A sua empresa está preparada para as relações de consumo sustentável? Entenda!

Recentemente, os canudos oferecidos nos bares e restaurantes foram o foco das discussões sobre as relações de consumo sustentável. Até mesmo uma campanha de artistas famosos com a hashtag #paredechupar ganhou as mídias nacionais e internacionais.

O movimento eco-friendly da vez, no entanto, não está sozinho e pode, junto aos demais que atingem diferentes mercados e nichos, trazer novas oportunidades de posicionamento e engajamento para as empresas.

A pesquisa The Sustainability Imperative realizada pela Nielsen aponta que, dentre os millennials, geração que ganha cada vez mais integrantes no mercado de consumo, mais da metade se mostra disposta a pagar mais por produtos e serviços que agridam menos o meio ambiente.

Com isso, canudos de vidro laváveis e até feitos de macarrão têm ganhado vez nos estabelecimentos, que conquistam o respeito e a admiração de seus frequentadores.

Tudo isso ilustra as experiências de consumo vivenciadas por pessoas físicas, mas e os setores como o de prestação de serviços corporativos? Como ficam as conservadoras prediais e empresas de telecomunicações que, na maioria das vezes, negociam com pessoas jurídicas?

Quer saber como empregar os princípios e valores da sustentabilidade de modo real e perceptível nesse nicho? Neste post, trazemos alguns conceitos básicos e dicas estratégicas. Continue a leitura!

O que é o consumo sustentável?

Para os clientes, consumo sustentável ou consciente é aquele que visa a minimização do impacto ambiental causado, seja em sua cadeia de produção, seja na escolha do tipo de matéria-prima utilizada, ou na sua forma de descarte.

Portanto, para os clientes que têm esse critério como prioridade em suas aquisições e contratações, identificar prestadores de serviços com esse viés de negócio é fundamental.

Uma empresa de gestão de limpeza predial que utilize produtos menos agressivos ao meio ambiente, por exemplo, estará alinhada com esse perfil de consumidor. Da mesma forma estará um escritório de contabilidade que zele pela economia ou exclusão da impressão de papéis.

O que mudou com as relações de consumo sustentável?

Esses exemplos, aliás, levam a outro ponto fundamental sobre os produtos e serviços conhecidos como “verdes”. As inovações, em geral, são grandes aliadas na busca por processos mais econômicos e que produzam menos impactos ao meio ambiente.

Por isso, a estratégia de otimização dos processos tecnológicos não necessariamente entra em conflito com a sustentabilidade dos produtos e serviços. São precisos apenas alguns ajustes para que o seu caráter eco-friendly seja enaltecido.

Outros pontos que mudam na relação de consumo e na contratação de serviços sustentáveis são:

Mudança do posicionamento

A mudança de posicionamento no mercado é uma consequência natural daquelas empresas que querem se adequar às necessidades de seus clientes. Isso envolve desde a forma de se comunicar em seus canais até a escolha de seus fornecedores e parceiros de negócio.

Esse processo precisa ser perceptível para o cliente, envolvendo a busca de novos selos de garantia da sustentabilidade em seus processos e a divulgação de suas ações e dos novos métodos que favorecem o meio ambiente.

Impacto no custo total e nos valores dos serviços

Em alguns casos, a escolha de novos insumos e tecnologias pode acarretar determinados custos aos processos. Empresas de locação de equipamentos que tenham que optar por computadores e máquinas com consumo inteligente podem precisar de investimentos iniciais maiores.

Assim, a mudança dos antigos processos para outros que sejam mais sustentáveis pode significar inicialmente um aumento das despesas. Tal estratégia, no entanto, agregará valor aos serviços e, em longo prazo, proporcionará melhores resultados aos negócios.

Além disso, com a ajuda de um sistema ERP, é possível avaliar a viabilidade do projeto de alteração, saber como conduzi-lo da forma mais eficiente e descobrir quais repasses de valores deveriam ser realizados posteriormente para o valor dos serviços.

Produtos e serviços sustentáveis podem custar mais em decorrência de seus processos, mas os seus consumidores são menos sensíveis aos valores, conforme a pesquisa que citamos na introdução deste artigo comprova. Em outras palavras, o critério da sustentabilidade é mais importante que o preço cobrado nesses casos.

Qual é o impacto das relações de consumo sustentável na prestação de serviços?

Entre os impactos que podem ser percebidos nas empresas que mudam o seu posicionamento e a forma de prestar os seus serviços, temos:

  • melhoria da segmentação de público-alvo;
  • redução de custos do negócio em longo prazo;
  • aumento da receita em decorrência da fidelização dos clientes;
  • adequação às normas e leis ambientais, que serão cada vez mais presentes em diversos mercados;
  • melhoria da imagem da empresa.

Assim como os millennials, que estão dispostos a pagar mais por produtos sustentáveis, pessoas de diversas gerações com consciência ambiental apurada são mais engajadas e fiéis aos seus critérios de escolha.

Por exemplo, ao contratar uma empresa de transporte de valores, o cliente que valoriza a sustentabilidade vai priorizar aquela que otimiza as suas rotas para evitar a emissão de gás carbônico, que aumenta o tempo de vida da placa balística por meio de capas e que usa outras medidas que geram menos impactos no meio ambiente.

Essas escolhas, além de fortalecerem a imagem da companhia perante o seu público e as suas entidades de fiscalização, também reduzem alguns custos importantes do negócio, como é o caso do consumo de combustível no exemplo acima.

Quais são as dicas para adaptar a sua empresa às relações de consumo sustentável?

Além de trazer os valores fundamentais para os clientes, os serviços que zelam pelo caráter sustentável de seus processos também geram melhorias para os custos do negócio. Acompanhando os resultados de vendas e de fechamentos de contratos por um ERP na nuvem, por exemplo, uma empresa pode identificar uma modificação nos gastos e, quase sempre, uma redução das despesas.

Ou seja, algumas ações podem ser implantadas no negócio até mesmo em benefício da própria companhia. São elas:

Separação do lixo reciclável

A coleta seletiva ainda não abrange todo o Brasil de forma intensificada, mas, ainda assim, separar o lixo em sacos diferentes é muito importante.

Isso permite identificar itens que podem ser vendidos, como pneus, papéis, alumínios e até paletes de madeira. Se esses materiais são recorrentes em um negócio, o retorno da revenda pode ser direcionado para projetos sociais ou, inclusive, ações de premiação internas, valorizando os esforços individuais de sustentabilidade e economia.

Reaproveitamento de recursos naturais

Usar os recursos naturais da forma correta não traz apenas benefícios para a imagem da empresa, mas também para as suas despesas gerais. O uso de energia solar e o aproveitamento da água das chuvas para irrigação ou para a água dos sanitários da sede da empresa podem oferecer economias consideráveis para o negócio.

O teto ou as paredes verdes promovem redução acústica nas dependências da empresa, ajudam na qualidade do ar, diminuem a sensação térmica e ainda promovem conforto visual para os trabalhadores e visitantes. Todas essas pequenas contribuições geram reduções de custos diferentes em longo prazo, seja nas contas de consumo, seja no desempenho de funcionários.

Fomento da economia local

Privilegiar produtores locais também pode ser entendido como um consumo sustentável. Empresas de limpeza, por exemplo, podem adquirir produtos de negócios familiares do entorno que tenham um processo natural de produção de sabão, de desengordurantes ou de equipamentos como vassouras e esponjas.

Isso auxilia na distribuição e no estímulo da economia local, garantindo oportunidades de emprego para a população da área e estimulando a produção de matérias-primas sustentáveis.

As relações de consumo sustentável podem, sem dúvidas, trazer bons resultados comerciais e financeiros para a empresa, tanto pelo interesse e pela valorização de tais serviços pelos clientes, como também pela mudança dos custos envolvidos no processo.

É possível também transmitir esses valores para outras estratégias do negócio, como a escolha de campanhas de marketing digital que não usam a impressão de papéis para a divulgação e o engajamento do público-alvo.

Quer saber quais outras estratégias podem ser melhoradas com o selo da sustentabilidade nos processos? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter e acompanhe as nossas novidades e dicas de gestão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *