Curva ABC: como funciona e suas principais aplicações nas empresas

Equipe TOTVS | 18 novembro, 2021

A gestão de estoque é um dos pilares mais críticos para o sucesso de um negócio — mas é caro. A Curva ABC é um método que visa organizar o estoque com base no valor dos itens para um negócio, aumentando a economia e a lucratividade no setor.

Na verdade, utilizar a Curva ABC no controle de estoque ajuda as empresas a priorizar o que realmente importa.

Na prática, isso se traduz em operações mais otimizadas e informações mais claras para uma melhor tomada de decisão.

Você sabe o que é, como funciona, no que é baseada e como calcular a Curva ABC em seu estoque? Nesse conteúdo, vamos explicar tudo!

Criamos um guia completo para esclarecer o que é Curva ABC, como ajuda as empresas, entre várias outras dicas. Confira!

O que é a Curva ABC?

A Curva ABC é um método de análise que envolve a categorização de itens com base em seu valor. É comumente utilizado no controle de estoque, embora tenha outras aplicações.

Na prática, a Curva ABC ajuda as empresas a identificarem os produtos mais valiosos (em relação à demanda dos clientes).

O objetivo da Curva ABC é economizar tempo na gestão de estoque, bem como reduzir os custos de armazenagem, direcionando o foco do time e a maior parte dos recursos para os itens que possuem maior valor agregado ao negócio.

Desse modo, é possível também reduzir o estoque obsoleto e desenhar estratégias mais eficazes para aumentar as vendas.

A Curva ABC classifica itens do estoque de uma empresa de acordo com o seu valor (que é composto de vários critérios, como demanda, custo e risco).

Com esses dados em mãos, os responsáveis pelo setor podem agrupar os itens em diferentes classes (chamadas de A, B e C, respectivamente).

Como funciona a Curva ABC?

A Curva ABC funciona assumindo que nem todos os itens do estoque de uma empresa possuem o mesmo valor. Alguns custam mais para comprar, já outros são vendidos mais frequentemente.

Com a Curva ABC, é possível realizar uma análise detalhada, que classifica todos os itens do estoque em ordem de valor, de modo que você possa priorizar o que é mais importante.

Ou seja, quais produtos são cruciais para manter seu fluxo de caixa no verde? Quais soluções que você vende custam muito, mas demoram para girar o estoque?

Desse modo, é possível melhor gerenciar seu estoque — e mesmo seu planejamento financeiro como um todo, desde sua produção até a estratégia de precificação — com base em métricas de vendas.

O princípio básico ao aplicar a Curva ABC é o seguinte: a empresa precisa entender a demanda do cliente para estabelecer se um determinado produto será efetivamente comprado.

Assim, reduz-se as chances de estoque encalhado e de prejuízos para a empresa.

Ao aplicar a análise ABC, a organização consegue identificar quais produtos não saem do estoque (ou que possuem giro lento) ou mesmo àqueles com margem de lucro desproporcionalmente abaixo do desejado.

É um método que oferece uma visão ampliada de todo cenário em relação às suas vendas: do melhor ao pior.

Com essas informações em mãos, é possível reestruturar todo seu planejamento de maneira mais eficiente.

Para isso, no entanto, a Curva ABC depende de um método de classificação de estoque que o divide em três categorias (A, B e C), em ordem decrescente de valor.

Cada uma das categorias é considerada assim:

Curva A: produtos mais importantes

No modelo ABC, a categoria A diz respeito aos itens com maior valor em termos de consumo (considerando o período de um ano).

Nessa categoria, considera-se que os itens correspondem a 20% do que você tem em estoque, mas representam até 80% do seu faturamento. 

Curva B: produtos intermediários (ou de importância média)

Já a categoria B diz respeito aos itens de valor médio: os itens aqui correspondem a cerca de 30% do seu estoque e, quando vendidos, são responsáveis por 15% do faturamento.

Curva C: produtos menos importantes

Por fim, temos a coluna de menor valor: eles correspondem a 50% dos itens em estoque, mas no fim do ano, representam apenas 5% do que foi faturado em vendas.

O que é o Princípio de Pareto?

A Curva ABC é baseada no Princípio de Pareto, também conhecido como Lei 80/20. De acordo com o princípio, 80% do volume de vendas são gerados a partir de 20% dos itens em estoque.

Essa regra de 80/20 é o que compõe as categorias da Curva ABC, como mostramos acima.

Este método ajuda  identificar a categoria de itens do estoque que impactam no faturamento anual.

Assim, é possível que os gerentes otimizem o armazenamento, o estoque e a produção da empresa, alocando mais eficientemente os recursos.

Quer um exemplo? Veja só:

Victor tem uma empresa de piscinas pré-moldadas, mas vende outros itens para a manutenção rotineira das piscinas dos clientes. Ao fazer a Curva ABC, considerando que fechou o ano em R$300 mil de faturamento, os resultados foram:

  • A: Piscinas pré-moldadas, que variam de R$8 mil a R$20 mil a unidade (sem considerar custos de instalação). No ano, faturou R$240 mil.
  • B: Filtros, bombas e equipamentos de aquecimento. No ano, ele vendeu R$45 mil em produtos desta categoria.
  • C: Produtos para tratamento de água e equipamentos de iluminação. No ano, ele vendeu R$15 mil em produtos desta categoria.

Não é difícil imaginar a composição de seu estoque, certo? A piscina pré-moldada é o tipo de produto com maior ticket, mas que evidentemente tem menor saída e compõe uma menor porção do estoque.

Já no caso dos produtos e equipamentos da categoria B, falamos de itens medianos no ponto de vista do ticket do cliente.

E no caso dos produtos da categoria C, são produtos com alto giro de estoque, que compõem a maior parte das prateleiras da loja, mas que menos impactaram no faturamento.

Lembrando que este é só um exemplo. Existem negócios — semelhantes ao nosso próprio caso hipotético — em que as categorias e produtos se invertem.

Para contextualizar, um caso fácil de entender: a Apple!

Em 2018, de acordo com dados da Statista, os iPhones representavam cerca de 60% do faturamento anual da gigante tech.

Evidentemente, não é o produto da marca com maior ticket — hoje, e também na época, ainda eram seus computadores da linha iMac.

Ainda assim, o iPhone (considerando todas as versões) é o produto que possivelmente mais ocupa espaço no estoque.

Benefícios de utilizar a curva ABC

Aplicar a Curva ABC na gestão de estoque pode transformar o seu negócio. Quer saber como é possível na prática? Explicamos alguns dos principais benefícios de implementar o método, confira!

Lucratividade

Através do monitoramento e coleta de dados sobre os produtos, você tem maior noção sobre o que mais possui demanda do cliente.

Desse modo, é possível projetar as vendas com maior precisão — o que influencia diretamente nos níveis de estoque e na margem de lucro do negócio.

Sem gastos extrapolados, é possível manter uma operação que constantemente fica no azul.

Além disso, esse tipo de análise possibilita que você fique sempre atento aos produtos ou serviços que mais vendem — e se a demanda está aumentando.

Neste caso, é possível agir rápido em uma estratégia de precificação, aumentando o preço para melhorar a lucratividade geral.

Investimento

Outro ponto determinante por trás do uso da Curva ABC é que ela permite a você reavaliar os investimentos feitos com mais precisão.

Ou seja: o que elas compram e efetivamente vendem, recuperando o investimento realizado.

Com a Curva ABC, é possível realizar essa leitura e determinar cortes com mais segurança, o que contribui para uma melhor gestão orçamentária.

Além disso, há o aspecto da negociação e gestão do fornecedor.

Como cerca de 80% da sua receita vem dos produtos da classe, faz sentido negociar melhores condições para esses itens (afinal, você irá continuar a comprá-los, certo?).

Se o fornecedor não concordar em uma possível redução de custos, tente explorar outros caminhos na negociação, como melhores condições de pagamento, redução de juros de dívidas passadas ou mesmo isenção do frete.

Redução de desperdícios

Mais uma razão pela qual as empresas usam a Curva ABC é sua capacidade de otimizar o estoque com base nos dados.

Veja bem: para atender às necessidades do cliente, bem como obter um volume de vendas significativo e aumentar a lucratividade, uma empresa deve categorizar seus produtos com base na demanda, importância e lucro.

Desse modo, é mais fácil compreender quais produtos realmente têm saída e que impactam no faturamento do negócio.

Muitas vezes, sua operação pode depender de um ou outro produto, enquanto vários outros apenas ocupam espaço no estoque ou representam uma margem de lucro muito baixa — tão baixa que não vale a pena.

Depois de aplicar a Curva ABC, é possível tornar o supply chain mais uniforme (investindo naquilo que é realmente necessário), o que reduz os custos de compra e estoques adicionais.

Como a Curva ABC ajuda as empresas?

Apesar de soar um método muito calcado em números, a Curva ABC tem uma aplicação prática valiosa na rotina de gestão de estoque.

É uma forma de estruturar sua visão estratégica sobre os produtos que você vende e a relação entre seu faturamento e a demanda dos clientes.

Percebe como essa análise impacta em múltiplos aspectos do negócio — indo bem além do estoque?

É que a Curva ABC ajuda as empresas de diversas maneiras, confira:

Planejamento de compras

Uma vez que você entende a demanda do seu cliente (quais itens mais são comprados, quais deles apresentam maior ticket, quais deles não desencalham do estoque, etc.) é possível aprimorar seu planejamento de compras.

Você vai entender quais itens priorizar e quais não precisa se preocupar tanto — ou melhor, investir tanto tempo — no processo de negociação.

Por exemplo, pense nos itens do grupo A da empresa que exemplificamos antes, que vende piscinas e acessórios.

O que compõe essa categoria é a piscina pré-moldada. Logo, é um produto indispensável. Você não pode deixar de tê-lo no estoque, pois senão corre o risco de perder uma venda de alto ticket.

Isso significa que seu planejamento de compras deve priorizar esse item: as negociações com os fornecedores devem acontecer de forma antecipada, para garantir que nunca falte.

Além disso, o cuidado com qualidade e inovação possivelmente será maior.

É esse tipo de item que irá direcionar grande parte da rotina do setor de compras, indo além da negociação, mas impactando também o monitoramento de mercado e de fornecedores, por exemplo.

Planejamento de vendas

O mesmo que acontece no setor de compras, se repete no setor de vendas: ao ampliar seu olhar sobre o que é realmente importante para o seu negócio, você vai poder reestruturar seu planejamento de vendas.

Ou seja, investir tempo e recursos na venda de produtos que realmente impactem o seu faturamento.

Mas claro, sem esquecer da venda de outros itens. É uma relação diferente.

Mas ao saber quais são, você terá em mãos as informações necessárias para criar estratégias de relacionamento com esses clientes.

Voltando ao exemplo da empresa de piscinas e artigos relacionados de Victor:

Os produtos da classe B e C têm sua venda condicionada a, basicamente, a relação que ele mantém com os clientes.

Afinal, são itens cuja necessidade é esporádica, mas não incomum (no caso da classe B), e outros são necessários de maneira periódica, no mínimo mensalmente (no caso da classe C).

É preciso trabalhar sabiamente com promoções e outras ações que atraiam os clientes, de modo a ampliar seu lifetime-value (LTV).

Gestão de estoque

Com a análise da Curva ABC, sua empresa minimiza as chances de erros relacionados ao controle do estoque.

Por exemplo, ao entender os principais produtos do seu catálogo, você evita situações em que o cliente quer comprar o produto da classe A, mas que não consta em estoque. Além disso, evita também o exagero na compra de produtos da classe C.

É um equilíbrio complexo, pois normalmente os produtos mais vendidos não são os que compõem a maior fatia do faturamento.

Por isso, com a Curva ABC, você tem informações de qualidade para compor seu mix de produtos.

Planejamento de logística

Quando relacionamos o planejamento logístico com a Curva ABC, basicamente falamos sobre a categorização e priorização dos seus produtos.

Evidentemente, produtos da classe A vão exigir mais cuidados, em áreas dedicadas, prateleiras ou contêineres cobertos, etc.

São produtos que também vão exigir um melhor tratamento na logística — tanto em relação aos insumos vindos de fornecedores, como no envio ao cliente.

Pense no caso particular da empresa de piscinas do nosso exemplo. As piscinas pré-moldadas vão exigir um armazenamento e transporte muito mais cuidadoso do que os produtos das classes B e C.

Como calcular a Curva ABC?

E agora, para a parte prática da Curva ABC, é hora de aprender como fazer o cálculo e representar a curva de maneira gráfica. Você está preparado?

Para a tarefa, recomendamos utilizar um sistema de gestão financeira que simplifique a atividade: basta adicionar os dados e pronto!

Todo gráfico é gerado de maneira automática, simplificando seu entendimento.

Porém, você pode seguir passo a passo, fazendo a relação dos itens, a classificação e o gráfico à mão ou em uma planilha do Excel. Vamos lá?

1. Faça o mapeamento dos itens vendidos

Primeiro de tudo, mapeie todos os produtos vendidos e que você ainda mantém em estoque.

Busque marcar seu nome e outras informações importantes, como seu código, o fornecedor, preço de custo por unidade, a quantidade em estoque e a descrição de cada um.

2. Organize por ordem decrescente

Lembra que a Curva ABC funciona em uma categorização em ordem decrescente? Isso quer dizer que você deve classificar os itens por prioridade.

Ou seja, na classe A, àqueles com maior ticket, mas que ocupem pouco espaço no estoque — e assim por diante.

Essa classificação vai depender do tipo de negócio e dos objetivos de sua empresa.

Suas classificações devem estar alinhadas com o tipo de estoque que você mantém e como seus negócios são administrados.

Lembre-se de se basear em métricas para determinar o valor do item, como vendas totais do produto, a margem bruta, custos de compra e de manutenção.

Depois de calcular as porcentagens para cada item, coloque-os nas categorias A, B e C.

3. Faça o cálculo dos valores acumulados

Agora, é hora de reorganizar os produtos para entender seu valor total e o valor acumulado do seu estoque.

Voltemos ao exemplo da empresa de Victor:

  • 5 piscinas médias pré-moldadas que custam R$15 mil cada;
  • 6 piscinas grandes pré-moldadas que custam R$20 mil cada;
  • 8 piscinas pequenas pré-moldadas que custam R$8 mil cada;
  • 90 filtros de piscina que custam R$300 cada;
  • 140 bombas de piscina que custam R$600 cada;
  • 400 potes de 3 kg de Cloro para piscina que custam R$60 cada;
  • 210 potes de 10 kg de Cloro para piscina que custam R$150 cada.

Logo, em valor acumulado temos:

  • 5 x 15000 = 75.000
  • 6 x 20000 = 120.000
  • 8 x 8000 = 64.000
  • 90 x 300 = 27.000
  • 140 x 600 = 84.000
  • 400 x 60 = 24.000
  • 210 x 150 =  31.500

Para saber o valor acumulado, basta somar todos esses resultados. No caso, acabaríamos com o valor acumulado de: R$425.500,00.

4. Defina as porcentagens com base no valor total

Agora, você deve elencar as categorias de acordo com a porcentagem de cada produto listado em relação ao total. Se não possuir um sistema de gestão para automatizar o cálculo, uma simples regra de três pode ajudá-lo.

No exemplo listado, a porcentagem ficaria o seguinte:

  • Piscinas médias: 17,63%;
  • Piscinas grandes: 28,20%;
  • Piscinas pequenas: 15,04%;
  • Filtros: 6,35%;
  • Bombas: 19,74%;
  • Potes de 3 kg: 5,64%;
  • Potes de 10 kg: 7,40%.

5. Defina os itens conforme as curvas

O próximo passo é definir os itens conforme as categorias.

No exemplo acima, os três primeiros itens configuram a classe A (maior valor, menor porcentagem dos itens em estoque).

Já as bombas e filtros compõem a classe B, enquanto os potes de cloro compõem a classe C.

Que ferramentas utilizar para fazer uma Curva ABC?

Como mencionamos, você pode utilizar diferentes ferramentas para fazer sua análise em Curva ABC, das mais simples às mais práticas.

O sistema de gestão permite que você simplifique todo processo que descrevemos acima e, através do recurso de análise ABC, faça automaticamente a avaliação do estoque e vendas, valor acumulado, categorização e representação gráfica da Curva.

Porém, você pode fazer de maneira mais prática, seja na mão (o que não recomendamos, especialmente no ambiente corporativo) ou por meio de uma planilha — já que muitas empresas que dependem dessa ferramenta costumam criar gráficos nas próprias planilhas.

A importância da tecnologia na criação e acompanhamento da Curva ABC

Muito além de auxiliar no cálculo através de recursos avançados, um sistema de gestão completo auxilia você no acompanhamento do seu estoque.

Ou seja, todas as entradas e saídas em números atualizados em tempo real.

Um sistema de gestão não apenas facilita seu acesso ao relatório da Curva ABC de seu estoque e dos clientes, mas também permite que você controle vários setores do negócio, como o departamento de Compras e Vendas.

Desse modo, tem totais condições de implementar uma estratégia vencedora que leve seu negócio na direção de seus objetivos mais ousados.

ERP da TOTVS

Você conhece o ERP da TOTVS? Uma solução que vai além do ERP convencional e entrega a você um verdadeiro ecossistema de funções, recursos e tecnologias para melhor gerenciar sua empresa.

Com um sistema de gestão da TOTVS, o acesso a dados aprofundados e relatórios em templates populares (como a Curva ABC) é uma questão de poucos cliques — tudo de maneira objetiva e intuitiva.

O ERP da TOTVS lhe dá poder sobre a sua operação, permitindo que você controle as vendas, o financeiro, as compras, o RH, o seu estoque e seu setor logístico.

Você integra todo o negócio em uma só ferramenta.

Que tal conhecer mais sobre o ERP da TOTVS e todas as possibilidades da nossa solução?

Nova call to action

Conclusão

Gostou de aprender mais sobre a Curva ABC? Neste guia completo, mergulhamos para além do conceito para explicar o funcionamento, o princípio no qual o método é baseado, os benefícios e como calcular a Curva ABC.

Na gestão do seu negócio, algumas coisas são indispensáveis para trilhar um caminho positivo para o sucesso — é o caso do controle de estoque, por exemplo.

Com a Curva ABC, é mais fácil e prático organizar seu planejamento de compras, vendas e logística, moldando a operação para caminhar lado a lado com as demandas de seus clientes.

E agora, que tal seguir aprendendo? É só continuar de olho nos posts aqui do blog da TOTVS!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.