Por que a manutenção preditiva é um dos pilares da Indústria 4.0?

Em um contexto de intensa demanda por consumo de produtos e serviços, a indústria tem sido estimulada a se desenvolver cada vez mais. Atender a critérios de qualidade, volume de produção e sustentabilidade, por exemplo, tornou-se uma demanda latente, sobretudo no cenário da indústria 4.0.

Hoje, conciliar uma produção ágil, fluida e eficiente em termos de custos e produtividade é a tônica do mercado. Nesse cenário, um dos pilares da indústria moderna é a manutenção preditiva, ação que contribui diretamente para a eficiência operacional do chão de fábrica, reduzindo custos, erros e atrasos no fluxo produtivo.

Para deixar claro o impacto positivo que a manutenção preditiva tem no contexto da indústria, preparamos este material abordando o conceito, as tecnologias envolvidas na sua materialização, além dos benefícios obtidos com essa importante prática. Continue a leitura e confira!

Entenda a manutenção preditiva

Na indústria, a manutenção preditiva está associada às práticas de manutenção com caráter preventivo e antecipado de todo o aparato físico utilizado nas operações. Na prática, estamos falando de uma metodologia de manutenção que tem um maior apelo para a prevenção de danos e previsibilidade de falhas.

A base desse conceito é o monitoramento. Por meio de avaliações periódicas e dados, a indústria acompanha as operações de máquinas e equipamentos, gerenciando todo o seu ciclo de vida e a sua operação, de modo a estabelecer um cronograma rígido e preciso de intervenções. A ideia é agir antecipadamente, reduzindo a probabilidade de falhas no maquinário e a consequente diminuição no ritmo de produção.

A manutenção preditiva como pilar da Indústria 4.0

Como se viu, a manutenção preditiva tem um papel determinante na continuidade das operações de uma indústria. Na realidade da indústria 4.0, esse ponto é ainda mais vital, já que as fábricas tendem a trabalhar para atender a inúmeras demandas, necessitando cumprir cronogramas rígidos de fornecimento, por exemplo.

O fato é que hoje os clientes da indústria não querem compor estoques elevados, nem sofrer com a falta de produtos. Por isso, firmam acordos comerciais de fornecimento contínuo, em que os produtos são entregues em quantidade e tempo exatos.

Nesse sentido, a indústria precisa ser altamente eficaz em seus processos. Qualquer falha em sua produção pode interferir na capacidade de atendimento das demandas, causando impactos em toda uma cadeia de fornecimento e nos consumidores finais.

A manutenção preditiva, então, é empregada justamente para aumentar a rigidez e fluidez da produção. As avaliações periódicas de equipamentos, somada a análises em tempo real de cada equipamento, por exemplo, ajudam gestores a identificar quaisquer riscos de ruptura na produção originados por falhas em máquinas, garantindo mais controle e performance.

As tecnologias indispensáveis para a manutenção preditiva

Em tempos de transformação digital e indústria 4.0, o conceito de manutenção preditiva tem se tornado cada vez mais presente e abrangente dentro da indústria. À medida que a tecnologia avança e novos recursos são criados e aprimorados, essa manutenção se torna mais eficiente, precisa e econômica.

Hoje, existem diferentes soluções tecnológicas e conceitos capazes de oferecer um suporte operacional e informativo altamente importante para a atuação de gestores e equipes de manutenção. A seguir, reunimos algumas das tecnologias que mais contribuem para o cenário da manutenção preditiva na atualidade. Confira!

IoT

A Internet das Coisas é, sem dúvida, uma das grandes aliadas da manutenção preditiva dentro das empresas. Em um contexto de expansão e aprimoramento, essa tecnologia está cada vez mais presente no chão de fábrica.

Por intermédio de sensores, softwares e dispositivos, a indústria se mantém conectada. Com um alto poder de integração, a IoT chegou com o objetivo de aumentar a capacidade de leitura sobre os parques industriais, coletando e compartilhando dados em tempo real com gestores e profissionais.

Na prática, esses dados oferecem um subsídio informativo valioso a respeito das condições de funcionamento de equipamentos. Assim, quaisquer falhas são rapidamente identificadas e comunicadas, permitindo uma reação rápida e, em muitos casos, antecipada.

Machine Learning

O Machine Learning, junto da Inteligência Artificial, também desponta como um conceito elementar da indústria moderna. Devido à sofisticação de equipamentos e maquinário, hoje é muito mais fácil aplicá-lo à realidade das fábricas, que contam com recursos de computação e automação inseridos nas linhas de produção.

No contexto da manutenção preditiva, o ML exerce um papel ímpar ao tornar as operações da indústria mais autônomas e menos dependentes de intervenções humanas. Com o apoio de algoritmos e sensores, equipamentos são capazes de agir de forma autônoma e antecipada, assim que identificam qualquer ponto de atenção. Dessa forma, é possível gerenciar grandes parques industriais, programando análises de performance e organizando a rotina de técnicos na hora de realizar as manutenções.

Big Data

Os dados são certamente os ativos mais importantes da era digital. Com tantos equipamentos, sistemas de gestão (ERP) e metodologias baseadas na coleta e no uso estratégico deles, não há dúvidas de que o Big Data na indústria 4.0 também é extremamente importante para a manutenção preditiva.

A título de exemplo, o histórico de falhas, manutenções e reparos em máquinas pode fornecer um panorama da sua performance. Esse tipo de informação pode ser crucial na hora de substituir um equipamento, buscando aquele mais confiável e menos suscetível a falhas.

No mesmo sentido, com o apoio de um software de gestão centralizando as informações do chão de fábrica e do inventário, equipes de manutenção têm mais visibilidade sobre toda a infraestrutura, o que é fundamental para que nenhum processo de manutenção seja negligenciado ou esquecido.

Benefícios e mudanças que a manutenção preditiva pode oferecer

Quando o assunto é manutenção preditiva, o que não faltam são exemplos claros de vantagens dessa prática. Além de estar muito mais alinhada aos padrões da indústria moderna, que precisa ser ágil, econômica e eficiente, o conceito em questão também traz outros benefícios estratégicos, como:

  • reduz os custos de manutenção ao estabelecer uma política de prevenção de falhas;
  • aumento da vida útil de equipamentos e máquinas, o que otimiza o aproveitamento dos investimentos da indústria em infraestrutura;
  • reduz o tempo de inatividade de equipamentos, já que trabalha com o foco na prevenção de falhas e rupturas na produção;
  • aumenta a produtividade das linhas de produção ao melhorar as condições de funcionamento do maquinário;
  • permite uma melhor adaptação do inventário da indústria às suas necessidades. Dados de funcionamento, por exemplo, ajudam gestores a avaliar se um equipamento é de boa qualidade ou precisa ser substituído por um novo de outra fabricante;
  • aumenta a segurança das operações no chão de fábrica, sobretudo quando adota uma postura de prevenção e previsibilidade de erros, reduzindo os riscos de acidentes;
  • reduz o tempo de reparo de máquinas, uma vez que as intervenções tendem a ser mais simples, voltadas apenas à preservação do equipamento e não ao reparo total e/ou substituição de peças.

Por fim, como foi possível perceber, a manutenção preditiva é um conceito em total consonância com a indústria 4.0. Em um mercado marcado pela competitividade extrema e pelas altas demandas, estabelecer um fluxo operacional consistente na indústria, eliminando ao máximo os riscos de falhas e rupturas, além de custos desnecessários, pode ser o que determina a continuidade ou não de uma empresa.

Caso tenha interesse em seguir aprendendo mais sobre inovação na indústria, não deixe de baixar o nosso e-book sobre como escalar a produção industrial de acordo com as tendências 4.0!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *