Transporte multimodal: saiba como funciona e como ele ajuda no planejamento de rotas

Equipe TOTVS | 19 julho, 2022

O transporte multimodal conta com duas ou mais modalidades de transporte para cumprir o trajeto definido na movimentação de cargas. 

Quando uma operação logística é planejada, existem muitas possibilidades de rotas para que o transporte seja realizado e a mercadoria chegue ao seu destino final.

Em algumas delas, se faz necessário o uso de diferentes modais de transporte. Nestes casos, a categoria multimodal atende à demanda com eficiência, agilidade e valores acessíveis.

Pensando na importância desse método logístico, desenvolvemos este artigo para compartilhar alguns pontos importantes sobre essa categoria de transporte.

Veja o que você vai encontrar neste conteúdo:

  • dicas para escolher um bom operador de transporte;
  • diferença entre transporte intermodal e multimodal;
  • principais modais de transporte do Brasil;
  • vantagens e desvantagens do método;
  • como a operação funciona.

Siga a leitura para conferir tudo isso e muito mais!

O que é transporte multimodal? Como ele funciona?

O transporte multimodal é aquele que utiliza mais de um modal de transporte para realizar o deslocamento de cargas de um ponto a outro.

Nestes casos, a responsabilidade dessa movimentação é toda de um operador logístico, chamado de Operador de Transporte Multimodal, também conhecido pela sigla OTM.

Dessa forma, garante-se que toda a rota planejada seja agregada em um mesmo contrato, estabelecendo todas as atribuições a um único operador. 

Esse contrato é representado por um documento fiscal, chamado de CTMC (Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas), que passa a ser também o acordo de prestação de serviços.

A partir dele, não há a necessidade de emitir um registro diferente para cada modal utilizado no transporte de cargas. 

Só essa praticidade já é um grande benefício, mas a categoria traz inúmeras vantagens e contribui para otimizar os processos de entrega da sua empresa. 

Ao longo deste conteúdo, apresentaremos essas vantagens e explicaremos tudo sobre a técnica, mas antes vamos conferir um exemplo prático. 

Nova call to action

Exemplo de transporte multimodal

Para que você possa entender com clareza como funciona a operação logística pela categoria multimodal, trouxemos um exemplo prático do processo multimodal.

Vamos imaginar o transporte de uma carga para fora do país. Nestes processos, a locomoção de commodities, como a soja, se beneficia muito do método multimodal.

Como o destino final é outro país, não é possível utilizar apenas o modal rodoviário, por exemplo. 

Nestes casos, uma boa opção é transportar a mercadoria por caminhão até o aeroporto e então seguir com o modal aéreo até o destino internacional.

Ao escolher a operação multimodal, os dois meios de transporte ficam sob responsabilidade do OTM e todos os detalhes da operação são acordados no CTMC. 

Quais as características do transporte multimodal?

Agora que já conseguimos entender bem como essa modalidade de transporte funciona, é importante saber também que ela apresenta características exclusivas.

Essas particularidades são as principais motivadoras para tornar o método multimodal tão eficiente. 

Confira abaixo algumas das características que permeiam o conceito do transporte realizado com mais de um modal:

  • etapas do processo sob responsabilidade de um operador especializado;
  • emissão de apenas um documento fiscal para todos os modais;
  • uso de dois ou mais modais de transporte;
  • contrato de transporte multimodal único.

Na prática, esses fatores são grandes aliados na otimização da operação logística de uma empresa como um todo.

Qual o objetivo do transporte multimodal de cargas?

O principal objetivo da modalidade multimodal é otimizar o transporte de cargas, simplificando os processos e trazendo agilidade para as entregas.

Como falamos, nem sempre é possível levar uma mercadoria até o ponto de destino com o uso de apenas um meio de transporte.

Nessas situações, é preciso encontrar soluções eficientes para atender a todos os trechos e cumprir os prazos de entrega. Tudo isso sem prejudicar a segurança da carga.

A técnica multimodal existe exatamente para atender a essa demanda.

Com ela, é possível promover um processo logístico de qualidade para todos os trechos do percurso, independente do modal utilizado. 

Os modais de transporte existentes do país

Para conhecer o processo de transporte multimodal no Brasil, é necessário conhecer também os tipos de modais disponíveis para executar essa operação.

A seguir, listamos os modais de transporte existentes no Brasil e as principais características de cada um deles. Confira abaixo.

Rodoviário

O modal rodoviário é o mais utilizado no país. Feito por carretas, caminhões, carros e vans, a modalidade oferece versatilidade ao permitir o transporte de diversos tipos de cargas.

Além disso, a malha rodoviária do Brasil é bem extensa, permitindo um grande alcance de rotas para entregas. 

Apesar dessas vantagens, o transporte rodoviário também apresenta alguns pontos negativos. 

Dentre eles, a condição precária de muitas estradas é um fator a se atentar, pois aumenta o risco de acidentes e os custos com a manutenção dos veículos.

Ferroviário

O modal ferroviário é realizado pelas vias férreas, por meio de trens. Apesar de ser muito eficiente no transporte de cargas mais volumosas a longas distâncias, ele ainda não é tão popular no país.

Isso porque não há tanto investimento nas linhas ferroviárias, o que reduz a amplitude das rotas atendidas. 

Hoje, esse meio é mais utilizado no deslocamento de produtos agrícolas e cargas a granel.

Aéreo

O modal aéreo utiliza aviões para fazer o transporte de cargas. Esse método é muito comum para as entregas urgentes ou no caso de deslocamento de cargas de alto valor agregado.

A grande vantagem aqui é a agilidade e a segurança dos aviões, que conseguem cobrir longas distâncias em um curto espaço de tempo. 

Contudo, a rapidez também representa um aumento no custo da operação logística, por isso esse método de transporte ainda fica atrás do modal rodoviário.

Aquaviário

Como o nome já revela, o modal aquaviário é o transporte realizado na água. Ele pode acontecer em lagos, rios ou pelo mar, utilizando barcos e navios.

Assim como o aéreo, ele é um ótimo método de transporte para longas distâncias. A vantagem aqui está no volume da carga: navios tem uma capacidade para transportar uma quantidade maior de mercadorias.

O custo dessa operação costuma ser inferior ao modal aéreo, mas vale destacar que o tempo de entrega é maior. 

Dutoviário

O modal dutoviário usa tubos e dutos para fazer o transporte de cargas, normalmente gases e líquidos, como o petróleo, por exemplo.

Uma das características mais vantajosas desse método é a capacidade de atender a longas distâncias e o baixo custo operacional. 

Apesar disso, os trajetos são fixos, o que limita as rotas de transporte.

Um panorama sobre o transporte multimodal no Brasil

Apesar de toda a eficiência, essa modalidade ainda tem algumas limitações quando pensamos no cenário brasileiro.

Recentemente, a ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) realizou o estudo “Obstáculos Regulatórios ao Transporte Multimodal” para entender quais são os entraves que impedem o crescimento desse método logístico.

Os dados obtidos apontaram quatro principais problemas enfrentados pela multimodalidade nos dias de hoje. Confira quais são eles:

  • falta de terminais de transbordo no país;
  • situação da infraestrutura viária;
  • entraves burocráticos;
  • barreiras tributárias.

Com a análise dos pontos de dificuldade, o relatório trouxe um novo olhar para a modalidade multimodal e já impulsionou ações para a ampliação dessa técnica no Brasil.

Transporte multimodal: vantagens e desvantagens

Até esse ponto do artigo, já conseguimos enxergar as principais vantagens da multimodalidade, certo?

Entretanto, assim como em todas as outras modalidades de transporte, o multimodal também apresenta seus pontos negativos.

Para quem está planejando todo o processo de entrega, é importante colocar na balança os benefícios e as desvantagens de cada método para encontrar aquele que melhor atende às necessidades da empresa.

Pensando nisso, listamos as principais vantagens e desvantagens do sistema multimodal.

Vantagens

Começando pelas vantagens, existem alguns pontos bem interessantes que podemos destacar sobre a multimodalidade.

Veja a seguir os principais benefícios da modalidade para a sua operação logística:

  • responsabilidade centralizado em um operador;
  • facilidade no monitoramento do transporte;
  • maior eficiência energética e de entrega;
  • praticidade burocrática e comercial;
  • menor preocupação com a carga;
  • processos mais ágeis;
  • redução de custos. 

Desvantagens do transporte multimodal

As principais desvantagens estão relacionadas ao processo burocrático e às regulamentações por trás do método multimodal.

É importante ficar atento a elas para evitar qualquer tipo de problema durante o processo logístico.

Confira a seguir alguns pontos negativos desse tipo de transporte:

  • é preciso ter conhecimento sobre os regulamentos internacionais para evitar problemas;
  • atender a diferentes requerimentos de segurança de várias autoridades;
  • fiscalizações frequentes nos terminais de cargas.

Transporte intermodal e multimodal: quais as diferenças?

Assim como o transporte multimodal, o intermodal também utiliza mais de um modal para realizar a movimentação de cargas. Contudo, existem diferenças entre os dois métodos.

Dentre elas, a principal é a relação de contratação dos serviços. No caso do meio multimodal firma-se apenas um contrato para os diferentes tipos de transporte utilizados no trajeto.

Já na categoria intermodal, é preciso fechar um contrato diferente para cada modal utilizado durante a rota de entrega.

Imagine que você precisa usar o modal rodoviário em um trecho e depois percorrer outro pelo modal aéreo. 

Caso escolha fechar o serviço pelo método intermodal, deverá firmar um contrato com a transportadora responsável pela frota de caminhões e outro acordo diferente com a empresa encarregada pelo transporte aéreo.

Além disso, é preciso emitir um novo CTe (Conhecimento de Transporte Eletrônico) a cada troca de veículo realizada durante o percurso.

No multimodal, existe apenas um contrato para os dois transportes, firmado com o operador de transporte multimodal. 

Esse profissional deve estar devidamente habilitado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). 

Vamos explicar mais sobre ele a seguir, então continue a leitura com a gente.

O que avaliar ao escolher um operador de transporte multimodal?

Antes de contratar um operador de transporte, é preciso saber as características e atribuições desse profissional.

Segundo a lei 9.611/1998, que regulamenta todo o processo multimodal, o operador deve ser pessoa jurídica, transportadora ou não, devidamente habilitada pela ANTT. 

A legislação ainda define os serviços que ficam sob responsabilidade do operador. Além do transporte, ele deve fazer a coleta, unitização e armazenagem da mercadoria até a entrega ao destino final.

É ele quem vai lidar com as diferentes transportadoras envolvidas no fluxo da operação logística, desde a origem até o local de entrega.

Com isso em mente, veja o que você deve avaliar para escolher um operador qualificado:

  • para transportes de carga internacional, o operador deve ter licença pela Receita Federal;
  • observe a regularidade da habilitação obtida pela ANTT;
  • verifique a experiência do profissional no mercado;
  • confira as certificações da empresa operadora.

Otimize suas operações com o TOTVS Planejamento de Rotas

Para que uma operação logística seja bem sucedida, é preciso contar com um bom planejamento de rotas como base para todas as etapas.

Esse planejamento vai ajudar a identificar os melhores meios de transporte para cada rota.

Neste contexto, a tecnologia entra como uma grande aliada. 

E, quando o assunto é transporte rodoviário, você pode contar com o TOTVS Planejamento de Rotas!

Trata-se de um sistema que ajuda o seu negócio a encontrar o trajeto mais vantajoso para cada entrega.

A ferramenta faz uma análise completa dos pontos de entrega, da distância entre os pontos e das restrições logísticas com base nos dados de cada pedido.

Dessa forma, você consegue otimizar os processos e reduzir os custos da operação em até 30%. 

Tudo isso com possibilidade de integração com ERPs para simplificar ainda mais a gestão logística do seu negócio.

Use a tecnologia do TOTVS Planejamento de Rotas para aumentar a eficiência das suas entregas!

Conclusão

Como aprendemos ao longo deste conteúdo, o sistema multimodal é uma ótima opção para garantir processos mais eficientes nas entregas.

O uso de mais de um modal de transporte pode ser necessário em diversas situações, por isso entender como funciona a multimodalidade é essencial para um bom planejamento de rotas.

Na prática, o método tem suas vantagens e desvantagens, e ainda enfrenta alguns entraves no cenário brasileiro, como vimos neste artigo.

Ainda assim, a modalidade traz inúmeros benefícios para o transporte de cargas e contribui diretamente para uma operação logística mais ágil, prática e segura.

Com um bom planejamento de rotas, todos esses benefícios podem ser aproveitados da melhor forma possível. 

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.