Fraudes no cartão de crédito: aprenda definitivamente como evitar!

Reflexo da mudança de hábitos do consumidor e da transformação digital pela qual passa a sociedade, cada vez mais as pessoas têm aderido às compras online e optado pelo cartão de crédito como método de pagamento. Segundo estudo da Consultoria Euromonitor, estima-se que US$ 725 bilhões deixem de ser movimentados por meio de moeda corrente até 2022, sendo que o Brasil faz parte dessa tendência.

Contudo, em meio a esse cenário de crescimento dos pagamentos digitais e essa massiva utilização da internet para fins comerciais, crescem também os riscos de fraudes no cartão crédito. Hoje, o varejo, seja físico ou online, tem esse grande entrave em suas atividades. Os criminosos vêm se especializando na prática e empregando métodos mais sofisticados, o que dificulta o combate.

Diante disso, as empresas precisam estar atentas ao cenário das fraudes, adaptando os seus negócios para minimizar os riscos e prejuízos. Por isso, pensando em ajudar você a contornar esse problema, preparamos este post abordando alguns pontos essenciais sobre as fraudes no cartão de crédito e como evitá-las. Acompanhe!

O cenário de fraudes de cartão de crédito no Brasil

As fraudes relacionadas aos cartões de crédito no Brasil apresentam números expressivos, o que confirma a ideia de que esse é um problema grave de segurança no varejo online e físico.

Segundo dados do laboratório de segurança Psafe, empresa que reúne informações a partir de uma base de mais de 20 milhões de smartphones, de janeiro a agosto de 2018, foram identificados cerca de 920 mil golpes na internet, cujo objetivo era a apropriação de dados financeiros de consumidores para clonar cartões de crédito.

A partir desses números, a projeção é que, a cada minuto, 3,6 fraudes sejam praticadas nessa modalidade pelo Brasil. Um dado que reforça a importância de as empresas dedicarem esforços e recursos para proteger as suas atividades e os dados dos seus clientes da ação de criminosos.

Tipos comuns de fraudes de cartão de crédito

Atualmente, as ações envolvendo fraudes com cartão de crédito acontecem de diferentes formas. O que ocorre é que os criminosos estão a todo momento buscando alternativas para aplicar os golpes, se aperfeiçoando nas práticas sempre que as empresas e operadoras de cartão adotam medidas para impedi-las.

A seguir, listamos alguns dos golpes mais comuns. Confira!

Troca de máquina

Essa é uma modalidade bastante utilizada pelos fraudadores. Aqui, é feita a substituição da máquina por uma outra de titularidade do criminoso, a qual tem características bastante semelhantes às do estabelecimento, justamente para não levantar suspeita.

Assim, uma vez substituída a máquina, os valores decorrentes das vendas deixam de ir para a conta da empresa e são desviados para a conta do fraudador. Geralmente, esse tipo de prática ocorre com a participação de algum funcionário, já que pode ser difícil para o criminoso ter acesso às máquinas para fazer essa substituição.

Cancelamento de venda

Nesse tipo de fraude, o criminoso se vale da ajuda algum funcionário mal-intencionado para efetuar uma compra no estabelecimento como se fosse um cliente comum. Contudo, tão logo a compra é efetuada e a nota para a retirada do produto é entregue, o fraudador efetua o cancelamento da compra, o que significa que a empresa não receberá pela transação.

Como muitos estabelecimentos comerciais não tem o hábito de fazer a conferência diária das vendas no cartão e dos eventuais cancelamentos, a fraude só é identificada ao final do mês, quando a empresa faz o fechamento das suas contas. Porém, na maior parte dos casos, já não é mais possível adotar nenhuma medida para ter o prejuízo ressarcido.

Compras com dados de terceiros

Modalidade de fraude extremamente comum atualmente, as compras com dados de terceiros ocorrem quando o criminoso tem acesso às informações do cartão e do seu titular e, com esses dados, passa a efetuar compras em diferentes estabelecimentos em nome de outras pessoas.

No passado, essa prática estava bastante associada à clonagem dos cartões. Porém, com a sofisticação dos sistemas de segurança e a utilização dos chips, a clonagem reduziu drasticamente. No entanto, os criminosos ainda conseguem se apropriar dos dados de usuários via internet, por meio de softwares maliciosos que capturam informações utilizadas em compras online.

Fraude de pagamento

A fraude no pagamento ocorre quando o estabelecimento efetiva a venda com o cliente, ele efetua o pagamento, mas os valores decorrentes da transação não são disponibilizados na conta da empresa. Ou seja, o negócio vendeu, mas não recebeu.

Nessa situação, é preciso avaliar quais são os motivos que geraram o problema entrando em contato com a instituição financeira. Muitas vezes, a falha na comunicação ocasiona esse tipo de problema. No entanto, se a empresa não fizer uma checagem diária, pode acabar no prejuízo.

Como evitar fraudes no cartão de crédito

Como visto, as fraudes com cartões podem ocorrer de diferentes formas no varejo. Por isso, a empresa precisa se cercar com mecanismos distintos para prevenir riscos e prejuízos. A seguir, listamos algumas práticas que podem reforçar a segurança nesse quesito. Veja!

Dê preferência a máquinas com leitores de chip

O chip está presente na maioria dos cartões ativos no Brasil, chegando a 95%, segundo dados da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito). Isso, em grande medida, se deve ao fato de que esse sistema é muito mais seguro do que as tradicionais tarjetas magnéticas, muito comuns no passado.

Sabendo disso, uma das maneiras de reduzir a probabilidade de fraudes na sua empresa é trabalhar com máquinas com leitores de chips. Essa tecnologia oferece uma segurança muito maior para quem vende e para quem compra, já que depende da utilização de senhas e mecanismos adicionais de criptografia que dificultam a clonagem de dados do cartão.

Proteja o seu e-commerce

As fraudes em ambientes físicos também acontecem. Contudo, no varejo online, o problema é ainda mais grave. Por essa razão, é essencial que a empresa adote todas as precauções para evitar sofrer com fraudes.

Hoje, a tecnologia atua em favor do varejista. Sistemas de criptografia, autenticação e checagens de fraudes já podem ser empregados em plataformas de pagamento online, cruzando e avaliando dados do consumidor, como CPF, endereço, IP do dispositivo utilizado na compra e posição geográfica.

Todos esses recursos adicionais antifraude ajudam a manter a integridade no varejo online, impedindo que fraudadores, munidos de dados de terceiros, consigam efetuar compras em estabelecimentos online.

Invista em tecnologia

Por fim, como já pontuamos, investir em tecnologia e recursos extras de segurança e controle das transações é imprescindível no cenário atual. A exemplo, operar com base em sistemas de conciliação de cartões ajuda na conferência das transações e dos dados de clientes, tornando a plataforma de pagamento mais robusta e segura.

Além disso, é possível trabalhar com outros recursos, sobretudo no varejo físico, em que é mais fácil checar informações pessoais e confrontá-las com bases de dados. Nesse sentido, citamos a importância de se adotar sistemas como:

  • reconhecimento facial;
  • biometria;
  • autenticação e utilização de tokens.

Como proceder em caso de fraude

Mesmo com a aplicação de recursos de segurança e adoção de políticas antifraude, nenhuma empresa está livre de sofrer com esse problema. Por isso, é preciso saber como proceder quando esse tipo de situação ocorrer no varejo.

Inicialmente, pontuamos a importância de a empresa adotar mecanismos de checagem das vendas no cartão diariamente, como em um sistema ERP. Essa postura agiliza a identificação de inconsistências e eventuais fraudes ocorridas nas vendas, além de garantir mais transparência às atividades.

Feito isso, o segundo passo é entrar em contato com a administradora do seu sistema de recebimento por cartão e comunicar a identificação de operações suspeitas. Isso resguarda a empresa de prejuízos futuros por não comunicação da fraude em tempo hábil.

Por fim, embora as fraudes no cartão de crédito sejam ocorrências corriqueiras no cenário do varejo, seja ele online ou físico, é possível adotar uma postura preventiva e tornar as transações do negócio mais seguras. A conciliação de cartões é um exemplo de medida necessária, sobretudo em estabelecimentos em que há um grande volume de vendas diárias, o que dificulta a conferência manual e ágil de todas elas.

Então, gostou deste artigo? Continue se informando mais sobre esse e outros assuntos referentes ao varejo. Assine a nossa newsletter e receba os melhores conteúdos gratuitamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *