Logística verde: conceito, importância, exemplos e como aplicar

Equipe TOTVS | 18 maio, 2022

Logística verde é um conceito que vem ganhando cada vez mais força nos últimos anos. Mas não se trata de uma novidade para marcas que se preocupam com os impactos da sua operação no meio ambiente há décadas.

Na verdade, os princípios da eco-logística (como também é chamada) são até mesmo estabelecidos por diversas leis brasileiras, que visam guiar as empresas para uma operação mais sustentável.

Hoje, vamos ensinar tudo o que você precisa saber sobre logística verde, com exemplos e um passo a passo de como aplicá-la na sua empresa. Boa leitura!

Qual o conceito de logística verde?

Logística verde é um termo que tem origem no inglês “green logistics“, também traduzido como eco-logística.

Trata-se de um conjunto de medidas e ações sustentáveis nos processos logísticos de uma determinada empresa.

O principal objetivo da logística verde é ajustar os processos para que eles causem menos impactos ao meio ambiente.

Portanto, para implementar a eco-logística, é preciso estar atento a alguns pontos, como a produção, armazenamento, transporte, retorno e reaproveitamento dos resíduos que foram produzidos pela empresa.

Em outras palavras, a ideia é que cada uma das etapas de produção e distribuição da empresa seja planejada de modo a reduzir os impactos ambientais naturais da operação daquela indústria ou companhia.

Qual a diferença entre logística reversa e logística verde?

Tanto a logística verde quanto a logística reversa são atividades que têm uma preocupação com o meio ambiente. Contudo, elas não são a mesma coisa.

A eco-logística diz respeito a um conjunto de atividades e posturas em todos os processos de logísticas que antecedem a produção e entrega de um produto.

O foco aqui é gerar o menor impacto possível ao meio ambiente, tornando a produção mais limpa.

Para atingir esses objetivos, a empresa precisa criar um planejamento estratégico que esteja preocupado com a sustentabilidade.

Nesse sentido, pode-se adotar ações como o uso racional dos recursos, a redução da dependência de combustível fóssil na frota e uma logística de transporte preocupada em reduzir as emissões de carbono, só para dar alguns exemplos.

Já a logística reversa diz respeito ao pensamento responsável pelos produtos gerados na indústria, como embalagens, materiais químicos etc.

Trata-se, no fim das contas, de uma parte da eco-logística que tem como objetivo dar atenção aos produtos, mesmo quando já foram entregues.

Ou seja, quando falamos em logística reversa, nos referimos ao recolhimento de materiais para reciclagem, descarte correto de itens poluentes (como óleos lubrificantes, pneus, baterias etc.) e outras ações.

Enquanto algumas empresas criam o seu próprio projeto de logística reversa, outras participam de projetos coletivos que facilitam a dinâmica da empresa.

Quais são os objetivos da logística verde?

Como vimos, o principal objetivo da logística verde é diminuir o impacto da produção industrial e seu transporte sobre o meio ambiente. 

Ou seja, podemos resumir os objetivos da logística verde nos seguintes termos:

  • Ser capaz de medir a pegada de carbono das operações logísticas e, assim, ter um ponto de partida para considerar medidas em prol da sustentabilidade;
  • Diminuir a poluição do ar, solo, água e sonora, medindo os impactos de cada uma das áreas logísticas, em especial aquelas vinculadas ao transporte;
  • Promover o uso racional dos recursos, reaproveitando materiais, contêineres e reciclando embalagens;
  • Fazer com que a sustentabilidade se torne extensiva à cadeia de suprimentos, trazendo consigo a concepção de produtos e packing, sendo que ambos devem ser projetados para minimizar os impactos ambientais.

Qual a importância da logística verde?

Antes de tudo, apesar de a logística verde parecer um diferencial entre as empresas, na verdade, não se trata de um extra para os clientes, mas de uma obrigação prevista em lei e de responsabilidade ambiental.

Leis como a Política Nacional do Meio Ambiente (Lei no 6.938/81); Lei dos Crimes Ambientais (Lei no 9.605/98); Lei dos Agrotóxicos (Lei no 7.802/89); Política Nacional de Resíduos Sólidos, ou PNRS (Lei no 12.305/10); e a Lei do Zoneamento Industrial (Lei no 6.803/80) são a maior prova disso.

Todas essas regulamentações têm como objetivo auxiliar as empresas na diminuição dos danos ao meio ambiente, estabelecendo normas que devem ser seguidas e respeitadas para uma manutenção dos recursos naturais do planeta.

Por isso, os consumidores estão cada vez mais atentos às políticas sustentáveis adotadas pelas marcas.

De acordo com uma pesquisa da Opinion Box, 55% do público entrevistado prioriza empresas que têm foco em cuidar do meio ambiente e mostram essa preocupação por meio de ações como o retorno de embalagens, por exemplo.

Logística verde: conheça as etapas de sua cadeia produtiva

Para que a sua empresa tenha uma cadeia produtiva mais ecológica, é importante conhecer de que forma a eco-logística pode atuar nos mais diferentes processos de fabricação, manutenção, estoque e logística de entrega.

Até nas etapas mais simples de operação, é possível buscar formas de reciclagem ou reuso para reduzir os danos ao meio ambiente e também os custos, tornando sua empresa mais eficiente e produtiva.

Veja qual a ‘solução verde’ para cada etapa a seguir:

  • Empacotamento: prioridade de uso de embalagens biodegradáveis ou redução de uso de matéria-prima;
  • Carga e descarga: redução de desperdício e investimento em soluções inteligentes e tecnológicas nos meios de produção;
  • Armazenamento: organização e gestão para facilitar o transporte;
  • Transporte: preferência por veículos que emitem menos gases do efeito estufa e que demandam menos energia, assim como investimento em soluções como sistemas de roteirização;
  • Distribuição: redução de custos em deslocamento ou na produção de resíduos gerados em entregas;
  • Gestão de dados: retenção de informações sobre todo o processo produtivo para analisar melhorias, reduzir desperdícios e entender o que pode se tornar mais eficiente e ecológico;
  • Reciclagem e reutilização: buscar soluções para coleta e reciclagem de material de fabricação ou de produtos.

Onde a logística verde se aplica?

A logística verde é uma mudança que pode ser implementada por todas as empresas, independente do segmento ou do porte da organização.

As principais boas práticas desse tipo de logística consistem na redução de danos ao meio ambiente.

Para que as empresas estejam dentro das legislações vigentes e ainda possam contribuir para uma operação mais sustentável, elas podem propor mudanças como:

  • Redução de emissão de poluentes;
  • Reciclagem e reutilização de produtos e embalagens;
  • Rastreio e coleta de resíduos para coleta;
  • Roteirização para melhorar a eficiência de rotas e reduzir o tempo de uso de transportes.

Quais os principais desafios enfrentados pelo setor?

Na prática, muitas empresas acabam se deparando com obstáculos que dificultam a implementação da logística verde. Os principais desafios do setor incluem:

  • Dependência dos combustíveis fósseis: ainda não existem tantas soluções eficazes e viáveis que permitam diminuir o nível de dependência dos combustíveis fósseis para o transporte de mercadorias;
  • Entregas de última milha: especialmente com o boom de e-commerces nos últimos anos, as empresas estão enfrentando desafios maiores para atender a demanda de entregas em tempos recordes;
  • Falta de investimento em tecnologia e infraestrutura: a falta de recursos e limitações do setor logístico também atrasam o avanço de soluções mais sustentáveis, já que uma das etapas da logística verde consiste no investimento de ferramentas tecnológicas para otimizar roteirização e outras etapas da cadeia produtiva.

O que é o Programa de Logística Verde Brasil?

O Programa de Logística Verde Brasil (PLVB) é um dos programas mais famosos no país, pois trata-se de uma iniciativa de empresas brasileiras que firmam um compromisso de responsabilidade socioambiental.

Entre os vários objetivos do PLVB, estão as metas de reduzir as emissões de gases de efeito estufa, especialmente de dióxido de carbono (CO2), mas também de outros poluentes emitidos em operações de logística no Brasil.

Exemplos de empresas que praticam a logística verde

Para muitas marcas nacionais e internacionais, a eco-logística não é nenhuma novidade.

Por conta da necessidade urgente de transformação sustentável, muitas empresas já inovaram para tornar as operações logísticas mais eficientes e menos agressivas ao meio ambiente.

São exemplos famosos de logística verde Natura, HP e Philips. Veja abaixo de que forma essas grandes corporações implementaram essas soluções:

Natura

A Natura é uma empresa bastante conhecida por sua preocupação com o meio ambiente. Por isso, a marca está sempre entre os destaques de empresas que fazem ecodesign e que promovem a reutilização de resíduos, embalagens e materiais de divulgação.

Para implementar uma logística mais sustentável, a Natura apresenta dois programas: a Logística Reversa e o Carbono Neutro Dois.

Esse primeiro programa, criado em 2007, tem como objetivo principal melhorar o ciclo de vida das embalagens, que são recolhidas para reciclagem após o uso.

O programa Carbono Neutro, lançado em 2001, é uma ação da empresa que visa reduzir as emissões de gases emitidos em toda a cadeia produtiva, desde a produção dos produtos até o transporte aos clientes finais.

Foi dentro desse programa que a empresa conseguiu desenvolver embalagens de polietileno verde, que são 100% recicláveis e produzidas com base na cana-de-açúcar.

HP

A HP é uma empresa internacional bastante famosa por suas estratégias de logística verde. No Brasil, o programa implementado se chama “HP Planet Partners Brasil”.

Na prática, a empresa desenvolve uma série de ações que visam reduzir os danos ao meio ambiente, como o cuidado no recolhimento e descarte de materiais como cartuchos e toners, que não devem ir para lixos comuns.

Uma das ideias do programa é ter uma agenda para recolher e reciclar as novas peças, sem custo para os clientes.

A empresa conta com mais de 400 pontos de descarte e disponibiliza esse serviço para consumidores finais e empresas do setor público e privado.

Philips

Assim como a HP, a Philips também tem um programa para reduzir o descarte inadequado de materiais no lixo comum, mas nesse caso o recolhimento é de peças e objetos eletrônicos.

Além de materiais eletrônicos, a empresa também realiza a coleta de pilhas, lâmpadas e outros resíduos que ou serão reutilizados ou descartados da maneira correta.

6 estratégias para aplicar a logística verde em suas operações

Confira agora algumas estratégias para aplicar a logística sustentável na sua operação:

1. Faça uma avaliação criteriosa dos fornecedores

Uma das principais ações que a sua empresa pode tomar para garantir uma operação com menos impacto ao meio ambiente é avaliar criteriosamente seus fornecedores.

Quais são as empresas que oferecem a matéria-prima que você utiliza para fazer seus produtos? Quais são as atitudes dessas empresas em relação às políticas ambientais? Tratam-se de negócios em acordo com as legislações vigentes sobre o assunto?

Se você deseja implementar a eco-logística de fato na sua empresa, perguntar-se sobre essas questões é fundamental, pois, como vimos, a ideia é ter toda uma cadeia produtiva que seja sustentável, não somente uma operação que cause menos impactos.

2. Atente-se ao layout dos armazéns

Outra estratégia muito eficiente para implementação da logística mais sustentável é se atentar ao layout dos armazéns para conseguir uma instalação mais eficiente.

A ideia aqui é reduzir os desperdícios por meio da melhoria global dos processos, seja reduzindo os deslocamentos dentro do armazém, prevenindo danos no estoque, evitando que mercadorias estraguem, estabelecendo processos de controle de qualidade etc.

3. Faça o gerenciamento de resíduos e desperdícios

Também é possível implementar a eco-logística na sua empresa por meio de processos de gerenciamento de resíduos e desperdícios.

Você pode, por exemplo, estabelecer processos de classificação dos resíduos de acordo com os materiais a reciclar, ou seja, separar o que será descartado.

Outros exemplos são reduzir ao máximo o uso de papel nos armazéns por meio da implementação de soluções tecnológicas, ou controlar a gestão de resíduos especiais para que sigam os procedimentos adequados de reciclagem.

4. Invista na manutenção preventiva da frota

As empresas que trabalham com entregas ou atendimento a domicílio podem implementar a eco-logística por meio da manutenção preventiva da frota.

Realizando a manutenção preventiva da frota, é possível não somente gastar menos no longo prazo, mas também evitar desperdícios, diminuindo o impacto dos veículos sobre o meio ambiente.

5. Aposte em tecnologias limpas

Apostar em tecnologias limpas, ou seja, que possuem quase nenhum impacto sobre o meio ambiente, também é uma forma de diminuir os impactos da sua operação no meio ambiente.

No caso de empresas de entrega, por exemplo, investir em uma frota elétrica, que não consuma combustíveis fósseis, é uma ótima opção.

6. Garanta eficiência na gestão de frotas

Por fim, uma das maneiras mais eficientes de implementar a logística verde na sua empresa é por meio de uma gestão de frotas eficiente.

A gestão de frotas é uma série de estratégias e metodologias que são implementadas no gerenciamento de uma frota de veículos que pode atingir diversos objetivos.

Por meio da gestão de frotas, é possível, por exemplo, reduzir os gastos com combustível, evitando que os veículos tenham de trafegar por rotas muito longas.

Isso acaba tendo um impacto direto tanto no bolso do empresário quanto no meio ambiente, já que menos combustível será gasto para realizar as entregas.

TOTVS Planejamento de Rotas

O TOTVS Planejamento de Rotas é a solução mais eficiente para as empresas que desejam implementar a logística verde na sua operação.

Por meio desse sistema, as empresas do setor logístico podem gerenciar suas entregas de maneira muito mais eficiente, consumindo menos combustível e gerando um impacto menor sobre o meio ambiente.

Além disso, também existem inúmeros outros benefícios, como ferramentas de geolocalização em tempo real, visualização das viagens em mapa digital e um dashboard completo com todos os pedidos e roteirização.

O TOTVS Planejamento de Rotas também pode ser integrado aos principais ERPs do mercado, economizando tempo, papel e recursos para a sua empresa.

Aproveite todas as funcionalidades do TOTVS Planejamento de Rotas. Clique e experimente grátis por 30 dias!

Nova call to action

Conclusão

A logística verde é fundamental para que as empresas sejam capazes de diminuir os impactos da sua operação sobre a natureza.

Em teoria, trata-se de uma forma de seguir a legislação vigente e atrair mais clientes para a empresa. Mas, na prática, é uma forma de garantir o bem-estar das gerações futuras.

Uma das melhores formas de começar a aplicar hoje mesmo esse tipo de iniciativa na sua empresa é por meio de um roteirizador profissional, como é o caso do TOTVS Planejamento de Rotas, que vai ajudar a sua empresa não somente a ter um impacto menor sobre o meio ambiente, como também a economizar recursos com a operação logística.

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.