As aplicações mais interessantes de Internet das Coisas no varejo

Até 2021, o tráfego IP entre módulos M2M, ou Máquina a Máquina, se expandirá 49%, conforme previsões da Cisco. Esse é o tráfego característico de Internet of Things (IoT), em que diferentes dispositivos e sistemas se interconectam entre si por meio da Web. Ao aplicar a Internet das Coisas no varejo, é possível revolucionar a forma como muitos de seus processos são executados, gerando benefícios para as empresas da área e, inclusive, melhorando a sua gestão de riscos.

Aliás, isso acontece em qualquer segmento, pois a tecnologia é vista como uma oportunidade de crescimento em 3 a 5 anos por 65% das organizações entrevistadas na pesquisa “2018 Communications, Media, and Technology Risk Study”, da Marsch. Inclusive, 48% das empresas indicam que têm os seus produtos/serviços utilizados por outras companhias em dispositivos IoT.

Quer saber mais sobre a importância desse tipo de solução e as suas aplicações no varejo? Continue lendo e veja o que preparamos!

O que é a Internet das Coisas (IoT)

Como mencionado, a Internet das Coisas envolve a conexão de diferentes dispositivos entre si por meio da Internet. Dessa forma, podemos ter carros, geladeiras, ares-condicionados, entre outros equipamentos se comunicando via Web.

No varejo, isso envolve sensores, câmeras, máquinas de venda automáticas, entre outros aparelhos que não só trocam dados, como também geram informações estratégicas para os gestores tomarem decisões mais precisas.

Principais benefícios da IoT

A Internet of Things coleta e reúne um volume maior de dados por conectar diferentes equipamentos, indo além dos eletrônicos ou aparelhos de informática. É possível integrar computadores com veículos, wearables (tecnologias vestíveis), telas interativas, entre outros itens.

As informações obtidas podem ser agrupadas em relatórios e indicadores para fornecer detalhes e conteúdos importantes para a definição de estratégias mais acertadas pelas empresas, minimizando as chances de erros. Além disso, há os seguintes benefícios:

Segurança

O desenvolvimento da Internet das Coisas pode potencializar a segurança no transporte de cargas e no envio de produtos, uma vez que permitirá a existência de carros autônomos, que também poderão ser monitorados a distância. Graças a sensores e sistemas computadorizados, será possível reduzir a incidência de erros humanos que levam a acidentes e outros problemas.

Automação

Não só veículos poderão ser automatizados, como também sistemas de refrigeração (para quem atua com produtos perecíveis) e de aquecimento dos ambientes de trabalho em locais frios. Também será possível analisar o uso de eletricidade, como ocorre com medidores inteligentes, que registram o consumo elétrico e comunicam essas informações.

A grande vantagem da automação reside no potencial de aumento da capacidade produtiva, uma vez que reduz erros operacionais e eleva a velocidade de fabricação e de envio de produtos. O estoque automatizado também facilita o monitoramento de mercadorias e a obtenção de dados que são atualizados instantaneamente, graças a sensores e câmeras conectadas à Internet.

Rapidez

A aquisição de informações em tempo real diminui o tempo de resposta dos gestores e funcionários a possíveis riscos ou oportunidades, elevando a rapidez em tomar decisões. Também facilita o monitoramento de produtos e serviços.

Uso de IoT nas empresas

O mundo poderá ter cerca de 25 bilhões de coisas conectadas por meio de IoT até 2020. Desse contingente, boa parte estará nas empresas, que poderão utilizar essas “coisas” para obterem novos produtos, tomarem decisões melhores e ainda gerarem vantagens competitivas.

Por exemplo, o varejo na área de saúde terá como se beneficiar da venda de wearables com sensores que podem medir a pressão, a temperatura e o batimento cardíaco das pessoas. Já quem trabalha com planos de saúde contará com dados mais concretos e em maior volume sobre pacientes.

Com a ajuda de inteligência computacional e do monitoramento de enfermidades, será possível analisar os hábitos de cada pessoa, sugerindo opções melhores para o cuidado da saúde.

Aplicações no varejo

Novos canais de relacionamento com o cliente

Uma das vantagens da Internet das Coisas no varejo é fornecer soluções de sinalização digital, que poderão exibir mensagens visuais direcionadas aos consumidores e que são enviadas no momento em que cada cliente faz compra.

O melhor é que, por meio de telas interativas, será possível apresentar informações pesquisadas na Internet sobre os alimentos que clientes estão comprando, o que inclui aspectos nutricionais, curiosidades, receitas etc.

Melhorias na logística e no estoque

A gestão da cadeia de suprimentos também pode se beneficiar de IoT. Por intermédio da coleta de dados feita por chips, das análises de vídeos, dos sensores de detecção de movimento etc. dá para obter informações mais precisas a respeito dos padrões de movimento dos consumidores, identificando regiões estratégicas nos estabelecimentos.

Isso permite reestruturar, de forma otimizada, o layout de cada loja de modo a organizar produtos e prateleiras para aumentar as chances de vendas. Também pode-se relacionar, automaticamente, o layout às variações de comportamento do cliente e ao volume de vendas no intuito de executar testes A/B mais precisos. Isso pode ser feito, inclusive, no varejo online, isto é, nos e-commerces.

Com o uso de etiquetas RFID nas mercadorias, e com os seus dados integrados às informações emitidas por sensores nos automóveis de carga, dá para rastrear itens comprados e as suas condições em todas as etapas da rede de suprimentos. Isso envolvendo transporte, acondicionamento e entrega.

Os dados registrados pelos dispositivos ainda podem ser avaliados para obter informações valiosas sobre o estado e a localização das mercadorias, bem como o tempo para chegar ao cliente ou à empresa. Além disso, esses aparelhos poderão enviar notificações a aplicativos móveis de colaboradores apontando a necessidade de determinadas ações.

Monitoração de ambientes

Tecnologias IoT no varejo conferem maior visibilidade para a localização de produtos no almoxarifado. Por exemplo, ao empregar um sistema de gerenciamento de inventário que tenha por base o uso de chips RFID, beacons e sensores, dá para sincronizar recursos físicos com sistemas backoffice (a operação que não é vista pelo cliente), melhorando a gestão.

Outras tecnologias, como etiquetas de preço digital, câmeras de alta resolução e sensores de estantes, combinadas com recursos de análise de imagem, podem colaborar para otimizar o monitoramento de produtos em prateleiras.

Marketing mais preciso

Ao monitorar tráfego por meio de vídeo ou Wi-Fi, dá para saber as preferências de um cliente dentro do estabelecimento. Dessa forma, em tempo real, é possível personalizar a sua experiência ou direcionar um funcionário para ajudá-lo a encontrar as melhores ofertas. Além disso, é possível anunciar eventos e promoções aos clientes por meio de seus smartphones.

Como mencionado acima, a Internet das Coisas no varejo permite descobrir como consumidores se movimentam por um local. Isso ajuda no marketing da empresa, pois ações, ofertas e campanhas podem ser desenvolvidas com base nos hábitos de locomoção dos clientes, de modo a colocar painéis, preços, banners etc. nos pontos de maior visibilidade.

Redução de fraudes e extravios

IoT contribui para a redução de fraudes e extravios de produtos no estoque, uma vez que câmeras, sensores e chips RFID podem ser combinados para descobrir onde mercadorias estão. Com o uso de sistemas de computação e de aprendizado de máquina, dá para detectar movimentos suspeitos na empresa, prevenindo problemas.

Como visto, a Internet of Things no varejo traz melhorias e vantagens para a gestão de estoque, para as estratégias de marketing e para o controle das atividades organizacionais.

Quer receber mais dicas e conteúdos sobre tecnologia e ERP? Assine a nossa newsletter e seja avisado sobre os nossos próximos artigos em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *