Pagamento Digital: O que é, tipos, vantagens e como aderir

Equipe TOTVS | TECHFIN | 05 maio, 2021

Cada vez mais on-line, cada vez menos analógico, o pagamento digital é um dos principais reflexos da modernidade que atinge o mercado.

Com um meio de pagamento digital, do pequeno ao grande negócio pode passar a vender para todo Brasil e mesmo para o mundo, que podem expandir seu potencial comercial.

Para quem já possui um modelo de negócio digital, esse método de pagamento não deve ser novidade.

Porém, agora, ele cada vez mais se alastra por negócios de todo o tipo — especialmente aqueles que começaram sua transformação digital apenas agora.

Afinal, a diversificação não é apenas uma questão relacionada aos produtos e serviços oferecidos, ou mesmo aos canais de comunicação.

É necessário oferecer múltiplas opções de pagamento ao consumidor, facilitando ao máximo o ato da compra, que hoje em dia é feita em diferentes plataformas e canais (Chamamos isso de policanalidade).

Justamente por isso que o pagamento digital vem ganhando espaço. Provavelmente, em seu negócio, ele já é uma realidade — ou está prestes a ser.

No entanto, implementar um meio de pagamento digital não é o bastante. Há desafios por trás dessa inovação, bem como questões a serem resolvidas.

Você acha que tem conhecimento suficiente sobre o assunto?

Para ajudar com essa missão, criamos esse guia completo sobre pagamento digital.

Aprenda tudo que há sobre o tema, do conceito, passando pelos seus tipos, vantagens e como uma plataforma para pagamento digital ajuda seu negócio. Confira!

O que é o pagamento digital?

Pagamento digital é toda transação financeira realizada em plataformas on-line, mobile ou dispositivos habilitados para Internet, através da troca de dados.

Para que o pagamento digital funcione, é preciso que tanto o cliente como a empresa cumpram uma série de requisitos.

No caso do cliente, é necessário que o mesmo possua uma conta bancária e uma ou mais formas de realizar um pagamento on-line. 

Muitas vezes, o aplicativo da sua própria instituição financeira já oferece alguns desses tipos de pagamento — que nos aprofundaremos logo mais.

Já para a empresa, é preciso também possuir uma plataforma que aceite esses tipos de pagamento.

Ou seja, um meio de transmissão do dinheiro — que vai sair da conta do cliente e para na conta da empresa.

Não há elemento físico atrelado a qualquer etapa de um pagamento digital, nem maquininha e nem dinheiro em espécie.

No entanto, o pagamento digital não está relacionado apenas às compras em ambientes virtuais (como em e-commerces). 

Na verdade, trata-se de qualquer pagamento feito por meio da troca de dados.

Isso significa que um restaurante que, em seu estabelecimento, oferece a opção de pagamento por aproximação, também possui um meio de pagamento digital.

Ou mesmo uma rede de fast fashion que oferece a alternativa de pagar via PIX — ela também é considerada uma forma de pagamento digital.

Como surgiu o pagamento digital?

Diferente de muitos sistemas digitais, cuja origem data de muito antes do que imaginávamos — o CRM tem raízes nos anos 1960, por exemplo — o pagamento digital é diferente, pois é muito mais novo.

Sua implementação teve início em 1998, com a criação das carteiras digitais pelo Paypal, empresa americana especializada em pagamentos on-line e que tem como um dos fundadores o empreendedor Elon Musk.

Sua expansão veio através da consolidação do eBay, site de compras e leilões on-line.

Outras tecnologias tiveram papel fundamental nessa evolução, em especial a Internet of Things e os dispositivos ultraconectados.

Uma inovação um pouco fora da curva foi também o blockchain, que possibilitou a existência das criptomoedas — método popularizado pelas Bitcoins.

O QR Code também é um dos precursores.

Aliás, a tecnologia em si data até antes das inovações do eBay — de 1990 — mas a necessidade de um dispositivo móvel atrasou sua popularização, que é muito ampla agora.

Hoje, outros métodos engrandecem a lista de tipos de pagamentos digitais, como os próprios das fabricantes de smartphones, é o caso do Apple Pay, Google Pay e do Samsung Pay.

Como funciona o pagamento digital? 

Existem diferentes tipos de pagamentos digitais, mas seu funcionamento normalmente segue a mesma lógica.

Vamos pegar o QR Code como exemplo:

O cliente compra um produto em sua loja e quer pagar via Internet — seja em loja virtual ou no estabelecimento físico.

Em vez de gerar um boleto tradicional ou cobrar com maquininha, você escolhe a opção “QR Code” na plataforma de pagamentos on-line.

Com o código de barras bilateral criado, basta que o cliente aponte a câmera do celular para a imagem (geralmente já logado em seu aplicativo bancário) e pronto!

O pagamento será liberado.

O mesmo acontece com uma carteira digital, como o Apple Pay ou Google Pay.

Em vez de usar o cartão de crédito ou débito, o cliente apenas aproxima o celular (ou dispositivo inteligente, como smartwatch) da maquininha, que se habilitada para tal operação, vai utilizar um token para liberar o pagamento e autorizar a transação.

Ou seja, há etapas diferentes pois cada tecnologia exige uma abordagem, mas a lógica permanece igual: o pagamento digital depende da troca de dados criptografados via Internet.

Abaixo, criamos um passo a passo para exemplificar como esse processo funciona.

O passo a passo de um pagamento digital

Pegamos como exemplo o cenário de uma compra em loja on-line com pagamento via cartão de crédito. Veja:

  1. Cliente realiza a compra em loja on-line. O método escolhido é o cartão de crédito, com valor parcelado.
  2. A loja on-line utiliza um gateway de pagamento ou subadquirente para se conectar ao adquirente.
  3. Esse adquirente se comunica com operadora do cartão, bem como banco emissor, para verificar o saldo e segurança das informações.
  4. A operadora do cartão e o banco emissor autorizam ou recusam a transação.
  5. Se autorizado, o adquirente liquida o pagamento.
  6. O gateway de pagamento ou subadquirente processa o pagamento, confirmando a transação.
  7. O dinheiro da venda é repassado ao comerciante dentro do prazo acertado para esse tipo de transação. Quem faz esse processo é o adquirente ou subadquirente.
  8. O cliente recebe a confirmação do pagamento pela loja, que já lhe confirma o prazo de entrega e dá seguimento na logística.

Você pôde notar que nesse processo não são protagonistas apenas o cliente e a empresa, mas outros players.

Clientes, bancos emissores, operadoras de cartão, adquirentes, gateways de pagamento, subadquirentes e as empresas.

  • Bancos Emissores: Responsáveis pela emissão de cartões de débito e crédito, bem como autorização ou não das transações;
  • Operadoras de cartão: Empresas reguladoras das bandeiras dos cartões;
  • Adquirentes ou Credenciadores: Fazem a liquidação financeira das transações por cartão de crédito e débito. Conectam bandeiras aos bancos emissores;
  • Gateway de pagamento: Sistema que faz ponte com adquirentes e bandeiras. Geralmente funciona com APIs.
  • Subadquirentes: Intermediadoras de pagamentos, cuja missão é simplificar a conexão com os bancos, bandeiras e adquirentes. É o caso do Paypal;

De fato, existem muitas variáveis no processo de pagamento digital.

O cliente não necessariamente precisa entender cada parte de uma transação, mas esse conhecimento pode ser muito útil para você, gestor ou empreendedor!

eBook Grátis - Guia Prático Para Uma Gestão Financeira Que Garanta o Lucro da Empresa

Principais tipos de pagamento digital

Cartão de crédito e débito, QR Code, carteira digital. Esses são apenas alguns dos tipos de pagamento digital. Você conhece todos?

Ter esse conhecimento é essencial para que você entenda as alternativas que o mercado oferece, bem como permite a criação de um melhor e mais amplo leque de opções para a sua clientela.

Talvez você se pergunte: “é preciso que meu negócio disponibilize todos esses tipos de pagamento digital?

Bom, talvez “todos” seja um desafio para negócios em fase de construção, mas definitivamente esse deve ser um objetivo a médio e longo prazo.

Afinal, quantos mais tipos seu negócio aderir, mais fácil será para o seu cliente comprar — tanto no presente, mas especialmente no futuro.

Agora, que tal conhecer mais sobre os tipos de pagamento digital? Lembrando que são opções que podem ser utilizadas tanto no PDV como no ambiente virtual da empresa.

Na lista, há opções populares, mas também algumas que provavelmente você nunca ouviu falar. Confira!

Cartão de crédito e débito

Os cartões de crédito e débito são extremamente relevantes no cenário de pagamentos brasileiro.

Um levantamento da Distrito descobriu que, atrás de dinheiro físico, os dois correspondem à segunda (débito, 52%) e terceira (crédito, 46%) formas de pagamento mais utilizadas no Brasil.

No entanto, o mesmo estudo viu que, ao comparar as movimentações, o cartão é responsável pelo maior montante movimentado, com 41,5% da quantidade total.

Apesar de já existirem meios de pagamento mais práticos, o uso de cartões já faz parte do cotidiano da maioria dos compradores on-line.

Em muitos casos, os dados ficam salvos no navegador ou na própria plataforma de pagamentos da loja, facilitando o processo.

Para o cliente, é uma ótima opção pois facilita o controle financeiro e é mais seguro.

Um dos benefícios é que é possível utilizar dados de um “cartão virtual”, criado pelo próprio banco e que pode ser utilizado em transações eletrônicas, com dados diferentes do cartão impresso.

Débito automático

A opção de débito automático é normalmente oferecida para o pagamento de faturas de consumo, como contas de Internet, luz e água.

Para utilizá-lo, é preciso programar a ação com a emissora do serviço (como a operadora de Internet utilizada), que vai indicar quais bancos que ela trabalha que permitem esse tipo de operação.

Se você não está familiarizado com o débito automático, funciona assim:

Uma vez selecionada e confirmada a opção do débito automático, basta programar a data para o pagamento recorrente do serviço. Assim, será repetido todo mês.

É uma forma mais cômoda de realizar pagamentos digitais, bem como serve de garantia extra para redução da inadimplência.

Boleto Bancário

O boleto bancário é outro tipo de pagamento muito utilizado, embora não seja necessariamente digital, afinal, é possível realizar o pagamento em lotéricas ou agências bancárias.

No entanto, muitas pessoas compram via boleto e pagam com seus smartphones, através do leitor de código de barras dos aplicativos de banco.

Para as empresas, oferecer o boleto bancário é sempre uma boa alternativa por conta da popularidade do meio, mas envolve custos de emissão e também conciliação bancária.

PIX

A essa altura, talvez você já saiba o que é PIX: o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, que entrou em vigor no final de 2020.

É um passo além para os tipos de pagamentos digitais, possibilitando que a transação ocorra de forma direta entre as partes (de uma conta para outra) em até 10 segundos, independente do dia e do lugar.

Basta, é claro, possuir conexão com a Internet e ter uma conta em um banco licenciado que disponibilize a ferramenta do PIX para empresas.

Carteira digital

A carteira digital nada mais é do que um aplicativo que possui os dados bancários da pessoa e permite a realização de compras ou pagamentos digitais.

Assim, ao dono da carteira digital, basta confirmar a operação no aplicativo.

Essa ação pode ser de diferentes formas, como com autenticações via biometria da digital ou Face ID — o reconhecimento facial.

Link de pagamento

O link de pagamento é uma espécie de ponte entre o cliente e as diversas formas de pagamento que mencionamos anteriormente.

É uma opção bastante indicada para cobranças, já que basta criar e enviar um link de pagamento aos clientes via meios digitais, como WhatsApp, e-mail ou mesmo SMS.

Assim, no momento que o cliente acessa o link, é redirecionado para uma página com as várias opções de pagamento citadas, podendo escolher qual for melhor.

Depósito 

O depósito é um tipo de pagamento mais convencional: trata-se da transferência de uma quantia para uma conta digital.

Pode ser feita via boleto bancário, transferências TED ou DOC e agora via PIX.

Outra forma é o depósito de cheque via imagem — onde o cliente tira uma foto da folha do cheque com o aplicativo do banco, que vai compensar o valor em até dois dias.

Afinal, o pagamento digital é seguro? 

A cada dia que passa as techfins, fintechs, operadoras de cartão e bancos trabalham para tornar o pagamento digital mais seguro.

Hoje, já é um dos meios de pagamento com maior nível de proteção, que passa desde protocolos de segurança até a criptografia de dados.

Além disso, os meios digitais costumam contar com alguma (ou mesmo várias) camada de autenticação.

Hoje em dia, aliás, aplicativos de bancos já oferecem a opção de autorizar qualquer compra on-line com alguma ação comprobatória, como checagem via biometria ou Face ID.

Desse modo, é muito mais simples e seguro realizar uma compra, além de eliminar a necessidade da pessoa andar por aí com dinheiro em espécie no bolso.

5 Vantagens do pagamento digital para as empresas

Você já pensou que muitos consumidores podem desistir de uma compra apenas porque a loja não conta com os meios de pagamento digital adequados?

Apostar nessa diversificação é um passo além para que sua empresa se modernize de vez, evitando qualquer atrito entre o cliente e o ato da compra.

Isso significa que seu negócio deve, de uma hora para outra, adotar todos os meios de pagamento digitais? Não necessariamente, mas sim àqueles que fizerem mais sentido para o seu consumidor.

Agora, e na prática, você sabe o que esse investimento pode trazer à empresa? 

Muito mais do que flexibilidade ao cliente, há vários benefícios atrelados ao pagamento digital para organizações, veja só:

Mais agilidade 

Não há como não apontar o óbvio: o pagamento digital facilita as transações.

Ao adotar uma plataforma de pagamentos digitais, a empresa se posiciona de modo a agilizar toda e qualquer a operação entre ela e seu cliente. Normalmente, a operação é autorizada (se cumprir todos os requisitos) em questão de segundos.

Não há a burocracia por trás da contabilidade do dinheiro em espécie ou a demora por trás de um cheque.

Pelo contrário, o dinheiro costuma cair em um prazo razoável (acordado entre a empresa e o adquirente) ou por meio de antecipação de recebíveis.

No caso de optar por uma plataforma de pagamento digital realmente qualificada, o dinheiro cai na hora — sem passar pelo processo de liquidação ou compensação.

Além disso, todos os dados ficam registrados nas plataformas de gestão da empresa — no caso mais comum, no ERP.

Maior controle

Em uma realidade de pagamentos digitais, cada operação fica registrada em seu banco de dados e também no sistema de gestão integrada utilizado.

Isso lhe permite uma leitura muito mais ampla das informações de vendas da sua empresa, bem como facilita a contabilidade — já que, dependendo do ERP utilizado, as notas e cupons fiscais são enviados automaticamente para o setor contábil.

Desse modo, toda sua preocupação em relação à operação do negócio pode se voltar para a parte estratégica — ou seja, buscando vender mais!

Diminuição de fraudes

O pagamento digital é um meio muito seguro para recebimento de valores, pois elimina os riscos de fraudes que cheques e dinheiro em espécie apresentam.

Além disso, com maquininhas, há também riscos envolvidos — especialmente no caso de cartões clonados.

Os formatos digitais de pagamento adicionam camadas extras de segurança e, principalmente, autenticação. Desse modo, o processo tem maior lisura e credibilidade.

Facilidade na gestão de pagamentos 

Ao oferecer múltiplos meios de pagamento digital, é comum que a empresa aposte em uma plataforma para gestão dessas operações.

Esse é um ponto extremamente positivo, pois permite mais visibilidade e transparência na hora de analisar as transações, sua taxa de sucessos, falhas e etc.

Além disso, a presença da tecnologia significa um ganho em relação à inovação, o que vai facilitar a transformação digital do seu negócio.

Quanto mais raízes on-line ele possuir, melhor se adaptará ao futuro!

O papel da tecnologia para viabilizar pagamentos digitais

A tecnologia é um elemento intrínseco do pagamento digital antes mesmo de falarmos da transação em si.

Afinal, o método é ideal para lojas on-line e e-commerces.

No Brasil, esse nicho de mercado só vem crescendo: de acordo com levantamento da Ebit | Nielsen de 2020, as compras on-line aumentaram cerca de 47%.

No entanto, PDVs podem (e devem!) adotar opções de pagamento digital, que vão servir para facilitar as operações diárias e se aproximar de um tipo de consumidor mais moderno.

Afinal, viabilizar o pagamento digital não é uma mera questão estratégica, mas de sobrevivência para um negócio.

E a tecnologia ocupa papel central nessa transformação, tanto servindo de meio para que as operações sejam realizadas, como de base para a gestão dos pagamentos.

Como implementar o pagamento digital? 

O pagamento digital pode ser implementado de diversas formas, mas o ideal é fazer um planejamento estratégico que cubra essas questões.

Primeiro, procure entender sua capacidade financeira em relação à tamanhas inovações. Afinal, falamos de um investimento.

Há taxas recorrentes que devem ser consideradas, bem como o valor investido nas soluções que viabilizem os pagamentos digitais.

Segundo, procure entender quais métodos mais se encaixam nas necessidades do seu consumidor.

Como pontuamos durante todo este guia, não é necessário abraçar todos os tipos de pagamentos digitais. Por isso, procure saber a demanda do seu público.

Mercados de serviços de assinatura, como empresas de SaaS, podem se beneficiar do débito automático, por exemplo.

Já empresas de educação podem ver melhor aderência dos clientes ao uso do boleto bancário.

Para e-commerces ou supermercados, uma boa aposta é o PIX, que facilita e agiliza o pagamento para o cliente.

Terceiro, verifique a possibilidade de integração do seu negócio com os diferentes meios de pagamento.

Uma plataforma de pagamentos digitais deve ser flexível, dinâmica, contar com excelente suporte e oferecer vários níveis de segurança, tanto para sua empresa como para o cliente.

E claro, deve ter um valor acessível para o seu bolso, com taxas competitivas o bastante de forma que não comprometa seu fluxo de caixa.

Como escolher a melhor plataforma de pagamentos digitais para sua empresa? 

Definir qual plataforma de pagamento digital vai ser utilizado em sua empresa é uma decisão e tanto a ser tomada. Você sabe o bastante sobre o mercado para realizar o investimento agora?

Uma vez que você entenda quais as preferências do seu público consumidor, é hora de buscar por alternativas.

Para um PDV, por exemplo, a agilidade e segurança de dados são pilares da estratégia de pagamento digital.

Portanto, na hora de escolher a plataforma, opte por uma que potencialize esses aspectos.

Além disso, procure entender o nível de serviço oferecido e como funciona o Suporte Técnico.

Afinal, há arestas que devem sempre ser atenuadas quando falamos de tecnologia e inovação, por isso a fornecedora da plataforma precisa se posicionar como uma parceira do seu negócio.

TOTVS Pagamento Digital

O TOTVS Pagamento Digital é uma solução da TOTVS Techfin, que facilita a gestão dos meios de pagamento digital do seu negócio.

Em especial, permite o gerenciamento unificado do PIX e de várias carteiras digitais habilitadas. A ferramenta pode ser integrada com as soluções de pagamento já aceitas pela sua empresa, o que facilita a aderência.

Para PDVs, aceitar PIX e pagamentos via carteira digital é um passo na direção certa da modernização e digitalização.

No entanto, realizar a gestão desses tipos de pagamento pode ser um grande desafio se feito de forma descentralizada. O TOTVS Pagamento Digital resolve essa dor, tornando toda administração de pagamentos mais transparente.

Além disso, com o TOTVS Pagamento Digital, sua empresa reduz custos administrativos.

O melhor? O dinheiro de pagamentos via PIX ou carteiras digitais cai na hora, sem precisar esperar por compensação ou liquidação.

O acesso ao TOTVS Pagamento Digital é muito simples, dependendo apenas de um sistema de gestão, como um PDV ou ERP integrado ao TOTVS Omni by Moddo.

Se você possui ou pensa em aderir a algum produto da família TOTVS Varejo, o TOTVS Pagamento Digital é um must have.

Confira mais sobre o TOTVS Pagamento Digital!

Nova call to action

Conclusão

Neste guia completo, explicamos tudo sobre pagamento digital para você. Conceito, origem, importância e como funciona!

Ao ler o conteúdo, você pôde aprender mais sobre essa evolução no método de pagamento de compras e como ela pode ser importante para os negócios, sejam nativos digitais como os presenciais.

O pagamento digital é um passo para um futuro onde eles serão cada vez mais necessários e comuns.

Por isso, iniciar a jornada de modernização agora é uma ótima maneira de se posicionar como referência no mercado.

A escolha da melhor plataforma para pagamento digital é, portanto, uma decisão que deve ser tomada com sabedoria. Procure pelas melhores opções ou vá direto naquela que você sabe que vai entregar um alto nível de qualidade.

Agora que você entendeu mais sobre o assunto, que tal continuar sua jornada de conhecimento? Basta seguir lendo os conteúdos do Blog da TOTVS e assinar a nossa Newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.