Employer Branding: Conceito, vantagens e implementação

Equipe TOTVS | 06 setembro, 2021

O employer branding é uma estratégia que busca posicionar a empresa como uma marca empregadora no mercado de trabalho. Assim, é possível melhorar o reconhecimento de marca, atrair os principais talentos e reter os melhores profissionais.

Talvez você não saiba, mas hoje em dia, para qualquer negócio, ser encarado como uma employer branding é um item obrigatório para o seu sucesso.

Porém, criar essa cultura vai muito além dos valores e da missão do negócio, mas depende de processos bem estruturados, ferramentas e tecnologia.

Uma estratégia de criação de um employer branding depende não apenas da capacidade do RH, mas também da conexão da própria identidade da empresa e suas principais diretrizes de negócio.

Você sabe por onde começar a construir um employer branding? Então continue na leitura conosco, pois vamos te mostrar tudo sobre o tema. Confira o nosso guia completo e definitivo sobre como ser uma marca empregadora!

O que é o employer branding?

O Employer branding é uma estratégia para posicionar sua empresa como destino preferido dos principais talentos do mercado, em uma área específica ou não. Trabalhar seu employer branding transforma a forma que a sua empresa aparece para as contratações em potencial, é um jeito de mostrar para os candidatos um pouco da sua cultura e despertar o desejo nos talentos para virem trabalhar e fazer parte da sua história.

Ao ser reconhecido como uma marca empregadora, os principais talentos tendem a escolher a sua empresa para trabalhar.

Na prática, o employer branding molda como os talentos do mercado se sentem em relação à sua empresa como um lugar para trabalhar, sendo um dos fatores mais importantes na hora de escolher se candidatar a um emprego.

De acordo com a TalentNow, antes de se candidatar para uma vaga, 84% dos profissionais afirmam que a reputação de uma empresa como uma marca empregadora é importante e influencia sua tomada de decisão.

Na verdade, uma estratégia eficaz de employer branding pode transformar o seu negócio.

Hoje em dia, trata-se de uma das melhores maneiras de atrair, engajar e reter os melhores talentos do mercado.

Aqui, falamos de diferentes perfis de profissionais.

Tanto daqueles com potencial para crescer no futuro, que absorvem com facilidade os ensinamentos do dia a dia de trabalho e trabalham suas soft skills como nenhum outro.

Como também dos talentos já consolidados no mercado, capazes de agregar valor já no primeiro dia, melhorando a qualidade das entregas, independente do setor que trabalhem.

Como fazer employer branding

Para fazer um bom employer branding, você precisa trabalhar em ações que melhorem a reputação da sua empresa. No entanto, você não pode olhar apenas para fora — para o exterior. Afinal, uma marca empregadora começa a ser encarada como tal quando vista assim pelos seus próprios funcionários.

De certo modo, promover o employer branding é também compartilhar sua história com quem está no mercado, em busca de emprego (ou mesmo considera migrar de lugar, desde que faça mais sentido para o seu momento e esteja atrelado com os seus princípios).

Desse modo, você mostra quem você é, no que acredita e o que pode oferecer a esses profissionais.

Em um senso mais figurativo, o employer branding é uma forma de iluminar o que torna sua empresa única no meio de tantas outras.

Como? Bom, por meio de sua cultura e seu conteúdo, entre outros fatores.

Com isso, você consegue atrair, envolver e engajar as pessoas, fazendo com que elas acreditem na visão da sua marca e queiram contribuir com ela.

Desse modo, sua empresa não correrá mais atrás dos talentos. Pelo contrário, eles virão até sua empresa.

E na prática, como fazer isso se tornar realidade?

Bom, o primeiro passo é exatamente dar olhar para sua empresa e examinar a sua proposta de valor: qual sua missão, seus valores e a visão da organização?

Pergunte-se: o que torna a minha empresa uma excelente empregadora?

A resposta que você vai dar tem muita importância, pois é exatamente esse elemento interno que deve ser traduzido externamente.

Agora, no entanto, chegamos a um ponto crucial nessa dinâmica.

Você deve fazer essa comunicação de modo consistente, contínuo e amplo, considerando vários canais de comunicação diferentes: 

Seu website, redes sociais, sites de vagas e agências de emprego (ou seja, a descrição do cargo também importa), bem como em conversas boca a boca.

E veja bem, isso pode fazer toda diferença.

De acordo com uma pesquisa do LinkedIn, mais da metade dos candidatos a emprego consultam as redes sociais e o site de uma empresa para obter mais informações sobre seus possíveis empregadores.

Ou seja, você tem em mãos diferentes canais nos quais pode passar sua mensagem, de forma clara e marcante, garantindo uma excelente primeira impressão.

Com isso, você inicia um verdadeiro processo de transformação na sua empresa.

Com melhores contratações, você constrói uma comunidade melhor.

Isso influencia na felicidade, engajamento e alinhamento das pessoas, aumentando seu comprometimento com sua marca e melhorando todos os aspectos de sua organização.

Do chão de fábrica, passando pelo atendimento ao cliente, até o marketing, quanto mais clara e confiante sua marca é sobre o trabalho que você faz, mais forte se torna o seu employer branding.

O resultado óbvio é que mais pessoas vão querer trabalhar com e para sua empresa — bem como comprar dela.

De qual forma o employer branding pode ser aplicado nas empresas?

O primeiro passo para aplicar o employer branding é entender o que, internamente, que torna sua empresa especial: sua visão, seus valores e sua cultura.

Nesse processo, cabe entender as pessoas. Afinal, o que faz sua equipe ansiar para trabalhar pela manhã e quais partes de seu trabalho eles falam com orgulho?

Em outras palavras, para o seu time, o que faz seu brilhar quando falam do seu trabalho?

Aqui, vale tudo, desde a possibilidade de manter o work-life balance até a forma que o feedback é feito em seu setor.

Independente de ser algo “grandioso” ou “pequeno”, tudo o que você faz como empresa — seja uma ação ou uma política — comunica seu employer branding aos funcionários e funcionários em potencial.

Agora, como fazer a comunicação do seu employer branding de maneira realmente eficaz?

Nova call to action

O site da sua empresa

Veja bem, qualquer candidato em potencial visita o site da sua empresa antes de aplicar para uma vaga. É uma forma de conhecer a organização, suas diretrizes, missão e um pouquinho da cultura organizacional.

Gostando do que elas veem, elas podem se sentir mais confortáveis em candidatar-se.

Vale a pena ressaltar que você pode ter uma área do seu blog destinada aos talentos. Assim, através de conteúdos completos, conta como é o dia a dia da empresa.

A criação de conteúdo, na verdade, vai ser um tópico compartilhado entre vários tópicos a seguir, mas queremos dar ênfase aqui.

Você sabia que a voz do funcionário é 3 vezes mais confiável do que a do CEO quando se trata de falar sobre as condições de trabalho na empresa?

Esse é um dado da Edelman Trust Barometer.

Está aí algo para se levar em conta quando você for discutir a estratégia de employer branding dentro do seu negócio!

Redes sociais

Você viu com os dados de antes, certo? Para os candidatos de hoje, é comum visitar as redes sociais de uma empresa — especialmente seu LinkedIn — antes de aplicar para uma vaga.

E faz todo sentido, já que as redes sociais são parte fundamental daquilo que compõe o tom de voz de uma companhia.

Através das redes sociais, uma empresa pode contar sua própria história, sua rotina, seus altos e baixos (sim, até mesmo isso algumas fazem!).

É uma forma de se tornar mais íntimo de clientes, mas também do mercado de talentos, que pode engajar mais facilmente e identificar na personalidade da empresa algo que valha a pena!

Na verdade, de acordo com a Jobvite, as redes sociais funcionam como uma “janela para a cultura organizacional”.

A página de “Carreira” ou “Trabalhe conosco”

Praticamente todo site da empresa possui uma página destinada à carreira, como o famoso “Trabalhe Conosco”.

Essa é também uma parte vital do employer branding.

Nessa página, destaque os valores essenciais da sua marca, bem como seus diferenciais, sua atuação no mercado e seus benefícios.

A maneira como você retrata sua empresa nesta página determinará se um candidato estará ou não pronto para se inscrever no local.

Banco de talentos

Um banco de talentos permite que os candidatos sintam que fazem parte da empresa, mesmo sem ainda estarem no processo de entrevista.

Esse banco, que também chamamos de pipeline de talentos, é daqueles profissionais que enviaram currículo ou deixaram seus dados de contato de alguma forma.

Você pode trabalhá-los seguindo a mesma lógica de um lead. Ou seja, alimentando-os com atualizações regulares da empresa, de forma que os mantenha informados sobre seus sucessos.

É uma forma de atraí-los, criar familiaridade com eles e também gerar maior reconhecimento de marca.

Anúncios de vagas abertas

Sim! Você pode trabalhar seu employer branding também nos anúncios de vagas abertas.

A forma que você apresenta a vaga, as responsabilidades, os benefícios, o clima que espera o candidato… Tudo impacta e contribui para que o profissional sinta verdadeiramente qual a cultura organizacional do negócio.

Processo de aplicação

Um sinal revelador da cultura e eficiência da empresa é o processo de inscrição.

Os candidatos provavelmente prestarão atenção ao tempo que levam para preencher a inscrição, bem como o tempo que leva para receber uma da empresa.

Pode não parecer, mas esses são sinais sutis da forma com que a empresa lida com os profissionais que querem trabalhar para ela.

Processo de entrevista

O processo de entrevista diz muito sobre seu employer branding.

As entrevistas são mais formais ou casuais? São encontros longos, repletos de dinâmicas, ou curtos e objetivos?

Os candidatos recebem uma descrição precisa da vida diária da empresa?

Todas essas são questões que o candidato levará em consideração durante o processo.

Avaliações de funcionários em portais especializados

Com o surgimento de sites como o Glassdoor, os candidatos agora podem ler as opiniões de outras pessoas sobre a marca de uma empresa.

E isso é muito bom!

Com uma boa cultura organizacional, bem como uma boa estratégia de employer branding, sua empresa pode receber excelentes feedbacks, capazes de convencer novos talentos a se juntarem à equipe.

Qual é a importância do employer branding para as empresas?

Cada vez mais, o processo de atração e seleção de talentos está se tornando essencialmente Marketing. Por isso, trabalhar no employer branding da sua organização é determinante para o sucesso da equipe, da cultura e dos resultados que você pretende alcançar.

Essa percepção que citamos acima é resultado de um estudo da iCIMS, que verificou que 86% dos profissionais de RH sentem que o trabalho de recrutamento é cada vez mais semelhante ao de Marketing.

Mas para entender exatamente a importância do employer branding, a gente sugere um mergulho em uma perspectiva diferente. Veja só!

Pare e pense por um momento: quantas vezes você já leu que o pilar para uma marca ser bem-sucedida é a qualidade do seu produto ou seu potencial de inovação.

Bom, vamos lá: essas afirmações estão erradas — em certo grau.

O verdadeiro potencial de uma empresa floresce apenas quando sua equipe se entrega aos objetivos e metas, acredita na solução pela qual trabalha e, principalmente, gosta de fazê-lo.

É uma conexão que, sim, podemos chamar de emocional — mas que faz toda diferença na qualidade da sua entrega para o mercado.

Acontece que, no momento da empresa crescer, essa essência tão pura pode se perder. São tantas responsabilidades que, de repente, a empresa se torna apenas mais uma entre várias.

Mas veja bem: algumas se destacam.

Existem empresas com uma cultura organizacional tão forte e repleta de personalidade que chamam a atenção.

Esses são exemplos de employer branding:

Marcas que se posicionam de maneira positiva para o mercado de talentos, capazes de oferecer um ambiente enriquecedor para que cada um se estabeleça, cresça e demonstre todo seu potencial.

A verdade é que o employer branding tem um enorme peso hoje em dia — que pode ser tanto positivo, quanto negativo.

E aqui, por fim, entramos também na tangente financeira que envolve a questão.

Afinal, sim, o employer branding vai muito além da percepção interna e externa das pessoas.

É que, inevitavelmente, quando falamos de qualquer processo dentro de uma empresa (qualquer ação ou tarefa), falamos de custos.

E há várias despesas relacionadas ao simples processo de contratação.

De acordo com dados do LinkedIn Business, uma marca empregadora forte pode reduzir em até 50% os custos por contratação.

6 Vantagens de implementar o employer branding na empresa 

Fomentar o seu employer branding é uma maneira de enriquecer a imagem e a cultura da sua empresa. Isso se traduz não apenas em contratações melhores, mas em benefícios para todo o negócio!

Você sabe quais? Bom, a gente reuniu algumas das vantagens a seguir, confira!

Aumento da motivação dos colaboradores

Construir uma marca empregadora vai muito além de aparências, é uma característica que nasce internamente. Ou seja, o resultado das suas ações.

Ao implementar o employer branding, você também mostra aos funcionários que cuida deles, se importa com seu bem-estar e visa criar o melhor ambiente para potencializar sua produtividade.

Esse é um excelente boost para sua motivação, concorda?

Uma forma de colocar todo colaborador como parte integral dos processos operacionais e também estratégicos.

Redução dos custos com recrutamento

Já falamos o quanto uma boa reputação de marca pode economizar para os seus bolsos a cada contratação, certo? Cerca de metade do valor normal!

É que ao construir uma employer branding, você reduz boa parte do atrito existente no processo de recrutamento e seleção de talentos.

Além disso, aproveita de uma inversão dos papéis: não é sua empresa que passa a buscar os talentos, mas eles que passam a buscar sua empresa.

Retenção de talentos 

Quando você trabalha na construção de uma employer branding competente, você também cria uma cultura de valorização dentro do ambiente de trabalho.

Esse é um elemento essencial para a retenção de talentos.

Afinal, muito mais do que contratar as pessoas certas, sua empresa deve ser capaz de retê-las e desenvolvê-las para compensar todo investimento realizado.

Na verdade, de acordo com um dado da Boston Consulting Group em matéria da Forbes, 79% das pessoas que pede demissão o faz porque sentiu que seu papel na empresa não era reconhecido e nem apreciado o suficiente.

Otimização da produtividade

Um estudo recente, divulgado em matéria da The Economist, descobriu que a satisfação dos funcionários tem total relação com uma maior produtividade

Isso significa o seguinte: colaboradores felizes são colaboradores produtivos.

Compartilhar valores, objetivos e visões de mundo faz as pessoas criarem um senso de comunidade — em que todos estão querendo seguir a mesma direção.

Desse modo, você consegue criar uma cultura organizacional voltada para os objetivos da empresa, que também “esbarram” nos próprios objetivos dos colaboradores.

Aumenta a lucratividade

A mesma matéria da The Economist também relaciona a satisfação dos funcionários com um maior potencial de lucratividade.

E isso tem total sentido, já que colaboradores que se sentem realizados, parte importante de seus setores e projetos, produzem mais e melhor!

Ou seja, falamos de uma potencial otimização da qualidade das entregas, o que aos poucos pode impactar positivamente os indicadores de vendas do negócio.

Como o RH implementa estratégias de employer branding na empresa?

O papel do RH na implementação e desenvolvimento do employer branding é justamente servir de canal para que essa percepção interna e externa aconteça.

Até aqui, pouco relacionamos o assunto ao setor de RH, pois entendemos o employer branding como uma construção coletiva.

No início do guia, explicamos isso: são ações que visam melhorar a reputação da sua marca.

Porém, é claro, o RH é o protagonista dessas alterações, servindo como fonte de insights e o vetor da transformação.

Isso porque a criação de um employer branding passa — e muito — pela capacidade do RH de entender o contexto interno da sua empresa (e aqui falamos dos seus diferenciais, valores, etc), encontrando as formas de traduzir isso para o externo.

Isso é feito através do próprio RH em suas ações (como nos anúncios de emprego), mas também com auxílio de outros setores e gestores.

É o caso do Marketing, TI, Vendas, Suporte ao Cliente, entre outros.

Porém, como iniciar esse processo de construção de uma marca empregadora? Temos algumas dicas para você, veja só:

Planejar

Entenda o que precisa ser feito para levar sua marca a outro patamar de reconhecimento.

Quais os pontos fortes atuais? E os fracos? Quais seus principais valores e visões? E qual o objetivo do negócio em relação ao employer branding?

Ou seja, é preciso entender como sua empresa quer ser vista, para então desenhar o plano de ações capaz de levá-la até essa construção de imagem.

Seu planejamento deve ser completo, com documentação detalhada das tarefas de employer branding, bem como acompanhamento de métricas e indicadores de desempenho.

Definir o foco

Qual categoria de funcionários você deve priorizar quando pensa em ações que fortaleçam sua cultura organizacional?

Assim como você define diferentes níveis de prioridade para seu público-alvo (as personas), você deve também entender em quais “públicos internos” investir mais.

Assim, é possível colher melhores resultados em relação aos seus objetivos de employer branding.

Aqui, a análise situacional da empresa (como ela é enxergada, quais os comentários em portais de emprego e redes sociais) faz toda diferença!

Experiência

Como você atualmente trabalha a experiência do colaborador dentro do seu negócio?

Esse é um tema importante — cuja tecla nos apertamos algumas vezes durante este conteúdo.

O reconhecimento de marca nasce de dentro, a partir da percepção dos seus próprios funcionários.

Por isso, tudo conta: o processo de onboarding, a filosofia de qualificação (se possui iniciativas de lifelong learning, por exemplo), os benefícios oferecidos… Enfim, tudo mesmo!

É parte do que se conhece como HXM ou Gestão da Experiência Humana.

O objetivo aqui é explorar as diretrizes do marketing de experiência, uma metodologia que visa encarar cada colaborador como um consumidor em potencial. 

Como a tecnologia pode ser uma aliada do RH na implementação do employer branding?

Bom, você percebeu que a construção de um employer branding pode ser tudo, menos fácil, certo? Por isso, o uso de tecnologias corretas é essencial!

O valor da criação de uma cultura organizacional se dá, principalmente, pelas iniciativas do RH em relação à equipe e à marca.

O problema é que manter toda essa carga operacional de maneira analógica, em papeladas, arquivos engavetados ou mesmo planilhas descentralizadas é um passo arriscado.

A maneira mais eficiente de capacitar o employer branding no seu negócio é aprimorando, antes de tudo, o potencial de gestão do seu RH!

É por isso que sistemas de gestão são tão indicados! Eles permitem que você integre setores, automatize tarefas e entenda todo ciclo de vida do profissional dentro da empresa.

É uma forma de ampliar sua visão estratégica sobre os resultados de cada um, coletando insights, facilitando sua comunicação e traçando melhores planos de carreira para cada pessoa que faz parte do seu negócio!

Tecnologias TOTVS para RH 

Agora que você sabe o que é e como desenvolver um employer branding, que tal fazer isso se tornar realidade no seu negócio? Para isso, você pode contar com  as tecnologias da TOTVS para RH!

As tecnologias da TOTVS para  RH são as mais completas  do mercado e funcionam de maneira inteligente e integrada, com recursos e funcionalidades que capacitam os profissionais de RH e do Departamento Pessoal.

Não falamos apenas do controle de um processo ou outro, mas de tudo que acontece na gestão do capital humano do seu negócio.

Avalie o desempenho dos colaboradores, realize a gestão de metas, controle e visualize os feedbacks estratégicos, crie planos de desenvolvimento, defina sua política de cargos e salários, bem como de treinamento e desenvolvimento.

Confira os diferenciais, benefícios e possibilidades das nossas tecnologias e construa o employer branding perfeito.

Nova call to action

Conclusão

Esperamos que agora, depois de ler este guia completo, você tenha uma ideia muito melhor do que é o employer branding e como pode ser um componente poderoso na construção da sua marca!

É uma maneira de fortalecer a sua cultura organizacional, definir estratégias de captação de talentos para investir melhor  no recrutamento e por também conseguir reduzir o turnover por buscar pessoas mais alinhadas à sua cultura. …

Tudo isso é melhorado com a criação de uma marca magnética, que atraia os melhores talentos para o seu negócio.

E lembre-se da importância de contar com um sistema de gestão, que ajude você a construir um employer branding eficiente, forte e sustentável, capaz de se adaptar a um mercado em constante mudança.

E agora, antes de encerrar, te convidamos a assinar nossa newsletter. Assim, você recebe conteúdos como esse direto em seu e-mail!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.