Conheça as 25 principais tendências do varejo no Brasil para 2022

A cada ano o segmento de varejo se reinventa e evolui. E isso não é à toa, afinal, conforme os hábitos de consumo vão mudando, é esperado que lojas de diferentes departamentos tentem acompanhar o que são as tendências do varejo no Brasil. Com a pandemia, novos hábitos surgiram e, consequentemente, passaram a refletir na …

Equipe TOTVS | 07 julho, 2022

A cada ano o segmento de varejo se reinventa e evolui. E isso não é à toa, afinal, conforme os hábitos de consumo vão mudando, é esperado que lojas de diferentes departamentos tentem acompanhar o que são as tendências do varejo no Brasil.

Com a pandemia, novos hábitos surgiram e, consequentemente, passaram a refletir na forma como as pessoas consomem. Se antes a tecnologia já era uma pauta indispensável para o varejo, hoje ela é mais do que fundamental. 

Por essa razão, quem não se adapta a essa nova realidade corre o risco de ser deixado para trás. A seguir, separamos as 25 principais tendências do varejo no Brasil. Confira!

Como está o mercado de varejo no Brasil?

O mercado de varejo no Brasil tem passado por transformações que, em boa parte, estão associadas às tecnologias e, claro, à pandemia do coronavírus. 

De acordo com o Relatório de Varejo 2022 realizado pela Adyen, 83% dos entrevistados afirmaram estar usando mais aplicativos de compras agora do que antes da pandemia.

Essa é uma média mais elevada que o parâmetro mundial, que fica na casa dos 53%. 

Trata-se de um dado valioso quando o assunto é tendência do varejo no Brasil. Vemos que os consumidores estão dispostos a aceitar novas tecnologias e adotar novos canais de venda.

Além disso, o hibridismo também está mais presente no varejo. A mesma pesquisa afirma que 85% dos entrevistados disseram que buscam estabelecimentos que ofereçam uma jornada de compras multicanal.

Ainda, em relação às tecnologias, o relatório observou que 98% dos negócios pretendem abarcar mais tecnologia em suas experiências.

Dessa forma, independentemente do tipo de loja (físico ou online), o varejo brasileiro tem sido um campo de grande efervescência quando o assunto é transformação.

As 25 principais tendências do varejo no Brasil

Agora que já falamos de dados sobre o varejo no Brasil, vamos falar sobre as principais tendências do varejo no país.

1- Aumento das vendas online

As pessoas ficaram mais conectadas, e isso não é segredo para ninguém. Prova disso é que o e-commerce cresceu 47% já no primeiro semestre de 2020, segundo pesquisa da Ebit /Nielsen em parceria com a Elo. 

O número representa o maior aumento desse comércio dos últimos 20 anos. Isso significa que quem já possuía uma loja física passou também a investir no modelo virtual. 

Além disso, registros de casos de negócios que abriram 100% online podem ser destacados como influentes na melhora deste número.

A razão do aumento desse consumo se deve principalmente às pessoas tendo suas primeiras experiências de compra online durante a pandemia do coronavírus. 

Com suas demandas sendo atendidas a um preço justo e entrega em um prazo coerente, as pessoas se sentiram mais seguras e voltaram a comprar nesse modelo. Por essa razão, é uma forma de compra que veio para ficar.

2 – Crescimento do delivery

Se antes o delivery estava associado apenas a restaurantes, essa dinâmica foi mudada e promete ser uma das fortes tendências do varejo para o ano. 

Ainda segundo o estudo da mesma pesquisa da Ebit/Nielsen, 72% dos brasileiros começaram a usar (ou já estão usando) mais aplicativos de delivery. A razão principal para os participantes do estudo é a praticidade em não precisar sair de casa.

O modelo delivery foi atribuído em diferentes tipos de negócios, como, por exemplo, padarias, farmácias, lojas de bebidas, perfumarias, entre muitos outros.

3 – Horários mais flexíveis

Segundo balanço da Euromonitor, coletado no final de 2020, 46% dos consumidores valorizam as experiências virtuais online. 

Com isso, os hábitos de consumo acelerados se refletem em um contexto em que pessoas querem comprar de maneira mais fácil e a qualquer horário.

A cultura de serviços disponíveis 24 horas vem ganhando cada vez mais força nesse cenário. Dessa maneira, varejistas se aperfeiçoam e flexibilizam mais a sua jornada de trabalho para entregar produtos e serviços em tempo integral.

E isso não se aplica exclusivamente ao ambiente online, mas também às lojas físicas operando 24 horas por dia. Ou seja, uma cultura que antes era relacionada à farmácias, hoje se expande para outros segmentos.

4 – Categoria de higiene

A higiene vem se tornando uma pauta importante e uma das potenciais tendências do varejo para o ano, principalmente pelo fato de estar associada à proteção contra o coronavírus. 

Manter o distanciamento em locais públicos para evitar o contato com possíveis fontes de contaminação virou uma preocupação legítima dos clientes e também dos funcionários.

Nas lojas físicas, contar com recipientes contendo álcool em gel distribuídos pelo local e pias para lavar as mãos viraram exigências em alguns momentos da pandemia (não só dos clientes, como de órgãos públicos sanitários).

Além disso, com o isolamento social e a busca por proteção, a venda de artigos de higiene pessoal e autocuidado tiveram um grande crescimento, sendo um setor do varejo muito procurado.

Segundo pesquisa da Kantar, em 2020, a categoria de cuidados pessoais cresceu 13% na América Latina.

5 – PIX

Ainda de acordo com o levantamento da Euromonitor, 20% dos consumidores usam métodos de pagamento via celular diariamente. E o PIX surgiu como uma opção mais flexível e ágil para pagamentos, tanto para pessoas físicas como para empresas.

Os usuários podem fazer transações financeiras de forma instantânea a qualquer hora e qualquer dia, por meio de diversos aparelhos, oferecendo recursos disponíveis para o recebedor em tempo real.

E junto a isso, de acordo com pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao IBOPEdtm, realizada em 2020, 92% das pessoas conhecem o novo sistema de pagamento, e a maioria o considera seguro.

Dessa forma, oferecer opções de pagamento digital como PIX é fundamental para facilitar as compras no varejo, seja ele físico ou online.

6 – Marketing holístico

Uma tendência no varejo que com certeza deve marcar o futuro são estratégias de marketing holístico.

Cada vez mais o público não se satisfaz com apenas comprar um produto ou serviço, mas sim ao entender o posicionamento da marca em relação a pautas sociais e também como o empreendimento trata seus colaboradores.

Beira um marketing pessoal da empresa, mas vai além: é possível criar força da marca apenas mostrando a preocupação da mesma com questões ambientais, por exemplo.

Uma varejista que faz isso é a Insecta Shoes, uma marca vegana de sapatos, que assumiu seu compromisso com a causa e agregou valor oferecendo produtos sustentáveis – e vende tanto para o público vegano como não vegano.

7 – Customer Experience

Muito já foi falado sobre como a experiência de compra é fundamental para reter clientes. Mas agora, isso ganha nome e forma, se tornando uma verdadeira tendência no varejo: Customer Experience (CX).

Como mostra a pesquisa da Salesforce, 66% dos clientes esperam que as empresas entendam suas necessidades. E isso tem uma relação direta com CX, pois diz respeito à experiência de compra oferecida em todas as etapas da jornada.

O CX não tem o objetivo de simplesmente entregar uma solução, mas fidelizar e criar uma boa recordação do cliente com o seu negócio, unindo a expectativa dele com a qualidade do serviço promovida pela empresa.

8 – Omnichannel

O omnichannel é, de maneira geral, uma integração entre os diversos canais de vendas e comunicação, fazendo um mix das características gerais de cada um deles. O objetivo é criar uma relação entre o ambiente interno e externo.

Essa tendência do varejo no Brasil tem tido muita força. De acordo com dados do Invespcro, empresas com estratégias omnichannel retém em média 89% de seus clientes, já empresas com engajamento de clientes omnicanal fraco, apenas 33%.

Com a omnicanalidade, a ideia é garantir que as mensagens transmitidas nos diversos ambientes sejam alinhadas, desde os valores até o design da empresa.

É fundamental investir na comunicação omnichannel principalmente devido ao hibridismo, fazendo com que as pessoas procurem uma empresa pelos mais diferentes canais. 

omni by moddo

9 – Produtos saudáveis

O consumo por produtos mais saudáveis cresceu, e isso se reflete na procura e no crescimento de hortifrútis no Brasil. Apesar de ser algo positivo, é importante entender os desafios que o crescimento desse segmento traz.

E embora isso signifique uma melhora na forma dos brasileiros se alimentarem, isso também representa um maior rigor na qualidade de frutas, verduras e legumes (FLV). Logo, a preocupação com perdas de FLV também vem à tona.

Para isso, supermercados e armazéns vêm aperfeiçoando suas cadeias de suprimento, utilizando tecnologias de gestão, para garantir e garantir mais qualidade a esses produtos.

10 – Segurança digital e a LGPD

Com a aprovação da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), também é esperado que pautas relacionadas à segurança digital ganhem força, principalmente porque muitas lojas de varejo estão migrando para o online.

Além disso, investimentos em tecnologia para garantir o armazenamento seguro de dados vão dominar as empresas, considerando que negócios brasileiros têm sido invadidos por grupos de hackers. 

Não é à toa que, segundo a consultoria alemã Roland Berger, o Brasil foi o 5º país que mais sofreu crimes cibernéticos neste ano: apenas no primeiro trimestre houve um total de 9,1 milhões de ocorrências.

Além disso, com mais formas de pagamento, também há mais formas de fraudar. Dados do estudo Mapa da Fraude, mostram que fraudes aumentaram 74% em 2021

11 – Sustentabilidade 

Não tem como falar das tendências do varejo 2022 e não falar de sustentabilidade. Mais do que postura, a preocupação com esse tópico se transformou em um modelo de negócio que tem influenciado a forma como os consumidores enxergam as lojas.

Por essa razão, entre as motivações, está, principalmente, a preocupação em se conectar com as novas gerações de consumidores. 

Um estudo da First Insight de 2019 constatou que a geração Z está tomando mais decisões de compras com base em práticas sustentáveis de varejo, correspondendo a 62% das pessoas entrevistadas.

Além disso, dados da plataforma Euclid mostram que 48% das pessoas da geração Z passam a gostar de uma marca quando ela apresenta valores alinhados com os delas.

12- Marketing de influência

marketing de influência está entre tendências do varejo

Embora não seja novidade, o marketing de influência tem se tornado ainda mais forte no contexto das redes sociais. As marcas que possuem elevados orçamentos para publicidade pagam celebridades para promover seus produtos.

Cada vez mais lojas de varejo tem procurado pessoas no Instagram, no Twitter ou no Youtube para promover suas marcas e agregar valor a elas.

Esse formato de marketing tem se popularizado entre os mais diferentes segmentos de varejo. E, de acordo com a pesquisa Influencer Marketing Hub 2021, nove em cada 10 marcas estão usando esse formato de algum modo.

13- Cliente no centro

Outra forte tendência do varejo no Brasil é o cliente no centro. Empresas customer centric 

são aquelas que colocam seu cliente no centro das decisões.

Uma pesquisa da Redpoint Global conduzida pelo Dynata, em 2020, descobriu que 82% dos entrevistados esperam que os varejistas sejam capazes de acomodar suas preferências e atender às suas expectativas.

Por essa razão, ter o cliente no centro é uma tendência forte e, ao mesmo tempo, básica, para qualquer negócio que queira crescer a longo prazo.

14- CRM (Customer Relationship Management)

O CRM (Customer Relationship Management) é uma forte ferramenta tecnológica usada pelas lojas quando o assunto é gerir a relação com os clientes.

Ou seja, é uma plataforma que oferece ferramentas e soluções que automatizam as funções de contato com o cliente. Além de rastrear essa interação, o CRM permite personalizar esse relacionamento e, ainda, usar os dados para insights.

Trata-se de uma tecnologia fundamental a partir de um contexto em que o cliente é foco de um negócio. A expectativa é que o crescimento do segmento de CRM chegue a um valor de cerca de US$ 128.97 bilhões em 2028.

15 – Uso de dados na tomada de decisão

Toda e qualquer gestão de varejo precisa ser baseada em dados. Essa é uma tendência que permite coletar informações anteriores para prever cenários e, assim, desenvolver um planejamento estratégico de qualidade.

Para isso, é necessário utilizar os bancos de dados como sistemas de Business Intelligence (BI). Dessa forma, é muito mais fácil ter segurança para sua loja em períodos futuros.

Com dados, é possível evitar repetir uma mesma experiência por outro caminho, pois, além de ter um custo alto, você já encontrou a forma de ter melhores resultados.

16 – Fortalecimento do cross border

A internacionalização é também uma das tendências do varejo no Brasil. Dessa forma, o cross border ganha força, ou seja, formas de entrega que ultrapassam fronteiras crescem.

As compras online de produtos localizados em outros países mostra a forma de gigantes da moda, como é o caso da Shein.

E, como mostram dados reunidos pelo invespcro, 67% dos consumidores globais que compram no exterior estão comprando porque os preços são mais baixos fora de seu próprio.

É por isso que o varejo digital, principalmente, deve se atentar a esse formato de venda, como forma de ampliar seu público.

17 – VR – a realidade virtual

Quando se pensa no futuro do varejo no Brasil, se pensa em realidade virtual (VR). Essa é uma tecnologia que traz ao usuário uma experiência imersiva e que parece ser real, devido ao espaço gerado por um computador.

Essa ferramenta permite com que um cliente possa dentro da loja ver como determinado móvel ficaria em casa. Da mesma forma, em um ambiente digital, um e-commerce de moda e beleza poderia “experimentar” sapatos e testar batons.

Por essa razão, o uso de VR no varejo é uma tendência interessante e, ainda, as empresas têm entendido isso. De acordo com dados da Superdata de 2020, os investimentos em AR e VR foram estimados em US$ 915 milhões.

19- Inteligência artificial

Outra nova tecnologia de destaque é a inteligência artificial, que diz respeito à capacidade das máquinas de executar tarefas complexas relativas a seres inteligentes. A partir dos dados coletados, as máquinas conseguem aprimorar ainda mais suas ações.

Dentro do mercado de varejo, dados reunidos pelo ComTia revelam que os gastos com IA devem atingir US$ 20,05 bilhões até 2026, sendo um crescimento ainda maior que a média. 

Um exemplo do uso da inteligência artificial no varejo é a otimização de estoque. A IA consegue capturar dados do real consumo das lojas e sugere o reabastecimento de acordo com a demanda.

20 – Chatbots interativos

Chatbots são uma solução tecnológica para facilitar oatendimento e o relacionamento com o cliente, principalmente quando se trata do esclarecimento de dúvidas. Por meio dessa tecnologia, um bot é capaz de conversar com uma pessoa real de maneira natural. 

Um dado curioso sobre os chatbots é que, como mostrou a pesquisa da Comm100 em 2019, em média, os chatbots foram capazes de lidar com 68,9% dos chats do início ao fim em média.

Além disso, os chatbots também podem ajudar os clientes a encontrarem ofertas relevantes. Gigantes do varejo, como a Amazon e Magazine Luiza, têm apostado nisso.

21- Vendas via Dark Store

A dark store é um formato de venda que une varejo com o digital. A loja é considerada “escura” pois só serve para armazenamento, separação e entrega dos produtos. Esse centro de abastecimento, por sua vez, costuma estar instalado em grandes centros urbanos. 

Essa é uma tendência que ganhou muita força com a pandemia e o crescimento das compras online. Somente em 2020, de acordo com a 43ª edição da Webshoppers, o e-commerce brasileiro ganhou mais de 13 milhões de novos consumidores.

Dessa forma, ter operações e logísticas próximas do consumidor tem feito diferença para lojas de varejo, oferecendo entregas mais ágeis.

22- Live commerce

O live commerce é um formato de compra inovador que tem ganhado força no varejo também. Ele nada mais é do que  a combinação entre transmissões ao vivo com vendas pelas plataformas digitais.

A tecnologia e conteúdo são incorporados como forma de acelerar a conversão e, ao mesmo tempo, encurtar a distância entre a audiência da live e a venda.

Estima-se que em 2027 se movimente US$600 bilhões com esse modelo de vendas, de acordo com estudo feito pela Research and Markets.

23- Quick commerce

O quick commerce diz respeito às compras rápidas, principalmente com a entrega do produto no mesmo dia da compra. A ideia aqui é oferecer agilidade.

A entrega é um ponto fundamental quando estamos falando de varejo digital. O relatório elaborado pela Capterra, revelou que quase metade dos entrevistados acredita que o prazo de entrega é um dos detalhes mais relevantes para a compra virtual.

Além disso, cerca de  95% das pessoas desejam que o tempo de espera seja o mais curto possível. Dessa forma, o quick commerce passa a ser também um diferencial competitivo. 

24- Social commerce

social commerce está entre tendências do varejo

Outra tendência do varejo no Brasil dentro do commerce é o social. Ele é o comércio que acontece dentro de redes sociais. É importante que o varejo, portanto, esteja presente nesses espaços também.

Seja no Instagram, Facebook, TikTok ou WhatsApp, há vários espaços de interação e de grande uso que podem permitir com que uma loja varejista consiga mais clientes.

O interessante é que o social commerce permite, junto com a eliminação das barreiras geográficas, a possibilidade de se oferecer uma compra mais personalizada, também a partir de dados coletados.

25- Integração entre os canais de venda

Como dito, o hibridismo é um forte elemento quando se fala de tendências no varejo, pois mescla o online com o físico. Embora a força do virtual seja gigantesca, ainda há a necessidade de ter lojas presenciais. 

Por essa razão, a integração entre os canais de venda online e offline são muito importantes.

Essa fusão, ainda, propõe uma experiência de consumo unificada, o que dialoga muito com a experiência omnichannel que já falamos antes.

TOTVS Omni by Moddo

Uma tendência do varejo no Brasil, como falamos, é a experiência omnichannel. Melhorar e integrar os canais de comunicação e de vendas é um importante mecanismo para conseguir melhores resultados. 

O TOTVS Omni by Moddo é a melhor plataforma de omni OMS para a sua operação, com dashboards inteligentes e intuitivos

Você tem dashboards para acompanhar suas vendas em todos os canais e relatórios que suportam o dia a dia da operação.

Transforme sua operação em omnichannel com a TOTVS Omni by Moddo!

Conclusão

Como você viu, a pandemia, as novas tecnologias e o online tem transformado os rumos do varejo e trazido novos panoramas.

Entre as principais tendências do varejo no Brasil, podemos destacar delivery, pix, marketing holístico, CRM, VR, uso de dados, chatbots, dark store e claro, omnicanalidade.

O TOTVS Omni by Moddo, por exemplo, permite a integração com qualquer ERP, PDV e plataforma de e-commerce de mercado.

E, se você gostou desse assunto, aproveite para ler também sobre o que é e como funciona dropshipping!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Comentários deste post

  1. Paulo Fernandes diz:

    Ótimas informações sobre as tendências, que já se tornaram realidades

  2. Alan Amorim diz:

    Olá, Paulo. Que bom que gostou do nosso conteúdo. Continue com a gente para ficar por dentro de mais tendências do varejo e do mundo da tecnologia como um todo ;)

  3. Pai Antônio de ogum diz:

    Hoje em dia a pessoa consegue achar de tudo na internet. Posso dizer que o seu artigo ajudou muito e também é de extremo valor. Muito obrigado pela informação e compartilhei no meu facebook.

  4. Alan Amorim diz:

    Olá, Antônio. Obrigada pelo seu comentário, ficamos felizes que o conteúdo tenha sido positivo para você. Continue conosco para ficar por dentro de mais tendências do varejo e do mundo da tecnologia ?

  5. Israel M diz:

    Perfeito! ótimas opções de negócios para abrir, muito obrigado.

  6. Alan Amorim - Relacionamento TOTVS diz:

    Olá Israel, tudo bem? Ficamos felizes que tenha gostado, fique ligado em nosso blog para estar por dentro das principais novidades e tendências do segmento de Varejo ;)

  7. Israel M diz:

    Perfeito! ótimas opções de negócios para abrir, muito obrigado.

  8. Alan Amorim - Relacionamento TOTVS diz:

    Olá Israel, tudo bem? Ficamos felizes que tenha gostado. Continue ligado no nosso blog para estar por dentro das principais novidades e tendências do segmento de Varejo ;)

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.