foodtech

O que é foodtech e qual seu impacto nos restaurantes?

Equipe TOTVS | GESTÃO VAREJISTA | 02 julho, 2020

Quando falamos de varejo, o subsegmento de alimentação passou por uma grande transformação, atingindo cada vez mais diferentes públicos e solucionando as dores de seus clientes. Você já ouviu falar em foodtech? Essa é mais uma inovação disruptiva dentro do mercado que merece atenção especial dos restaurantes.

Modalidades como brunch, entregas de marmitas, fast-food, comida saudável e muitos outros nichos  podem se beneficiar com o uso da tecnologia em alimentos. Se você quer saber mais sobre esse tema, continue com a leitura deste artigo e saiba mais!

O que é foodtech?

O termo “foodtech” basicamente diz respeito à aplicação da tecnologia ao se trabalhar com comida. Uma empresa de foodtech procura trazer soluções para o setor de alimentação a partir de inovação e disruptividade.

Dessa forma, a tecnologia é incorporada em processos que acompanham toda a cadeia, desde produção (agricultura), distribuição, venda, consumo, serviço e retorno (reciclagem).

Um dos maiores propósitos da tecnologia em food service é identificar dores e resolvê-las de maneira prática, ágil, viável e acessível a todos os envolvidos. Entre os pontos de destaque mais expressivos desse negócio, podemos citar:

  • Redução do desperdício;
  • Otimização em serviços de entregas,
  • Locais de venda e interação com o consumidor.

A chamada “comida do futuro” também merece atenção. Com o auxílio da tecnologia, é possível desenvolver tipos de carne sintética em laboratório, leite modificado geneticamente e remoção do trigo das dietas, por exemplo, abrangendo consumidores com restrições alimentares e levando nutrientes ao corpo de forma mais completa.

Nova call to action

Conceito e frente de atuação foodtech

A renovação do setor alimentício como um todo passa diretamente por uma nova forma de se executar a gestão do varejo. Pontos de venda de bares, quiosques e restaurantes devem passar por uma reformulação.

Seguindo essa lógica, o consumidor também é muito mais ativo e tido como protagonista no processo, e responsável direto por mudanças nos hábitos alimentares. A seguir, separamos os principais exemplos do impacto provocado pelo setor de foodtech.

Redução de intermediários e logística

O conceito farm-to-table é aquele que conecta a produção dos alimentos diretamente ao consumidor final, trazendo opções mais saudáveis e com melhor custo-benefício.

A logística também sai ganhando, ao estudar o conforto e conveniência das pessoas ao receberem comida em casa ou no trabalho, possibilitando uma maior gama de escolhas para os clientes.

Marketplace e Delivery

O marketplace pode ser voltado para a produção, oferecendo soluções e insumos para o processo. Também pode ser em formato B2B, integrando indústria, distribuidores e PDVs, possibilitando uma maior variedade e melhor margem de negociação nos preços.

E o contrato de compra e venda também pode ser feito diretamente com o cliente final, principalmente com o crescimento exponencial dos serviços e aplicativos de delivery, seja para consumo imediato ou não.

Alimentos do futuro

Atuar com foodtech tem um significado forte em relação à criação de novos produtos, que utilizam a tecnologia para desenvolver comidas e bebidas que atendam novos hábitos e exigências dos consumidores. 

Os alimentos do futuro têm grande participação nessa frente, assim como o constante acompanhamento e análise de qualidade, desde produção até transporte, armazenamento e consumo. Novos alimentos, mais nutritivos, saudáveis e com preço justo deveriam, em tese, ser acessíveis a todo o público.

Biotecnologia e sustentabilidade

Tecnologia e alimentação também andam juntas quando falamos sobre inovações que lidam com resíduos alimentícios e seus descartes, com um maior reaproveitamento e utilização consciente, não somente dos alimentos em si, mas de suas embalagens, formas de transporte, etc.

Um grande aliado nesse sentido é a biotecnologia, que pode ser aplicada de ponta a ponta na cadeia alimentar, com o objetivo de traçar novas estratégias, metodologias e abordagens em todas as etapas.

Exemplos da aplicação de foodtech

Até aqui, você pôde acompanhar como o segmento de foodtech pode ajudar a mudar a forma de se produzir e se relacionar com o setor alimentício. Outros ramos de negócio, como a agricultura, logística, distribuição, vendas e gestão em geral também se relacionam com essa área de atividade.

Esses são alguns dos pilares que constituem o varejo de alimentação, mas onde mais o foodtech pode atuar? Confira diferentes possibilidades nos tópicos que selecionamos.

  • Nutrição individualizada: em um formato de dieta preparada especialmente de acordo com as necessidades de cada pessoa, um sistema de inteligência artificial levanta informações e cruza dados para criar rotinas alimentares ideais;
  • Alimentos sintéticos e proteínas vegetais: a criação de carnes desenvolvidas em laboratório provoca uma rima com os tópicos de sustentabilidade e alimentos do futuro. Como apontou o National Geographic, os impactos causados pela carne geram grandes impactos para o meio ambiente, e novas formas de simular sabor e composição, são essenciais para a mudança;
  • Rastreabilidade alimentar: a tecnologia do blockchain pode ser utilizada para garantir a procedência de determinados alimentos, acompanhando a evolução de todo o processo, seja com frutas, verduras ou legumes que estejam isentos de agrotóxicos,
  • Automação de supermercados e restaurantes: em um restaurante ou supermercado online, as compras podem ser feitas sem a necessidade de cruzar todo o estabelecimento, recebendo os produtos em casa de maneira automatizada. Isso também se aplica em restaurantes que, com o cardápio digital encaminha pedidos e faz atualizações em tempo real, tornando o serviço mais ágil e à prova de falhas.

Foodtech: implemente a tecnologia no seu negócio

Ao longo deste conteúdo, abordamos o conceito de foodtech, explicando o que é, como funciona e seus objetivos. Falamos também sobre as diversas frentes de atuação e os maiores exemplos de disruptividade nesse segmento.

A TOTVS acredita no potencial do Brasil que faz. Consolidada como a maior empresa de tecnologia do país, temos sistemas e soluções ideais para a implantação do foodtech no seu negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte.

Se você gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre o tema, conheça agora as tendências tecnológicas para o setor supermercadista. Continue acompanhando o blog e não se esqueça de assinar a newsletter para receber novidades diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *