glosas-hospitalares

Glosas hospitalares: Como a tecnologia pode evitar?

Equipe TOTVS | GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE SAÚDE | 06 Maio, 2020

As glosas hospitalares são faturamentos não recebidos ou recusados nas organizações de saúde, e costumam acontecer devido a falhas de comunicação entre as clínicas e os convênios.

Essas divergências ocorrem quando as informações apresentadas sobre o atendimento do prestador não estão de acordo com o registro no banco de dados do plano de saúde. Se você quer entender melhor como evitar esse problema e quais tecnologias podem ajudar no processo, continue a leitura e descubra!

Como surgem as glosas hospitalares?

Uma vez que a glosa médica se trata de um reajuste no preço de um serviço prestado, é possível que seja cobrado um valor maior ou menor do que o inicial. Se o hospital não fizer a cobrança adequada, a operadora de saúde deve analisar e corrigir o erro, repassando o que foi gasto pelo paciente.

A glosa financeira, ou glosa médica/hospitalar é um problema que deve ser evitado, pois sua solução costuma ser bastante complexa. Entre os exemplos de glosas que podemos citar, além do ruído de comunicação entre instituições e convênios, estão:

  • Cancelamento;
  • Conta ou verba por motivos ilegais ou indevidos,
  • Desistência parcial ou total de orçamento.

Tipos de glosas hospitalares

Nas rotinas de operadoras de planos de saúde e hospitais, o volume de informação é alto. Com demandas elevadas de pacientes e transações, desinteligências podem acontecer de mais de uma maneira. Confira a seguir os tipos de glosas que podem ocorrer.

Glosa administrativa

As glosas administrativas são as mais comuns no mercado. Trata-se de registro equivocado de guias de autorização de exames, por exemplo, além de equipamentos e remédios registrados de maneira errada.

Valores de taxas e cobranças discordantes do contrato também entram nessa categoria. A glosa administrativa conta com soluções mais simples, por meio de negociações e acordos.

Glosa técnica

Glosas técnicas se relacionam diretamente com o acontecimento médico em si, e a revisão exige uma inspeção especializada, geralmente feita por um enfermeiro auditor. Podem envolver pontos mais subjetivos na resolução.

A não checagem de medicamentos com o horário de realização, o descaso com medicamentos e procedimentos, a ausência de prescrição para procedimentos de enfermagem ou simplesmente anotações feitas a lápis são exemplos de glosas técnicas.

Glosa linear

A glosa linear é mais atrelada ao operador de saúde, e diz respeito a processos como triagens, gastos e processos de pagamentos, indicadores operacionais, análises de estatísticas.

Por mais que esse problema seja de ordem do prestador de serviço, seus impactos são sentidos na gestão hospitalar. Por isso que, para evitar situações como essa, você deve estar atento às medidas que podem ajudar a evitar o problema.

Nova call to action

Como evitar as glosas hospitalares?

Na gestão hospitalar, a preocupação com a saúde e o bem-estar dos pacientes deve ser absoluto. Para isso, portanto, as rotinas da instituição devem ser gerenciadas de forma otimizada, buscando harmonia financeira e administrativa.

Quais são, então, as práticas e tecnologias que auxiliam nesse processo? Acompanhe agora!

Prontuário eletrônico

Os prontuários eletrônicos são fundamentais para reduzir glosas hospitalares. Trocar os prontuários tradicionais, feitos à mão, por sistemas eletrônicos automatizados, reduz drasticamente o número de erros.

Anotações incorretas ou ilegíveis darão espaço a um sistema que preenche informações faltantes, programado para reconhecer erros. Vale lembrar que os colaboradores podem acessar o histórico do paciente de qualquer lugar por meio de dispositivos móveis.

Auditorias internas

É essencial contar com colaboradores voltados à gestão administrativa, garantindo excelência na qualidade dos procedimentos e no cumprimento das práticas exigidas pelas operadoras.

O big data pode ser utilizado pelos times auditores, aproveitando os dados incorporados pela implementação de um ERP, impedindo erros cadastrais como número de cartão inválido e medicamentos incompatíveis com os procedimentos, por exemplo.

Sistema de gestão hospitalar

A operadora de saúde pode gerenciar contratos coletivos ou individuais com um sistema de gestão, que ajuda a indicar discordâncias entre procedimento solicitado e critérios de controle seguidos pelos convênios médicos.

Essa conferência eletrônica permite o controle eficiente no requerimento de exames e cirurgias, por exemplo, e deve ser totalmente integrado à prestadora do convênio. Com grande capacidade de armazenamento, o sistema mantém um histórico com autorizações prévias de procedimentos validados por cada operadora. Essa base de dados sólida auxilia a guiar decisões futuras.

Gestão hospitalar é com a TOTVS

Ao longo deste artigo, você pôde perceber que, ao buscar por melhorias na comunicação entre hospitais e operadoras de convênios de saúde, é necessário contar com um time de colaboradores capacitados e com um sistema de gestão que seja agregador e integra diferentes áreas da instituição.

Automatizar os processos internos com o uso da tecnologia, permite criar um acervo completo de documentos eletrônicos que são conferidos e atualizados continuamente, fator crucial em processos que dependem de consultas, avaliações e análises de informações.

A TOTVS é uma empresa 100% brasileira, presente no mercado há mais de três décadas e que acredita no Brasil que faz, com processos e procedimentos seguros e eficientes. Nossos sistemas e inovações tecnológicas procuram facilitar as rotinas das empresas e gerar valor ao seu negócio.

Se você quer conhecer outras soluções para a gestão hospitalar, veja a importância de diminuir perdas com farmácias hospitalares. E para estar sempre por dentro de todas as novidades, continue acompanhando nosso blog e assine a newsletter!

solução completa para instituições de saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *