Manutenção Industrial: como funciona e quais os objetivos?

Equipe TOTVS | GESTÃO INDUSTRIAL | 25 janeiro, 2021

A manutenção industrial é um dos pilares de um chão de fábrica produtivo. Além de contribuir com os resultados da empresa, o conjunto de ações garante maior vida útil aos equipamentos. Dessa forma, seus investimentos são potencializados.

O grande desafio das indústrias atualmente é entender como readequar suas práticas e planejamentos às demandas e ferramentas de agora e do futuro.

Afinal, cada vez mais, o chão de fábrica é modernizado. Esse movimento, no entanto, não acontece por mera coincidência.

É necessário trazer a tecnologia para os processos produtivos — dessa forma, a empresa potencializa sua capacidade produtiva, reduz erros e maximiza os ganhos.

O porém é que, além de ser integrada à rotina produtiva, a tecnologia pode (e deve) unir-se às práticas de manutenção industrial das empresas.

É uma forma de minimizar os impactos do dia a dia industrial, agregando um poder de previsibilidade muito maior.

Assim, sua empresa não sofre com paradas repentinas e não passa por situações críticas, como falta de maquinário para tocar a produção, que influenciam diretamente na redução de produtividade na indústria.

No entanto, muitos empreendedores da área continuam a deixar a manutenção industrial de lado. Enxergam como um  mero complemento ao planejamento estratégico, em vez de parte essencial dele.

Esse é um erro, especialmente em um cenário onde a tecnologia tem tanto a agregar.

Neste conteúdo, vamos abordar o tema a fundo, entendendo o que é manutenção industrial, seus tipos e como a tecnologia pode ser uma forte aliada.

Pronto(a) para aprender mais? É só seguir na leitura do blog post!

O que é manutenção industrial?

A manutenção industrial é o conjunto de ações práticas e estratégicas que visam manter a integridade de equipamentos e processos no chão de fábrica.

Seu objetivo é reduzir falhas operacionais que podem ocasionar paradas, mantendo a produção nos eixos.

Há uma definição técnica que pode ajudar a elucidar o conceito.

De acordo com a  Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a NBR 5462/1994 diz o seguinte sobre manutenção industrial:

“A combinação de ações técnicas e administrativas, incluindo as de supervisão, destinadas a manter ou recolocar um item em um estado no qual possa desempenhar uma função requerida.” 

Qualquer ambiente fabril, independente do porte, deve estar familiarizado com a manutenção industrial. Do torno mecânico que faz bicos às grandes montadoras de veículos.

É por isso que a parte fácil desse processo é entender o que é manutenção industrial:

Com certeza, você leitor, sabe o que é e tem perfeita noção de suas diretrizes — bem como de sua necessidade.

No setor industrial dos Estados Unidos, por exemplo, como citado pela Revista AdNormas, foi calculado que o prejuízo da inatividade não-planejada do maquinário chega a US$ 50 bilhões anuais.

Claro que os motivos são vários, não apenas falhas. Mas saiba que elas influenciam — e muito — nesse cálculo.

O grande desafio aqui é entender como aplicar a manutenção industrial em seu ambiente de trabalho, com quais ferramentas e com auxílio de quais tecnologias.

Tudo isso entra em uma mesma “gaveta”: a da gestão da manutenção.

Dentro dela, você pode encontrar outras ações essenciais do chão de fábrica, como o controle de qualidade

Em uma fábrica, é comum que o setor responsável pelo seu arranjo estratégico seja o Planejamento e Controle de Manutenção, conhecido como PCM. Na parte prática, os encarregados pela aplicação são os técnicos especializados.

Para que serve a manutenção industrial?

A manutenção industrial é um processo que busca minimizar as falhas e riscos inerentes ao maquinário, equipamentos e operações manuais em ambientes fabris.

Os objetivos da manutenção industrial variam, visto que sua aplicação não busca apenas servir a um propósito, mas vários.

Afinal, o chão de fábrica é um local volátil — diferentes empresas apresentam diferentes riscos, em níveis que variam.

Dessa forma, uma fabricante de peças de plásticos pode ter demandas contrárias a de uma caldeiraria.

Em geral, o objetivo é zelar pela segurança dos funcionários e prezar pela vida útil dos equipamentos.

Ultimamente, porém, a manutenção industrial tem assumido um papel muito mais estratégico.

Ou seja, além de olhar para os riscos do trabalho, seu planejamento também busca favorecer os objetivos da empresa.

Assim, há diferentes práticas e ações que, além de garantir a segurança em cada execução (seja para o funcionário como para a máquina), visam potencializar a capacidade produtiva.

Dessa forma, em uma única “tacada”, a manutenção industrial ajuda o negócio em várias frentes.

Como fazer uma manutenção industrial?

Fazer a manutenção industrial preventiva é o grande desafio das empresas de hoje. Isto porque há algumas formas de se aplicar a manutenção, cada uma com suas características específicas.

O importante a se entender é que não existe uma receita de bolo.

A manutenção industrial da sua empresa deve ser originada de um processo de análise que leva em conta as necessidades do seu chão de fábrica.

Isso é extremamente relevante, pois muitas organizações se levam pelo erro de relegar a manutenção a um papel secundário. Dessa forma, apenas arrumam quando uma máquina ou equipamento estraga.

Há uma famosa citação do meio que pode descrever a situação e elucidar o quão tóxica essa ação descrita acima pode ser.

De acordo com Rick Biedenweg, presidente do Pacific Partners Consulting Group, “cada US$ 1 diferido agora, custa US$ 4 em necessidade de renovação de capital no futuro.”

Ou seja, a cada dólar poupado em manutenção agora, sua empresa pode lidar com um custo de conserto até 4 vezes maior no futuro.

Bastante, certo?

É por isso que entender qual tipo de manutenção industrial é o melhor para sua empresa é essencial na construção de uma cultura produtiva que previna prejuízos.

Quais são os tipos de manutenções industriais?

A manutenção industrial não é executada apenas no momento em que uma máquina estraga. Pelo contrário, hoje em dia, as estratégias mais avançadas buscam justamente impedir que essa situação ocorra.

Para dividir essas diferentes bases de conhecimentos e práticas, a manutenção industrial foi dividida em alguns tipos específicos.

Hoje em dia, é claro, você encontra algumas mais modernas e com diferentes nomenclaturas. A manutenção produtiva total é um exemplo.

No entanto, a base de todas elas são as três principais: a manutenção preventiva, preditiva e corretiva.

Que tal conhecer a fundo cada uma e entender como se encaixam na gestão do chão de fábrica? Veja só:

Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva tem tudo a ver com planejamento.

Pelo nome, já dá para entender o objetivo desse tipo de manutenção, certo? Sua aplicação planejada busca prevenir falhas, portanto tem como base uma análise do maquinário em busca de sinais de desgaste ou patologias.

Com a manutenção preventiva, sua empresa não espera que uma falha aconteça, pois a ação acontece de maneira antecipada.

O calendário de inspeções varia, mas normalmente segue o planejamento indicado pelo responsável ou de acordo com as indicações da fabricante.

Assim, de forma periódica, os técnicos especialistas revisam as máquinas e equipamentos, garantindo que não haja sinais de falhas. Essa forma contínua de lidar com o chão de fábrica evita surpresas, assegurando a continuidade da produção.

É um tipo de manutenção que ajuda na organização das rotinas no chão de fábrica, facilitando a gestão dos ativos.

Manutenção Preditiva

A manutenção preditiva é uma base mais moderna da aplicação, com uma abordagem considerada até mesmo holística.

O que isso significa? Bom, vamos lá:

A manutenção preditiva é não-planejada e não-corretiva.

Sua prática é constante em meio ao chão de fábrica, e “depende” dos sentidos do operador de cada máquina — mas também dos técnicos.

Ou seja, a manutenção preditiva acontece por meio de percepções técnicas que o operador identifica ao utilizar determinado maquinário. 

Aqui, elencamos sentidos como olfato, tato e audição.

Entre os “sintomas” comuns a serem analisados, é possível citar ruídos, vibrações e temperatura da máquina ou equipamento.

Assim, ao constatar algo fora do normal, esses profissionais têm a autonomia para iniciar o processo de manutenção — seja por si só, como via requisição à equipe técnica.

O objetivo dela é buscar por falhas em tempo-real, bem como sua rápida solução.

Claro que, de acordo com o conceito, a manutenção preditiva parece uma forma muito mais arcaica que as outras.

Porém, não se engane, pois as inspeções podem ser feitas em tempo real por equipamentos e tecnologias próprias.

Um exemplo são dispositivos leitores de calor, que podem identificar rapidamente quaisquer anomalias, acionando os responsáveis. 

Manutenção Corretiva

Extremamente popular, a manutenção corretiva é outra da família das não-planejadas, mas buscando a correção do problema após seu surgimento.

Ou seja, apenas quando a máquina parar ou apresentar alguma falha, que a estratégia de manutenção corretiva tem início.

Dessa forma, o maquinário precisa ser parado e inutilizado para que os técnicos se ocupem de seu conserto.

Em alguns ambientes, a manutenção corretiva pode até ser programada, mas isso vai depender do tipo de falha e vai ocasionar a parada total ou parcial do chão de fábrica.

Como a tecnologia pode ser uma aliada da manutenção industrial?

A boa manutenção industrial depende de uma aplicação metódica de suas práticas. Para garantir o alto nível de produtividade, o planejamento é indispensável.

Por isso, o ideal é implementar uma manutenção híbrida, que leve em conta as vantagens de cada tipo.

Nesse entremeio, a tecnologia surge como base para o sucesso da estratégia.

Isso porque gerenciar cada ordem de serviço, bem como os diferentes setores de um chão de fábrica, não é tarefa fácil. Trata-se de um ecossistema muito complexo e exigente.

A tecnologia, portanto, surge como canal para integrar as informações e garantir uma execução correta e hierárquica das ações de manutenção.

Um ERP, por exemplo, pode ser a chave nessa organização. Através de suas funcionalidades, é possível analisar e propor melhorias em cada máquina do seu sistema. 

Tudo com base na leitura aprofundada de dados, recurso que alguns softwares de destaque no mercado possuem.

Isso ajuda principalmente a reduzir custos, já que a partir do ERP é possível melhorar a previsibilidade dos gastos. 

Além disso, com a tecnologia, você e seu time de técnicos são capazes de gerenciar cada ação de manutenção industrial.

Ou seja, cada intervenção é registrada em um banco de dados em tempo real, evitando ruídos de comunicação que levem a falhas de orçamento, por exemplo.

Como é a adoção de sistemas de gestão tecnológica em manutenção industrial no Brasil?

No Brasil, gradualmente as empresas abraçam as soluções tecnológicas para compor o seu chão de fábrica.

Nessa equação, entram os sistemas de gestão para manutenção industrial.

Protagonizadas por grandes empresas, o movimento tem total relação com a Indústria 4.0 — uma jornada de modernização e adoção de soluções tecnológicas que tornam o processo produtivo industrial mais integrado, autônomo e eficiente.

De acordo com pesquisa de 2016 da Confederação Nacional da Indústria (CNI) sobre a adoção de tecnologias no ambiente industrial, os dados são promissores.

Cerca de 73% das empresas assinalaram já ter adotado uma tecnologia digital na etapa de processos.

Aqui, destacam-se as soluções tecnológicas próprias para manutenção industrial.

O desconhecimento, porém, ainda é um problema. 

Aproximadamente  42% das organizações não identificou, em um lista com 10 tecnologias para o chão de fábrica e ambiente fabril, quais delas serviriam de diferencial competitivo.

Ou seja, é um cenário em evolução — e a manutenção industrial pode ser um pontapé de largada para a adoção generalizada!

indústria 4.0

Quais são as vantagens de investir em tecnologia para manutenção industrial?

Assim como em qualquer ambiente industrial, o investimento em tecnologias pode trazer muitos benefícios. No caso de um sistema para manutenção industrial, você conta com  as vantagens abaixo:

Aumento da produtividade

Um sistema que organize as rotinas de manutenção facilita as execuções e impede paradas inesperadas do maquinário. As informações são atualizadas em tempo real, assim é mais fácil e rápido realizar a tomada de decisões.

Dessa forma, o fluxo de atividades flui sem interferências e de maneira padronizada.

Redução de custos

Sem surpresas no chão de fábrica, você não precisa arcar com custos exorbitantes e obrigatórios. Ao contrário, pode planejar seus investimentos em melhorias, com calma para não prejudicar o caixa da empresa.

Afinal, os custos com uma manutenção preventiva industrial são inferiores ao de quando um equipamento quebra – que além do gasto da arrumação também tem a perda total ou parcial da operação do maquinário.

Monitoramento

Com integração de sistemas de gestão e recursos específicos, você consegue monitorar cada segundo da operação.

Assim, fica de olho em estatísticas e indicadores que possam alertar sobre falhas, tornando a tomada de decisões mais assertiva.

Agilidade nos processos internos

Tudo isso eleva o potencial da empresa, que acaba seguindo os processos produtivos conforme planejados.

No fim do dia, isso significa mais agilidade na execução dos processos internos, já que cada intervenção é planejada e monitorada.

Inovação

Por fim, um sistema de manutenção industrial torna sua empresa mais moderna, integrada e apta a lidar com as demandas atuais. Um passo concreto no caminho da inovação!

Quais são as tendências em sistemas de gestão para uso em manutenção industrial?

Se você está pensando em investir em um sistema de gestão que auxilie na manutenção industrial, é interessante compreender as tendências para a tecnologia.

A cada ano, novas demandas são inseridas na lista. Por hora, é possível citar algumas que você vai encontrar nas plataformas mais completas, como:

Softwares para manutenção industrial 

O mercado oferece uma gama de softwares que auxiliam na manutenção industrial. O segredo para a melhor escolha? Nós indicamos pesquisar a fundo sobre a empresa desenvolvedora.

A tecnologia deve ser a base para todos os recursos — que, lembre-se, devem ser abrangentes, pois a manutenção depende da integração de setores e dados.

Além disso, a ferramenta deve oferecer excelente suporte técnico e uma construção que favoreça o uso. Ou seja, com usabilidade simples e assertiva.   

TOTVS Manufatura

Você conhece o TOTVS Manufatura? É o melhor e mais eficiente ERP para a indústria.

Trata-se de uma solução que alinha qualquer empresa com as diretrizes da Indústria 4.0, inclusive implementando tecnologia na gestão da manutenção industrial.

Com o TOTVS Manufatura você controla a produção de ponta a ponta, além de ter recursos de manutenção que permitem melhor controle de ativos e frotas, bem como metrologia, apontamento mobile e assistência técnica.

De acordo com uma pesquisa do IPT 2020,  o Índice de Produtividade Tecnológica, a utilização do ERP em todas as áreas da sua empresa contribui para que a sua produtividade aumente cerca de 54%.

Para conferir o Índice de Maturidade da sua Indústria, clique aqui!

Para isso, o sistema TOTVS Manufatura oferece funções que ajudam a otimizar processos, automatizar linhas de produção – desde design de produtos até a entrega final. 

Além disso, a solução oferece análises profundas a partir de dashboards e gestão de indicadores, com o objetivo de alcançar inteligência e eficiência operacional para a sua manufatura.

Que tal conhecer mais? Confira tudo sobre o TOTVS Manufatura!

Conclusão

A manutenção industrial é um ponto interessante na jornada de uma empresa.

De simples componente secundário do planejamento estratégico, hoje é um dos pilares de uma organização.

Sua importância cresceu conforme o ritmo produtivo e as demandas evoluíram.

Agora, cada investimento deve ser pensado e prezado. Não há espaço para erros, pois isso significa a perda de posições na corrida contra a concorrência.

É por isso que a implementação de sistemas tecnológicos é uma solução tão adequada. Elas ajudam a modernizar suas operações, tornando a tomada de decisões quase instantâneas e aprimorando o poder de controle de cada operação.

Na sua empresa, como anda o processo de modernização da manutenção industrial? 

Esperamos que o conteúdo ajude você e sua equipe a se guiarem pelo caminho do crescimento industrial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.