Movimentação de cargas: o que é, riscos e como fazer

Equipe TOTVS | 04 novembro, 2022

A movimentação de cargas é um conceito muito importante para a logística como um todo, pois trata-se de um dos elementos fundamentais dos processos de entrega.

Como se trata de uma série de atividades que podem envolver grandes riscos, existem diversos regulamentos que regem esse tipo de operação em território nacional.

Por esse motivo, os gestores, lideranças e trabalhadores da área devem conhecer quais são as principais regras, para garantir o bom funcionamento das empresas e para minimizar os riscos de acidentes e danos.

Veja no texto a seguir tudo o que você precisa saber sobre movimentação de cargas, quais os riscos dessa atividade e dicas para tornar esse processo mais rápido e econômico!

O que é movimentação de cargas?

Movimentação de cargas é um conceito que envolve diferentes técnicas para transportar bens e mercadorias mediante o auxílio de máquinas e equipamentos.

Fazer uma boa movimentação de cargas é fundamental para otimizar o armazenamento, funcionando como um dos principais passos da logística, tanto a interna, quanto a externa.

Mas, quando estamos falando de entregas de produtos para o consumidor final, essa gestão do transporte e armazenagem deve sempre envolver pontos fundamentais, como:

  • O controle da frota;
  • O planejamento das rotas;
  • O rastreamento dos veículos;
  • A gestão de documentos relacionados ao transporte, como o CTe;
  • O controle de custos da empresa (gastos com gasolina, hora extra etc.);
  • Gestão de riscos (controle de atrasos, avarias ou perdas durante o transporte).

Contudo, antes de prosseguirmos, é válido fazermos a diferenciação entre movimentação de cargas e movimentação de materiais. Confira:

Qual a diferença entre movimentação de cargas e movimentação de materiais?

Movimentação de materiais, diferente da movimentação de cargas, diz respeito ao ato de mover os bens e mercadorias em pequenas distâncias, dentro de uma área específica, como um galpão logístico, por exemplo.

Trata-se do deslocamento de materiais em qualquer superfície, por qualquer meio, incluindo a estocagem do material e também é um conceito interno que remete à manufatura.

Já a movimentação de cargas, como vimos, é uma técnica usada para içar, transportar e deslocar cargas manualmente ou com o auxílio de máquinas e equipamentos.

A movimentação de cargas é aquela atividade realizada em portos, aeroportos e armazéns, visando o transporte posterior.

Nova call to action

Quais são os profissionais envolvidos na movimentação de cargas?

Os profissionais envolvidos na movimentação de cargas apontam a produção e controlam a frequência da mão de obra, acompanhando as atividades de produção, conferindo cargas e verificando a documentação.

Essas pessoas também controlam a movimentação das cargas nos portos, terminais portuários, embarcações e podem exercer funções de liderança de equipes.

Alguns exemplos de profissionais envolvidos na movimentação das cargas são:

  • Almoxarife;
  • Armazenista;
  • Fiel de depósito;
  • Sileiro;
  • Balanceiro;
  • Pesador;
  • Conferente de mercadorias;
  • Conferente de logística;
  • Estoquista;
  • Expedidor de mercadorias;
  • Auxiliar de logística;
  • Auxiliar operacional de logística.

Qual a NR para movimentação de cargas?

Os artigos 182 e 183 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabelecem que as normas e regulamentos para o transporte e movimentação de cargas deve ser feita pelo Ministério do Trabalho e Previdência (MTE).

Dado isso, a norma para movimentação de cargas no Brasil é a Norma Regulamentadora nº11 (NR-11), feita pelo MTE para estabelecer medidas de proteção aos trabalhadores durante o exercício de suas tarefas profissionais.

Pensando especialmente nos riscos mais frequentes, a norma garante a obrigatoriedade dos requisitos da NR para as seguintes atividades:

  • Operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras;
  • Trabalho em atividades de transporte de sacas;
  • Armazenamento de materiais;
  • Movimentação, armazenamento e manuseio de chapas de mármore, granito e outras rochas.

Lembrando que a NR-11 também estabelece a obrigatoriedade da capacitação dos trabalhadores envolvidos em todas essas atividades.

Quais são os riscos na atividade de movimentação de cargas?

A movimentação de cargas pode ser uma atividade bastante perigosa, especialmente quando paramos para pensar em grandes cargas.

O risco de acidentes deve sempre ser diminuído e o primeiro passo para começar a melhorar a sua operação é conhecendo as principais causas de problemas.

Confira a seguir quais são os motivos mais frequentes para acidentes:

  • Imprudência;
  • Falta de perícia;
  • Negligência;
  • Ausência de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
  • Descumprimento das orientações das Normas Regulamentadoras;
  • Prazo muito curto para entregas;
  • Falta de sinalização de segurança;
  • Carga mais pesada do que o determinado ou suportado pelo veículo.

Os principais equipamentos usados na movimentação de cargas

Os equipamentos utilizados na movimentação de cargas dependem muito de qual etapa da logística e com a natureza da carga.

Isso porque cada tipo de carga requer um tipo específico de cuidados, como o transporte de alimentos perecíveis, por exemplo.

Mas, de qualquer forma, alguns exemplos de equipamentos usados na movimentação das cargas envolvem veículos industriais, ferramentas para elevação e transferências, transportadores contínuos, recipientes e unitizadores e estruturas de armazenagem.

Outros equipamentos de movimentação de cargas podem ser capacetes, coletes e crachás de identificação, entre outros.

Como fazer a movimentação segura de cargas?

Existem diversas boas práticas que auxiliam na prevenção de acidentes e são fundamentais para manter a segurança durante o processo de movimentação de cargas.

Além disso, é preciso lembrar que os cuidados e procedimentos exigidos mudam se a carga transportada for sólida, líquida ou gasosa.

Por isso, a melhor maneira de se certificar de que a sua operação é segura é entender e implementar, por meio de treinamentos e certificações NR-11.

Alguns dos cuidados fundamentais que você deve ter na sua empresa são:

  • Observar se todos os equipamentos se encontram em boas condições de uso;
  • Certificar-se de que todos os caminhões e máquinas devem possuir alarme sonoro sincronizado com a marcha ré;
  • Utilização de EPIs de acordo com a área que executa a movimentação de cargas;
  • Nunca exceder a capacidade máxima de carga do equipamento;
  • Sinalização de movimentação de carga nas áreas da empresa;

Dicas para tornar esse processo mais eficaz e econômico

Agora confira algumas dicas para tornar os processos de movimentação das cargas da sua empresa mais eficazes e econômicos:

Gerencie os riscos e as perdas

Gerenciar os riscos e as perdas no transporte diz respeito a um conjunto de medidas e metodologias que envolvem o planejamento e que buscam prever as adversidades que possam surgir durante os trajetos, como problemas mecânicos, acidentes, roubos de carga etc.

Além disso, é preciso lembrar que o setor de transporte é incidido por várias normas e burocracias e é fundamental conhecer cada um desses pormenores para evitar multas e outras sanções que impeçam a boa operação do seu negócio.

Dessa forma, investir na gestão de riscos é fundamental e é preciso analisar a cadeia logística de ponta a ponta, começando pelo armazenamento, passando pela distribuição e verificando todos os processos até a fase de entrega.

Gerenciar os processos é fundamental pois trata-se da melhor maneira de evitar falhas com a documentação das mercadorias, escolher o veículo adequado para cada entrega, considerando as características dos produtos, melhorar as técnicas de entrega e prevenir gastos com troca de peças estragadas, por exemplo.

Entretanto, não é só isso.

Um bom planejamento também deve considerar a escolha das melhores rotas, sempre avaliando o número de casos de roubos de cargas e acidentes em determinados locais ou rodovias, bem como apoio da polícia, hospitais e outras questões.

Invista na padronização de processos

O conceito da padronização dos processos pode envolver a gestão de várias áreas, incluindo a logística e a movimentação de cargas.

Por isso, busque entender quais são os processos de movimentação dentro dos estoques e armazéns da sua empresa até a entrega ao consumidor final.

Depois de mapear cada uma dessas ações, busque padronizá-las e saber quais delas podem ser automatizadas para economizar tempo e dinheiro.

Conte com um bom planejamento

Como tantos outros setores da indústria, o setor logístico precisa de um bom planejamento e de metas claras para que seja capaz de trazer resultados ainda melhores.

Quando as lideranças da sua empresa entendem exatamente em qual lugar sua empresa deve chegar, fica mais fácil descobrir quais melhorias precisam ser implementadas para que você possa conseguir atingir seus objetivos.

Algumas das metas que você pode inserir no seu planejamento são a redução no tempo de transporte, aumento na produtividade no recebimento de mercadorias, redução dos gastos operacionais, como a manutenção dos veículos e assim por diante.

A boa notícia é que existem várias soluções disponíveis no mercado que podem te ajudar a melhorar a sua empresa exatamente nos pontos em que ela está encontrando dificuldades.

Um exemplo é o TOTVS Planejamento de Rotas, um software que centraliza todos os seus pedidos em um roteirizador profissional, para que você possa definir as melhores rotas para as suas entregas de maneira integrada a outros sistemas de gestão.

Qualifique os colaboradores

Todos os trabalhadores envolvidos nos processos de movimentação de cargas precisam ser adequadamente treinados, ou os riscos de acidentes e danos aumentam.

Só através do treinamento adequado às pessoas que trabalham na sua empresa conhecerão as melhores técnicas, ferramentas, procedimentos de segurança e outras informações relevantes para otimização da operação, sem colocar a segurança em risco.

Isso é especialmente verdadeiro caso a sua empresa insira a tecnologia no dia a dia da gestão logística.

Se você usa um ERP de gestão, por exemplo, então deve treinar os funcionários que trabalharão operando esse sistema no dia a dia.

Faça um estudo para reduzir gastos

É impossível implementar ações capazes de reduzir de fato os gastos da sua empresa se você não conhece muito bem quais são os seus gastos.

Por esse motivo, antes de qualquer coisa, é preciso fazer um levantamento total dos custos envolvidos na movimentação de cargas da sua empresa.

É preciso anotar os gastos referentes à movimentação de cargas nos estoques e armazéns, pagamentos de motoristas, gastos com combustível, seguro, manutenção dos veículos, equipamentos de segurança, hora extra, entre outros.

Você só deve partir para a análise a partir do momento em que você levantou quais são esses números, pois assim será mais fácil compreender o quanto o transporte de cargas impacta no financeiro da empresa e quais áreas estão consumindo mais capital ou gerando desperdícios.

Dessa forma, ao encontrar os gargalos, você poderá criar estratégias para intervir e verá, de fato, os custos operacionais diminuindo.

Tenha uma estratégia eficiente de entregas

O sucesso ou fracasso da sua operação logística não depende apenas da entrega a tempo para o consumidor final, mas também de um conjunto de ações que levam a uma melhor relação de custo-benefício.

Em outras palavras, para que o prazo determinado ao cliente consiga ser atingido, é necessário um planejamento de todas as etapas, desde o acondicionamento correto dentro do estoque até o escoamento, com a escolha do modal mais adequado.

Dessa forma, é fundamental que os gestores invistam em uma série de ações, como a modernização da frota e de todos os componentes da estrutura, na capacitação dos colaboradores, na organização dos estoques e vários outros pontos.

Se o seu objetivo é fazer entregas mais eficientes e menos custosas, além de roteirizar bem as entregas, também é preciso definir bem os métodos de armazenamento, a separação dos pedidos, o preparo para o envio, etc.

Quanto mais você conhecer os seus processos e quanto mais planejar os seus procedimentos, melhores serão os resultados.

Qual o peso máximo para movimentação manual de cargas?

De acordo com o Art. 198 da CLT, o peso máximo que um trabalhador pode carregar individualmente e de maneira manual é de 60 kg.

Existe algum curso de movimentação de carga?

Existem diversos cursos para a capacitação de pessoal para a movimentação de cargas. Esses cursos formam profissionais qualificados para as exigências da NR-11.

Portanto, reforçamos aqui que você precisa investir na capacitação de todos os seus colaboradores, assim, você cria um ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

A importância de contar com a tecnologia na movimentação de cargas

A tecnologia impacta a movimentação de cargas de diversas formas, desde os veículos que movem a carga do ponto A ao ponto B até os softwares de gestão.

Quando estamos falando especificamente da movimentação de cargas, um software como o TOTVS Planejamento de Rotas é um exemplo claro da importância da tecnologia.

Com o TOTVS Planejamento de Rotas, é possível diminuir os custos operacionais e os tempos entre entregas ao mesmo tempo. Veja mais a seguir:

TOTVS Planejamento de Rotas

O TOTVS Planejamento de Rotas é um sistema desenvolvido para auxiliar as empresas nos seus processos de roteirização, ajudando a encontrar o melhor trajeto do ponto A ao ponto B por meio de sistemas de geolocalização.

Com o TOTVS Planejamento de Rotas, é possível diminuir o tempo entre as entregas ao empregar metodologias de segmentação por região, por exemplo, ou simplesmente usando o roteirizador para escolher rotas alternativas.

Você também pode utilizar o roteirizador para escolher trajetos que gastem menos combustível ou que enfrentam menos postos de pedágio, reduzindo os custos de transporte.

Teste o TOTVS Planejamento de Rotas gratuitamente aqui!

Conclusão

A movimentação de cargas é parte fundamental da logística de qualquer empresa e precisa ser estudada a fundo para que as lideranças possam tornar o negócio mais lucrativo.

Como vimos, algumas dicas para melhorar esses processos são o gerenciamento de riscos e perdas, a padronização dos processos e a qualificação dos colaboradores.

Também é bom lembrar de fazer um planejamento adequado, pois só assim você vai criar estratégias de entrega eficazes e poderá fazer estudos para reduzir gastos.

Uma boa forma de fazer isso é utilizando sistemas de gestão de logística como os da TOTVS. Conheça mais sobre nossos produtos aqui!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.