SKU: entenda como otimizar a gestão do seu estoque

Equipe TOTVS | 21 janeiro, 2022

Você sabe o que significa SKU? Para quem não conhece, SKU é a sigla para o termo em inglês Stock Keeping Unit, que em português significa Unidade de Controle de Estoque (UCE).

Algumas empresas também conhecem SKU por outros nomes, como part numbers, model numbers ou código do produto.

Essa sigla está bastante presente na rotina de empreendedores e profissionais que trabalham com logística e gestão de estoque, mas muitas pessoas ainda não conhecem os seus benefícios.

Se você sempre teve curiosidade em aprender mais sobre esse tipo de código de identificação, neste artigo apresentamos um guia completo sobre SKU e como ele pode ajudar a tornar a gestão do seu e-commerce ou armazém muito mais eficiente. 

Continue a leitura para saber mais! 

O que é SKU?

O SKU é bastante usado dentro do contexto de empresas e soluções de logística, pois trata-se de um código identificador único dos produtos, utilizado para controle de estoque.

Por meio do SKU, é possível pesquisar e identificar um produto com precisão dentro do estoque, facilitando a identificação de um produto que foi vendido, entregue ou precisa de troca.

De forma resumida, é como se o SKU fosse o número de identidade de um produto.

Ele é muito importante para as empresas que trabalham com estoque, porque representa os produtos de acordo com todas as suas especificações.

Ou seja, não se divide de acordo com a categoria de produto, apenas. O SKU representa artigos que se distinguem entre si, seja por forma, cor ou tamanho.

Para ficar ainda mais fácil de entender o que é SKU, veja só este exemplo bastante didático:

  • Se uma empresa está transportando um caminhão com 200 garrafas de água mineral com gás de 500ml e 100 garrafas de água mineral sem gás de 500ml, por exemplo, estará carregando dois SKUs diferentes;
  • Mas para uma distribuidora de bebidas, por outro lado, que contém uma grande quantidade e variedade de bebidas em estoque, o número de SKU é muito maior, já que cada bebida é diferente.

Como funciona o SKU?

O SKU funciona como uma espécie de crachá ou identidade de cada produto cadastrado em uma loja ou estoque.

Esse código, quando usado corretamente, facilita a organização dos itens de uma loja, permitindo um controle mais eficiente, além de operações mais produtivas e lucrativas, já que evita-se o problema de desfalque de produtos e falta de reposição, além de ajudar no controle de giro de estoque.

A grande vantagem de usar SKUs é poder pesquisar rapidamente no seu estoque para saber quais produtos foram vendidos e quais ainda estão disponíveis de acordo com características específicas, como cor, material, tamanho, marca etc.

Para que isso funcione corretamente, produtos diferentes não podem ter o mesmo código SKU.

Quais as vantagens do SKU? 

O uso de códigos SKUs representa diversas vantagens para as empresas, como organização, aumento de produtividade e redução de erros entre os processos. Confira.

Organização de estoque

Dependendo da plataforma de e-commerce utilizada pelas empresas, com o uso de SKUs, é possível fazer o controle do estoque de forma automática.

Não é necessário separar muito tempo para se dedicar apenas ao inventário, já que o SKU facilita o controle de estoque dos produtos.

Assim, é possível conferir sempre quais são os produtos disponíveis ou se está ocorrendo algum problema de estoque parado.

Diminuição de erros

Por mais profissionais e competentes que sejam os funcionários de uma equipe, na realização de processos feitos manualmente erros podem ocorrer.

No caso do controle de estoque e identificação dos produtos, por exemplo, as chances são grandes de um erro acontecer, já que normalmente trata-se de um processo que envolve um grande volume de itens.

E como erros fazem parte da nossa natureza e todo mundo está propenso a cometê-los, o uso de metodologias e ferramentas para reduzir esses erros são essenciais.

Aliás, não se trata apenas de cometer erros, mas sim de reduzir a chance de refação do trabalho, o que acaba gerando perda de produtividade e eficiência.

Maior produtividade

Por consequência dos benefícios que vimos acima, o uso de SKUs também tem como vantagem o aumento da produtividade.

Com mais organização e menos retrabalho, sobra mais tempo para focar em outros processos em sua empresa, como investimento em treinamentos, além de implementação de novas tecnologias e mais recursos que vão fazer sua loja ganhar lucratividade.

Qual a importância do SKU?

O SKU é um componente importante dentro da organização de uma empresa por facilitar o controle de estoques.

Também é fundamental por permitir uma integração maior do comércio eletrônico com sistemas de gestão ERP.

Em comparação com o código de barras, o SKU pode ser mais interessante por conta dos seguintes fatores:

  • SKUs são únicos para cada empresa, diferente de códigos de barra;
  • Por seguir um padrão lógico de informações sobre o produto, os SKUs também se tornam legíveis para humanos, não exigindo um leitor digital para reconhecimento;
  • Facilitam a gestão e manutenção de estoque;
  • Tornam a administração mais eficaz;
  • Permitem extensão de informações, sem limitação de tamanho ou caracteres.

SKU no e-commerce

As lojas virtuais podem se beneficiar do uso de SKUs para atender a três funções principais que ajudam a tornar a operação de controle de estoque e vendas mais eficiente, veja quais são:

Logística

Utilizar códigos SKU em e-commerces é também uma forma de facilitar a logística do armazém. Com esse padrão de identificação dos produtos, é possível encontrar e empacotar de forma mais ágil o produto correto.

Especificações técnicas dos produtos

O SKU é usado para indicar as variações de cada produto, como tamanho, cor e especificações técnicas que diferem um item de outro semelhante.

Por exemplo, com o uso do SKU, é possível identificar de forma mais fácil quantas unidades de smartphones de determinada marca estão cadastrados no e-commerce, de acordo com cada característica do produto.

Controle de estoque 

O SKU também ajuda a facilitar o controle de estoque, evitando que um produto fique como indisponível na loja virtual.

Quando falamos de compra online, é muito importante garantir que um produto não esteja em falta, pois a concorrência pode ganhar com apenas um clique.

Além de oferecer o melhor preço e experiência do cliente na plataforma de e-commerce, é importante ter um processo eficiente desde o controle do estoque.

Quais os componentes do SKU?

Um SKU, normalmente, contém os seguintes detalhes sobre um produto: informação sobre o fabricante ou marca, descrição do produto, tamanho, cor, material, embalagem e outros detalhes que facilitam a identificação e a variação entre outros produtos da mesma categoria.

Veja o seguinte exemplo abaixo de um SKU que poderia ser usado em um e-commerce de dispositivos eletrônicos para identificação de uma televisão:

MX-LED-50-P

Em um primeiro momento, esse e outros modelos de SKUs podem parecer somente um código aleatório, especialmente para quem não está familiarizado com as abreviações e informações dos produtos.

Mas nesse exemplo, cada sigla ou letra separada com traços representa as seguintes informações:

  • MX: marca “X”;
  • LED: característica técnica sobre o aparelho;
  • 50: definição da quantidade de polegadas do aparelho;
  • P: identificação da cor do produto, no caso, o “P” está indicando que o aparelho é na cor preta.

Ou seja, como você pode perceber, existe uma sequência lógica para a criação de cada SKU.

SKU x Código de barras

O SKU, por ser um código usado para identificar produtos na gestão de estoques, acaba sendo bastante confundido como sinônimo de código de barras, mas é importante deixar claro que SKU e código de barras não são a mesma coisa.

Existem diferenças importantes, a primeira delas é que o SKU pode ser identificado por qualquer pessoa, se ele estiver bem organizado.

Isso porque o SKU segue uma sequência lógica e não exige um leitor de código de barras para ser compreendido, já que segue um padrão de acordo com as informações dos produtos.

Normalmente, o SKU é formado por siglas dos componentes ou informações dos produtos, como cor, tamanho, marca, informações técnicas específicas etc.

Outra diferença é que o SKU deve ser um código único para as empresas, de uma forma que só os profissionais internos possam fazer a identificação, já que se trata de um código para controle de estoque.

O código de barras, como se sabe, pode ser escaneado por meio de qualquer equipamento de leitura de código de barras, pois se trata de um código comercial para finalização das vendas.

Mesmo com essas diferenças, algumas empresas ainda cometem o erro de usar códigos de barra no lugar de SKUs.

Embora não pareça um grande erro em um primeiro momento, essa troca pode causar dores de cabeça na gestão de estoque.

Em uma situação em que a empresa faça a revenda de produtos de um fornecedor, ela poderá alterar os códigos de barras.

Nesse caso, o SKU ficará fora de ordem, dificultando o controle e organização do estoque de produtos.

Se isso ocorrer, o SKU deverá ser atualizado em catálogos, plataformas de e-commerce e outros locais de uso do código.

SKU x EAN

Você já ouviu falar em EAN? Esse modelo de código de barras foi criado na Europa, mas com o tempo passou a ser utilizado em diversos países pelo mundo.

A sigla vem de European Article Number e, em tradução literal, seria algo como Número Europeu do Artigo.

Esse tipo de código também é bastante confundido com o SKU, mas tratam-se de registros diferentes.

O EAN é um código de barras com 13 dígitos e é utilizado por empresas que trabalham com exportação ou venda de produtos em marketplaces.

Pode parecer algo complexo, mas o EAN também é muito simples. EANs são códigos fixos e universais gerados pelos fabricantes do produto.

Diferente do SKU, esse tipo de código exige um leitor óptico para reconhecimento do código de barras.

Dentro do universo de vendas em lojas virtuais, como marketplaces, o EAN é muito importante para que seja possível fazer comparação de preços e integração com sistemas de gestão de estoque, além de facilitar que o produto apareça no Google Shopping.

Em resumo, o EAN segue o seguinte padrão:

  • 3 primeiros dígitos: representa um código do país de origem;
  • 4 a 6 próximos dígitos: empresa fabricante;
  • 3 a 5 próximos dígitos: código de variação de um produto;
  • 1 digito: digito verificador.

Tecnologias TOTVS para a gestão logística

Agora que você aprendeu sobre SKU, pronto para colocar sua empresa no mapa dos principais players de serviços logísticos? Então, o primeiro passo é tornar sua gestão de primeira.

Isso você consegue com os sistemas TOTVS para o segmento de logística.

Pensadas para otimizar processos de acordo com as premissas da Logística 4.0 e demais evoluções do mercado, as tecnologias TOTVS permitem que você controle todas as etapas do ciclo de entregas:

Da gestão do armazém, até o controle de movimentação de mercadorias e a administração dos documentos fiscais, operacionais e financeiros relativos à cada rota.

As tecnologias TOTVS para gestão logística aumentam sua visibilidade sobre cada ação do momento em que uma mercadoria entra no seu armazém até quando chega nas mãos ou prateleiras de seus clientes.

Tudo isso, claro, com foco nos principais indicadores do setor.

Que tal conferir mais sobre as possibilidades? Conheça toda suíte de tecnologias TOTVS para logística!

Nova call to action

Conclusão

Neste guia, você pode conhecer o que significa SKU e para que serve esse tipo de código de identificação.

Como vimos, o SKU é um código que ajuda na identificação dos produtos para controle de estoque.

Por ser um código único para cada produto, ajuda os gestores e empreendedores a pesquisarem com muito mais agilidade quais unidades estão disponíveis em estoque e quais precisam de reposição.

E, ainda, por seguir um padrão lógico de informações, o SKU não exige uma máquina ou leitor para reconhecimento das informações.

Se estiver organizado, ele pode facilmente ser lido por qualquer pessoa, até mesmo o cliente final conseguirá compreender a lógica por trás do SKU.

Em resumo, para criar um código SKU é muito simples. Ele segue algumas regras básicas, como o fato de conter somente as informações essenciais, ser objetivo e conter números e letras.

Também vale lembrar que dois produtos diferentes não podem ter o mesmo SKU e cada tipo de operação possui códigos diferentes.

Agora que você já conhece todas as vantagens de usar um código de produto no padrão que é o SKU, que tal seguir lendo os conteúdos do nosso blog sobre gestão logística?

Confira tudo sobre o planejador de rotas e sua importância!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.