foodtech

O que é foodtech e qual seu impacto nos restaurantes?

Equipe TOTVS | GESTÃO VAREJISTA | 02 julho, 2020

Quando falamos de varejo, o subsegmento de alimentação passou por uma grande transformação, atingindo cada vez mais diferentes públicos e solucionando as dores de seus clientes. Você já ouviu falar em foodtech? Essa é mais uma inovação disruptiva dentro do mercado que merece atenção especial dos restaurantes.

Modalidades como brunch, entregas de marmitas, fast-food, comida saudável e muitos outros nichos  podem se beneficiar com o uso da tecnologia em alimentos. Se você quer saber mais sobre esse tema, continue com a leitura deste artigo e saiba mais!

O que é foodtech?

O termo “foodtech” basicamente diz respeito à aplicação da tecnologia ao se trabalhar com comida. Uma empresa de foodtech procura trazer soluções para o setor de alimentação a partir de inovação e disruptividade.

Dessa forma, a tecnologia é incorporada em processos que acompanham toda a cadeia, desde produção (agricultura), distribuição, venda, consumo, serviço e retorno (reciclagem).

Um dos maiores propósitos da tecnologia em food service é identificar dores e resolvê-las de maneira prática, ágil, viável e acessível a todos os envolvidos. Entre os pontos de destaque mais expressivos desse negócio, podemos citar:

  • Redução do desperdício;
  • Otimização em serviços de entregas,
  • Locais de venda e interação com o consumidor.

A chamada “comida do futuro” também merece atenção. Com o auxílio da tecnologia, é possível desenvolver tipos de carne sintética em laboratório, leite modificado geneticamente e remoção do trigo das dietas, por exemplo, abrangendo consumidores com restrições alimentares e levando nutrientes ao corpo de forma mais completa.

Nova call to action

Conceito e frente de atuação foodtech

A renovação do setor alimentício como um todo passa diretamente por uma nova forma de se executar a gestão do varejo. Pontos de venda de bares, quiosques e restaurantes devem passar por uma reformulação.

Seguindo essa lógica, o consumidor também é muito mais ativo e tido como protagonista no processo, e responsável direto por mudanças nos hábitos alimentares. A seguir, separamos os principais exemplos do impacto provocado pelo setor de foodtech.

Redução de intermediários e logística

O conceito farm-to-table é aquele que conecta a produção dos alimentos diretamente ao consumidor final, trazendo opções mais saudáveis e com melhor custo-benefício.

A logística também sai ganhando, ao estudar o conforto e conveniência das pessoas ao receberem comida em casa ou no trabalho, possibilitando uma maior gama de escolhas para os clientes.

Marketplace e Delivery

O marketplace pode ser voltado para a produção, oferecendo soluções e insumos para o processo. Também pode ser em formato B2B, integrando indústria, distribuidores e PDVs, possibilitando uma maior variedade e melhor margem de negociação nos preços.

E o contrato de compra e venda também pode ser feito diretamente com o cliente final, principalmente com o crescimento exponencial dos serviços e aplicativos de delivery, seja para consumo imediato ou não.

Alimentos do futuro

Atuar com foodtech tem um significado forte em relação à criação de novos produtos, que utilizam a tecnologia para desenvolver comidas e bebidas que atendam novos hábitos e exigências dos consumidores. 

Os alimentos do futuro têm grande participação nessa frente, assim como o constante acompanhamento e análise de qualidade, desde produção até transporte, armazenamento e consumo. Novos alimentos, mais nutritivos, saudáveis e com preço justo deveriam, em tese, ser acessíveis a todo o público.

Biotecnologia e sustentabilidade

Tecnologia e alimentação também andam juntas quando falamos sobre inovações que lidam com resíduos alimentícios e seus descartes, com um maior reaproveitamento e utilização consciente, não somente dos alimentos em si, mas de suas embalagens, formas de transporte, etc.

Um grande aliado nesse sentido é a biotecnologia, que pode ser aplicada de ponta a ponta na cadeia alimentar, com o objetivo de traçar novas estratégias, metodologias e abordagens em todas as etapas.

Exemplos da aplicação de foodtech

Até aqui, você pôde acompanhar como o segmento de foodtech pode ajudar a mudar a forma de se produzir e se relacionar com o setor alimentício. Outros ramos de negócio, como a agricultura, logística, distribuição, vendas e gestão em geral também se relacionam com essa área de atividade.

Esses são alguns dos pilares que constituem o varejo de alimentação, mas onde mais o foodtech pode atuar? Confira diferentes possibilidades nos tópicos que selecionamos.

  • Nutrição individualizada: em um formato de dieta preparada especialmente de acordo com as necessidades de cada pessoa, um sistema de inteligência artificial levanta informações e cruza dados para criar rotinas alimentares ideais;
  • Alimentos sintéticos e proteínas vegetais: a criação de carnes desenvolvidas em laboratório provoca uma rima com os tópicos de sustentabilidade e alimentos do futuro. Como apontou o National Geographic, os impactos causados pela carne geram grandes impactos para o meio ambiente, e novas formas de simular sabor e composição, são essenciais para a mudança;
  • Rastreabilidade alimentar: a tecnologia do blockchain pode ser utilizada para garantir a procedência de determinados alimentos, acompanhando a evolução de todo o processo, seja com frutas, verduras ou legumes que estejam isentos de agrotóxicos,
  • Automação de supermercados e restaurantes: em um restaurante ou supermercado online, as compras podem ser feitas sem a necessidade de cruzar todo o estabelecimento, recebendo os produtos em casa de maneira automatizada. Isso também se aplica em restaurantes que, com o cardápio digital encaminha pedidos e faz atualizações em tempo real, tornando o serviço mais ágil e à prova de falhas.

Foodtech: implemente a tecnologia no seu negócio

Ao longo deste conteúdo, abordamos o conceito de foodtech, explicando o que é, como funciona e seus objetivos. Falamos também sobre as diversas frentes de atuação e os maiores exemplos de disruptividade nesse segmento.

A TOTVS acredita no potencial do Brasil que faz. Consolidada como a maior empresa de tecnologia do país, temos sistemas e soluções ideais para a implantação do foodtech no seu negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte.

Se você gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre o tema, conheça agora as tendências tecnológicas para o setor supermercadista. Continue acompanhando o blog e não se esqueça de assinar a newsletter para receber novidades diretamente em seu e-mail.

Comentarios

  1. Luciano Pedreira

    Adorei a matéria. Vcs estão de parabéns!
    Só não sei exatamente se a Totvs tem uma aplicação para quem está começando, ou seja, para quem ainda é minúsculo, rsrsrs Nem pequeno é. Será que tem alguma solução para esse público específico?

    1. Alan Amorim

      Olá, Luciano
      Poxa, fico contente em ler um comentário desses.
      Agradeço, repassarei suas palavras ao meu time.
      Quanto a ter um sistema para empresas menores, temos sim.
      Te convido a conhecer os nossos sistemas voltados ao micro e pequeno empreendedor https://elevesuasvendas.com.br/
      Confira também o blog voltado para essa área https://elevesuasvendas.com.br/blog/
      Qualquer coisa, é só falar 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.