Frete CIF: o que é, quem paga, quando usar

Equipe TOTVS | 08 novembro, 2022

O frete CIF é uma modalidade de entrega em que a responsabilidade e o risco decorrente da entrega fica com o vendedor.

Em outras palavras, é o lojista ou comerciante quem fica responsável por garantir que a entrega seja feita até o consumidor final.

Trata-se de uma modalidade diferente do frete FOB, em que é o comprador quem se responsabiliza pelo transporte do produto até o destino final, normalmente contratando uma transportadora terceirizada de confiança.

Ou seja, existem momentos em que é mais adequado utilizar o frete tipo CIF, e outros momentos em que é mais adequado utilizar o frete tipo FOB.

Por isso, hoje vamos te explicar todas essas diferenças, quando utilizar cada um desses tipos de frete e mais dúvidas frequentes sobre o assunto. Boa leitura!

O que é frete CIF?

O frete CIF é uma modalidade de entrega em que o vendedor é o responsável por todos os custos e riscos que envolvem o transporte da mercadoria até o destinatário final.

Caso aconteçam problemas, toda a responsabilidade pela entrega fica com a loja, e não com o cliente.

Trata-se de uma modalidade mais utilizada quando se trata de venda direta entre clientes e pessoas físicas.

Contudo, é bom lembrar que essa responsabilidade não significa que o lojista arca com o valor total do produto, já que, na maioria das vezes, os custos estão no próprio preço do produto.

E o que é frete FOB?

O frete FOB, ao contrário do CIF, é uma modalidade de entrega em que o cliente, geralmente outra empresa, assume a responsabilidade pelo transporte do produto.

Em outras palavras, todos os riscos do transporte estão na mão do comprador, pois normalmente a quantidade de matéria-prima ou lotes de produto é muito grande, e é mais vantajoso, para ambas partes, contratar uma transportadora de confiança.

Nova call to action

Quem paga o frete CIF?

Em teoria, quem paga o valor do CIF é o próprio lojista, já que é ele quem é o responsável por todos os custos e riscos envolvidos na entrega até o destinatário final.

Ou seja, na prática, quem paga pelo frete é o vendedor. Entretanto, as coisas não são tão simples e o lojista não precisa arcar com o preço completo.

Como vimos no tópico anterior, o vendedor pode abater o valor total ou parcial da entrega na hora de fazer a precificação do produto, embutindo no preço cobrado do consumidor o valor que será gasto com o transporte do produto até o destino final.

Em que situações usar o frete CIF?

O frete CIF é recomendado para empresas que já vendem para o seu consumidor final.

Mesmo que o preço do produto fique mais alto por conta da adição da totalidade ou de parte do frete, trata-se da opção mais vantajosa para o cliente, que não precisa se preocupar com nada a não ser receber a sua compra.

Quais são os benefícios do frete CIF?

Como vimos, o frete CIF tem como principal objetivo trazer vantagens para empresas que vendem para consumidores finais, ou seja, empresas B2C.

Nesse sentido, o CIF tira das mãos do cliente a responsabilidade de garantir que a encomenda será entregue.

Hoje em dia, as empresas que utilizam o frete CIF permitem que seus clientes acompanhem a entrega sem preocupações, afinal, a entrega é de responsabilidade do vendedor.

Trata-se da modalidade mais popular para negócios B2C, mesmo que gere aumento no valor final do produto, pois as pessoas vão comprar mais com a sua empresa se não tiverem de se preocupar em contratar uma transportadora para ter seu produto em mãos.

Exemplo de frete CIF

Imagine que você decida abrir uma loja de bicicletas na sua cidade. Você vai precisar entrar em contato com os fornecedores para comprar bicicletas.

Como a procura pelo modelo X está em alta, desta vez você comprou um lote com 15 bicicletas do modelo e conseguiu um desconto com o fabricante.

Nesse caso, você vai pedir para que o fabricante envie a bicicleta para sua empresa com a modalidade de frete FOB.

Isso porque você comprou uma grande quantidade de bicicletas de uma só vez, então faz mais sentido que a sua empresa se responsabilize pelo transporte, já que o desconto vale muito a pena.

Agora imagine que você montou um site e está vendendo as bicicletas pela internet, em um marketplace popular na sua região e, após algumas semanas, um cliente de outra cidade realiza uma compra em sua loja.

Nesse caso, você precisará optar pelo frete CIF, pois não faz sentido que o cliente pague o valor da entrega, já que ele comprou somente uma unidade do produto.

Em outras palavras, como se trata de somente uma unidade, sua empresa não precisa oferecer um desconto de fato, mas pode (e deve) embutir pelo menos parte do custo com a entrega na hora de fazer a precificação do produto.

A melhor forma de fazer isso é com transportadoras de confiança da sua empresa.

Como declarar o valor desse tipo de frete na Nota Fiscal?

Para declarar o frete CIF nas suas notas fiscais de mercadorias, basta incluir o valor de frete no valor do produto, mostrando apenas um só valor na hota. 

Em outras palavras, você vai precisar destacar o valor do frete no campo destinado para isso na sua Nota Fiscal. 

Mas lembre-se: independentemente do tipo de frete a ser contratado, devem ser considerados em seu valor os cálculos de tributos como ICMS, IPI, PIS e COFINS.

A importância do código de rastreamento em casos de frete CIF

No frete CIF, é importante que as empresas disponibilizem um código de rastreamento de mercadorias para que seus clientes possam se manter informados sobre o andamento da entrega.

Trata-se de uma prática que promove a transparência do processo de entrega, aliviando as ansiedades do cliente e fornecendo mais tranquilidade para todo o processo.

Lembre-se: no CIF, a sua empresa é a responsável por enviar o produto e é ela quem deve resolver os problemas, não os clientes.

Frete CIF: dúvidas frequentes

Agora confira algumas perguntas frequentes sobre o frete CIF:

Qual é a diferença entre frete CIF e FOB?

O frete CIF é utilizado no caso de entregas pequenas, normalmente de varejistas para consumidores finais, enquanto o frete FOB é mais utilizado para entregas de grandes volumes, como a compra de matéria-prima ou lotes de produtos por outras empresas.

Como saber se o frete é CIF ou FOB?

Para saber se o frete é CIF ou FOB, basta olhar para a nota fiscal. No caso do FOB, o valor do frete fica destacado na nota fiscal, enquanto no CIF o valor não é mencionado na nota, já que normalmente está embutido no preço final do produto.

Frete destacado na nota fiscal é CIF ou FOB?

Para saber se o frete destacado na nota fiscal é CIF ou FOB, basta olhar para a nota fiscal.

Se o valor do frete estiver destacado, então trata-se de um frete tipo FOB. Se não estiver destacado, então é uma frete do tipo CIF.

Isso porque, como vimos, no caso do frete tipo FOB, o valor do transporte é pago pelo cliente, então precisa estar destacado na nota fiscal, enquanto o valor do transporte da modalidade CIF não precisa ser mencionado, já que está embutido no preço final do produto.

Como fazer carta de correção para frete CIF ou FOB?

Não é possível fazer uma carta de correção (CC-e) para solicitar ajustes no frete CIF ou FOB.

Quando for preciso fazer esse tipo de alteração, será necessário cancelar o CT-e emitido e fazer um novo para que essa alteração seja feita de fato.

A CC-e só deve ser utilizada para corrigir dados mais simples e que estejam devidamente descritos no Regulamento do ICMS.

Frete CIF ou FOB: qual é o melhor?

Cada um dos fretes serve para um propósito específico. O frete FOB deve ser usado no caso do transporte de grandes volumes de matéria-prima ou lotes de produtos, enquanto o CIF deve ser utilizado para entregas únicas, destinadas a um consumidor final.

Como calcular frete CIF?

O cálculo do frete, de maneira geral, deve incluir todos os custos com a operação, ou seja, os gastos com combustível, pagamento do motorista, valores do pedágio, pois assim você consegue cobrir os custos da operação e ainda colocar uma margem de lucro.

No caso das documentações oficiais, você deve somar o valor do seguro e o valor do frete para obter o valor do CIF. Se a sua empresa não contratar um seguro, então basta utilizar o valor calculado para o frete.

A tecnologia como aliada em suas operações logísticas

Independentemente do tipo de frete que você e sua empresa vão utilizar, se é CIF ou FOB, é importante contar com a ajuda da tecnologia para desenvolver as suas operações logísticas.

O transporte de cargas, sejam elas pequenas (para o consumidor final), ou grandes (como insumos para empresas), é fundamental para que as empresas consigam operar, seja na fabricação de produtos ou na entrega dos mesmos para o consumidor final.

É possível otimizar toda a cadeia de entregas por meio de tecnologias de roteirização, que permitem que as entregas sejam feitas de maneira mais rápida e eficiente, e o melhor: custando menos.

Confira a seguir as principais tecnologias que podem ser implementadas pela sua empresa para melhorar a sua operação logística e garantir mais vendas:

Gestão de frotas

A gestão de frotas nada mais é do que o trabalho de administrar o conjunto de veículos da empresa, sejam eles caminhões, carros, vans, motos ou outros meios de transporte, com o objetivo de otimizar todas as etapas da entrega.

O objetivo da gestão de frotas é garantir um desempenho otimizado das operações logísticas da empresa, promovendo agilidade, economia, segurança e produtividade.

Nesse sentido, é possível utilizar as tecnologias de gestão, como ERPs, como plataforma para auxiliar no gerenciamento de cada aspecto da sua empresa.

Você pode utilizar as tecnologias para, por exemplo, fazer uma gestão de pneus mais eficiente, evitando gastos desnecessários com trocas e reparos constantes.

O mesmo vale para os gastos com hora-extra de motoristas que precisam ficar um tempo maior na estrada.

Esses sistemas de gestão ajudam as lideranças da empresa a exercer mais controle sobre a operação, permitindo um maior controle de custos no curto, médio e longo prazo.

Rastreamento de entregas

Outra tecnologia muito interessante do setor de transportes e que deve ser utilizada especialmente quando estamos falando de negócios B2C é o sistema de rastreamento de entregas.

Esse sistema nada mais é do que a atualização em tempo real das etapas de uma entrega.

Com um sistema de rastreamento de entregas, sua empresa pode mostrar para o consumidor final em qual etapa do transporte aquela mercadoria se encontra, ou seja, se já saiu para entrega, se está sendo transportada, se já chegou na cidade do cliente etc.

Trata-se de uma forma de oferecer mais previsibilidade para os clientes, diminuindo a ansiedade causada pela espera até a entrega do produto.

Dessa forma, seus clientes ficam menos angustiados, pois sempre saberão em qual estágio do transporte a mercadoria se encontra.

Roteirização

Por fim, uma das tecnologias mais importantes para que as transportadoras consigam operar com eficiência é a roteirização.

Um sistema de roteirização eficiente, como o TOTVS Planejamento de Rotas, ajuda a sua empresa a fazer mais entregas em menos tempo, pois utiliza-se da tecnologia da geolocalização para traçar rotas capazes de economizar combustível ou pedágio.

Em outras palavras, você e a sua equipe de gestão poderão criar rotas inteligentes, que diminuem o custo envolvido nas viagens, além de traçar rotas mais rápidas para que seus motoristas passem menos tempo rodando nas estradas ou nas cidades.

TOTVS Planejamento de Rotas

Se a sua empresa precisa de uma ferramenta de roteirização para diminuir os custos e o tempo das entregas, a melhor opção é o TOTVS Planejamento de Rotas.

Dentre os inúmeros recursos disponíveis, nosso sistema de roteirização utiliza-se da geolocalização para identificar os endereços e marcar os principais pontos de entrega no mapa em uma rota inteligente.

Ou seja, é possível criar uma base dos locais mais frequentes de entrega e retirada, otimizando o planejamento e trazendo mais agilidade e economia para a operação.

Experimente grátis o TOTVS Planejamento de Rotas!

Conclusão

Como vimos ao longo deste conteúdo, o frete CIF é utilizado para compras em pequeno volume, normalmente aquelas feitas para o consumidor final de algum produto.

Isso porque, nesses casos, é o próprio consumidor quem arca com a responsabilidade e com os riscos de garantir que a entrega seja feita.

O mesmo não acontece quando estamos falando de compras de grandes volumes, que é quando se utiliza o frete FOB, em que, ao contrário do CIF, é o consumidor o responsável por fazer o transporte da mercadoria.

Isso acontece porque, no caso de grandes volumes, é mais vantajoso para o cliente fazer o frete por conta própria do que deixar essa tarefa nas mãos da empresa vendedora, enquanto no caso do consumidor final, como não há esse grande volume, isso não é necessário.

Em todos os casos, independente do frete escolhido, é importante contar com soluções especializadas para logística e transporte, como o TOTVS Planejamento de Rotas.

Leia mais artigos no blog da TOTVS sobre o poder da roteirização e da tecnologia no setor logístico!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.