Gestão de custos: o segredo para dar mais rentabilidade à Logística

Equipe TOTVS | Biblioteca | 09 agosto, 2018

A mudança de comportamento do consumidor, provocada pela adoção em massa das tecnologias digitais, revolucionou as cadeias produtivas. Agora é a demanda do cliente final que dita o ritmo da produção. Mais bem informado do que nunca e com o poder das conexões de banda larga a seu lado, ele é cada vez mais exigente em relação a qualidade dos produtos e do atendimento. E quer preços cada vez menores.

Isso cria uma forte pressão sobre o setor logístico. Agora, as empresas precisam ser mais eficientes e ágeis, ao mesmo tempo em que veem suas margens reduzidas em função de um mercado extremamente sensível a preço. Nos últimos anos, isso se tornou ainda mais urgente no mercado brasileiro, em função da crise. Portanto, para manter o crescimento, o desafio das transportadoras é reduzir custos para recuperar a margem de lucro. Mas sem perder a qualidade do serviço.

Sistemas TMS
Para isso, é essencial adotar tecnologias que permitam otimizar os recursos da empresa e aumentar a eficiência dos processos. Um bom caminho é a adoção de um sistema TMS, software para controle de cargas, rotas, entregas, produtividade e gestão de documentos fiscais. Com isso, é possível reduzir o gasto de tempo e recursos em tarefas repetitivas, especialmente quando a solução está integrada a outras plataformas como o ERP, que unifica a gestão de dados em todos os setores da empresa.

Além de agilizar os processos, o uso do TMS nas transportadoras evita erros no recebimento e envio de mercadorias, mais frequentes quando esses processos são realizados manualmente. Com isso, as empresas aumentam a eficiência operacional e a qualidade de serviço, ao mesmo tempo em que reduzem custos e eliminam eventuais prejuízos.

Custo operacional
Sistemas de TMS também otimizam os custos operacionais. O módulo de gestão de rotas, por exemplo, aumenta a velocidade das entregas e melhora o aproveitamento dos veículos. Já os softwares de gestão de frota permitem controlar o custo agregado da frota e, também, de cada caminhão. Isso inclui consumo de combustível, desgaste de peças (que podem ser acompanhados por meio de telemetria) e gastos com manutenção, entre outros.

Manutenção
Desse modo, o gestor da empresa fazer um programa de manutenção preventiva mais eficiente, alertando para a necessidade de troca de peças, entre outras medidas para melhorar a performance dos veículos. Perder o prazo de troca de óleo e filtros, por exemplo, pode representar um aumento de até 25% no consumo de combustível.
Com o módulo de gestão de frotas, transportadora também poderá saber com exatidão o nível de eficiência de cada motorista da empresa ao volante. A má condução é responsável por alta no consumo de combustível e desgaste excessivo dos veículos. Ao identificar quem está agindo dessa maneira, a empresa poderá substituí-los ou promover treinamentos de reciclagem para corrigir o problema.

Dessa maneira, as empresas do setor logístico podem encontrar o fôlego necessário para atender as exigências das novas cadeias produtivas. Ao mesmo tempo em que se concentram no desenvolvimento de novas estratégias de negócio que permitam oferecer serviços mais lucrativos e maior valor agregado para seus clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *