cadeia produtiva: Otimização da cadeia produtiva é um dos desafios da indústria brasileira

Otimização da cadeia produtiva é um dos desafios da indústria brasileira

Equipe TOTVS | MANUFATURA | novembro 14, 2018

A análise e o monitoramento da cadeia produtiva permite ao gestor planejar melhor as etapas de produção e aumentar os ganhos da indústria.

Para tanto, o empreendedor precisa sistematizar processos e fazer um acompanhamento do trabalho da equipe, além de manter os níveis necessários no estoque. Continue a leitura para compreender como levar mais eficiência para a cadeia produtiva!

Como otimizar a cadeia produtiva na indústria?

O aprimoramento da gestão contribui para a redução de custos, o aumento da produtividade e a diminuição do desperdício material na indústria. Para conseguir isso, é necessário traçar um plano e manter a disciplina em todo o processo.

O planejamento e controle de produção (PCP) é uma sistemática para gerenciar a cadeia produtiva. Ele tem como objetivo aperfeiçoar os processos e controles da indústria, desde a análise da quantidade de insumos necessários até a entrega ao cliente.

Também é importante fazer uma análise da planta fabril e das atividades desempenhadas pelos colaboradores, pois, muitas vezes, é preciso promover mudanças para ampliar a produtividade da equipe.

A etapa seguinte consiste no acompanhamento da execução do plano. Nesse estágio, o gestor deve fazer o registro das informações e monitorar cada etapa do processo produtivo.

Ao final da implementação do projeto, é importante fazer uma análise dos dados, a fim de traçar os próximos passos para aperfeiçoar ainda mais o próximo planejamento.

Além disso, é fundamental estabelecer as diretrizes para a produção industrial, com o intuito de criar padrões para o desenvolvimento das atividades.

Quais são os benefícios gerados para o negócio?

O PCP agrega valor para a empresa e otimiza a cadeia produtiva, minimizando os desperdícios e aumentando a competitividade no mercado. Conheça outras vantagens desse planejamento:

Análise das falhas operacionais

O mapeamento dos processos auxilia o gestor a identificar os gargalos da operação que ocasionam perdas na capacidade produtiva. Esses impasses trazem prejuízos para a indústria e, muitas vezes, precisam de uma análise minuciosa para serem identificados.

Por exemplo: a empresa encaminha 100 insumos para o setor de produção, que executa o trabalho em 1 hora. Em seguida, eles são direcionados para o setor de embalagem.

Nessa etapa, o maquinário utilizado e a equipe disponível não conseguem atender a essa demanda com a mesma performance, levando até 3 horas para finalizar o processo.

Esse é um gargalo que precisa ser corrigido, pois, em uma produção em grande escala, os processos devem seguir o mesmo ritmo para gerar aumento na produtividade e na eficiência.

Controle da produção

Também cabe ao gestor fazer um acompanhamento do processo produtivo, com o objetivo de verificar os pontos fortes e fracos do negócio. Sendo assim, é fundamental avaliar a complexidade das operações, os problemas na integração das atividades e o tempo de espera entre as aprovações e a execução das demandas.

O controle da produção gera informações relevantes para a mudança de estratégias que visam a melhorar os resultados da companhia. Essa prática ainda favorece a redução dos retrabalhos e o aumento da produtividade.

Conhecimento sobre o funcionamento da empresa

O planejamento e a criação de processos geram uma compreensão sobre o funcionamento da indústria. Ao criar um catálogo com as informações de todas as etapas de produção, por exemplo, o gestor não fica vulnerável quando um colaborador sair da empresa.

O documento deve contar um mapeamento dos processos e as metodologias utilizadas em cada etapa para facilitar o entendimento quando um novo funcionário entrar no setor.

Melhoria na qualidade dos produtos

O mapeamento das etapas da cadeia produtiva diminui os erros cometidos pelas equipes, uma vez que cada colaborador conhece a importância e função do seu trabalho. Com os processos sistematizados, a organização produz materiais com melhor qualidade e diminui as perdas causadas por falhas humanas.

Quais atividades podem ser otimizadas?

Algumas práticas podem ser adotadas para aperfeiçoar os processos e gerar mais produtividade na indústria. Veja a seguir:

Monitoramento da produção

O gestor precisa avaliar as etapas da cadeia produtiva, enumerar todas as fases, listar os insumos utilizados em cada período e calcular o índice de retornos de produtos em função de falhas. A partir disso, ele conseguirá aperfeiçoar a gestão de matéria-prima e os processos produtivos.

Cuidado com a logística

Um transporte inadequado pode prejudicar os insumos ou o produto final da fábrica, e isso traz perdas significativas para o negócio.

Portanto, é essencial avaliar com atenção os prestadores de serviço e verificar o cuidado que eles têm com os materiais. Em algumas situações, pode ser necessário contratar um transporte diferenciado para um produto mais frágil.

Caso a própria organização realize o transporte, o ideal é avaliar o índice de perdas e, se for necessário, instituir novas práticas para melhorar o processo.

Escolha de fornecedores

O resultado do produto final não depende apenas da cadeia produtiva da indústria, mas também da matéria-prima que chega à empresa. Logo, a escolha dos fornecedores também influencia as mercadorias que são entregues aos clientes.

Além de avaliar os fornecedores com cautela, é imprescindível manter uma comunicação eficaz e ter mais de uma opção para o mesmo tipo de material. Assim, se um deles não tiver o produto disponível, a companhia poderá recorrer à outra opção.

Controle do estoque

O monitoramento dos níveis de estoque também é importante para a empresa. Fazer esse controle com o uso de planilhas de Excel é muito difícil. Por isso, a melhor opção é utilizar softwares de gestão específicos para o perfil do negócio.

Eles são capazes de registrar a entrada de mercadorias, a localização delas no armazém e o momento em que são retiradas para uso na produção. Um sistema ERP ainda reúne informações específicas sobre o item como data de validade e armazenagem com resfriamento a 10º C.

O sistema também tem a funcionalidade de alertar o profissional quando o nível do estoque está muito baixo. Desse modo, a compra de insumos já pode ser providenciada.

Automação industrial: 4 benefícios além da redução de custos

Que tipo de ferramenta pode facilitar o trabalho?

Um sistema de gestão voltado para a indústria propicia a criação de um planejamento adequado e acompanhamento de todas as etapas de produção. Ele também aumenta o controle dos níveis de estoque ao registrar os dados de compra, entrega e uso dos produtos. A ferramenta ainda faz a integração dos dados dos clientes e fornecedores, facilitando os processos de comunicação e tomadas de decisão.

Enfim, a eficiência e agilidade na cadeia produtiva dependem da organização dos processos e da redução das falhas. Gostou deste artigo? Assine a nossa newsletter e receba mais dicas sobre indústria, tecnologia e ERP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *