplicar

Você já deve ter entendido que se quer que seu e-commerce se destaque na grande quantidade de sites novos que são criados diariamente, é preciso se preocupar com o SEO para e-commerce. Mas como fazer isso? São 8 dicas:

  1. Cuidado com os elementos técnicos;
  2. Pesquisa de palavras-chave;
  3. Otimizações on-page;
  4. Marketing de conteúdo;
  5. Atenção a user experience;
  6. Link building;
  7. Avaliações dos consumidores;
  8. Ferramentas de monitoramento.

A seguir, vamos explicar o que cada uma delas significa!

1. Cuidado com os elementos técnicos

O primeiro ponto sobre SEO para e-commerce diz respeito aos elementos técnicos do site. 

Aqui estamos falando sobre arquitetura do site (as categorias e subcategorias), URLs amigáveis e a forma como o código-fonte, ou seja, o HTML, é construído. 

Muitas vezes, como se trata da parte mais técnica, as lojas não se atentam, mas a parte técnica é o que sustenta o site. 

Para evitar problemas, é bom escolher plataformas amigáveis para SEO e que consigam atender às demandas de uma loja online. Neste sentido, sua loja deve se certificar que o código-fonte não contém erros e está totalmente limpo.

Basicamente, os elementos técnicos são uma parte invisível, mas que foca na indexação e rastreabilidade, performance e segurança. Quanto mais fácil o robô ler sua página, melhor. E tudo isso influencia diretamente no seu posicionamento nos mecanismos de busca.

2. Pesquisa de palavras-chave

O segundo passo fundamental para ter uma boa estratégia de SEO no seu comércio eletrônico é a pesquisa e planejamento de palavras-chaves em todo o site. É por meio delas que seu conteúdo será encontrado no Google.

Antes de começar a otimizar seu site, você vai precisar mapear as palavras-chave que se relacionam ao seu e-commerce e analisar o volume de buscas, intenção da pesquisa e a dificuldade em se ranquear para cada uma delas.

Assim, você consegue entender a necessidade real do seu público e se preparar para se classificar bem. A partir daí você já sabe quais palavras-chave devem estar no seu conteúdo de forma contextual em todas as categorias do site para que ele seja o mais adequado possível.

Para ilustrar o uso das palavras-chaves, veja um exemplo:

  • Categoria: camisas femininas;
  • Subcategoria: camisas femininas de manga longa;
  • Produto: camisa feminina floral manga longa.

3. Otimizações on-page

Uma vez que seus elementos técnicos estão alinhados e as palavras-chaves corretas definidas, é hora de trabalhar na otimização das páginas do seu e-commerce. É aqui que se coloca tudo o que se selecionou anteriormente para “funcionar”.

As otimizações on page dizem respeito a tudo que pode ser melhorado em uma página. No caso de um site de comércio eletrônico, há muitos elementos a serem trabalhados. São eles, por exemplo:

  • meta tags: é a forma como o conteúdo é apresentado no Google. Meta tags bem otimizadas podem fazer um produto aparecer nas primeira posições e até mesmo no Google Shopping;
  • estrutura de headings: criar uma ordem de seções e subtítulos também é fator de ranqueamento. A hierarquia (H1, H2, H3, H4) vai ajudar o algoritmo a entender sua página e como ela se estrutura;
  • otimização de imagens: se seu conteúdo conta com fotos, você precisa também utilizá-las. A otimização delas ajuda a imagem aparecer na SERP geral e na categoria de imagens. Muitas vezes, pessoas pesquisa por meio das fotos;
  • estrutura das URLs: as URLs precisam ser amigáveis, portanto, mantenha palavras-chave de pequenos tamanhos e sempre evite caracteres especiais;
  • descrição de produtos: nas páginas de mercadorias, certifique-se de que cada um tem uma descrição diferente, única e relevante para seu conteúdo, com as palavras-chave bem aproveitadas.

4. Marketing de conteúdo

Seu e-commerce já considerou criar um blog? Essa é uma das estratégias de inbound marketing mais associadas a SEO e sites de lojas. Muitas vezes, os seus potenciais clientes nem sabem que precisam do seu produto e é dessa forma que o marketing de conteúdo vai ajudar.

O conteúdo criado para seu blog vai ajudar os usuários a se conectarem com a sua marca, mas também será relevante para o Google por trazer palavras-chave adequadas, informações úteis e links internos e externos.

Ao mesmo tempo, a descrição aqui também pode entrar como um conteúdo textual de valor. Isso porque ela tem o papel de gerar valor ao que você está vendendo e, se feito de forma inteligente, pode ranquear também. 

Os artigos precisam estar relacionados com seus produtos, serviços ou soluções e ser relevantes para seu público. No entanto, você não precisa se limitar somente a postagens de blog, pode também investir em e-books, infográficos, webinars e podcasts, por exemplo.

5. Atenção a user experience

Esse é um fator que tem cada vez mais relevância no mundo do SEO. Por se tratar de um e-commerce, seu público vai querer se sentir seguro para comprar, logo, ter uma boa experiência de usuário conta muito para isso.

Mas que aspectos do site realmente influenciam nisso? Por exemplo, a velocidade do site é rápida? Ele está adaptado para mobile ou tablet (basicamente, se é responsivo)? O checkout é intuitivo, com botões de fácil compreensão?

Além disso,  é preciso ter cuidado com banners e anúncios intrusivos. Eles podem prejudicar a experiência de navegação. Ainda, a importância de certificados de segurança, como HTTPS, também conta para o usuário.

Quando esses aspectos são positivos, os seus visitantes vão se sentir confortáveis até a hora de finalizar a compra. E aí entra o SEO. Isso ajuda no ranqueamento do site, pois, quanto maior for seu tempo no site, mais relevante ele parecerá para os mecanismos de busca.

Todas as páginas têm links e eles contam muito para o SEO no e-commerce. Essa estratégia se refere a conseguir backlinks (ou seja, outros sites que colocam uma ligação para seu site) com qualidade.

Esses links externos ao seu site funcionam como se fosse uma confirmação de qualidade para seus conteúdos, se vierem de bons sites. Inclusive, quanto mais relevantes esses links forem, melhor será seu posicionamento nos buscadores. Os duvidosos devem ser rejeitados, ok?

Muitas vezes, o link building se relaciona com o blog do site, pois este é o canal em que se consegue criar mais oportunidades para recebê-los. Se seu blog faz um conteúdo diferenciado e com dados de pesquisa, por exemplo, mais pessoas vão linká-lo como uma referência no assunto.

7. Avaliações dos consumidores

Quando sua empresa usa o Google, é possível registrar diversas informações sobre o negócio que podem aparecer em um quadro em destaque. Entre os principais dados, estão as avaliações dos consumidores.

Não é novidade que a maioria dos consumidores online busca por referências de outros clientes antes de realizar uma compra, não é mesmo? Então, se seus clientes estiverem satisfeitos com seus produtos, há chances de que eles possam deixar esses feedbacks.

O interessante é que isso pode ser usado de forma positiva na sua loja virtual. Esses comentários podem estar ranqueados no Google e também visíveis na página de compra. E seja como ele encontrar esses comentários, isso terá um impacto positivo, percebe?

8. Ferramentas de monitoramento

Assim como qualquer estratégia, o SEO para e-commerce precisa ser acompanhado, medido e melhorado. Mas isso só é possível quando se usa ferramentas de monitoramento. São elas que vão entregar resultados e gerar insights sobre a performance da loja.

Há ferramentas gratuitas, como o Google Analytics e o Search Console, que permitem esse monitoramento. Elas são excelentes para serem usadas para trazer dados de SEO que reflitam em melhorias no seu site.

Além disso, em todo tipo de avaliação, vale comparar sua concorrência. Isso vai dar uma ideia de como eles estão e se você está melhor ou pior. Para isso e também outras coisas, podem ser usadas outras ferramentas com insights mais profundos.

Vamos falar sobre algumas delas a seguir!

8.1 Ferramentas úteis para ajudar a otimizar sua loja virtual

As ferramentas mais conhecidas para ajudar nessa otimização da loja virtual com base em números são: SemRush, Ubersuggest e Ahrefs. Todas elas conseguem trazer dados bem estruturados sobre o seu site.

O Ubersuggest, por exemplo, permite avaliar o volume de buscas pelas palavras, sua dificuldade de ranqueamento, o retorno dos principais concorrentes e até mesmo trazer ideias de conteúdo para seu blog.

Com propostas similares, o SemRush ajuda também a trazer dados sobre palavras-chave, backlinks e a SERP, além de permitir funções como auditoria do site, que vão ajudar em questões técnicas do domínio.

Por fim, o Ahrefs se destaca na análise e estratégia de link building. Ele é uma ótima opção se você quiser saber mais sobre quem está direcionando para seu site, se as fontes são confiáveis, quantas vezes seu conteúdo é compartilhado nas redes sociais, entre outros aspectos.

SEO para e-commerce: erros que você não deve cometer

Agora que mostramos as dicas sobre estratégia de SEO para e-commerce, vamos trazer 3 erros que se devem evitar para garantir que sua loja virtual tenha sucesso nessa aplicação. Veja quais são eles:

  • links quebrados: um site com links quebrados pode prejudicar seu SEO. Isso se dá porque os crawlers dos mecanismos de busca podem não conseguir acessá-los e interpretar seus conteúdos como se estivessem atualizados;
  • conteúdo duplicado: páginas com conteúdos que se repetem podem atrapalhar o ranqueamento da loja. Os mecanismos de busca entendem isso como fraude, pois se trata de um conteúdo muito parecido a outro já existente;
  • falta de indexação: se seu site não estiver sendo indexado, significa que os mecanismos de busca não conseguem achá-lo. Fatores que levam a isso são problemas técnicos ou se o site for muito desestruturado.
  • descrição de produto insuficiente: a falta de informações pode pesar muito para o cliente desistir de uma compra.
  • falta de imagens: o mesmo para falta de imagens ou imagens com baixa qualidade.

Faça seu e-commerce vender mais com as tecnologias TOTVS para Varejo

Aplicar as técnicas de SEO para e-commerce é fundamental para converter em mais vendas. No entanto, de nada adianta ter um bom SEO na loja virtual, mas não dá conta da entrega, não é mesmo?

Você precisa ter uma boa estrutura também por trás do e-commerce. E tudo isso começa com omnicanalidade e tecnologia.

As tecnologias TOTVS para Varejo foram criadas pela maior empresa de tecnologia do Brasil e garantem uma gestão de omnichannel para o varejo.

Com elas, seu negócio vai gerenciar pedidos, estoques e outras variáveis da sua operação varejista em múltiplos canais. Ou seja, é possível acompanhar todas as vendas de forma conectada.

E, quando falamos de e-commerce, você encontra na operação entre TOTVS e VTEX uma plataforma de digital commerce completa para tornar a sua operação omnichannel!

O sistema garante que você terá sempre o estoque certo no lugar certo para atender ao cliente com máxima eficiência e menor custo!

Faça seu e-commerce vender mais!

Nova call to action

Conclusão

Um e-commerce otimizado tem muitas mais chances de aumentar as vendas. E isso acontece porque, antes de tudo, o SEO vai fazer com que sua empresa fique nas primeiras posições do Google e, assim, seja encontrada com mais facilidade.

Mas, para conquistar isso, o trabalho é árduo: você precisa se preocupar com palavras-chave, otimização on-page, marketing de conteúdo, experiência do usuário, backlinks e até mesmo ferramentas de monitoramento.

E, no topo de tudo isso,é preciso se certificar que a estrutura da sua empresa dá conta de tudo aquilo que ela oferece, desde o estoque até a entrega, em todos os canais que ela está presente.

Para tanto, contar com as tecnologias TOTVS para o Varejo é uma excelente forma de garantir isso.

E, se você quer saber também sobre os comparativos entre uma loja física ou virtual, leia também nosso artigo sobre o tema!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.