No-code: como a tendência impulsiona a produtividade?

Além da preocupação de entregar um serviço de qualidade para os clientes (sejam eles externos ou internos), um gestor de TI também deve prestar atenção na eficiência e produtividade da equipe e também em questões como segurança e custos.

Com a transformação digital, muitas soluções, tecnologias e tendências surgiram para facilitar e aprimorar esse trabalho. Entre essas novidades, podemos citar o no-code. Você já ouviu falar desse conceito?

Neste artigo, explicamos o que é, os benefícios e os motivos pelos quais a sua empresa deve considerar investir nesse modelo de desenvolvimento. Continue conosco para saber mais sobre o assunto!

A tendência de desenvolvimento no-code

No-code é o nome que se dá para uma plataforma de desenvolvimento em um ambiente visual, na qual não se usa códigos (como o nome sugere) para criar soluções. Por meio dela, o trabalho é feito graficamente, com a adição de componentes e métodos como “arrastar e soltar” determinado item na tela.

Com isso, mesmo programadores que não são especialistas em desenvolvimento e codificação conseguem criar aplicações de forma mais ágil e prática, em uma tela intuitiva e com interface simples.

Ela se difere da low-code — que requer pouca programação — pela capacidade superior de se adaptar a cenários distintos, além de ser voltada para necessidades mais específicas. Porém, em ambos os casos, elas envolvem sistemas que permitem a criação de outros sistemas e não demandam conhecimentos tão profundos em desenvolvimento baseado em códigos.

A tendência é que a abordagem no-code seja cada vez mais adotada em um futuro próximo, visto que ela oferece soluções mais simples para as empresas, além de otimizar diversos processos do negócio na área de TI.

O impacto do no-code na produtividade (e outros benefícios)

Aplicativos no-code podem ser desenvolvidos com mais agilidade do que nos processos tradicionais de codificação. Dessa forma, consegue-se tirar parte da sobrecarga de trabalho da equipe de TI, que pode se direcionar para outras tarefas — tornando-se mais produtiva e se posicionando de maneira mais estratégica. Nos próximos tópicos, explicamos outras vantagens que podem ser percebidas.

Redução de custos

A redução de custos é promovida já em curto prazo, somente devido ao fato de as equipes conseguirem fazer o trabalho com mais agilidade e se tornarem mais produtivas. Dessa forma, um projeto que poderia levar meses para ser concluído pode ter o seu tempo de execução reduzido. A partir daí, o orçamento também diminui, promovendo a redução de custos.

Autonomia

Outra grande vantagem do no-code é que os profissionais agora não precisam ter diversas habilidades formais de codificação. Dessa forma, o talento técnico pode ser mais bem aproveitado, além do fato de os colaboradores terem mais autonomia para trabalhar.

Facilidade de integração de plataformas

Integrar sistemas também ficou mais fácil com o no-code. Para isso, é preciso apenas utilizar a interface gráfica da plataforma para criar conexões entre as APIs (Application Programming Interface). Assim, um trabalho que poderia levar meses pode ser resolvido com mais rapidez e praticidade.

4 razões para adotar o desenvolvimento no-code

Já deu para perceber como o no-code pode ser benéfico para os negócios, certo? A seguir, listamos 4 razões pelas quais essa abordagem deve ser adotada na sua empresa.

1. Velocidade no desenvolvimento

O desenvolvimento por meio do no-code ocorre de maneira mais rápida, como dito. Isso representa um trabalho cada vez menor de codificação e ainda a possibilidade de realizar testes de forma automatizada.

Além disso, diversos elementos (como relatórios, formulários e estrutura de dados) podem ser atualizados em tempo real, o que amplia ainda mais a agilidade nos negócios — característica que gera vantagem competitiva.

2. Segurança contra Shadow IT

Shadow IT é o termo utilizado para definir aplicativos e outras soluções instaladas sem o conhecimento da equipe de TI, além da falta de controle e proteção que isso provoca dentro da empresa.

Assim, sempre que algum departamento utiliza uma solução de terceiros para acompanhar ou executar determinados processos, aumentam-se as chances de colocar toda a organização em risco — uma vez que esses servidores podem ter acesso a dados sigilosos (funcionando como uma via de mão dupla). Com uma plataforma no-code, esse risco é minimizado.

3. ROI Satisfatório

Com todos os benefícios que a abordagem no-code proporciona, principalmente a redução de custos, podemos afirmar que o Retorno sobre o Investimento (ROI) de se adotar essa plataforma é satisfatório. Isso quer dizer que o capital investido trará retornos financeiros positivos para o negócio.

4. Maior flexibilidade

Com o desenvolvimento tradicional, qualquer alteração em uma funcionalidade ou um recurso demanda tempo e não pode ser feita de uma hora para a outra. Por outro lado, a abordagem no-code permite fazer e implementar alterações de forma mais imediata e ágil, principalmente pelo fato de não demandar uma codificação complexa. O resultado disso é maior flexibilidade na atuação.

Conheça o fluig: a plataforma no-code e colaborativa TOTVS

O fluig é a plataforma que permite criar e viabilizar projetos voltados para desenvolvimento e inovação dentro das empresas. Por meio dele, é possível unificar sistemas e processos em uma interface intuitiva e única. Além de permitir a criação de projetos (como sites).

A ideia é potencializar a utilização de sistemas de gestão (ERPs) dentro das empresas. Para a TOTVS, isso representa a unificação das soluções em uma interface. Além disso, o fluig também promove questões como:

  • centralização da gestão dos documentos;
  • organização das tarefas;
  • otimização das rotinas;
  • integração entre os profissionais;
  • acompanhamento de dashboard (fluig Analytics);
  • integração de ferramentas TOTVS com terceiros (como o Adobe Connect);
  • agilidade no processo de aprovação de documentos e melhoria na comunicação interna;
  • modernização dos sistemas legados;
  • proteção extra na identificação do usuário (Safe ID).

A abordagem no-code já é utilizada em algumas organizações, incluindo na TOTVS, e a expectativa é a de que ela seja cada vez mais difundida e adotada por empresas de diversos segmentos. O principal motivo disso é a facilidade e agilidade com que os processos de desenvolvimento de soluções são executados.

Gostou deste artigo? Ainda ficou com dúvidas a respeito do no-code e o que ele pode fazer pela sua empresa? Então, entre em contato conosco e esclareça essas questões agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *