Taxa de condomínio: para que serve e como calcular?

Equipe TOTVS | GESTÃO PARA CONSTRUÇÃO | 09 setembro, 2020

A taxa de condomínio se trata de uma cobrança mensal, feita pela administração aos moradores ou usuários de um edifício, com o intuito de sustentar as despesas condominiais.

Seja residencial ou comercial, a taxa condominial é importante para a gestão saudável do prédio e de suas instalações. Se você se interessa por esse assunto e quer saber mais, continue com a leitura do artigo que preparamos! 

Qual o objetivo da taxa de condomínio?

A taxa de condomínio é referente a uma série de custos necessários para manter a infraestrutura de um condomínio no geral, dividindo-se em setores que vão desde limpeza até a segurança.

Entre os principais pontos de um empreendimento que são custeados graças à taxa, podemos citar:

  • Pagamento de impostos e despesas básicas, como água e luz;
  • Salários de colaboradores, como porteiros, faxineiros e ascensoristas;
  • Compra de materiais de segurança, como câmeras, alarmes, portões automáticos e cercas elétricas;
  • Produtos de manutenção, limpeza e lazer, como tinta para garagem, redes para quadras esportivas e cloro de piscina;
  • Obras e reparos na estrutura do condomínio, além de conserto de equipamentos, como elevadores,
  • Fundo de reserva para cobrir gastos emergenciais.

Dessa forma, a taxa de condomínio é um valor obrigatório para todos os moradores ou usuários de espaços comerciais em um empreendimento, e deve ser levada em consideração como uma despesa fixa.

Passo a passo para calcular a taxa de condomínio

Até aqui, você já pôde entender melhor o motivo dessa taxa ser de extrema importância, e por que a gestão de condomínios deve tratar esse aspecto como uma de suas prioridades.

Qual é, então, o passo a passo para a gestão de condomínio não errar na cobrança da taxa? Confira a seguir.

  • As despesas dos últimos 12 meses devem ser somadas, incluindo pontos como pagamento de colaboradores, energia total consumida pelos espaços comuns, IPTU e manutenções;
  • Em seguida, o valor deve ser dividido por 12, extraindo, assim, a média de despesas mensais, adicionando custos de novas despesas em vista, como obras;
  • Considerando fatores como a inflação e a situação da economia do país, um índice de reajuste deve ser considerado para o próximo ano;
  • A taxa de inadimplência deve ser avaliada, bem como a determinação do fundo de reserva do condomínio, que, geralmente, varia entre 5% a 10% das despesas,
  • O valor total é dividido pelo número de unidades do condomínio.

Essa é uma forma de fazer o cálculo do valor do condomínio que será cobrado de moradores, usuários e/ou proprietários de um empreendimento.

Nova call to action

Como calcular a taxa de condomínio por unidade?

Acima, demos um exemplo de como calcular taxa de condomínio por fração ideal, ou seja, todas as unidades pagam o mesmo valor, independentemente de suas características e distinções. A cobrança, no entanto, pode ser calculada individualmente, e explicaremos melhor como funciona essa conta.

Uma outra forma de fazer o cálculo da taxa de condomínio pode ser de acordo com as características de cada unidade, seja ela sala comercial ou um apartamento residencial.

Em um exemplo simples, enquanto um apartamento tem 90 m², outro no mesmo edifício pode ter 200 m². Teoricamente, unidades maiores podem ser consideradas com mais despesas do que as menores.

Isso acontece pois geram mais gastos com eletricidade e água, além de, em certos casos, possuírem mais vagas de garagem ou piscinas particulares — nos casos de coberturas.

Ao ocupar um espaço maior no condomínio, a taxa pode ser dividida de maneira proporcional, normalmente calculada seguindo as dimensões de cada unidade. As regras dos condomínios são estabelecidas pela convenção, que determina o valor a ser pago por cada unidade.

Contudo, essa taxa extra de condomínio paga por alguns usuários pode ser revista, uma vez que, por exemplo, um apartamento maior pode ter menos moradores do que uma unidade menor, gerando menos gastos.

Assim, a forma de pagamento pode unir as duas modalidades em um formato de cobrança híbrido, em que a melhor decisão pode ser tomada em conjunto pelos condôminos e pelo síndico.

E se a taxa de condomínio não for paga?

A taxa de condomínio em atraso ou inadimplência implica a cobrança judicial do responsável pelo imóvel, pois é um valor que exige seu pagamento mesmo em situações onde o espaço está desocupado.

No caso da persistência do atraso, o responsável pode ter outros bens penhorados para o pagamento da dívida, e isso inclui o próprio imóvel, se assim determinado pelo juiz.

Faça a melhor gestão de condomínio no seu empreendimento

Ao longo deste conteúdo, falamos sobre o que é a taxa de condomínio e por que ela é tão importante para o bom funcionamento de um empreendimento. Explicamos como fazer o cálculo da taxa a ser cobrada em duas situações diferentes, além de abordarmos as consequências em relação à inadimplência.

A TOTVS, mais do nunca, acredita no Brasil que faz, e é a maior empresa de tecnologia do país. Com soluções e softwares inovadores para 12 segmentos de mercado, no setor de construção e projetos, também temos os melhores sistemas, fundamentais para o sucesso do seu negócio.

E você gostou deste artigo? Se você se interessa pelo tema, confira agora a importância da gestão de obras. Continue acompanhando nosso blog e não se esqueça de assinar a newsletter, para receber todas as novidades diretamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.