RSA: Veja quais são suas principais aplicações

Equipe TOTVS | GESTÃO DE NEGÓCIOS | 07 outubro, 2020

Uma das soluções encontradas para manter a segurança de dados foi a criptografia, que permite transmitir e armazenar informações sem que estas possam ser interpretadas por pessoas não autorizadas. A partir daí, foram criadas diversas formas de criptografia, sendo uma das mais eficazes a criptografia RSA.

Para entender mais sobre o que é RSA, como esse método de criptografia foi criado e como funciona, continue lendo nosso artigo e confira como o RSA contribui para melhorar a segurança da sua empresa e por que implementá-lo.

O que é RSA?

O algoritmo RSA é um dos mais seguros que existem na atualidade. Ele foi desenvolvido pelos fundadores da empresa RSA Data Security, Inc., o Ron Rivest, Adi Shamir e Leonard Adleman. Devido a isso, a sigla leva a inicial do sobrenome de cada um deles.

Este foi um dos primeiros sistemas de criptografia criados e tem como finalidade construir chaves públicas e privadas, utilizando números primos. A chave se trata de uma informação confidencial e restrita, que controla a operação dos algoritmos de criptografia. 

A criptografia RSA é considerada uma das mais seguras e seu algoritmo foi o primeiro a possibilitar a assinatura digital. Além disso, qualquer pessoa pode utilizar a chave pública com a finalidade de encriptar uma mensagem.

Dessa forma, com os métodos publicados, e, no caso de a chave ser grande demais, somente quem possui o conhecimento dos números primos consegue decodificar os dados. 

Chave pública X chave privada

Para entender melhor o assunto, é essencial saber a diferença entre chave privada e chave pública. A primeira se refere à informação pessoal não publicável, ou seja, aquela que permanece em posse da pessoa. Já a pública é uma informação associada a alguém, mas que é distribuída a todos.

Portanto, é possível encriptar um dado utilizando a chave pública. Depois, as pessoas que possuem a chave privada podem descriptografar a mensagem. É assim que os dados se mantêm protegidos contra quem não possui autorização para acessá-los.

Como surgiu o algoritmo RSA?

Construído a partir da Teoria dos Números, o RSA foi desenvolvido devido à dificuldade de se fatorar um número em seus componentes primos. Isso porque um número primo pode apenas ser divido por ele mesmo ou por 1. É preciso levar em conta também como descobrir os fatores primos de um número.

Para gerar as chaves privadas e públicas, é preciso multiplicar dois números primos, assim, o resultado será público. Entretanto, se o número for grande o bastante, pode demorar anos para fatorá-lo e descobrir os primos que foram multiplicados para formá-lo. 

É por esse motivo que o algoritmo é tão seguro. Mesmo que não seja totalmente impossível quebrá-lo, seria preciso anos ou até décadas para tanto. Dessa forma, a ideia de tentar simplesmente não vale a pena.

Quais as principais aplicações da criptografia RSA?

Por se tratar de uma criptografia muito eficiente, é possível utilizá-la hoje, diretamente na internet, como no caso de e-mail, e-commerce e outros recursos. A assinatura digital, por exemplo, garante que o documento é uma cópia verdadeira e legítima do original, além de assegurar sua autoria.

Para isso, é necessário utilizar a função Message Digest (MD – resumo da mensagem ou mensagem digerida). Com isso, será possível processar o arquivo, produzindo um pequeno pedaço de dados, comumente denominado hash

Para entender melhor, uma MD se trata de uma função matemática que refine as informações de um documento em um único pedaço de dados de tamanho fixo. E, para que seja possível assegurar uma assinatura digital, é preciso verificar as seguintes propriedades:

  • Não é permitido que um usuário forje a assinatura de outro. As assinaturas digitais precisam ser únicas para cada usuário;
  • Não é possível que o emissor invalide a assinatura de uma mensagem. Ele não pode negar o envio de uma mensagem com sua assinatura;
  • O receptor da mensagem não pode alterar de nenhum modo a assinatura que está contida na mensagem,
  • E, por fim, um usuário não deve ser capaz de fazer a retirada de uma assinatura da mensagem nem colocá-la em outra.

Nova call to action

Como a tecnologia pode ajudar a proteger sua empresa?

Existem diversos métodos que podem ser utilizados para manter a segurança de dados da sua empresa. Desde a criptografia até o uso de um banco de dados confiável. Por isso, é importante entender quais as melhores opções para seu tipo de negócio.

Não investir na segurança de dados pode acarretar o vazamento de informações confidenciais e estratégicas, o que gera grandes prejuízos para sua empresa. Assim, para entender mais sobre a importância da cibersegurança, confira nosso outro artigo e fique por dentro das tecnologias que podem ajudar a proteger seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.