Metodologia Kanban: como ela pode melhorar os processos industriais?

Quando o assunto é indústria, algumas soluções são essenciais para o seu desenvolvimento. Um sistema que vem ganhando força nesse setor é a metodologia Kanban, que busca ampliar a eficiência da produção e otimizar as suas funções de movimentação, a realização de atividades e a conclusão de demandas.

Esse sistema também é conhecido como método de gestão visual e faz parte de uma das técnicas desenvolvidas pela Toyota dentro da forma de produção Just In Time. Essa metodologia, porém, não é o JIT, mas faz parte dele.

O Kanban se baseia em referências visuais que são ligadas às mercadorias, aos locais comuns, à linha de produção ou mesmo aos computadores que usam um modelo de produção eletrônico. Assim, preparamos este texto para que você saiba como melhorar os seus processos industriais com o uso desse sistema. Continue lendo e entenda!

O que é a metodologia Kanban?

Esse termo de origem japonesa significa, literalmente, “sinalização” ou “cartão”. Esse sistema propõe o uso de cartões (post-its) para indicar e acompanhar, de modo visual, o andamento do fluxo de produção dentro da indústria.

Ou seja, o Kanban é um sistema visual que busca gerenciar o trabalho conforme a maneira como ele se move por meio de um processo. A metodologia visualiza o fluxo previsto e o trabalho real. O seu objetivo é identificar os possíveis gargalos na indústria e corrigi-los para que haja fluidez nas atividades dentro de uma empresa.

Quais são os seus princípios básicos?

Comece com o que você faz agora

O sistema Kanban não diz que é preciso ter um procedimento específico. Você pode aplicá-lo sobre o fluxo de trabalho existente a fim de trazer clareza aos seus problemas, tornando possível inserir alterações positivas no decorrer do tempo. Dessa forma, torna-se muito mais simples implementar essa metodologia, já que não é necessário fazer várias mudanças.

Procure mudanças incrementais e evolutivas

Esse é um questionamento à gestão da mudança que foi estipulada para conseguir o mínimo de resistência. Dessa forma, o método procura incentivar alterações evolutivas e incrementais no seu sistema atual. Mudanças bruscas são evitadas, visto que, geralmente, encontram alta resistência.

Leve em consideração processos, papéis, responsabilidades e títulos existentes

Essa metodologia busca reconhecer como são importantes as responsabilidades, os processos, os papéis e os títulos existentes. Ela não proíbe a mudança, mas diz que isso deve ser levado em conta antes de qualquer alteração. Além disso, pequenas modificações no curso dos processos são mais fáceis do que alterar tudo completamente.

Quais são os seus benefícios?

Esse sistema também apresenta diversos benefícios para os negócios. Veja a seguir alguns deles:

  • flexibilidade e otimização da produção: como esse sistema auxilia na administração dos recursos, fazendo com que haja maior produção no mesmo tempo e circunstâncias semelhantes, é certo que haverá uma melhoria da produção, uma vez que a produtividade é ampliada;
  • visualização do fluxo de trabalho: por ser um método voltado para o visual, o Kanban permite visualizar melhor o fluxo de trabalho, explorando as atividades que se encontram paradas e as que foram finalizadas em tempo hábil. Como efeito, é possível trabalhar focando no geral, atuar com nitidez e averiguar desperdícios;
  • informação atualizada: por ser continuamente revisto, o Kanban disponibiliza dados atuais, permitindo que ocorra um maior controle dos processos e das atividades;
  • diminuição de custos: por trabalhar com eficácia e estabelecer o fluxo de trabalho, o Kanban apresenta impacto evidente nos gastos e na sua diminuição. A redução de custos acontece diretamente em relação ao estoque e ao desperdício de materiais;
  • engajamento dos colaboradores: pode soar diferente, mas essa metodologia ajuda no engajamento dos funcionários. Como eles precisam cumprir os objetivos conforme o que está estabelecido, há uma tendência de ocorrer maior empenho para conquistar as metas pretendidas.

Quais são os tipos de Kanban?

Kanban de produção

Nesse modo, os murais normalmente são divididos em três partes: para fazer (to do), fazendo (doing) e feitas (done). Conforme o grau de dificuldade do processo em questão, outras partes podem ser incrementadas no mural.

Cada cartão precisa apresentar dados mínimos sobre cada atividade a ser desempenhada:

  • o que é necessário fazer;
  • qual é o prazo para conclusão;
  • quem é o responsável por promover a atividade.

As diversas cores podem servir para indicar o andamento da tarefa ou o segmento responsável, por exemplo. Assim, a partir do momento em que os trabalhos se iniciam, os cartões são deslocados para a etapa posterior, até que tudo seja finalizado.

Posto isso, a coluna que estiver com uma vaga em aberto diz se é possível receber uma nova tarefa, “puxando” assim mais um item da linha de produção. Isso faz com que você tenha maior controle sobre determinado processo, desde a sua concepção até a sua finalização.

Kanban de movimentação

Para compreender como esse tipo funciona, veja um exemplo a seguir.

Imagine que a Toyota, idealizadora do Kanban, estivesse criando um lote de 200 veículos. No entanto, os processos de produção só avançam a cada 20 carros. Considere que existem três fases de produção de um automóvel: montagem, pintura e acabamento.

Dessa forma, apenas quando a 20ª unidade finalizar a primeira etapa, um adesivo acoplado a ela permitirá a liberação de outras 20 unidades. Todos os departamentos posteriores da linha de produção precisam proceder dessa maneira.

Com isso, a produção torna-se diretamente proporcional ao padrão de consumo e ao giro dos itens. Ou seja, quanto maior o consumo e o giro, maior será a quantidade produzida. Essa pode parecer um tipo de metodologia lenta, porém ela é muito eficiente. Isso por causa dos recursos humanos e financeiros que são usados de forma responsável e sustentável.

E-Kanban

Com o passar do tempo e o avanço da tecnologia, não demorou muito para que essa metodologia de gestão visual fosse inserida em versões eletrônicas. Para muitos usuários, o e-Kanban não consiste em um dos modelos de Kanban, sendo somente uma adaptação do procedimento japonês para o ambiente digital.

De qualquer forma, o e-Kanban permite que haja maior agilidade e eficiência para os processos de comunicação interna das empresas. Ele pode ser adaptado em um software de planilhas eletrônicas ou em sistemas e aplicativos voltados para tablets e smartphones, por exemplo.

Como implantar o Kanban?

O primeiro passo para implementar a metodologia Kanban em sua linha de produção é preparar a sua equipe para receber essa nova modalidade de fluxo. Invista em treinamentos, visto que todos precisam compreender os benefícios de sua aplicação e as vantagens que o sistema pode proporcionar.

Após isso, é preciso entender e mapear exatamente cada uma das fases pelas quais uma mercadoria passa do início ao final de sua produção. Além do mais, é fundamental que todos tenham total clareza sobre as suas atribuições.

Assim, basta inserir um quadro Kanban, em que cartões estarão colocados. A priorização é a próxima fase. Na parte superior do quadro, você deve incluir atividades que precisam ser feitas primeiramente, e não se esqueça de controlar aquilo que for prioritário. A partir daí, mantenha sempre o quadro atualizado e busque contar com o apoio tecnológico para a gestão industrial.

Portanto, o Kanban é uma estratégia utilizada há quase meio século para otimizar as linhas de produção de uma indústria. Essa metodologia aumenta a eficiência dos processos e permite maior flexibilidade em todos os ramos da empresa. Essa técnica conquistou as linhas produtivas de todo o mundo e o seu uso aliado à tecnologia é a chave para o sucesso empresarial.

E aí, gostou deste post sobre a metodologia Kanban? Então, que tal saber mais sobre o e-Kanban e como ele gera mais confiabilidade ao controle da produção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *