Saiba como fazer o transporte adequado de carga perecível

Equipe TOTVS | 13 julho, 2022

Você sabe como é feito o transporte de carga perecível? Esses produtos são mais sensíveis e precisam de cuidados específicos para evitar a sua deterioração ou até mesmo contaminação ao longo do trajeto.

Por isso, existem regulamentações a serem cumpridas na movimentação desse tipo de carga, e é importante ficar atento a elas.

Neste artigo, vamos trazer informações essenciais para ajudar no planejamento logístico, com o objetivo de garantir uma operação segura, prática e eficiente. 

Veja alguns tópicos abordados ao longo do conteúdo:

  • normas para o transporte de produtos desta categoria;
  • diferença entre cargas perecíveis e não perecíveis;
  • dicas para garantir a qualidade da carga;
  • como a tecnologia otimiza os processos;
  • desafios logísticos da área.

Pronto para entender tudo sobre o transporte de cargas consideradas perecíveis? Então siga a leitura com a gente!

O que é carga perecível?

São considerados perecíveis aqueles produtos que perdem a sua qualidade após um determinado período, como é o caso de alguns alimentos, por exemplo.

Esse tipo de carga exige cuidados desde o armazenamento até as condições de transporte para garantir que elas cheguem preservadas ao destino final.

Para isso, pode ser necessário o uso de embalagens específicas, ambiente com temperatura controlada e monitoramento constante da qualidade.

Como veremos neste artigo, existem normas para o acondicionamento de mercadorias perecíveis. 

Falaremos mais sobre elas, mas antes é importante aprofundar o entendimento sobre as características de uma carga perecível.

Nova call to action

O que diferencia as cargas perecíveis das não perecíveis?

A principal diferença entre um produto perecível e um não perecível é o prazo de validade. No caso dos perecíveis, esse tempo é bem menor.

Esse tipo de mercadoria apresenta condições mais passíveis de deterioração ou contaminação.

Vamos fazer uma comparação simples para entendermos melhor essa diferença. 

Imagine um alface na sua geladeira e um arroz armazenado no armário da cozinha. O alface vai durar muito menos, certo?

Isso acontece porque ele é um alimento perecível, que precisa de condições especiais de armazenamento para não estragar. 

Pela sua composição natural, ele tem uma vida útil menor do que o arroz, que é um alimento não perecível.

Exemplos de carga perecível

O exemplo mais comum de cargas perecíveis são os alimentos, como, por exemplo:

  • verduras e legumes;
  • leite e derivados;
  • carnes;
  • frutas.

Para se ter uma ideia, os alimentos foram a carga mais transportada entre os produtos industrializados em 2021, representando 17% dos fretes no primeiro trimestre do ano. 

Os dados divulgados pela FreteBras refletem a amplitude da presença do ramo alimentício no fluxo de distribuição de produtos no Brasil. 

Contudo, existem outros tipos de mercadorias que se encaixam na categoria de perecíveis e demandam uma atenção especial no armazenamento e transporte. 

Veja alguns exemplos:

  • produtos farmacêuticos;
  • flores e plantas;
  • gelo em cubos.

O que diz a legislação sobre o transporte de produtos perecíveis?

A legislação brasileira define normas exclusivas para o transporte de produtos perecíveis, com o objetivo de garantir a higiene e preservação da carga. 

Nestes casos, existem regras para o transporte de cargas descritas, principalmente, em portarias da Anvisa.

Conheça as principais medidas estabelecidas pela legislação:

  • alimentos perecíveis não podem ser transportados junto a animais, pessoas ou produtos alimentícios crus, que apresentam maior risco de contaminação;
  • é necessário fazer a sinalização do veículo de maneira visível para informar a natureza da carga transportada;
  • fornecedores externos devem ter Certificado de Vistoria, concedido pela autoridade sanitária responsável;
  • é preciso seguir padrões de temperatura específicos para cada tipo de produto;
  • o veículo deve ser higienizado corretamente antes de carregar os itens.

Além disso, a agência ainda prevê regras sobre os cuidados no armazenamento, carga e descarga das mercadorias. 

Os maiores problemas enfrentados com a carga perecível

Existem diversas exigências que devem ser cumpridas no transporte de cargas perecíveis e adequar-se a elas pode ser um desafio para muitas empresas. 

A falta de uma gestão eficiente está entre as principais causas de problemas nesse setor.

Sem um planejamento bem definido envolvendo toda a supply chain e uma equipe preparada para atender as demandas, os processos logísticos ficam desalinhados. 

Outro grande problema está relacionado às condições inadequadas dos veículos, causadas pela falta de manutenção.

Fazer a manutenção preventiva da frota é um cuidado fundamental para manter equipamentos como sensores de temperatura funcionando corretamente. 

Quais cuidados devem ser tomados para garantir a qualidade da carga perecível?

Além dos requisitos destacados acima para evitar os principais problemas no transporte de cargas perecíveis, existem outros cuidados que ajudam a manter a qualidade dos produtos.

Os pontos de atenção começam desde o armazenamento, passando pelo preparo do veículo utilizado no transporte até chegar a descarga das mercadorias no destino final.

Existem medidas essenciais para tornar o processo mais seguro e garantir a integridade da carga. Listamos as principais ações a seguir, confira. 

Armazenagem

A conservação de produtos é uma etapa importante, mas no caso da carga perecível, uma boa gestão de armazenagem se torna indispensável. 

Isso porque a falta dos cuidados corretos nesse processo pode afetar diretamente a qualidade do produto, reduzindo ainda mais seu tempo de vida ou realmente danificando os itens.

Durante o transporte, é preciso considerar as chances de possíveis avarias causadas pela movimentação, tanto nas embalagens quanto nos produtos.

Por isso, existem especificações para garantir o armazenamento correto e evitar qualquer tipo de problema. 

Como fazer o correto armazenamento de itens perecíveis?

Para ajudar na organização do armazenamento de itens perecíveis, listamos algumas dicas de ações que fazem a diferença na garantia de qualidade. Anote esses pontos:

  • considere as características de cada produto para definir os cuidados no armazenamento;
  • o uso de EPIs adequados é indispensável para os responsáveis por manusear os produtos;
  • defina um cronograma de higienização dos locais de armazenagem;
  • empilhe as embalagens de forma que a entrada de ar fique livre.

É importante checar também o funcionamento dos dispositivos de controle e monitoramento de temperatura, assim como o de outros equipamentos de segurança.

Isso evita problemas na armazenagem, garantindo o acondicionamento de mercadorias da maneira correta. 

Embalagem

As embalagens são importantes na preservação da carga perecível, podendo variar de acordo com as características do produto transportado.

Para garantir a eficiência na proteção, é preciso escolher embalagens resistentes e adequadas para cada tipo de mercadoria. 

No caso dos perecíveis, algumas mercadorias podem ter restrições com relação ao empilhamento, manuseio e ainda a necessidade de utilizar mais de um tipo de embalagem para manter a preservação. 

Condições do veículo

Além da sinalização já citada neste artigo – que deve ser feita nas laterais do veículo – existem outras condições específicas para o meio de transporte utilizado na movimentação de cargas perecíveis.

Para começar, as mercadorias perecíveis devem ser deslocadas em transporte de material impermeável, atóxico, lavável, liso e resistente, devidamente aprovado pela autoridade sanitária.

No caso de cargas líquidas, o transporte também deve contar com sistemas de segurança que impeçam o derramamento das substâncias durante o trajeto.

Outra condição importante é a higienização do local, que deve ser realizada de acordo com os padrões estabelecidos pela portaria CVS-15

Carga e descarga

A carga e descarga não pode sujeitar os produtos a danos e contaminação, por isso é preciso tomar alguns cuidados nessas etapas também.

Os equipamentos utilizados na proteção e fixação das mercadorias, por exemplo, devem ser desinfetados junto com o veículo e não podem apresentar risco de contaminação.

Além disso, algumas cargas podem exigir o uso de prateleiras ou estrados para evitar o contato com impurezas. 

Para garantir a qualidade e evitar contaminação, é importante que os responsáveis por manusear os produtos no momento de carga e descarga devem utilizar equipamentos de proteção, como:

  • botas de borracha;
  • máscaras;
  • toucas;
  • luvas.

Refrigeração

A temperatura é outra questão muito importante para quem transporta carga perecível, pois níveis inadequados podem prejudicar ou até mesmo estragar os produtos. 

Segundo a Anvisa, as especificações para cada tipo de carga são as seguintes:

  • produtos congelados: em média -18º C, sem ultrapassar os -15º C;
  • refrigerados: aproximadamente 4º C, podendo chegar a até 6º C;
  • resfriamento: de 6º a 10º C.

As normas ainda preveem as condições para cargas que necessitam de ambientes aquecidos, estabelecendo um padrão de temperatura acima de 65º C.

Os fabricantes indicam a temperatura ideal para o armazenamento de cada produto, então é importante conferir essa informação.

Além disso, é necessário que o veículo tenha ferramentas adequadas para monitorar a temperatura, como termômetros e sensores.

Transporte

É preciso utilizar veículos adequados para a movimentação de carga perecível, seguindo as necessidades de cada produto.

No caso do transporte de alimentos como as carnes, por exemplo, pode ser necessário optar por caminhões com câmara frigorífica. 

Já outros alimentos, como pães e produtos de confeitaria podem ser transportados em veículos fechados, mas em temperatura ambiente. 

Aqui, vale relembrar que os veículos devem possuir o Certificado de Vistoria, emitido após inspeção da autoridade sanitária responsável, assim como a sinalização adequada. 

No transporte, informações sobre a empresa responsável e os dizeres “Transporte de Alimentos” devem ser descritos dentro de um retângulo de 30 cm de altura por 60 cm de comprimento, localizados nas laterais direita e esquerda.

O transporte aéreo de carga perecível

Apesar do modal rodoviário ser o mais utilizado na distribuição de produtos no Brasil, o transporte aéreo também ganha destaque quando falamos sobre cargas perecíveis.

Mais ágil e eficiente, principalmente a longas distâncias, o modal aéreo pode ser um grande aliado para as mercadorias com ciclo de vida reduzido, que exigem uma entrega mais rápida.

Contudo, é preciso seguir algumas regras para usufruir dos benefícios desse tipo de transporte. 

No caso dos alimentos perecíveis, por exemplo, além das determinações vistas até aqui, como controle de temperatura e uso de embalagens adequadas, o transporte é regulamentado pelo Acordo Internacional de Transportes. 

Independente de ser um produto alimentício ou não, as cargas enviadas pelo transporte aéreo devem ter uma etiqueta especial, identificando-as como perecíveis.

Essa identificação vai garantir que todos os cuidados necessários sejam tomados durante o trajeto até o destino final, assegurando a conservação dos produtos. 

Como a tecnologia pode ajudar no transporte de carga perecível?

As soluções tecnológicas auxiliam em diversas etapas no processo logístico de cargas perecíveis, desde a roteirização até o controle da temperatura nos veículos.

Os avanços na área de transporte são cada vez maiores e chegam para aprimorar diversas etapas do setor logístico como um todo. 

Veja alguns exemplos de otimização possibilitado pela tecnologia:

  • escolha do melhor veículo para cada tipo de carga;
  • mapeamento dos locais de entrega;
  • acompanhamento de entregas;
  • planejamento de rotas;
  • gestão de frotas.

Além de aumentar a eficiência, a qualidade e a produtividade na empresa, a otimização desses processos ainda gera uma significativa redução de custos.

Isso graças a agilidade proporcionada pela automação de tarefas, que evita os erros do e reduz o tempo do trabalho manual, permitindo focar em outras questões importantes para o desenvolvimento do negócio.

TOTVS Planejamento de Rotas

O planejamento é a base para garantir um transporte de carga perecível realmente eficiente, seguro e de acordo com as normas estabelecidas pela Anvisa.

Como falamos, já é possível otimizar essa organização graças a soluções tecnológicas, como o TOTVS Planejamento de Rotas.

As funcionalidades desse software possibilitam planejar entregas com toda a agilidade necessária sem abrir mão de um serviço de qualidade. 

De maneira automática, a ferramenta analisa os pontos de entrega, os veículos disponíveis e as restrições logísticas de acordo com o pedido selecionado por você.

Além de apresentar as rotas mais vantajosas, o planejador ainda ajuda a reduzir os seus custos de entrega em até 30%!

Otimize o transporte de carga perecível com o TOTVS Planejamento de Rotas!

Conclusão

Depois de entender o que é carga perecível, conseguimos compreender a importância das normas de armazenamento, manuseio e transporte para esses produtos.

Com ciclo de vida menor, eles estão sujeitos a estragar mais rapidamente quando expostos a condições inadequadas.

Por isso, como vimos ao longo deste conteúdo, as normas estabelecidas pela Anvisa são indispensáveis para garantir a qualidade das mercadorias. 

Além de entender o processo no modal rodoviário, conhecemos também algumas especificações para o transporte aéreo e vimos como a tecnologia ajuda a otimizar as etapas por trás do transporte de carga perecível.

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de acompanhar o blog da TOTVS para conferir outras dicas sobre gestão logística. 

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.