O que é automação predial? Guia completo!

Equipe TOTVS | 23 setembro, 2022

A automação predial é exatamente o que o termo dá a entender: um conjunto de soluções inteligentes que servem para simplificar os processos rotineiros, economizar energia e reduzir custos de forma geral.

Não é novidade que os dispositivos inteligentes fazem parte de nossas vidas — e cada vez mais se tornam uma constante no dia a dia de pessoas e empresas.

Logo, sua aplicação não apenas se limita aos pulsos das pessoas (com os famosos smartwatches) ou aos carros e dispositivos de trabalho.

Com a automação predial, é possível fazer com que todo o arredor trabalhe de maneira autônoma na execução de tarefas rotineiras.

Trata-se de uma inovação que pode revolucionar muito do que pessoas e empresas entendem como gestão das edificações.

Que tal entender mais? Confira o guia completo sobre automação de prédios e edifícios!

O conceito de automação predial

Mas, afinal, o que é automação predial? O conceito trata da automação de sistemas em prédios e edifícios modernos, desde ações mais simples como a ação dos aparelhos de ar-condicionado, passando pela iluminação, até outras tarefas.

Na prática, a automação de prédios e edifícios é quase um pré-requisito de edificações modernas — tanto residenciais quanto corporativas.

A automação, neste sentido, pode ser usada para automatizar diversas funções em um prédio, bem como fornecer informações úteis para os moradores e funcionários do edifício, como notificações de emergência e alertas de incêndio.

Além disso, por meio de um sistema integrado e automatizado, é possível controlar diversos processos de forma remota, o que pode ser útil em situações de emergência.

Como funciona a automação predial?

Os sistemas de automação predial são geralmente controlados por um computador central, que é responsável por gerenciar e coordenar os vários subsistemas do edifício.  Estes subsistemas podem incluir o aquecimento e ar-condicionado, a iluminação, o sistema de segurança, entre outros.

O computador central é normalmente conectado a esses vários subsistemas a partir de uma rede de sensores e controladores. 

Os sensores coletam dados sobre as condições do edifício (como temperatura, umidade, entre outros), enquanto os controladores são usados para realmente comandar os vários subsistemas (como ligar o ar-condicionado ou abrir as portas).

Em alguns casos, o computador central também pode estar conectado a sistemas externos, tais como previsões meteorológicas ou relatórios de tráfego.

Isto permite que o sistema de automação de prédios leve esses fatores externos em consideração ao tomar decisões sobre os subsistemas do edifício.

Vale lembrar que normalmente a edificação conta com um sistema chamado de Building Automation System (BAS) ou Sistema de Automação de Edifícios.

Trata-se de uma solução que converge o controle de todos os subsistemas de automação em uma só interface.

É o que torna um prédio verdadeiramente smart, já que sua infraestrutura se torna total ou quase totalmente controlada por uma rede tecnológica.

Além disso, as soluções mais avançadas dão um passo além, com o mapeamento, armazenamento e processamento dos dados de um edifício.

Eles fazem isso com a interconexão de sensores e dispositivos, que trabalham em coordenação, compartilhando dados que ajudam a gerenciar o ecossistema do edifício em tempo real.

Assim, com o uso de data analytics, inteligência artificial e aprendizado de máquina, o edifício se torna “programável” e responsivo às necessidades dos usuários e do gerente da operação.

Nova call to action

Exemplos de automação predial

Entre os exemplos de automação predial, podemos mencionar vários processos que sistemas podem se encarregar, como:

  • sistemas de esterilização e higienização;
  • geração automática de relatórios sobre o uso de energia;
  • coordenação do trabalho de elevadores e escadas rolantes;
  • uso de sensores para detectar vazamentos de água ou vazamentos de gás;
  • monitoramento de sistemas de alarme de incêndio e detectores de fumaça;
  • abertura e fechamento automático de portas com base na hora do dia ou na presença de pessoas;
  • controle da iluminação, temperatura e ventilação com base na hora do dia ou na ocupação dos quartos.

Sistemas de automação do tipo podem ser usados em uma variedade de diferentes edifícios, como: prédios residenciais, de escritórios, hotéis, shopping centers, hospitais, e assim por diante.

Na verdade, quase qualquer tipo de edifício pode se beneficiar de ter um sistema de automação predial.

Quais são os tipos de automação predial?

Existem alguns tipos diferentes de sistemas de automação predial, que podem ser classificados com base em sua finalidade ou nos subsistemas específicos que eles controlam.

Supervisão e controle de utilidades

Estes sistemas são responsáveis pelo monitoramento e controle dos serviços mais convencionais em um edifício, tais como eletricidade, gás, água, refrigeração, aquecimento, entre outros.

Em alguns casos, eles também podem ser responsáveis pelo gerenciamento de disposição de resíduos.

Um tipo de sistema de automação de prédios e edifícios é conhecido como um sistema HVAC, que significa aquecimento, ventilação e ar condicionado (em inglês: Heating, Ventilation and Air Conditioning).

Ele é responsável pelo controle da temperatura e umidade, assim como a ventilação.

Outro tipo refere-se ao controle de iluminação, que controla toda iluminação, como o ligar e desligar as luzes, diminuir a intensidade luminosa, e assim por diante.

Sistema de segurança

Além disso, há todo o sistema de segurança, que por si só é um guarda-chuva bem amplo de soluções.

Estes sistemas são responsáveis pelo controle dos recursos de segurança em um edifício, como o sistema de alarme, as câmeras de CFTV (circuito fechado de televisão), proteção contra intrusão e assim por diante.

Outro subsistema importante refere-se à proteção contra incêndios.

Ele é responsável pelo controle das características de segurança contra incêndio em um edifício, tais como o sistema de sprinkler, detectores de fumaça, entre outros dispositivos de detecção e mitigação de fogo.

Por fim, vale mencionar o controle de acesso, que é um aspecto cada vez mais relevante para a proteção de um edifício.

Automação predial: benefícios

Agora, vale mesmo a pena investir em automação predial? Bom, esse é um mercado com enorme potencial de crescimento, visto que deve atingir valor de mais de US$215 bilhões em 2027, de acordo com a Allied Market Research.

Muito além dos dados financeiros do mercado, porém, a automação de prédios e edifícios é importante porque, assim como a automação de processos no backoffice de uma empresa, é uma interação que gera economia e maximiza a produtividade.

Trata-se de também de um aceno em direção a um futuro em que a tecnologia e as “coisas” smart (smart cars, smart houses, smart cities) serão o padrão.

Porém, para aprofundar seus conhecimentos, separamos alguns pontos essenciais para contextualizar sobre a importância do tema. Veja só:

Economia de custos

O principal benefício da automação de prédios e edifícios é a redução de custos, especialmente em relação aos gastos de energia.

É algo que ocorre devido à melhoria na eficiência dos sistemas térmicos e de iluminação, por exemplo.

Além disso, por meio do monitoramento de vários subsistemas em tempo real, problemas potenciais podem ser rapidamente identificados e resolvidos, de modo a mitigar maiores gastos no futuro.

Segurança

Um benefício importante é a melhoria na segurança.

Como vimos, os sistemas de automação predial controlam vários acessos e câmeras de vigilância, por exemplo.

Além disso, ao monitorar o status de portas, janelas e outras entradas em tempo real, é possível identificar rapidamente uma possível intrusão e tomar as medidas necessárias.

Eficiência 

Ao monitorar todos os sistemas em tempo real, é possível identificar e resolver problemas rapidamente, assim como realizar manutenções preventivas, o que evita falhas futuras.

Além disso, ao automatizar tarefas que de outra forma seriam realizadas manualmente, há uma redução na possibilidade de erros humanos.

Melhor gerenciamento das operações

Vale mencionar que a automação de prédios e edifícios também permite um melhor gerenciamento das operações, devido ao fato de que todos os dados estão centralizados em uma única plataforma.

Como em qualquer sistema de gestão que unifica dados, a centralização é importante pois simplifica a leitura e o monitoramento dos indicadores, permitindo uma tomada de decisão mais eficiente.

Conforto para os ambientes

Além dos benefícios já mencionados, vale a pena destacar o conforto que a automação de prédios e edifícios pode proporcionar aos usuários dos ambientes.

Afinal, ao automatizar várias tarefas, como o controle da temperatura e da iluminação, por exemplo, é possível proporcionar uma experiência mais confortável e agradável para aqueles que estão no prédio.

O mesmo pode ser dito para, no caso de empresas do setor hoteleiro, contar com soluções que monitoram o nível de ocupação dos quartos, por exemplo, e pode desligar automaticamente as luzes quando a sala estiver desocupada.

Sustentabilidade

Por último, mas não menos importante, é importante mencionar que a automação predial também tende a ser mais sustentável, devido ao fato de que ela permite a redução do consumo de energia.

Além disso, ao automatizar tarefas que de outra forma seriam feitas manualmente, há uma redução no uso de papel e outros materiais.

Como a automação predial pode transformar o mundo?

O crescimento da automação de prédios e edifícios está ligado a vários movimentos revolucionários no campo da tecnologia ao longo dos últimos anos, como a Indústria 4.0 e 5.0, a transformação digital e o  crescimento da Internet das Coisas (IoT).

Assim, a tecnologia de automação de prédios tem o potencial de transformar o mundo ao tornar os edifícios mais inteligentes, eficientes e sustentáveis.

Aqui, vale um adendo: de acordo com a ONU, a população urbana global deve crescer em cerca de 2,2 bilhões de habitantes até 2050. Em números totais, devemos ter um planeta Terra habitado por quase 10 bilhões de pessoas.

Muita coisa, certo?

Além das questões mais urgentes, como a supply chain alimentícia para garantir que todos tenham acesso à comida e água suficientes, é necessário repensar a forma que as pessoas vivem, especialmente em áreas urbanas.

É aqui que as smart cities e toda tecnologia de automação de prédios entra em cena.

Edifícios inteligentes são equipados com sensores e dispositivos conectados que coletam dados e informações sobre os vários subsistemas do prédio e seus ocupantes.

Estes dados são então usados para melhorar a eficiência dos sistemas, o que resulta em redução do consumo de energia e economia de custos.

A automação também pode tornar os edifícios mais confortáveis para os ocupantes, com melhor controle sobre a temperatura, iluminação e outros fatores.

E como os sistemas de automação estão frequentemente conectados à internet, eles podem fornecer dados em tempo real que podem ser usados em prol da melhoria contínua.

Um ponto de atenção hoje em dia, especialmente em grandes centros urbanos, é o alto consumo de energia por conta do uso de aparelhos de ar-condicionado (o que é um sintoma relevante em países tropicais, como o Brasil).

A automação em edifícios pode ajudar nisso, controlando automaticamente a temperatura dos dispositivos, bem como programando as horas para ligar e desligar, de acordo com a leitura térmica do dia e da previsão metereológica.

Saiba o que é necessário considerar para automatizar um prédio

Agora, muito falamos sobre o potencial da automação de edifícios, mas o que de fato pode ser automatizado e controlado por um sistema único?

As aplicações mais comuns são a iluminação do prédio (com dimerização e acionamento automático das lâmpadas), sua climatização e o controle de acessos.

No entanto, existem vários outros fatores, como:

  • sonorização ambiente: o intuito é aprimorar a experiência sonora de um ambiente, de modo que o espaço se torne adequado para a ocasião, como uma reunião, aula, sessão de cinema ou mesmo festa;
  • detecção de fumaça e incêndio: estes são extremamente importantes para a segurança de pessoas e animais em um edifício;
  • vazamento de água: este sensor pode ser colocado perto de aparelhos que utilizam água, tais como ar-condicionado, máquinas de lavar louça e roupa, para evitar desperdício e mitigar o perigo de inundação;
  • ocupação: este é um sensor muito comum em locais públicos, tais como escritórios, shopping centers e aeroportos. A ideia é controlar a iluminação e a temperatura de acordo com o número de pessoas presentes no espaço.

Há muitos outros fatores que podem ser controlados pela automação de prédios e edifícios, mas estes são alguns dos principais e mais fáceis de serem encontrados.

A importância de monitorar os processos automatizados

Uma vez que você tenha um sistema de automação instalado, é essencial ter alguém que monitore os dispositivos e garanta que eles estejam funcionando corretamente.

Isto pode ser feito manualmente, mas é mais comum o uso de software, que automatiza o monitoramento e o controle de vários recursos e indicadores.

Além disso, é importante ter uma maneira de controlar remotamente os dispositivos no caso de qualquer problema.

Por exemplo, se houver uma queda de energia, você precisará ser capaz de ligar os geradores de reserva do lado de fora do prédio.

Finalmente, é necessário ter um plano de ação para emergências, como em caso de incêndios ou outros tipos de desastres.

Afinal, a função da automação vai até certo ponto na detecção, mitigação e controle de ameaças. Porém, é necessário sempre contar com um olhar humano sobre os problemas do tipo e, claro, sobre os indicadores dos processos.

É o que se conhece como o princípio universal do gerenciamento.

Já que, afinal de contas, a automação nada mais é do que a definição de parâmetros para que a tomada de decisão seja autônoma.

No entanto, nem sempre as circunstâncias estarão dentro das adequadas.

Por isso, é preciso de alguém treinado para verificar os parâmetros e realizar as alterações ou intervenções, caso necessário.

Automação predial e residencial: qual a diferença?

A principal diferença entre automação predial e automação doméstica (residencial) é o seguinte:

Enquanto a primeira se concentra na otimização do uso de energia e recursos em um ambiente comercial ou industrial, a segunda busca proporcionar conforto, segurança e entretenimento para os moradores.

Em outras palavras, a automação doméstica é mais focada na experiência do usuário.

No entanto, há várias outras diferenças:

  • os sistemas de automação doméstica são mais baratos, mais simples e mais práticos do que os prediais, já que podem ser controlados por um aplicativo em um dispositivo móvel;
  • no entanto, sistemas de automação de prédios e edifícios podem ser usados tanto para ambientes comerciais quanto industriais.

Automação predial: dúvidas frequentes

Antes de finalizar este guia completo, que tal conferir as respostas para algumas das principais dúvidas sobre o tema? Confira:

Quanto ganha um profissional de automação predial?

De acordo com o portal Talent, um técnico de automação predial tem salário de R$2.251,00 em média. No entanto, o valor varia de acordo com a experiência.

Quais são os principais equipamentos para automação predial?

A automação de edifícios é feita com múltiplos dispositivos, a depender do nível tecnológico.

Sistemas de gestão e de automação são uma necessidade, bem como dispositivos IoT e equipamentos conectados à internet.

Quais são os melhores livros sobre automação predial?

Existem vários livros para quem busca entender mais sobre o tema, como:

  • Automação Predial 4.0 (Amazon);
  • Edificações Inteligentes (Amazon).

Quais são os melhores cursos de automação predial?

Entre os principais cursos para estudar e se profissionalizar na automação de edifícios, um dos mais populares é do Senai, com foco mais técnico.

Tecnologias TOTVS para Construção

E a sua empresa, busca modernizar sua gestão de processos e se tornar referência no setor de Construção?

Saiba que a automação de edifícios é uma meta. Mas, antes de qualquer investimento em tecnologias avançadas, é essencial considerar modernizar sua base.

Para isso, conte com a suíte de tecnologias TOTVS Construção!

Trata-se de um guarda-chuva completo para construtoras, empresas de projetos, incorporadoras e gestoras de imóveis.

Com as soluções da maior empresa tech do Brasil, sua organização pode controlar cada aspecto interno de um projeto de construção — internos e externos, tal qual os prazos, contratos e a execução.

São várias soluções que podem transformar os resultados do seu negócio.

Conheça tudo sobre o TOTVS Construção!

Conclusão

A automação predial é um tema importante para players do setor de Construção, bem como do segmento de incorporação de imóveis e mesmo das empresas que trabalham com hospitalidade, como hotéis e pousadas.

A modernização é o caminho para melhor controlar os processos em um edifício, seja em termos de eficiência energética ou segurança.

E, como vimos, há muitos tipos de sensores e dispositivos que podem ser usados para este fim — e, claro, ter alguém responsável por monitorar o sistema para que tudo funcione como deveria.

E você, gostou do conteúdo? Esperamos que esse guia ajude você a tomar as melhores decisões! Para seguir na jornada de aprendizado, que tal entender tudo sobre gestão imobiliária? Em nosso artigo, você mergulha em vários ensinamentos atualizados sobre o tema. Confira!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.