O que é BDI? Como calcular, fórmulas e seu uso em obras!

Equipe TOTVS | 29 agosto, 2022

Uma das tarefas mais complexas em uma obra é a precificação. Para empresas do setor de construção civil, o BDI é um dos instrumentos mais importantes na hora de entender quanto cobrar dos clientes.

No entanto, é comum encontrar pessoas com anos de estrada no meio e que sequer saibam o que é BDI, como calcular e para que serve na construção civil.

O principal problema por trás da precificação de uma obra é entender exatamente quanto se gasta.

Afinal, falamos de um serviço volátil e que, sem organização e gestão de projeto — bem como controle orçamentário, pode ocasionar uma grande confusão e prejuízos inestimáveis.

O BDI é, portanto, um cálculo que ajuda líderes de negócios do setor de construção a entenderem o quanto gastam.

Assim, é possível formular um preço justo a ser cobrado pelo seu serviço, bem como reduzir custos e aumentar sua margem de lucro.

Que tal entender mais? Neste artigo, você vai conhecer mais sobre o cálculo de Benefícios e Despesas Indiretas. Continue a leitura!

O que é BDI?

BDI é a sigla para Benefícios e Despesas Indiretas, um termo utilizado em construção civil, que refere-se a todos os custos adicionais que são incorridos durante a execução de um projeto, além do custo direto da mão-de-obra e dos materiais.

Ele pode incluir custos como aluguel de equipamentos, seguros, transporte, luz e água, entre outros.

Sem esquecer das despesas indiretas, como o pagamento de salários dos funcionários da obra, impostos e taxas.

O termo vem do inglês Budget Difference Income, que tem o mesmo significado: um componente adicional aos custos diretos de uma obra.

Embora Benefícios e Despesas Indiretas represente este custo adicional para o projeto, muitas vezes é necessário para garantir a qualidade do trabalho e evitar atrasos.

Além disso, o BDI pode permitir que uma obra seja concluída dentro do orçamento previamente estabelecido.

Assim, ao definir quais as despesas indiretas de uma obra, é possível entender e planejar quanto será gasto.

Trata-se, portanto, de um instrumento vital para o desenvolvimento de um orçamento mais preciso, bem como do cálculo de uma margem de lucro que beneficie seu negócio.

Nova call to action

A diferença entre custos diretos e indiretos em uma obra

Porém, antes de você compreender tudo que engloba os Benefícios e Despesas Indiretas, é essencial destrinchar exatamente o que são os custos diretos e indiretos na construção civil. Vamos lá?

Os custos diretos estão diretamente relacionados à execução da obra, ou seja: custos com materiais, mão de obra (diárias, viagens, refeições) e equipamentos, sem esquecer de encargos, fatores de perda e reaproveitamento.

Eles são mais fáceis de serem calculados e controlados, pois estão diretamente ligados às atividades da obra.

Já os custos indiretos, pelo contrário, não estão condicionados ao serviço em si, mas são necessários para sua realização, como: despesas administrativas (tributos e impostos sobre faturamento), financeiras (folha de pagamento) e de segurança.

Eles são um pouco mais difíceis de serem calculados e controlados, pois dependem de fatores externos à obra.

No entanto, ambos os tipos de custo são importantes para o sucesso de uma obra.

Entenda a composição do BDI

Antes de obter os Benefícios e Despesas Indiretas, é necessário que o líder da operação apure uma série de elementos (financeiros e percentuais) para compor a fórmula.

Que tal entendê-los a fundo? Separamos um a um para explicar em detalhes, confira:

Administração central (AC)

Todas as despesas administrativas da empresa, como o valor do aluguel, contas de internet, despesas de RH, entre outros.

Custos financeiros (CF)

Esse indicativo é um pouco mais complexo: trata-se de uma estimativa de rendimento caso o valor investido na obra fosse aplicado, em vez disso, em uma opção do mercado de investimento.

Normalmente, utiliza-se como referência o rendimento de uma aplicação em CDB.

Margem de Incerteza (MI)

Os custos com possíveis imprevistos — e que não estão cobertos pelo seu seguro.

Margem Bruta de Contribuição (MBC) / Lucro (L)

Basicamente, o percentual de lucratividade prevista para a obra.

Seguros (S)

Este índice é um percentual de 0,6% calculado sobre o valor total da obra, como um valor extra para servir de seguro básico.

Garantias (G)

Taxa de caução, seguro garantia, fiança bancária ou títulos da dívida pública.

Tributos (T)

Os tributos que a empresa precisa arcar, divididos em:

  • TM (Tributos Municipais): como o ISS.
  • TE (Tributos Estaduais): como o ICMS.
  • TF (Tributos Federais): como PIS, COFINS, IRPJ, CSLL e INSS.

Quais são os tipos de BDI’s?

Agora, é importante que você compreenda que cada um dos aspectos apresentados varia de projeto para projeto. Além disso, é importante entender que nem todo BDI é igual.

As principais diferenças têm relação, principalmente, com quem está por trás da obra: um ente público ou privado.

Entender esse elemento é importante, já que alguns dos aspectos variam de acordo com o tipo de financiamento. Que tal entender mais?

Benefícios e Despesas Indiretas em obras públicas

Quando os recursos são de origem federal, alguns elementos do cálculo devem ser desconsiderados, como os impostos IRPJ, CSLL e a taxa administrativa.

Porém, é preciso considerar o elemento Garantia, algo que não acontece em obras privadas.

Por fim, o lucro em uma obra pública deve ser considerado sobre o custo direto e não sobre o Preço de Venda (PV).

Benefícios e Despesas Indiretas em obras privadas

No caso de projetos particulares, a dinâmica de cálculo é basicamente a mesma.

Desconsidera-se o fator Garantia, porém, consideram-se todos os tributos e a taxa de administração é utilizada.

Por que é importante calcular o BDI da construção civil?

É importante calcular o BDI da construção civil porque ele representa um valor importante para o orçamento de uma obra.

Ele é calculado somando todos os custos que não estão diretamente relacionados à execução física da obra, como despesas com aluguel de equipamentos, mão de obra, materiais, entre vários outros.

Também inclui benefícios como subsídios e descontos.

Trata-se de um dos fatores que mais influenciam o custo final de uma obra e, portanto, sua análise é crucial para se ter uma ideia precisa do orçamento total.

Além disso, os Benefícios e Despesas Indiretas também ajudam a identificar possíveis problemas em relação ao custo da obra e é uma ferramenta útil para fazer comparações entre diferentes projetos.

Agora, quando se assume o ponto de vista do cliente que vai pagar por uma obra, é compreensível que o mesmo queira entender exatamente todos os itens de um orçamento.

Com os Benefícios e Despesas Indiretas, o responsável pelo orçamento pode destrinchar em detalhes cada um dos itens que compõem o documento.

Desse modo, é mais fácil apresentar os custos ao cliente e explicar o porquê da necessidade de cada um.

Por fim, tamanho entendimento possibilita que os responsáveis pela obra possam calcular o PV correto: capaz de cobrir custos diretos e indiretos, seja viável para o cliente e ofereça uma margem de lucro satisfatória.

Como fazer o cálculo BDI?

E como calcular BDI? Nos tópicos anteriores, explicamos em detalhes todos os componentes que podem fazer parte da fórmula (pois variam) e os diferentes tipos de fórmulas.

Que tal entender os elementos que compõem o cálculo? Resgatamos para refrescar sua memória:

  • Administração central (AC)
  • Custos financeiros (CF)
  • Margem de incerteza (MI)
  • Margem Bruta de Contribuição (MBC) / Lucro (L)
  • Seguros (S)
  • Garantias (G)
  • Tributos (T)

Além disso, em relação aos tipos de cálculos, a divisão se dá basicamente por conta do ente por trás do financiamento da obra — ou seja, o tipo do cliente.

Assim, existe uma fórmula para obras públicas e outra para obras privadas, como explicamos anteriormente em mais detalhes.

Que tal entender a fórmula para cada uma delas?

Cálculo do BDI para obras públicas

A fórmula BDI para obras públicas é a seguinte:

BDI = [((1+AC+R+S+G) x (1+CF).(1+L)​1−T)−1] x 100

Lembrando que algumas coisas são diferentes nesse tipo. Por exemplo, impostos federais devem ser desconsiderados quando a obra tem origem em um ente federal.

Além disso, existe a inclusão do elemento G, referente à garantia.

Cálculo do BDI para obras particulares

Já a fórmula dos Benefícios e Despesas Indiretas para obras privadas considera a seguinte fórmula:

Benefícios e Despesas Indiretas = ((1+Ao+Ac+R+S) x (1+Cf)​−1] / [1−(L+T)) x 100

Neste caso, basicamente todos os elementos principais que citamos são utilizados. Vale dizer que o L tem o mesmo significado que MBC.

Cálculo de BDI para orçamento

O cálculo para orçamento segue a fórmula indicada pelo Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (IBEC):

Benefícios e Despesas Indiretas = (( A / B ) – 1 ) x 100

Neste sentido, A corresponde a:

  • 1 + Administração Central + Custo Financeiro + Seguros + Garantias + Margem de Incerteza.

Já B corresponde a:

  • 1 – (Tributos Municipais + Tributos Estaduais + Tributos Federais + Lucratividade Prevista).

Qual o valor do BDI de uma obra?

Sem os indicadores definidos em mãos, é impossível saber qual o valor BDI correto. É preciso realizar o cálculo.

Porém, uma vez que seja calculado, o responsável poderá determinar o Preço de Venda mais adequado, de modo que consiga arcar com as despesas, possua uma porcentagem referente ao seguro e ainda possa lucrar sobre o serviço prestado.

Mas como definir o PV ideal? Após descobrir os Benefícios e Despesas Indiretas, é necessário aplicá-lo à seguinte fórmula:

PV = CD (1 + %BDI)

Em que as siglas correspondem a:

  • PV: Preço de Venda;
  • CD: Custos Diretos.

A planilha para cálculo BDI é uma solução eficiente?

Como em qualquer aplicação, as planilhas podem ser uma boa solução temporária para resolver um problema. No caso da realização de um cálculo, é uma ferramenta útil, mas não confiável.

Afinal, é necessário que a pessoa responsável digite corretamente todos os dados e valores para que, só então, a planilha calcule o resultado.

Além disso, há a questão da formatação da planilha, que exige alguém com proficiência na ferramenta.

O ideal, especialmente para empresas do setor de construção civil, é contar com uma ferramenta tecnológica que automatize o cálculo de índices tão importantes, como dos Benefícios e Despesas Indiretas e Preço de Venda.

Um sistema de gestão pode ajudar a resolver esses problemas, contribuindo ainda para um melhor gerenciamento orçamentário no canteiro de obras.

Como a tecnologia pode ajudar a gerenciar os gastos em uma obra?

Nos últimos anos, a tecnologia tem sido cada vez mais utilizada em obras, desde o controle financeiro até a gestão da mão de obra.

Essa tendência só tende a crescer, pois os sistemas de gestão de obras tornam-se cada vez mais acessíveis e intuitivos.

Além disso, a tecnologia pode ser uma grande aliada na hora de gerenciar os gastos em uma obra.

Com um sistema de gestão integrado, é possível ter um controle preciso dos custos, do orçamento e da execução da obra.

Assim, o empreendedor toma decisões mais acertadas e evita desperdícios.

Além disso, a tecnologia também facilita o compartilhamento de informações entre todos os envolvidos na obra, o que torna o processo mais transparente e eficiente.

Tecnologias TOTVS para Construção

Agora, que tal ter total controle sobre sua operação, incluindo o cálculo de indicadores como o BDI, com um sistema de gestão robusto?

A tecnologia completa para construtoras, empresas de projetos e incorporadoras.

Desse modo, é possível realizar um melhor controle de prazos, custos, contratos e da documentação de uma obra.

Tudo isso contribui para uma maior velocidade e eficiência, desde o planejamento à execução.

O melhor? Oito das vinte maiores construtoras do Brasil já são clientes TOTVS e contam com nossas soluções para gerenciar orçamento, planejamento, execução e acompanhamento da obra de forma detalhada, incluindo apps para controles e apontamentos diretos do canteiro.

Que tal entender mais? Conheça as possibilidades e funcionalidades das tecnologias TOTVS para a Construção!

Conclusão

Para quem atua no setor de construção civil, entender os principais indicadores e parâmetros financeiros que fazem parte do orçamento de uma obra é essencial para assegurar equilíbrio nas contas.

Afinal, essa é uma área em que imprevistos podem acontecer e todo detalhe importa.

Por isso, conhecer os Benefícios e Despesas Indiretas, como calcular este índice e qual sua importância na definição do Preço de Venda de uma obra é uma obrigação.

Agora que você aprendeu tudo sobre esse tema, que tal seguir na jornada de aprendizado? Preparamos um guia sobre BIM e como essa solução tecnológica vai revolucionar a construção civil.

E, para seguir de olho nas nossas novidades, não se esqueça de assinar as nossas newsletters!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.