On-premise vs. Cloud: qual é a melhor opção para o seu ERP?

Um sistema Enterprise Resource Planning (ERP) pode potencializar o controle da sua empresa, além de agregar vantagens competitivas para a sua administração. Tanto que, conforme a 2° pesquisa Panorama Mercado de ERP, 44% das organizações participantes do relatório pensavam em investir no aprimoramento de seus processos de gestão com o uso dessa solução. Inclusive, 77% das que já o utilizam dizem estar satisfeitas ou muito satisfeitas com ele. Todavia, para quem deseja esse sistema, pode ser preciso escolher entre duas opções: on-premise vs. cloud (nuvem).

Esses são modelos muito difundidos no mercado, tendo características e benefícios diferentes. Para entender melhor como funcionam, continue lendo e veja o que preparamos sobre eles!

ERP On premise x cloud: principais diferenças

Primeiramente, você sabe o que é ERP? Trata-se de um sistema de planejamento de recursos empresariais que agrega processos, dados e informações de toda a organização em um só ambiente gerencial.

Isso facilita a integração de atividades entre setores distintos, a análise sistêmica da empresa e a tomada de decisão — graças aos relatórios (gerais e segmentados) que essa solução é capaz de gerar.

Há dois modelos de funcionamento no mercado que podem ser mais ou menos úteis ao seu negócio, dependendo das suas necessidades: o ERP na nuvem (cloud), também chamado de ERP on-demand, e o ERP on-premise (instalado localmente). Veja as principais diferenças deles adiante.

Implantação

No modelo na nuvem, a implantação tende a ser mais simples, pois basta entrar no sistema por meio do site/portal/plataforma da fornecedora da solução. Após o cadastro, com login e a senha em mãos, o acesso se torna rápido.

Contudo, será necessário abastecer o sistema com informações da empresa e realizar as personalizações possíveis conforme as especificidades do negócio. Vale destacar que, por causa disso, muitas vezes será necessário adaptar processos da organização à estrutura do ERP.

O sistema onpremise, por sua vez, requer a instalação do programa em servidores/computadores da empresa. Portanto, faz mais uso da infraestrutura de TI corporativa.

Esse processo também tende a ser mais demorado, necessitando de tempo para configurar o sistema e seus módulos e, às vezes, requerendo a ida de um ou mais técnicos da desenvolvedora ao local de instalação.

No entanto, costuma oferecer maiores possibilidades de personalização, o que é bom para empresas com amplos requisitos de integração e desenvolvimento. Ele ainda pode ser instalado a partir de pacotes de serviço, com base em um escopo pré-definido sintonizado a cada segmento.

Preço e formas de pagamento

Uma solução on-premise pode exigir um investimento inicial maior, tanto pelos requisitos e pelo processo de implantação mais complexo quanto pela necessidade de adquirir equipamentos (servidores e computadores) para a sua instalação.

Também há custo de aquisição da licença de uso desse sistema, bem como os recursos que precisam ser usados para a manutenção dos hardwares que o suportam.

Por sua vez, no ERP cloud, não se adquire o programa, mas o acesso a ele. Isso pode ser feito por meio do pagamento de valores fixos mensais, trimestrais, anuais etc. dentro do modelo de assinatura.

Em alguns casos, é possível pagar por pacotes. Aliás, tem fornecedor que oferece desconto progressivo à medida que se adquire mais deles.

Acessibilidade

O ERP na nuvem pode ser acessado de qualquer local, em qualquer hora, desde que se tenha conexão à web. Aliás, é preciso contar com um bom sinal de Internet, o que pode exigir maior investimento.

Você ainda pode escolher entre IDs ilimitados para áreas específicas e IDs nomeados para outras regiões, de modo a aprimorar recursos para o seu negócio.

No primeiro caso, há fornecedores que oferecem um número ilimitado de identidades a um valor mensal fixo, definido conforme o faturamento líquido anual. No caso dos IDs nomeados, é entregue um volume estipulado de identidades com valor de mensalidade variável e proporcional a ele.

No caso do ERP onpremise, o acesso tende a ser local. Contudo, existem opções que permitem conexão remota, via web. Para tanto, é preciso ter sinal de Internet.

Como decidir a melhor opção para o seu ERP

Para escolher a melhor opção de ERP ou mesmo migrar de um modelo a outro, é necessário ter uma boa compreensão do seu negócio e das possibilidades para a adoção de novas tecnologias. Para tanto, os seguintes pontos devem ser levados em consideração:

  • infraestrutura — se a sua empresa não tem espaço para alocação de hardwares ou mesmo está com poucos recursos para investir na aquisição deles, o ERP Cloud pode ser mais vantajoso;
  • fluxo de caixa da empresa — normalmente, o modelo na nuvem permite alinhar o pagamento mensal com o fluxo de caixa da empresa, facilitando a organização das contas. Afinal, a equipe financeira saberá até que dia deverá pagar a mensalidade e o seu valor exato;
  • acesso à Internet — se a sua organização não conta com um plano de Internet bom, o ERP on-premise pode ser melhor. Caso caia o sinal ou a conexão fique lenta, a sua equipe não será prejudicada no acesso aos dados e aos processos gerenciais;
  • número de usuários — em ambos os sistemas, você poderá definir quantos usuários o acessarão por meio de pacotes com Ids ilimitados/nomeados ou licenças de uso. Nesse caso, veja qual solução permite aumentar ou diminuir mais facilmente a quantidade deles, isto é, como é a escalabilidade.

ERP TOTVS: soluções on premise e por assinatura

O ERP da TOTVS conta com diferentes modelos de contratação, podendo ser on-premise e cloud — com pagamento por assinatura.

No primeiro caso, o sistema tem a capacidade de acompanhar o crescimento do negócio, além de entregar boa personalização. Sua instalação é feita por uma equipe especializada.

Outra vantagem é que dá para escolher uma solução adaptada para o seu segmento de atuação, pois a TOTVS oferece ERPs para 12 áreas, como saúde, manufatura, varejo etc.

No caso do ERP TOTVS Cloud, é possível adquirir o pacote integral ou soluções (completas ou modulares) para diferentes departamentos/processos, como RH e Backoffice (financeiro e administrativo). A empresa ainda disponibiliza uma equipe de arquitetos para planejar e desenhar um projeto de implantação conforme as necessidades do negócio.

Na hora de fazer a escolha on-premise vs. cloud, lembre-se de considerar não só o fator financeiro. Avalie também a perspectiva de crescimento do negócio, a demanda de cada modelo por treinamento e as exigências de integração com outras soluções da empresa. Com isso, você terá maior base para decidir pelo melhor ERP, isto é, pelo que atende às necessidades da sua organização de forma eficiente.

Se você deseja ajuda para otimizar essa escolha, entre em contato com a nossa equipe de especialistas! Eles poderão fornecer dicas valiosas para auxiliá-lo nessa questão!

ERP por assinatura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *