Aprenda como aplicar o planejamento da produção para desenvolver a sua indústria

O mercado está cada vez mais competitivo no setor industrial. Com isso, adotar estratégias e ferramentas que otimizem os processos produtivos é uma tarefa que já faz parte da rotina de qualquer gestor. Entretanto, é possível que isso se torne um grande desafio se não for feito com o devido planejamento.

É exatamente nesse ponto que devemos ter mais atenção. Afinal, você sabe o que deve ter no seu planejamento da produção? Em nosso post de hoje, mostraremos como funciona, seus benefícios, as formas de aplicá-lo e os motivos para não ignorar esse processo tão essencial. Confira!

O que é o planejamento da produção?

O Planejamento e Controle de Produção (PCP) — em inglês, Production Planning and Control — nada mais é do que um dos processos que constituem o gerenciamento das atividades produtivas de uma empresa. Seu objetivo é prever, controlar e otimizar a aplicação dos recursos disponíveis, assim como melhorar a performance da produção.

Sua utilização correta facilita o processo de gestão das atividades desempenhadas em cada linha, favorecendo para tomadas de decisão mais acertadas. No entanto, não é responsabilidade exclusiva de um setor — todos os departamentos relacionados aos processos de produção devem ter alguma participação na sua execução, de acordo com o nível de envolvimento em cada atividade.

Em outras palavras, o setor de vendas, por exemplo, deve ajudar na elaboração de um planejamento de produção com base nas suas projeções de mercado; o de compras, por sua vez, deve garantir a reposição dos materiais necessários para manter o ritmo dos processos produtivos; já a gestão das linhas propriamente ditas deve monitorá-las para garantir que o planejamento seja seguido conforme o cronograma, evitando atrasos na entrega.

Trata-se de um mecanismo de integração de setores em torno de um objetivo comum: a otimização do uso dos recursos da empresa.

Por que as indústrias precisam implantar o planejamento da produção?

O mercado atual é extremamente competitivo. Com a transformação digital e os rápidos avanços da tecnologia, é fundamental adotar medidas para garantir uma crescente otimização dos processos produtivos. Isso significa ter uma produção enxuta (lean manufacturing), ou seja, que faça mais com menos, reduza desperdícios e inove em suas tecnologias.

No entanto, nada disso pode ser feito sem dois fatores essenciais: organização e controle dos processos. Por mais sofisticada que seja a tecnologia à disposição, ela não trará os resultados esperados sem que os gestores orquestrem a produção, mantendo-a alinhada aos objetivos definidos.

Por isso, o planejamento é insubstituível. Sem ele, as empresas tendem a ser menos competitivas perante a concorrência, perdendo gradativamente o seu espaço no mercado.

Por outro lado, ainda que seja também uma questão de sobrevivência, esse processo traz consigo uma série de vantagens.

Quais são os benefícios dessa aplicação para o desenvolvimento da indústria?

Redução do tempo ocioso

Uma produção lean é aquela que aplica os seus recursos com eficiência. Nesse sentido, o primeiro grande impacto do planejamento é a redução do tempo ocioso nas linhas. Com mais controle sobre o tempo de início e fim de cada atividade, é possível garantir um alinhamento maior entre as etapas da produção, evitando o surgimento de gargalos que impactem as atividades dos profissionais.

Grosso modo, o chão de fábrica é mantido sempre em atividade, evitando o desperdício de mão de obra.

Redução de desperdício

O desperdício também é eliminado, ou ao menos reduzido, em toda a cadeia produtiva. Com um planejamento eficiente, o estoque ganha mais controle sobre o nível dos materiais, evitando o excesso de itens.

Entregas no prazo

Outro fator a ser destacado é que o planejamento permite que as linhas trabalhem em um ritmo adequado. Com isso, o índice de falhas é menor devido à pressa, evitando o retrabalho e garantindo que os produtos sejam entregues no prazo — e com o nível de qualidade esperado.

Tendo isso em vista, é hora de abordarmos as principais características de um planejamento eficiente.

Como aplicar o planejamento de produção na indústria?

Avaliação do processo de produção atual

Para começar, é preciso olhar mais de perto para o estado atual dos processos de produção — levantar as suas demandas, os seus problemas, o que vem dando certo e o que precisa ser melhorado. Conhecer a fundo a situação atual da empresa é um passo crucial para implantar qualquer melhoria no planejamento.

Desenvolvimento ou reavaliação do plano de negócios

Muitas vezes, o próprio plano de negócios não condiz com a capacidade de produção ou as demandas do mercado. É preciso ajustá-lo, tomando sempre como referência um estudo do consumidor que exponha as suas necessidades. Com isso, deve ser desenvolvido um plano que contemple a realidade da sua empresa e as oportunidades do mercado no qual atua.

Desenho de plano de vendas e operações

O plano de vendas, como citamos, é o ponto de partida da produção, pois indica, em termos de volume, o quanto deve ser produzido e qual é o prazo de entrega. Consequentemente, norteia a elaboração do cronograma para a compra de materiais e as operações fabris.

Requerimento de materiais e controle de estoque

Tendo em mãos as demandas que a produção deve atender, é hora de planejar o requerimento de materiais. Nessa etapa do planejamento, é fundamental focar apenas no que é estritamente necessário. É comum, por exemplo, comprar em excesso para conquistar um melhor preço. Entretanto, isso gera custo de armazenagem, além de comprometer o capital de giro da empresa.

Uma produção lean tem sempre como foco a demanda real do momento, evitando compras maiores do que o necessário. Consequentemente, vale destacar que o setor de compras deve estar bastante alinhado ao controle de estoque para disparar novos pedidos no momento certo.

Avaliação para implantação do lean manufacturing

Feito isso, é hora de uma nova avaliação para identificar os próximos passos até o modelo de produção lean. Isso significa reduzir desperdícios, entregar mais qualidade com menos recursos, ajustar os estoques ao fluxo de produção etc. Em outras palavras, é preciso gerar mais valor para o cliente sem aumentar o custo da produção.

Implantação de tecnologias (ERP)

Por mais eficiente que sejam os profissionais envolvidos, é fundamental colocar a tecnologia para trabalhar a seu favor. Para promover o alinhamento entre os setores, por exemplo, um sistema de gestão de qualidade é indispensável. Ele integra as informações do planejamento em um único ambiente virtual e permite que todos os departamentos envolvidos tenham acesso às mesmas informações.

Isso ajuda a evitar falhas humanas, além de otimizar a gestão da informação. Atualmente, o sistema de gestão integrada é uma das soluções tecnológicas que compõem o alicerce de uma produção lean. Por isso, não deixe de investir em um software de confiança.

Como você pôde ver, são ações muitas vezes simples, mas que podem gerar uma revolução em seus processos produtivos. O planejamento da produção, quando aliado a um bom ERP e uma cultura inovadora, promove uma produção mais enxuta e, consequentemente, resultados melhores para os negócios!

Se gostou do post, inscreva-se em nossa newsletter e receba gratuitamente mais conteúdos sobre o tema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *