Markup: Qual a importância para o varejo e como calcular?

Equipe TOTVS | GESTÃO VAREJISTA | 13 novembro, 2020

O markup diz respeito ao valor que um produto tem acima dos custos necessários para se obtê-lo. Isso pode incluir fornecedores, produção, mão de obra, armazenamento e outros aspectos.

Para entender melhor o que é markup, sua função no varejo e mostrar como calculá-lo, preparamos este conteúdo. Continue com a leitura e saiba mais!

O que é markup?

Qualquer mercadoria vendida no varejo conta com um custo de produção. Para que a empresa tenha lucro, esse custo deve ser somado a um valor correspondente à margem de lucro, constituindo o valor total do item comercializado.

O índice de markup é variável e depende do segmento de atuação, público-alvo que deseja atingir, tipo de produto vendido, etc. Essa conta inclui despesas fixas e variáveis, como vamos ressaltar mais adiante.

É importante lembrar que o cálculo do markup deve ser estratégico, para que possa atrair clientes inclusive ao oferecer descontos e promoções especiais para seus consumidores. 

Importância do markup

Ao introduzir o markup na sua empresa, é possível obter mais detalhes sobre os processos operacionais e como cada etapa se relaciona com o produto final oferecido aos clientes.

É comum que o varejo determine o valor de seus produtos seguindo uma precificação padrão de mercado, mas isso pode ser uma falha grave para o crescimento do negócio.

Então, o markup se coloca como um mecanismo de controle de gastos, que inclui uma gama variada de fatores. Dessa forma, a gestão pode tomar decisões mais eficientes e traçar planejamentos certeiros para um bom retorno, em termos de lucratividade.

O que compõe o markup?

Até aqui, você pôde reparar que o markup considera custos de compras, produção, armazenamento, distribuição e serviços dos colaboradores envolvidos. As três variáveis que compõem o markup são custos fixos, custos variáveis e margem de lucro. A seguir, vamos explicar melhor cada um desses tópicos.

  • Custos fixos: representa todas as despesas relacionadas com o funcionamento da empresa, além do que se refere ao produto em si. Contas de água, luz, internet, aluguel de espaço são exemplos claros disso. Ou seja, gastos administrativos e comerciais sempre estarão inclusos na conta para precificar as mercadorias;
  • Custos variáveis: têm relação direta com a venda das mercadorias, como as comissões aos vendedores e os impostos cobrados pelo governo. Os mais comuns são os impostos sobre vendas e as comissões pagas a vendedores,
  • Margem de lucro: é o retorno financeiro que cada produto representa, além de seu valor de produção e de todos os processos que o cercam. Vale lembrar que a margem de lucro pode ser estabelecida igualmente para todos os produtos, ou cada item pode conter sua própria margem, tudo depende da determinação da estratégia.

Como calcular o markup?

Para fazer o cálculo do markup, a base da fórmula é representada pelo custo de produção. Nessa conta, valores referentes aos insumos utilizados e à mão de obra empregada no processo constituem a conta. 

Em casos de revenda de produtos, o custo de produção é o valor de compra, transporte e armazenagem desses itens. Em empresas de serviço, porém, o custo base será o preço da hora do trabalho prestado.

Portanto, a fórmula utilizada para calcular o markup é representada por: Markup = 100/100-(DF+DV+ML), em que DF são as despesas fixas, DV são as despesas variáveis e ML é a margem de lucro. Em seguida, basta multiplicar o valor do markup pelos custos de produção, obtendo, assim, o preço final do produto.

Nova call to action

Otimize seus processos no varejo

Ao longo deste conteúdo, explicamos o que é markup e como ele se aplica no varejo. Trouxemos também uma abordagem que explica sua relevância para empresas desse segmento, os tópicos que compõem esse índice e a fórmula utilizada para calculá-lo.

A TOTVS acredita no Brasil que faz. Referência em gestão e inovação, somos a maior empresa de tecnologia do país. Nossos sistemas são desenvolvidos para otimizar os processos do seu negócio.

Diferentemente do que você possa imaginar, um sistema de gestão TOTVS não é voltado apenas para grandes empresas, sendo aderente para organizações de pequeno e médio porte também, encaixando-se exatamente nas necessidades de cada companhia.
Se você gostou deste conteúdo, interessa-se pelo assunto e quer saber como aprimorar seus processos, conheça melhor o ERP para varejo. Não se esqueça de continuar acompanhando o blog da TOTVS e assinar a newsletter, para ficar por dentro de todas as novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.