software ERP

Software ERP nas indústrias: saiba quais rotinas e processos podem ser gerenciados no sistema

Equipe TOTVS | MANUFATURA | abril 03, 2019

Muitos profissionais e gestores têm o objetivo de melhorar as negociações e os processos dentro da empresa e aumentar a receita. Para isso, eles procuram formas de economizar custos e reduzir o tempo das atividades.

Seja um CEO de uma multinacional, seja o dono de uma pequena loja, a pergunta que muitos se fazem é a mesma: como entregar mais do meu negócio de forma rápida, sem impactar negativamente o meu faturamento?

Por isso, um software ERP vem sendo comumente instalado e aplicado aos mais variados setores. Mas, afinal, o que é essa solução multifacetada que pode modernizar as organizações?

Continue lendo este artigo. Descubra agora quais são as principais vantagens dessa tecnologia e como você pode coletar inúmeros benefícios para a sua empresa com essa ferramenta!

O que é o software ERP e como ele beneficia a indústria?

A sigla ERP significa “Enterprise Resource Planning”, ou seja, estamos falando de um sistema que auxilia na gestão de seus recursos empresariais de maneira integrada, desde o estoque de produtos até a rotina contábil e os processos de entrega.

A principal ideia de um software ERP é unificar, por meio de uma única plataforma, toda a cadeia de processos inerentes ao funcionamento de uma empresa.

Pense em uma linha de produção de fábrica, do início ao fim. Esse sistema vai gerenciar todas as fases do produto, desde a aquisição de peças, a montagem, o embalamento e o envio para entrega, bem como o faturamento oriundo de sua comercialização.

Por meio de um sistema de gestão integrada (ERP), o gestor pode evitar problemas como a redução de desperdícios e o alto custo de manutenção e gerenciamento — questões comuns para quem utiliza várias soluções tecnológicas para diferentes processos.

Mais além, um software ERP amplifica as capacidades de um negócio, melhorando o fluxo de informações, a inteligência de gestão e a previsibilidade de ações entre as diversas áreas de um negócio.

Quais são as rotinas e os processos que podem ser gerenciados no sistema?

Uma das principais vantagens da adoção de um software ERP é a sua alta capacidade adaptativa. Como essa tecnologia é altamente modular, ela pode ser personalizada para diversas áreas, conforme o interesse do gestor e as necessidades da sua empresa. Veja agora alguns exemplos de processos que podem ser otimizados com o uso da solução!

Finanças

Adotar um sistema de gestão modernizado para as finanças de sua empresa é, hoje, essencial para um melhor controle de custos e dividendos. Isso permite ao gestor saber de onde veio e, acima de tudo, para onde vai o seu dinheiro.

Departamentos financeiros mais tradicionais ainda usam sistemas legado — ou seja, soluções que já foram tradicionais, mas que hoje não correspondem às expectativas em constante mudança de um negócio — e controle manual de valores.

Inclusive, alguns até mantém o controle disso unicamente via planilhas em Excel. O problema dessa prática é que arquivos singulares podem ser perdidos, erroneamente editados, mal armazenados ou acidentalmente deletados.

Um software ERP unifica todos esses processos, alocando os recursos onde eles devem ser alocados, executando tarefas de forma automatizada e armazenando todos os dados em uma solução on-premise ou na nuvem. Dessa forma, qualquer edição necessária é feita em tempo real, com acesso exclusivo para todos os responsáveis da área e, acima de tudo, sempre resguardada de possíveis danos à informação.

Cadeia de suprimentos

Vamos pensar novamente na linha de produção de fábrica. Normalmente, você tem a aquisição das peças de um produto e da matéria-prima, a área de montagem, os testes de qualidade, o setor de embalagem e envio, correto?

Imagine uma linha nesses moldes, mas cada uma dessas áreas tem um sistema diferente, sua própria rotina, seu tempo de execução e seus processos administrativos. Tudo isso pode resultar em uma bagunça cuja gestão torna-se não apenas complicada, mas também de alto custo.

Com um ERP a ser implantado por toda a cadeia produtiva, o gestor consegue “universalizar” todo o processo ao estabelecer uma rotina de execução de fases que permeie todo o produto, desde a aquisição de peças até o envio para o comércio.

Além disso, é possível coletar os resultados dessa oferta. Economiza-se em tempo, custo e qualidade, já que o mesmo sistema atua de ponta a ponta e armazena os dados necessários para avaliações futuras e correções onde houver algum déficit.

Gestão da qualidade

O mundo hiperconectado em que vivemos hoje torna praticamente impossível a gestão de recursos unicamente por meio de sistemas legado. É extremamente complicado, por exemplo, fazer o inventário de produtos em estoque ao mesmo tempo em que se mede o seu tempo de produção — exceto pela adoção de um ERP.

Com essa tecnologia, todas as fases de um processo podem ser avaliadas em paralelo à produção que é feita na fábrica.

Em outras palavras, ao mesmo tempo em que um produto é montado na linha de produção, o próprio sistema pode determinar se os próximos itens da fila de montagem terão peças suficientes ou disponibilidade de outros recursos.

Indo mais além, por meio de um ERP, o gestor poderá verificar o processo como um todo, identificando gargalos que necessitam de melhorias, editando tudo isso por uma interface conectada, dentro do próprio sistema, e implantando-a de imediato.

Planejamento e produção

Um software ERP pode identificar pontos críticos não apenas dentro da linha de produção, mas também em todo e qualquer processo interno da empresa.

Quanto ao planejamento, esse sistema se torna primordial para que o gestor consiga se adiantar em relação às mudanças que podem ser necessárias no futuro ou, até mesmo, melhorias de suas práticas atuais.

Digamos que, na linha de produção, o sistema automaticamente identifica que uma determinada peça para montagem está com baixo estoque e vai acabar em pouco tempo.

Em vez de elaborar um inventário manual, avaliando peça a peça, o próprio sistema poderá identificar a falta e, com isso, abrir uma interface de encomenda para novas peças. Dessa forma, o gargalo que seria iminente sequer vai existir, mantendo a saúde do negócio e o bom andamento dos processos.

Agora, imagine que o CEO tem a ideia de aumentar o salário dos funcionários ou inaugurar um novo benefício para a empresa. Antes de qualquer atitude, um breve acesso à interface do sistema permitirá que ele saiba não apenas se os seus recursos são suficientes hoje, mas também será possível rodar simulações do novo benefício ou salário, antecipando custos que viriam com a mudança e ajustando as políticas empresariais de acordo com a alteração. É, essencialmente, prever o gasto antes mesmo de gastar.

Gestão de contratos e fornecedores

Por meio de um ERP, é possível acelerar a contratação de novos fornecedores e serviços. O mesmo sistema de gestão que identifica a falta de algum recurso pode rapidamente acionar o fornecedor para a aquisição de novos itens, evitando um gargalo ou a paralisação de alguma oferta até que isso seja resolvido. A solução pode ser implantada de forma a fazer também a gestão de pagamento do fornecedor em questão.

E para os casos em que uma ampliação é desejada? A exemplo do tópico anterior, simulações podem ser rodadas via sistema para identificar a necessidade de recursos a serem alocados em uma melhoria de negócio (aumento de produção, maiores salários e benefícios etc.), fazendo com que os gestores se ajustem conforme a nova demanda.

Finalmente, o software ERP pode controlar a emissão de notas fiscais e a contratação de serviços terceirizados pontuais. Sua empresa precisa contratar distribuidores a mais para atender a uma demanda de última hora? Sua fábrica vai realizar um evento para divulgar uma novidade tecnológica e precisa de fotógrafos e buffet? O ERP pode fazer tudo isso.

Quais são os módulos específicos para o setor de manufatura?

Como mencionamos, uma linha de manufatura passa por diversas fases. Aquisição de peças, montagem, embalagem, despacho para o comércio, entre outras. É uma cadeia em que cada parte do processo conta com seus próprios recursos e seu tempo de funcionamento.

Em um software ERP, a gestão passa a ser uniformizada: não é o tempo de cada fase que muda, mas sim a forma como ele é gerenciado e, em caso de problemas, resolvido.

Vamos supôr que todo o processo correu bem até o envio do produto, quando o sistema viu que não havia transporte disponível para o seu envio. Dentro da própria interface, é possível que o gestor descubra qual é a van mais próxima, o motivo dos atrasos ou, em último caso, contratar uma van terceirizada a fim de manter o processo uniforme.

No setor industrial, o sistema de gestão integrada (ERP) pode contar com os seguintes módulos:

  • Ciclo de Vida do Produto;
  • Suprimentos;
  • Estoque;
  • Logística;
  • Vendas;
  • Planejamento;
  • Produção;
  • Manutenção.

Como funciona o ERP da TOTVS?

Implantar um software ERP na sua organização requer expertise, confiança e, acima de tudo, uma capacidade analítica minuciosa dos processos de seu negócio. Assim, o fornecedor do sistema poderá desenhar um projeto específico para as suas demandas empresariais.

A TOTVS tem mais de 30 anos no mercado brasileiro, ofertando soluções tecnológicas que buscam simplificar os negócios da sua empresa. O ERP da TOTVS conta com mais de 30 mil clientes de pequeno e grande porte, trazendo flexibilização para os processos de sua empresa, facilitando e melhorando a gestão.

Se você gostou do artigo e quer saber mais sobre o que nós podemos oferecer, não se esqueça de entrar em contato conosco para conhecer mais sobre os nossos produtos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *