Produtividade na Indústria: 8 dicas para aprimorar os processos

Aumentar a produtividade na indústria é um dos objetivos mais buscados por donos, diretores e gestores do segmento.  Mas para alcançar esse propósito, é necessário não só otimizar o fluxo de trabalho na linha de produção, como também adotar as melhores práticas na gestão da cadeia de suprimentos, das compras e das finanças da área. …

Equipe TOTVS | 21 setembro, 2021

Aumentar a produtividade na indústria é um dos objetivos mais buscados por donos, diretores e gestores do segmento. 

Mas para alcançar esse propósito, é necessário não só otimizar o fluxo de trabalho na linha de produção, como também adotar as melhores práticas na gestão da cadeia de suprimentos, das compras e das finanças da área.

Dessa forma, será possível manter um crescimento da capacidade produtiva de forma equilibrada. 

No panorama nacional, podemos analisar que a indústria brasileira apresentava um aumento da produtividade significativo e saudável para o setor. 

Em 2016, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o crescimento foi de 1,7% e, em 2017, chegou a 4,5%.

Contudo, após a declaração da pandemia do novo coronavírus o cenário mudou bastante.

Em 2020, a CNI trouxe em sua pesquisa Produtividade na Indústria que a indústria brasileira teve um recuo de 0,6% em comparação com o ano anterior.

Em relação a 2019, a indústria teve em 2020 uma queda de 4,6% do volume de bens produzidos e 4,1% a menos de horas trabalhadas.

E ainda sofrendo todos os impactos da pandemia e outros fatores do cenário econômico, a pesquisa trouxe novamente uma queda na produtividade da indústria nacional: 2,5%  no primeiro trimestre de 2021 em relação a 2020.

Esses dados são importantes para entender como esse tipo de expansão é obtida por uma soma de esforços dentro e fora do parque fabril.

O crescimento acaba envolvendo desde a mudança de comportamento de trabalhadores e da empresa até o investimento em tecnologia como também fatores externos.

Além disso, há várias práticas que podem ajudar a aumentar a produtividade na indústria.

Separamos 8 das principais dicas para seguir e ter um crescimento no setor. Não deixe de conferi-las!

Entenda o conceito de produtividade da indústria

Produtividade é um termo usado como sinônimo de eficiência, agilidade e quantidade com qualidade. 

A produtividade na indústria, nesse sentido, representa a eficiência em relação à produção no parque fabril e demais processos administrativos da indústria que impactam no aumento da geração de produtos ou serviços.

Ou seja, o conceito de produtividade da indústria está diretamente ligado ao melhor aproveitamento dos recursos disponíveis para fazer mais, em menos tempo e com a mesma qualidade.

Para gerar essa produtividade, as indústrias devem investir em diversos fatores, como mão-de-obra qualificada, especialização dos profissionais, investimento em equipamentos, novas tecnologias e matérias-primas. 

Como um planejamento estratégico pode ajudar na produtividade da indústria?

O planejamento estratégico dentro da lógica de aumento da produtividade na indústria torna-se um dos pilares mais importantes para um direcionamento correto da gestão dos processos.

E dentro dessa gestão incluem-se a gestão de projetos administrativos, etapas de execução de tarefas, recursos e pessoas.

A importância do planejamento está na necessidade de mapear prioridades, identificar gargalos, propor melhorias nos processos e potencializar a assertividade das ações, tanto nas organizações de grande porte como em pequenas e médias indústrias.

No entanto, um ponto importante sobre o planejamento estratégico é que ele precisa ser previsível e contar com contratempos.

Durante a execução de qualquer planejamento, é importante que os líderes estejam em constante revisão desse plano para observar ameaças ou oportunidades que surgem durante o caminho que não foram identificadas na elaboração inicial.

Outra característica do planejamento estratégico é organizar a indústria como um todo, unindo todas as pessoas da empresa no mesmo propósito, incentivando a resiliência, motivação, engajamento e o espírito de resolução de problemas.

Quais os fatores que interferem na produtividade da indústria?

Vários fatores podem provocar um impacto negativo na produtividade na indústria, desde fatores externos, como crises no cenário econômico nacional, como também fatores internos, como falta de um planejamento estratégico.

Entre os principais gargalos, podemos citar a falta de organização dos processos, colaboradores desmotivados e sem engajamento, pouco incentivo em capacitação de pessoas, atividades e processos ultrapassados , sobrecarga de tarefas, falta de investimento em novos equipamentos e tecnologias

8 Dicas de como aumentar produtividade na indústria

8-Dicas-de-como-aumentar-produtividade-na-indústria

Separamos 8 dicas de como trilhar um caminho para o aumento da produtividade na indústria. 

Entre elas o investimento e desenvolvimento de capital humano, preocupação com clima organizacional e gestão de pessoas, aposta em novas tecnologias e automação de processos.

A revisão do fluxo de trabalho, identificação e resolução de problemas, redução da taxa de desperdícios e foco em soluções sustentáveis também estão entre as dicas que a indústria deve adotar para recuperar o ritmo de produção nesse retorno após a crise causada pela pandemia do Covid-19. Confira!

1. Treinar os funcionários

Uma das formas mais eficientes de aumentar a produtividade da empresa é capacitando os seus colaboradores por meio de treinamentos frequentes, alinhados às principais práticas de excelência do mercado. Isso inclui diferentes tipos de aprendizado, como:

  • de novas tecnologias, o que garante que os colaboradores operem adequadamente equipamentos modernos, tirando o máximo de proveito deles;
  • de procedimentos de segurança, pois acidentes podem pausar processos e ainda ocasionar o afastamento de funcionários eficientes;
  • de políticas e comportamentos positivos para a interação com colegas. Se todos conhecerem as regras dentro da empresa e as suas normas contra práticas consideradas inadequadas, o ambiente tende a se tornar mais favorável ao trabalho.

As dicas acima colaboram para aumentar a produtividade da indústria, porém é preciso montar um bom planejamento para colocá-las em prática.

Muitas também poderão requerer uma reformulação dos processos da empresa, levando inclusive a modificações em sua cultura interna. Será preciso se preparar para gerir os riscos e as oportunidades que essas ações geram.

2. Preocupe-se com o clima organizacional

O clima organizacional significa a percepção coletiva do que os funcionários e todos os membros possuem em relação a uma empresa, de acordo com o bem-estar físico e mental proporcionado pela gestão de pessoas.

Um dos maiores indicadores de um bom clima organizacional é a motivação, bem-estar e satisfação profissional do colaborador.

Vários fatores contribuem para a promoção de um bom clima organizacional nas indústrias, desde benefícios oferecidos, plano de cargos e salários, carga horária, ferramentas de trabalho, modelo de gestão, cultura de feedback, comportamento de colegas e líderes e o incentivo por um ambiente que proporciona bem-estar físico e mental.

O impacto mais direto de um bom clima organizacional é o aumento da produtividade, motivação e engajamento do colaborador em suas atividades.

Outro ponto é que gerando um ambiente saudável a retenção de talentos tende a crescer proporcionalmente a baixa rotatividade.

Ou seja, além do impacto na saúde de todos os funcionários, o rendimento também aumenta, contribuindo para o aumento da produtividade na indústria.

3. Revisar o fluxo de trabalho existente

Uma das formas de otimizar a produção é revisar todo o fluxo de trabalho existente, desde o momento em que as matérias-primas chegam à empresa até quando o produto pronto é enviado ao cliente.

Afinal, sem entender como os seus processos funcionam, dificilmente saberá o que precisa aprimorar para aumentar a produtividade. Para tanto, observe os seguintes elementos em cada fluxo:

Fator humano

Os seus colaboradores têm as habilidades necessárias para as funções que executam? Também avalie se trabalham nas atividades mais adequadas às suas capacidades.

Verifique se objetivos e metas da empresa são claramente entendidos por eles e se são realistas pois, quando não, podem frustrar e desmotivar os funcionários;

Tecnologia

É importante checar se o maquinário se encontra em bom estado de conservação. 

Além disso, analise se ele se tornou obsoleto ou se ainda atende às demandas atuais. 

Verifique se os equipamentos permitem mudanças na produção e se possibilitam incrementos que gerem diferenciais aos produtos. 

Considere também o uso de um sistema de gestão, para integrar e agilizar os fluxos de trabalho;

Procedimentos e atividades

É necessário entender os inputs e outputs (entradas e saídas) de mercadorias, de informações e de outros fatores envolvidos na produção. 

Além disso, é preciso mapear os processos para descobrir pontos fortes/fracos e gargalos.

Ao levantar essas informações, você saberá quais fatores devem ser trabalhados para conquistar uma produtividade cada vez maior.

4. Atualizar processos

Ainda em relação aos processos, lembre-se de estabelecer planos de ação para trocar, consertar ou eliminar os fluxos ineficientes. 

Nesse caso, identifique quais áreas precisam desse tipo de ajuste e procure o apoio dos profissionais desses setores para corrigir as deficiências.

É importante contar com os colaboradores mais experientes, que vivem essas rotinas diariamente, pois podem ter ideias de melhorias. 

Ao conceder a eles a oportunidade de exporem as suas soluções e de serem ouvidos pela empresa, você terá chances de aprimorar a gestão dos processos industriais.

5. Identificar e eliminar gargalos

É preciso mapear todo o ciclo de vida do seu produto para identificar cada gargalo que compromete a produtividade da fábrica. Esses gargalos podem ser identificados nos seguintes processos e etapas:

  • Equipamento que não consegue acompanhar o volume de produção dos demais;
  • Etapa extra que atrasa as demais;
  • Processos burocráticos que exigem uma autorização especial que quase sempre demora interrompendo o fluxo de produtos ou informações;
  • Logística de entrega de um insumo que costuma atrasar ou chegar depois das demais matérias-primas etc.

Após identificar os gargalos, avalie os custos que eles geram para a produção. 

É necessário dimensionar se realmente vale a pena investir valores altos para resolvê-los ou se os seus impactos negativos não justificam isso, sendo pequenos ou irrelevantes no momento.

6. Utilizar a metodologia lean manufacturing

Lean manufacturing, ou manufatura enxuta, é um conceito que envolve práticas e técnicas que visam à eliminação de desperdícios. 

Seu intuito é assegurar o bom aproveitamento de recursos partindo de uma abordagem sistemática, que também objetiva a melhoria contínua.

O foco dessa metodologia está nos fluxos de valor completos, enxergando os processos da empresa de forma integrada. Além disso, ela busca reduzir 8 tipos de desperdícios:

  • Superprodução: produção em excesso gera gastos desnecessários com a armazenagem de produtos que não são absorvidos pelo mercado;
  • Excesso de estoques: os gastos maiores com conservação de estoques encalhados prejudicam a produtividade da empresa, já que oneram a cadeia logística. Também aumentam as chances de perdas, extravios e obsolência, o que gera prejuízos e reduz os resultados do negócio;
  • Gastos desnecessários no transporte: a produtividade nas entregas fica comprometida quando não há bom planejamento de rotas, não se aproveita adequadamente os espaços nos veículos de transporte e não há uma boa comunicação entre sede e filiais;
  • Tempo de espera entre uma etapa e outra: o tempo que maquinários e funcionários ficam ociosos, esperando a conclusão de fases anteriores da linha de produção para poderem trabalhar, afeta a produtividade. É preciso reduzir essas pausas;
  • Excesso de processamento: é necessário entender o que é essencial a um produto e o que é excesso em seu processamento. Às vezes, algumas fases na linha de fabricação e determinados adicionais à mercadoria podem ser eliminados sem prejudicar o propósito/uso do produto final;
  • Porcentagem de defeitos: uma indústria enxuta tende a diminuir os defeitos nos produtos, pois a produção passa a ser melhor controlada e organizada, sem excessos. Além disso, contando apenas com processos essenciais, o controle se torna melhor;
  • Movimentação desnecessária de pessoal: lean manufacturing envolve mapear e organizar a movimentação das equipes na linha de produção, para que não percam tempo com idas e vindas desnecessárias entre equipamentos, estoques e setores;
  • Habilidades subutilizadas: o último desperdício a ser reduzido é o da subutilização das competências dos funcionários. Uma empresa eficiente precisa mapear os talentos dos colaboradores para que sejam bem aproveitados nos processos mais adequados a eles.

7. Reduzir a taxa de desperdício e de rejeição de produtos

A produtividade na indústria é um objetivo de sucesso, mas é importante que ela não esteja associada a índices altos de rejeição de produtos, de defeitos e de desperdício elevados. 

Isso porque os gastos com consertos, retrabalhos e remanufatura tendem a elevar os custos da produção, além de aumentar o tempo até que as mercadorias estejam prontas para comercialização.

Consequentemente, a eficiência do setor de produção e da própria indústria fica comprometida. 

Para evitar isso, é fundamental investir em tecnologias e em práticas de excelência para diminuir essas taxas.

Além disso, devemos pontuar aqui a importância da conscientização e da prática de processos que contribuam para uma produção industrial cada vez mais sustentável, que vise reduzir os danos provocados ao meio ambiente.

Ou seja, não trata-se apenas de desperdício de matéria-prima, mas também a geração de resíduos e poluentes em excesso.

Nesse sentido, as indústrias devem se atentar aos protocolos de sustentabilidade e a uma sigla super importante neste cenário: ESG.

Essa sigla vem das palavras em inglês Environmental, Social and Governance, em português “Ambiental, Social e Governança”.

O termo tem se tornado bastante conhecido entre as indústrias e empresas dos mais diversos segmentos por conta da necessidade urgente de pensar em práticas e políticas de redução de danos ao meio ambiente.

Além disso, a sigla também é um fator determinante para falar sobre investimentos. Muitos investidores, hoje, olham além do financeiro e estão muito interessados em como as empresas lidam com a sustentabilidade, fatores sociais e governança da empresa.

8. Investir em automação e em tecnologia de gestão

Para aumentar a produtividade na indústria, é fundamental o investimento em automação e tecnologia de gestão. 

Aliás, a automação tecnológica, obtida tanto por meio de equipamentos quanto por softwares, é capaz de elevar a eficiência dos processos industriais e é o que torna todos os outros pontos citados acima uma realidade, com muito mais praticidade e eficiência no uso do tempo.

Também diminui custos e possibilita que os trabalhadores deixem atividades manuais e repetitivas para se dedicarem a tarefas de maior valor agregado. 

Além do mais, ela pode contribuir com melhorias pontuais. Veja exemplos:

  • Softwares de gerenciamento, que tenham o recurso de agendamento de manutenção, reduzem perdas decorrentes de paradas na linha de produção. Também facilitam o agendamento de reparos programados;
  • Sistemas de monitoramento do fluxo de trabalho, integrados a sensores, permitem identificar falhas e quebras em tempo real para que sejam solucionadas rapidamente;
  • Ao substituir atividades manuais e repetitivas, um sistema consegue diminuir o tempo de execução, aprimorar a eficiência e aumentar a confiabilidade dos procedimentos realizados;
  • Um sistema de Enterprise Resource Planning (ERP), com módulo de gestão da produção, melhora a realização de processos gerenciais do setor. Também fornece indicadores de performance que ajudam o gestor a medir resultados e, a partir dele, decidir o que fazer para aumentar a produtividade e a eficiência dos fluxos de trabalho;
  • Um ERP ainda contribui com a gestão de estoque, facilitando o controle das mercadorias que saem e entram no almoxarifado. Isso colabora para a elevação da produtividade de vários setores, como de compras, de vendas e do próprio estoque.

Melhore a produtividade com uma boa gestão industrial

Melhore-a-produtividade-com-uma-boa-gestao-industrial

Uma boa gestão industrial é o melhor caminho para manter a competitividade na indústria com o mesmo padrão de qualidade em serviços e produtos.

Atualmente, existem diversas soluções de gestão e tecnologia com foco nas necessidades das pequenas, grandes e médias indústrias, que buscam trazer funcionalidades para modernizar e transformar os processos e atividades da manufatura.

Ou seja, uma boa gestão industrial não precisa ser feita de etapas burocráticas e ultrapassadas, tornando possível otimizar o tempo para o foco na tomada de decisões, gestão e melhoria do clima organizacional, planejamento estratégico e implementação de melhorias.

Tecnologias TOTVS para manufatura

A TOTVS possui uma suíte completa de tecnologias especializadas nas rotinas das indústrias e é pensada para atender todas as necessidades de pequenas, médias e grandes indústrias.

Com sistemas que vão muito além do ERP, traz diversas funcionalidades para modernizar e aumentar a produtividade na indústria de acordo com cada modelo de manufatura:

  • Bens de Capital;
  • Bens de Consumo;
  • Bens Duráveis;
  • Extrativismo e Beneficiamento;
  • Metal Mecânico e Plásticos;
  • Papel e Celulose;
  • Química e Reciclagem;
  • Têxtil e Vestuário etc.

Com os sistemas TOTVS especialista em indústrias, você conta com uma tecnologia completa: da automação básica à indústria 4.0.

Desburocratize a gestão da sua indústria com as funcionalidades de pesquisa e desenvolvimento, planejamento e produção, otimização de estoque, manutenção de ativos e frotas, gestão de suprimentos, controle de produção, vendas, logísticas e muitos outros recursos 100% digitais.

Faça toda a gestão industrial com os sistemas da TOTVS e aumente a produtividade na sua indústria!

Conclusão 

Conclusao-produtividade-na-industria

Curtiu nossas dicas de como aumentar a produtividade na indústria? Com esses passos é possível lidar de forma mais estratégica com os gargalos da sua manufatura para conseguir ter crescimento na produção e melhores resultados de desempenho em todos os setores.

A partir disso, você saberá como mensurar os resultados de produtividade em uma indústria, especialmente se a sua indústria se preocupa em utilizar tecnologias que estão aí para tornar a gestão das pessoas e dos recursos um processo muito menos burocrático e eficiente.

Agora que você já sabe como é possível elevar a produtividade em uma indústria, que tal descobrir como melhorar a gestão de seus processos produtivos?

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.