varejo inteligente

Varejo inteligente: quais são as principais mudanças?

Equipe TOTVS | VAREJO | 09 abril, 2019

Com o desenvolvimento tecnológico e o crescimento do e-commerce, é natural que muitas pessoas pensem que as lojas físicas tendem a se tornar obsoletas. Contudo, a tendência é que o investimento em tecnologia aumente nesses locais, de forma a promover a integração e chegar ao chamado varejo inteligente.

Neste artigo, vamos explicar esse conceito, como ele é promovido, a relação com o omnichannel e as principais mudanças que se pode esperar. Continue acompanhando a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é o varejo inteligente

O conceito do varejo inteligente está relacionado ao uso de tecnologias e técnicas utilizadas para aprimorar a experiência do cliente — tornando-a mais personalizada e, consequentemente, satisfatória.

A ideia está intimamente ligada à chamada Loja 4.0, na qual se promove a integração entre os estoques, a loja física e a loja virtual. O objetivo é encantar os consumidores e fazer com que eles queiram voltar em uma necessidade de compra futura.

Para que isso seja possível, é fundamental acompanhar a jornada de compra desses clientes, que se inicia no momento em que ele começa a procurar pelo produto desejado, até a finalização da compra.

Entender como esse caminho é percorrido é fundamental para compreender as necessidades, os desejos e os hábitos de consumo, por exemplo. A partir dessas informações, fica mais fácil saber o que deve ser feito para criar uma experiência única dentro do varejo inteligente.

O que é essencial para a construção de um varejo inteligente

Para que uma empresa alcance o patamar de varejo inteligente, ela precisa investir em tecnologias, estratégias e técnicas que ajudem a diferenciar o seu atendimento do cenário atual. Explicaremos as principais nos próximos tópicos.

Foco no cliente e em novas experiências

Oferecer um atendimento diferenciado já não é mais nenhum atrativo dentro do varejo inteligente. No cenário de uma Loja 4.0, é preciso manter o foco nas necessidades e expectativas dos clientes e em promover novas experiências de consumo.

A ideia é oferecer uma vivência distinta, que já começa antes de iniciar o processo de compra e se estende até o pós-venda, independentemente de onde o cliente esteja em cada uma das etapas e de quais canais ele utiliza.

Desenvolvimento da cadeia de suprimentos

O desenvolvimento da cadeia de suprimentos também é crucial para o sucesso do varejo do futuro, principalmente quando falamos da integração dos estoques e das lojas físicas e virtuais.

Nesse contexto, é de suma importância contar com fornecedores e parceiros de negócio confiáveis, que ajudem a garantir a eficiência dos processos — o que envolve tanto a entrega dos produtos para a loja quanto o envio dos pedidos para os clientes finais.

Investimento em novas tecnologias

Além de investir em sistemas — como o ERP e o CRM — para automatizar as rotinas mais básicas, é necessário apostar em novas tecnologias para aprimorar o relacionamento com os clientes.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é usada para entender melhor o comportamento dos consumidores e conseguir ofertar os produtos corretos (com base nas preferências, no histórico de compras, entre outras coisas).

Porém, ela vai além e contribui com recursos como:

  • uso de chatbots (que podem ajudar a automatizar o atendimento via chat ou oferecer sugestões de roupas e acessórios, dentro da loja, que combinem com a peça que o cliente pretende levar, o que pode ajudar a aumentar o ticket médio);
  • análises de dados feitas por robôs, que ajudam a tornar a gestão mais enxuta (como a composição do estoque mais próxima do real).

Internet das Coisas

A Internet das Coisas consiste no uso de dispositivos conectados entre si, por meio da rede. No contexto do varejo inteligente, ela está ligada às mudanças consideráveis na forma como a empresa interage com o seu público.

Um exemplo de como isso pode ser utilizado é o envio de mensagens com promoções atualizadas e personalizadas quando o cliente está próximo ou dentro da loja.

Varejo inteligente e omnichannel: entenda a relação

O perfil do consumidor atualmente tem como ponto principal a conectividade. As pessoas esperam ter uma experiência integrada ao transitar entre os canais, independentemente do meio que utiliza para fazer contato ou concluir a compra — o que consiste no omnichannel.

Na prática, espera-se que a qualidade do atendimento oferecido na loja virtual se estenda à loja física. Assim, uma compra poderia ser iniciada no ambiente digital e concluída no varejo.

Apostar no modelo inteligente e em lojas cada vez mais conectadas é uma estratégia que está diretamente ligada ao omnichannel, visto que as tratativas passam a ser oferecidas com base nas preferências individuais, em todas as etapas da jornada de compra.

As principais mudanças do varejo inteligente

Agora que você já sabe melhor o que é e como funciona o varejo inteligente, vamos mostrar algumas mudanças que esse novo modelo proporciona para as organizações.

Desenvolvimento de estratégias mais completas e integradas

É preciso pensar em estratégias que contemplem e integrem todos os canais de atendimento e vendas da empresa (online e offline). Esse é o ponto de partida para implementar novas tecnologias e se tornar uma Loja 4.0.

Ganho de produtividade

A automatização dos processos, em princípio, já proporciona o ganho em produtividade — uma vez que se reduz drasticamente a execução de atividades manualmente. Ao apostar em novas tecnologias, a empresa consegue atender a mais pessoas com a mesma (ou superior) qualidade e eficiência (tornando os fluxos de trabalhos mais simples e ágeis).

Melhor compreensão do perfil do consumidor

Outro aspecto relevante que vale a pena citar é a melhora na compreensão do perfil dos consumidores. Como o foco fica voltado para atender às necessidades e expectativas, as empresas acabam investindo mais nesse reconhecimento, a fim de oferecer experiências cada vez mais únicas.

O varejo inteligente é uma tendência cada vez mais próxima de se tornar realidade e já está começando a ser considerada por empresas no mundo todo. Quanto mais rápido acontecer essa transição, mais os negócios vão conseguir se diferenciar de seus concorrentes — conquistando uma parcela maior do mercado.

O que achou deste artigo? Quer saber mais sobre o omnichannel? Então, aproveite e confira mais sobre esse assunto agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *