Varejo digital: como fazer a transformação nesse setor e crescer seu negócio?

Equipe TOTVS | 08 junho, 2022

O varejo digital é uma solução de mercado cada vez mais presente nas empresas que querem acompanhar as mudanças do mundo virtual.

Esse canal de venda tem auxiliado na experiência de compra do consumidor e na presença da marca online, ambiente digital em que boa parte dos consumidores navegam.

E, devido a esse cenário, esse modelo é uma oportunidade de negócio extremamente lucrativa. O varejo digital faturou R$35,2 bilhões somente no primeiro trimestre de 2021, segundo dados da Neotrust.

Por essa razão, o digital precisa ser visto como uma tendência a ser incorporada pelo setor varejista. E, para você entender mais sobre essa realidade, resolvemos criar um conteúdo sobre o tema. 

A seguir, vamos falar sobre esse tipo de venda dentro da era online e, principalmente, sobre o varejo digital no Brasil. Vamos juntos? Boa leitura!

O que é varejo digital? 

O varejo digital, ou varejo online, pode ser definido como uma atualização do varejo tradicional, ou seja, o consumo é feito de forma virtual.

Dessa forma, o consumidor não precisa estar fisicamente em uma loja para comprar um produto que deseja, podendo ter essa experiência de forma muito mais flexível e prática no ambiente online.

Todo esse processo se dá devido à entrada da tecnologia na vida dos potenciais clientes. 78% dos consumidores usam dispositivos móveis para se conectar com marcas, por exemplo, como mostra esse relatório global da Genesys

E uma empresa que é customer centric precisa se preocupar em trazer esse tipo de experiência para seu potencial cliente.

Como funciona o varejo online?

O varejo online funciona por meio de uma série de experiências que permitem aos consumidores interagir com seu ambiente virtual a partir dos mais diversos espaços digitais.

De forma geral, o varejo na era digital busca integrar diferentes meios virtuais de atendimento e venda

O funcionamento desse comércio faz com que desde a escolha do produto até a chegada ao consumidor final aconteçam totalmente por intermédio da internet.

Além disso, é importante destacar que o varejo virtual deve ser uma experiência conectada, que permita aos consumidores entender cada etapa do processo de compra.

Quais as diferenças entre varejo digital e varejo físico?

Além de entender o que significa o varejo digital, é importante compreender o que o diferencia do varejo físico ou tradicional. Por isso, vamos falar um pouco sobre as principais diferenças.

  • local de compra: diferente do varejo tradicional, que conta com um ponto físico, o varejo digital não tem um espaço físico, pois existe uma vitrine virtual para os produtos;
  • atendimento ao cliente: da mesma forma, o atendimento no varejo físico é presencial, e o atendimento no varejo virtual pode ser por mensagem, e-mail ou telefone;
  • estoque de produtos: no tradicional, a disponibilidade de produtos depende do que existe fisicamente na loja. Já no digital, é possível ir além do que comporta um ambiente físico, funcionando por demanda;
  • experiência do consumo:  com a digitalização do varejo, o consumidor precisa aguardar a entrega do pedido. Já no físico, o consumidor pode experimentar o produto e comprá-lo imediatamente;
  • alcance de público: enquanto o varejo físico pode atender apenas à região local, a depender da infraestrutura, o digital pode ter clientes do mundo todo devido aos serviços de entrega.

Um panorama sobre o varejo digital no Brasil

A compra online estimulada pelo cenário pandêmico do coronavírus, iniciado em 2020, fez com que o processo de migração e integração do varejo com a tecnologia acontecesse de forma muito mais acelerada.

Assim, a transformação do varejo online a partir da necessidade de inovação fez com que 2020 fosse considerado o ano do e-commerce no Brasil.

De acordo com o relatório Webshoppers 43, da Ebit/Nielsen e do Bexs Banco, o comércio eletrônico no Brasil avançou 41% neste ano, atingindo faturamento de R$87,4 milhões. 

E o interessante é que as pesquisas subsequentes no varejo têm mostrado essa tendência crescente. A Neotrust constatou que o varejo digital faturou R$ 35,2 bilhões no primeiro trimestre de 2021.

Foram realizadas 78,5 milhões de compras on-line no período. E isso representa um aumento de 72,2%, em relação ao mesmo período do ano de 2020. Além de tudo isso, os empresários que fizeram essa migração também têm percebido isso.

Segundo dados da segunda edição da pesquisa Transformação Digital no Varejo Brasileiro, 1 em cada 9 entrevistados apontaram um crescimento no faturamento da empresa a partir da adoção de iniciativas digitais.

A partir desses dados, fica fácil de entender que o cenário é extremamente promissor para implementar esse formato de varejo no seu negócio, para que ele possa sobreviver em tempos adversos.

Quais são as vantagens do varejo online?

As vantagens do varejo online são muitas. Entre elas, podemos destacar pontos como a otimização de processos, que gera outros benefícios, como redução dos custos e um diferencial competitivo para a marca. A seguir, vamos falar um pouco mais sobre esses benefícios!.

Otimização e automação de processos 

A primeira vantagem do varejo digital diz respeito ao uso da tecnologia para promover uma otimização e automação de processos, sejam eles internos ou externos.

Com a automação, é possível integrar diferentes meios de atendimento e venda. Além disso, é muito mais fácil analisar métricas por ferramentas e softwares digitais em relação a indicadores consultados nas lojas físicas.

Alguns dos exemplos de métricas importantes e mais precisas quando mensuradas de forma eletrônica são o ticket médio, a conversão de compras e o custo para aquisição de cliente.

Por fim, as facilidades de automatização na cadeia de suprimentos, logística, estoque e transporte também fazem toda a diferença nos resultados do negócio.

Redução de custos e gastos

Em segundo lugar, o varejo online também pode permitir a redução de custos que não são necessários no varejo digital. Isso se dá devido à ausência de gastos e despesas que uma loja física oferece.

A infraestrutura para manter uma loja virtual, que pode se limitar à logística de produção e à entrega, reflete em menores custos para o negócio como um todo.

Logo, isso também pode representar preços mais baixos para o cliente – ao mesmo tempo que também repercute em entregas rápidas -, o que gera um fator muito atrativo para o seu público.

Promoção de um diferencial competitivo

O varejo online pode se tornar um grande diferencial competitivo, afinal, é uma estratégia focada em melhorar a experiência do cliente, que busca comprar online.

Quando você oferece um serviço online melhor, você tem mais chances de vender. Segundo dados do relatório da Salesforce, 67% dos clientes preferem pagar mais para ter uma experiência melhor.

Além disso, no varejo virtual, você amplia os seus potenciais clientes muito além das barreiras geográficas e dos horários comerciais. Dessa forma, posiciona-se melhor no mercado.

E as desvantagens?

Apesar de apresentar inúmeras vantagens, a digitalização do varejo também pode ter algumas limitações negativas, como é o caso de possíveis fraudes e de problemas com devoluções.

Os riscos de golpe são maiores em ambiente virtual. Por isso, é preciso ter cuidado redobrado para garantir que seus clientes não caiam em golpes de cartão de crédito ou que seu site não seja alvo de hackers e roubos de identidade.

Além disso, as devoluções também podem ser mais complicadas, principalmente se a empresa não ajudar. 

A necessidade de rotular, embalar e enviar o produto pode ser um entrave desse ambiente virtual quando não há nenhuma loja física para atendimento.

Conheça os principais impactos do varejo online para os negócios

A transformação digital impacta diversas áreas. No varejo, esse processo não poderia ser diferente. 

Automação, personalização, mais concorrência e estratégia multicanal, por exemplo, são grandes exemplos disso. A seguir, vamos falar um pouco mais sobre eles.

Automação 

O principal impacto da digitalização do varejo é a automação. Isto é, o uso de softwares para a realização de tarefas relacionadas às vendas, ao atendimento ao cliente e ao marketing, por exemplo.

Dessa forma, esse impacto da automação faz com que colaboradores da empresa não precisem mais gastar tempo em tarefas repetitivas, como a inserção manual de dados. 

Da mesma forma, automação de e-mail marketing, por exemplo, faz com que clientes com carrinhos vazios na loja virtual recebam uma mensagem de lembrete automático. Tudo isso representa uma grande e profunda transformação no varejo.

Personalização 

O segundo impacto no varejo digital é a personalização. A inteligência artificial tem feito com que as tecnologias avançadas de personalização ofereçam uma comunicação muito mais individual para seus clientes.

Por meio da análise de dados, é possível se relacionar e se conectar com o cliente de forma mais próxima e, ainda, criar ofertas de acordo com as necessidades dele.

Identificar as preferências dos consumidores é uma peça-chave para desenvolver uma experiência única e segmentada dentro do varejo digital.

Concorrência mais acirrada

O varejo na era digital também aumenta o nível de concorrência entre os negócios que estão imersos na internet, afinal, o atendimento é 24 horas e a quantidade de clientes é muito maior. 

E tudo isso é uma ferramenta-chave para os clientes. Uma concorrência mais acirrada faz com que empresas tenham que oferecer produtos e serviços de boa qualidade e a preço justo para se tornarem a opção número um. 

Um dos espaços em que a competição é muito importante são as páginas de buscas do Google. Segundo dados da BrightEdge, as pesquisas orgânicas por produtos geram mais de 50% do tráfego de um site.

E o algoritmo destaca as melhores páginas capazes de responder às dúvidas dos usuários. 

Então, se o consumidor não está sendo atendido por uma página do seu negócio, ela perde relevância.

Estratégia omnichannel

Por fim, a estratégia omnichannel também é um grande impacto dessa migração do varejo na era digital. Como o ambiente é virtual, é possível usar vários canais para alcançar potenciais clientes nos mais diversos momentos da jornada de compra.

Você pode investir tanto em um site da sua loja como também gerenciar suas vendas nas redes sociais. Além disso, a integração do varejo digital com o físico pode permitir  a compra pelo e-commerce e a retirada em loja, por exemplo.

O grande desafio é trabalhar de forma integrada e fluida entre os canais, sem atritos na jornada do cliente. O cliente dentro dessa estratégia quer enxergar os mesmos produtos, os mesmos preços, as mesmas ofertas e ter as mesmas opções de entrega em todos os canais, sejam físicos ou digitais.

omni by moddo

Como implementar o varejo digital em suas operações?

Implementar o varejo digital em suas operações pode ser uma excelente estratégia para fazer com que seu negócio tenha uma longa vida. Para isso, é importante considerar aspectos como:

  • faça uso de redes sociais: as redes devem servir como vitrine dos seus produtos e ainda um ambiente para estreitar relacionamentos com seus clientes;
  • crie um modelo de e-commerce: nesse caso, ele pode ser tanto uma opção extra de um varejo físico,  como também ser uma parte do negócio que só existe na internet, a depender da sua estratégia;
  • invista em serviços de entrega: por fim, um bom serviço de entregas é fundamental, sempre buscando alternativas logísticas para fazer esse processo ser mais rápido e, claro, oferecendo dados como o código de rastreamento.

Quais são os maiores desafios dessa estratégia?

Investir em algo novo sempre envolve também desafios. No caso da migração para o varejo online, isso também acontece. Sendo assim, é importante ter certeza de que seus consumidores terão uma experiência única e de qualidade.

Algumas das desvantagens do varejo digital envolvem golpes e dificuldades na devolução.

Para isso, sua marca deve se preocupar em garantir prazos logísticos, proteger o site contra as ameaças virtuais e possíveis fraudes, e, claro, oferecer um bom suporte para que os consumidores possam devolver os produtos que desejam.

Quais são as principais tendências para o setor?

O mundo digital faz parte de uma mudança e evolução contínua. E isso significa que sempre estão aparecendo novas tendências para o setor varejista online. A seguir, vamos falar sobre três delas.

Heat mapping

Em primeiro lugar, o heat mapping, que pode ser traduzido de forma livre para mapa de calor, é uma visualização gráfica das áreas mais e menos populares de uma loja. Ele existe tanto no ambiente físico como pode existir no ambiente virtual.

Com ele, é possível identificar onde a maioria dos seus compradores fica na sua loja virtual, ajudando a compreender as expectativas dos consumidores e ter insights sobre o comportamento deles.

Assim, você pode aproveitar esses dados para decidir onde vai colocar os produtos, além de eliminar as áreas de pouca circulação na loja virtual para gerar mais vendas dentro do site.

Gôndola virtual

A segunda tendência é a gôndola virtual. Ela nada mais é do que uma maneira de levar a loja para onde o cliente está, como uma solução para a jornada de compras. 

Para isso, não é preciso que o produto esteja presente no momento da compra, pois existem painéis com informações do item a ser vendido, como é o caso de fotos, valor e especificações técnicas.

Dessa forma, apenas é preciso o cliente selecionar o produto, inserir no carrinho a quantidade desejada e concluir a negociação, de modo rápido e simples.

Comunicação omnichannel

Por fim, a comunicação omnichannel é uma tendência de marketing e de vendas dentro do varejo virtual. O objetivo dela é fazer uso de múltiplos canais para criar uma experiência unificada.

De acordo com o Think with Google, as estratégias omnichannel geram uma taxa 80% maior de visitas incrementais à loja pelos consumidores.

Para que funcione bem, ela depende da integração entre os diferentes meios de comunicação usados pela empresa. Por isso, os dados armazenados por um chatbot, por exemplo, precisam ser cruzados para todos os atendentes de uma loja.

Dessa forma, uma comunicação só pode ser considerada omnichannel se os canais estiverem conectados entre si.

TOTVS Omni by Moddo

Entre as principais tendências do varejo digital, o omnichannel é uma das mais importantes. O TOTVS Omni by Moddo é a plataforma omni da maior empresa de tecnologia brasileira, referência em inovação e soluções que ajudam os negócios.

Com essa plataforma, é possível conectar e sincronizar diversos pontos de estoque, integrar os mais diversos canais de vendas, ter as melhores opções de entrega com diversas transportadoras, rastrear os pedidos a cada mudança de status e empoderar os vendedores com ferramentas na loja que aumentam a disponibilidade de produtos.

Tudo isso fará com que você aumente suas vendas e taxas de conversão!

Descubra como transformar a sua operação em omnichannel por meio do TOTVS Omni by Moddo!

Conclusão

Ao longo do texto, a gente pode te mostrar de diversas formas como o varejo digital é um modelo de negócio em ascensão.

O impacto do varejo na era digital é tão grande que tem trazido mais automação, personalização, concorrência e, principalmente, o crescimento de estratégias omnichannel.

Toda empresa que se preocupa em criar uma melhor experiência para o seu cliente, portanto, precisa levar em conta essas mudanças.

O TOTVS Omni by Moddo, por exemplo, é uma excelente maneira de fazer com que a implementação desse formato de varejo e a comunicação tragam os melhores resultados.

Para continuar aprendendo sobre o varejo e as transformações digitais, leia nosso artigo sobre as principais tendências do varejo!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.