Por que o capital humano deve ser um dos principais investimentos da empresa?

Já passou o tempo em que as pessoas se orgulhavam de permanecer na mesma empresa por 30 ou 40 anos. Hoje, os funcionários valorizam os ambientes que permitem o desenvolvimento do capital humano, o uso de tecnologias e a troca de experiências.

Os gestores precisam ficar atentos a essa nova tendência de mercado, a fim de desenvolver estratégias para reter bons talentos. Caso contrário, os colaboradores podem procurar oportunidades em outro lugar que favoreça o crescimento na carreira. Entenda mais a seguir!

Qual é a importância do capital humano para o negócio?

O capital humano é a união de conhecimentos e habilidades que geram valor para o indivíduo. Uma empresa também se beneficia desse potencial, pois um funcionário qualificado ajuda a levar mais valor para o negócio.

Uma pesquisa sobre as tendências globais fez uma entrevista com mais de 11.000 gestores de 124 países. O estudo indicou as principais áreas que merecem atenção dos líderes e, entre elas, está o desenvolvimento do capital humano.

O relatório mostrou que os profissionais não consideram mais trabalhar nas companhias apenas por suas performances financeiras. As pessoas valorizam a relação das empresas com a sociedade e o aperfeiçoamento de suas competências no trabalho.

O estudo da Hay Group aponta para a mesma direção. Ele avaliou 5,5 milhões de funcionários em 19 países, incluindo o Brasil. O documento identificou que 44% dos entrevistados procuram por melhores oportunidades de aprendizado e crescimento dentro da própria companhia e, quando não as encontram, eles procuram outro emprego.

Tudo isso indica uma nova tendência no mercado: a necessidade de as organizações valorizarem mais o potencial de seus funcionários, com o intuito de evitar gastos com captação e treinamento de novos profissionais.

Por que investir no capital humano?

Essa estratégia traz muitos benefícios para a companhia, seja em relação aos conhecimentos dos colaboradores, ou na redução de custos para o negócio. Veja!

Engajamento da equipe

O investimento nas habilidades dos profissionais da companhia gera maior satisfação dos colaboradores em relação ao trabalho.

A pesquisa da Society for Human Resource Management identificou que 42% dos funcionários entendem que a preocupação da empresa com o desenvolvimento do potencial tem relação direta com a satisfação com as suas atividades. Eles entendem que a companhia valoriza o colaborador e tem o interesse de sua permanência em médio e longo prazo.

Retenção de talentos

Os profissionais têm interesse de progredir na carreira. Caso não percebam essa possibilidade na companhia, a tendência é que busquem isso em outra empresa.

Webinars Gratuitos TOTVS - Conferência de Recursos Humanos

A valorização do capital humano estimula a permanência dos colaboradores, visto que eles percebem o interesse da organização neles. Isso não está relacionado apenas à remuneração salarial, mas a todo um conjunto de ações como: oferta de planos de saúde, cursos de capacitação, desenvolvimento de lideranças e horários diferenciados de trabalho. As práticas contribuem para um melhor desempenho dos funcionários e o sucesso do negócio.

Ampliação do ROI

Todos os investimentos realizados nos colaboradores se refletem no desenvolvimento do capital humano. Ao aplicar recursos no aprimoramento de habilidades dos funcionários, a companhia obtém um retorno sobre o investimento (ROI).

Um profissional que se capacita traz novas ideias para o negócio ou o conhecimento sobre ferramentas que podem aumentar a produtividade da equipe.

eBook - Como Criar a Avaliação de Desempenho da Empresa

Quais estratégias adotar para valorizar a equipe?

Algumas práticas contribuem para o desenvolvimento do capital humano e a permanência dos profissionais na empresa. Confira!

Conhecimento sobre o colaborador

O gestor precisa se aproximar da equipe para conhecer melhor o potencial de cada funcionário. Algumas vezes, um profissional está alocado em uma determinada função que não se encaixa muito com os seus conhecimentos.

Promover a realocação desse funcionário para uma atividade que saiba fazer melhor pode gerar benefícios para a companhia, como o aumento da produtividade e da qualidade do serviço, e para ele, que se sentirá mais satisfeito.

Construção de um plano de carreira

Ao definir um plano de carreira, o gestor mostra o caminho que precisa ser percorrido para o profissional progredir na empresa. A medida gera benefícios para a companhia, que mantém profissionais qualificados, e para o funcionário, que percebe seu crescimento.

Muitas vezes, é mais barato gerar a progressão de um colaborador que já conhece a cultura do negócio do que contratar uma pessoa para assumir um cargo de liderança. Afinal, isso demanda tempo de pesquisa, avaliação de candidato e treinamento.

Definição de metas

A organização precisa definir as suas metas e traçar as estratégias para alcançá-las. Essa informação deve ser compartilhada com os colaboradores, para que eles saibam o que estão buscando para o negócio.

Essa é uma maneira de manter a equipe motivada e focada no objetivo principal da companhia. Também é importante auxiliar os colaboradores no alinhamento de suas metas pessoais, como a realização de um curso ou o aprimoramento de uma língua estrangeira. Assim, será possível conciliar os objetivos da instituição às suas pretensões na carreira.

Gratificação por desempenho

Outra estratégia diferenciada é a bonificação para o colaborador que apresenta um desempenho acima da média. Isso pode ser concedido por meio de um valor extra na remuneração do mês ou com um dia de folga, por exemplo.

Essa medida serve de incentivo para os colaboradores sempre buscarem o melhor e também mostra a valorização da companhia em relação a essa atitude.

Automatização de processos

Uma maneira de valorizar o capital humano é o investimento em tecnologias para facilitar os processos. Um sistema para automatizar os pagamentos, como o ERP, por exemplo, pode deixar a equipe de recursos humanos mais focada na gestão de pessoas e de informações.

Assim, os profissionais conseguem se dedicar às demandas que exigem inteligência e análise, deixando as tarefas burocráticas e repetitivas para a ferramenta. As tecnologias podem contribuir com diferentes áreas do negócio, como contabilidade, finanças, vendas, entre outras.

Enfim, é necessário promover uma mudança na cultura da organização para valorizar o capital humano. A estratégia gera resultados não apenas para o colaborador, mas também para a rentabilidade da companhia.

Gostou deste artigo? Compartilhe-o nas redes sociais e promova uma troca de conhecimento para os seus contatos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *