O que é turnover? Guia completo sobre o índice de rotatividade, suas causas e como reduzi-lo!

Equipe TOTVS | 27 maio, 2022

Um dos indicadores mais importantes para medir a saúde de um negócio é o turnover de funcionários, que representa a taxa de rotatividade dos colaboradores de uma empresa.

Na prática, é um KPI simples, mas extremamente vital para o RH de uma empresa e que serve de guia para o planejamento estratégico.

Além disso, o turnover ajuda a ter maior noção sobre a eficácia dos pilares que definem a cultura organizacional de um negócio.

Afinal, eles estão sendo seguidos e implementados por todos, da liderança até os estagiários?

Se sim, estão ajudando a reduzir esse índice? Se não, quais os seus efeitos em toda empresa, passando pela qualidade das entregas até os custos relacionados à rotatividade de funcionários?

Para lhe passar uma perspectiva geral sobre o assunto, explicando tudo, desde o que é turnover até os diferentes tipos e como realizar o cálculo deste indicador, é só seguir a leitura!

Preparamos um guia completo sobre o tema, confira!

O que é turnover?

Turnover de funcionários significa a perda de talentos na sua força de trabalho. Ou seja, quantos colaboradores saíram da sua empresa dentro de um determinado período de tempo.

Na prática, não é um conceito difícil de compreender, certo?

O turnover, de forma geral, considera tanto saídas por decisão dos funcionários quanto demissões, transferências, término de contratos e mesmo aposentadorias.

Existem várias formas de avaliar o turnover de uma empresa, dependendo das lentes que o setor de RH decide usar.

Isto é: toda organização terá que lidar com a rotatividade de funcionários. É um tipo de movimentação normal, o que quer dizer que, até certo ponto, existe um índice de turnover aceitável.

É por isso que esse KPI da gestão de capital humano pode ser uma forma de ver o quão desorganizada está sua empresa (caso esteja muito alto) ou o quão eficiente é sua estratégia de retenção de talentos.

E não pense que esse é um indicador qualquer. Na verdade, trata-se de um dos grandes desafios das empresas hoje em dia.

Não por menos, de acordo com dados da Gallup, 51% dos profissionais já empregados afirmam estar constantemente procurando por um novo trabalho.

Se isso não fosse o bastante, de acordo com matéria da Forbes, os custos de reposição de um funcionário podem alcançar de 20% a 30% do salário anual do mesmo.

Por que medir o turnover de funcionários?

Medir turnover é importante pois uma alta taxa de rotatividade impacta em vários aspectos de um negócio, como sua produtividade, custos operacionais, moral dos funcionários e planejamento estratégico.

Como falamos, esse é um índice natural e até esperado pelos setores de RH de todos os empreendimentos, já que pedidos de demissão podem ter estímulos internos e externos.

Porém, é importante sempre manter os números atualizados e com acompanhamento constante.

O aumento desse índice significa a perda do capital intelectual, assim como a defasagem de colaboradores com o domínio dos processos internos, o que, em alguns casos, também afeta as oportunidades de negócio.

Além disso, esse índice explicita as razões para que os funcionários estejam deixando sua empresa, possibilitando que você mapeie motivos como:

  • Má gestão;
  • Falta de controle organizacional;
  • Falta de oportunidades de progressão na carreira;
  • Falta de treinamento e recursos necessários para fazer bem o seu trabalho.

Índice médio de turnover

O turnover é uma preocupação não apenas para empresas, mas para países como um todo. É por isso que é fácil encontrar dados de cenários como o americano.

No Brasil, por exemplo, os dados ainda são limitados, mas é possível entender que a situação em nosso país é bastante volátil.

De acordo com um levantamento da FecomercioSP de 2017, a taxa média de rotatividade no Brasil era de 3,79%.

Com um entendimento de mercado básico, é possível prever que os últimos anos foram desafiadores no quesito rotatividade, especialmente por conta da pandemia.

Nos Estados Unidos, o movimento de demissões voluntárias ganhou até mesmo um nome: The Great Resignation (ou, traduzindo, “A Grande Renúncia”).

Só em novembro de 2021, conforme o governo dos EUA, mais de 4,5 milhões de americanos deixaram seus empregos, inflacionando os índices de rotatividade.

Quais são as principais causas da rotatividade de funcionários?

Existem diversos motivos para que o turnover das empresas aumente. Por isso, existe uma classificação que ajuda os gestores a dividirem as principais causas da alta taxa.  Veja:

  • Controlável: são os motivos de rotatividade de pessoal que dependem de uma pessoa — jurídica ou física — para resolvê-los, como a baixa remuneração;
  • Semi-controlável: essas causas dependem de dois ou mais envolvidos para que o problema seja solucionado. Por exemplo, mal-estar do convívio comunitário,
  • Incontrolável: já essa classificação é usada para designar os motivos que não podem ser mudados, como o falecimento de um colaborador.

Para ajudar a entender melhor o que é rotatividade, nos tópicos a seguir, nós iremos abordar algumas situações que se encaixam na classificação que citamos acima.

Carga horária exaustiva

O regime da carga horária laboral é um dos fatores que costumam elevar a taxa de rotatividade.

Segundo as convenções coletivas e o artigo 7 inciso XIII da Constituição Federal, uma jornada de trabalho deve ter, no máximo, 8 horas diárias, tendo como limite 44 horas semanais.

Regalias no ambiente laboral

Conflitos com a gestão também podem ser outra causa para o aumento desse índice.

A insatisfação com a cadeia hierárquica da empresa, somada aos atritos gerados por favoritismo no meio laboral, gera um ambiente com relações tensas e indesejadas.

Essa é uma situação conflituosa que afeta diretamente a produtividade de um negócio e, quando recorrente, pode levar o colaborador a encontrar outra oportunidade de emprego.

Remuneração abaixo da média

Ninguém nega a importância de receber uma remuneração acima do piso estipulado e que seja compatível com as suas tarefas.

Por isso, salários abaixo da média do mercado podem ser um dos fatores que contribuem para a rotatividade de funcionários.

Esse é um dos principais estímulos que o colaborador tem para poder trabalhar com empenho e eficiência.

Como sugestão para contornar esse problema, você pode oferecer um plano de carreira, assim como desenvolver um ambiente organizacional estimulante.

Ausência de feedbacks e reconhecimento

Estabelecer uma cultura de feedback (e feedforward) pode fortalecer a relação entre seus colaboradores e sua empresa.

Além disso, é uma forma de garantir reconhecimento sobre o trabalho prestado, ajudando a guiar a produtividade e estimular o crescimento do funcionário.

Falta de expectativas de crescimento

Como já falamos, o plano de carreira é um aspecto essencial para garantir que sua empresa mantenha o turnover sob controle.

Em uma organização sem processos bem estabelecidos ou que não conta com um plano de projeção para seus profissionais, é fácil se encontrar em um limbo no quesito carreira.

Para os colaboradores nessa situação, qualquer vaga que ofereça o mínimo de segurança e possibilidades de crescimento já ganha sua atenção.

Ambiente de trabalho ruim

Um dos pontos que contribuem para o alto índice é a falta de uma boa gestão de clima organizacional.

Em um ambiente de trabalho ruim, os projetos não funcionam, o trabalho em equipe é falho, a liderança é limitada e os gaps de produtividade são intermináveis.

É uma receita para o desastre — que deve ser muito bem trabalhada, de modo a instaurar um ambiente harmônico entre todos os envolvidos.

Muitas vezes, é uma questão tão simples quanto a capacidade de formar elos significativos no ambiente de trabalho.

Na verdade, de acordo com dados da Office Vibe, 70% dos profissionais afirmam que contar com um amigo no seu trabalho é o elemento mais crucial para que sejam felizes trabalhando.

Falhas da liderança

Sabia que, de acordo com uma pesquisa antiga da Gallup, 75% dos funcionários que se demitiram, o fizeram por uma razão que poderia ser antecipada pelos seus gestores?

A falta de uma liderança capacitada, bem como um ecossistema corporativo que saiba agir diante de diferentes cenários (como em erros do funcionário em questão, por exemplo), é essencial.

Além disso, ainda de acordo com a pesquisa citada, 17% dos profissionais alegaram que a principal razão para se demitir foi a seguinte: simplesmente, não conseguiam se dar bem com seus líderes.

Ou seja, muito além de processos, é necessário contar com gestores empáticos, capazes de gerenciar pessoas e conduzir momentos de crise pessoal ou setorial.

Quais os tipos de turnover?

Como você viu, existem diversos motivos que podem elevar o índice de rotatividade de uma empresa. Para evitar a alta taxa de demissões no seu empreendimento, é importante conhecer as suas modalidades. 

Voluntário

Entre os tipos de turnover está o voluntário. Esse termo é usado para designar o desligamento de um funcionário quando a decisão parte dele.

Para a equipe de gestão, esse pode ser um indicativo de que o quadro de colaboradores pode estar em conflito. Por isso, é importante manter-se atento.

Involuntário

O turnover involuntário é o oposto da modalidade acima, já que a decisão do encerramento de contrato parte do empregador.

Os motivos podem ser os mais variados, desde corte de custos até a falta de entrosamento do funcionário com as normas da empresa.

Funcional

Quando um colaborador está insatisfeito e com produtividade baixa, e solicita a demissão, esse é considerado um turnover funcional.

Isso quer dizer que a saída desse profissional gerará benefícios para a empresa, já que o seu trabalho estava tendo impactos negativos.

Disfuncional

Já o turnover disfuncional é usado para definir quando um colaborador qualificado decide se desligar da empresa.

A princípio, esse pode ser um alerta de que a organização possui recursos insuficientes para mantê-lo e, por isso, a produtividade e os resultados tendem a cair.

Quais são os impactos do turnover nas empresas?

Não é difícil mensurar os impactos do alto índice de turnover nas empresas, afinal, é uma preocupação constante.

Muitos líderes de negócios podem pensar que esse é um problema que pode ser varrido para debaixo do tapete: “basta apenas contratar um novo funcionário, certo?“.

Essa atitude pode ser custosa para sua operação de diferentes maneiras. Confira:

  • Um alto índice de turnover é algo caro para a empresa: de acordo com a Business Wire, entre 2018 e 2020, o total do custo da rotatividade atingiu a quantia de US$680 bilhões.
  • É um problema que consome muito tempo do RH: o tempo de contratação de um novo funcionário, incluindo a etapa de recrutamento até seu onboarding, pode levar em média 1 mês, de acordo com a Yello.
  • A rotatividade é um ponto de interrupção no fluxo de trabalho: por fim, esse índice é um obstáculo para a continuidade operacional, prejudicando sua produtividade e a qualidade das entregas.

Cálculo do turnover

Agora que você sabe o que é rotatividade, vamos calcular esse índice.

Primeiro, você precisa considerar o número de admissões em um determinado período e somar com a quantidade de demissões registradas nesse mesmo tempo. Feito isso, divida por dois.

Com esse resultado, divida novamente pelo número total de funcionários da empresa e multiplique por 100.

A partir dessa taxa, você conhecerá a taxa rotatividade do seu empreendimento e conseguirá fazer o mapeamento de processos.

Para simplificar, a fórmula é a seguinte:

Turnover = [(admissão + demissão ÷ 2) ÷ nº total de funcionários ativos] x 100

Turnover anual: como calcular?

Para calcular o índice anual, basta aplicar a fórmula que apresentamos acima, considerando os números de admissões, demissões e total de funcionários em relação ao ano todo.

Qual a média de turnover aceitável?

Um turnover anual aceitável gira em torno dos 10%, o que quer dizer que sua empresa pode lidar bem com índices um pouco abaixo e um pouco acima desse número.

Qual a taxa de turnover ideal?

A rotatividade ideal deve ser de cerca de 1% ao mês ou de, ao menos, 10% ao ano.

É claro que tudo vai variar de acordo com as características do mercado e do nicho de mercado que seu negócio está inserido, bem como do momento da empresa.

É possível fazer o cálculo de turnover no Excel?

É possível fazer cálculo de rotatividade no Excel, já que essa ferramenta funciona como uma calculadora. O único “problema” é ter que atualizar os dados a cada vez que você quiser saber o índice.

Para isso, contar com um sistema de gestão é ideal, já que possibilita que você obtenha esse e outros indicadores de RH em questão de poucos cliques.

Como entender o turnover?

A rotatividade de funcionários é um indicador bem simples: quanto mais baixo for, maior a capacidade da sua empresa reter talentos.

Agora, quanto mais alto, menor a eficiência da sua cultura organizacional e dos seus processos.

É como uma bússola para que você entenda a qualidade por trás da sua estratégia de gestão de pessoas, servindo de reflexo para a forma que sua organização lida com a gestão da experiência humana.

Os funcionários podem estar saindo porque receberam melhores ofertas, sentiram falta de apoio de seus líderes ou sentiram que seu crescimento havia estagnado.

Os motivos variam, mas sempre estão relacionados aos esforços de sua estratégia de pessoas.

Como diminuir o índice de turnover?

Primeiro, para reduzir o turnover na empresa, é preciso compreender os motivos para que esteja alto. Aqui, vários fatores podem influenciar, como um processo de recrutamento falho, um onboarding incompleto, processos desorganizados ou falta de liderança proativa.

Depois, analise a sua cultura organizacional e busque entender quais aspectos da mesma são falhos em relação às metas organizacionais.

Procure conversar com o funcionário que saiu para entender seus motivos e o que influenciou sua decisão.

Caso seja uma ação por parte da empresa, tente relacionar o perfil do profissional à vaga, para entender o que deu errado no processo de recrutamento.

Tudo isso vai gerar insights, que podem ser melhor gerenciados com o uso de tecnologias para RH, que vai influenciar a futura experiência do colaborador.

Como administrar melhor o capital humano dos seus negócios

Assim como as demais áreas da empresa, o setor de RH pode ter um desempenho mais estratégico e tomar decisões baseadas em dados acerca do desempenho do funcionário e adequação à cultura da empresa. 

Por isso, além de ficar por dentro das tendências do setor, como o uso do people analytics, é fundamental contar com uma solução administrativa que forneça centralização dos processos do RH, tais como:

Recrutamento, seleção, cargos, salários, benefícios flexíveis, segurança do trabalho, treinamentos, obrigações trabalhistas, entre outros fatores. 

Tecnologias TOTVS para RH

A TOTVS, maior empresa de tecnologia do Brasil, fornece uma suíte completa que contempla os pontos acima e outros fatores da gestão de pessoas que garantem uma maior produtividade entre as equipes.

Com as tecnologias TOTVS para RH, sua empresa conta com uma seleção exclusiva de soluções que otimizam a gestão do departamento pessoal, da experiência humana e do futuro do trabalho.

Tudo isso para potencializar sua organização e seu employer branding, conquistando os melhores índices de produtividade e reduzindo o turnover ao mínimo.

Que tal revolucionar a forma que sua empresa lida com seu principal ativo, os funcionários?

Conheça todo potencial das tecnologias TOTVS para RH!

Conclusão

Agora que você aprendeu mais sobre o turnover, que tal começar a monitorar esse índice na sua empresa, reduzindo os impactos negativos da alta rotatividade?

Esperamos que as nossas dicas ajudem você e sua organização, indicando formas de melhor gerenciar seu RH e seus times, contribuindo para uma experiência de trabalho mais harmônica.

Em nosso blog, entre outros assuntos, criamos muitos conteúdos sobre a gestão de pessoas e temas relacionados.

Um deles, que achamos ser essencial para você aprender, é nosso guia sobre psicologia positiva e seus benefícios no ambiente profissional.

Que tal conferir agora mesmo? É o complemento ideal ao que você acabou de ler!

Nova call to action

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Comentários deste post

  1. Digital AP diz:

    Excelente artigo, conseguiu esclarecer minhas dúvidas sobre turnover. Não conhecia o People Analytics, parabéns por fornecer informações tão úteis!

  2. Alan Amorim diz:

    Olá! Como vai? Que bom que gostou do nosso conteúdo Continue acompanhando o nosso blog para saber mais informações Abs!

  3. Chaiane diz:

    Faltou uma palavra no título, pessoal ;)

  4. Alan Amorim diz:

    Olá, Chaiane. Muito bem observado! Obrigado pelo comentário!

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.