Saiba o que é e como fazer o plano de manejo agrícola

Equipe TOTVS | GESTÃO AGRÍCOLA | 12 outubro, 2020

O plano de manejo ambiental consiste em um conjunto de atividades e metodologias que constroem uma relação de equilíbrio entre o agronegócio, seu desenvolvimento econômico e a sustentabilidade.

O plano de manejo florestal é um projeto dinâmico, que determina ações de zoneamento, armazenagem, coleta, processamento, transporte e descarte de resíduos, por exemplo. Se você quer saber mais sobre o tema, continue com a leitura deste artigo!

O que é plano de manejo?

O plano de manejo tem como objetivo controlar a produção, a administração e a ocupação de uma área florestal ou povoamento, visando benefícios socioeconômicos e respeitando as características ambientais e as normas necessárias para sua preservação.

Apresentando-se com documentos técnicos, é possível fazer uma gestão de recursos naturais eficiente, bem como a determinação de regras bem definidas e a instalação da infraestrutura física necessária para o cumprimento das medidas.

O plano de manejo considera fatores culturais, sociais, políticos, econômicos e ecológicos em suas ações, cuja meta principal é conciliar as necessidades e os propósitos humanos com a preservação dos recursos naturais.

Um exemplo disso é o manejo de pragas, que considera uma diversidade de práticas e aplicações detalhadas de defensivos, que sejam biodegradáveis ou tenham um menor tempo de ação, preservando o solo e o ar. Com a agricultura de precisão, já é possível minimizar esses impactos.

Nova call to action

Características técnicas do plano de manejo

A Lei nº 9.985/2000 determina o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, descrevendo de maneira técnica as normas que pautam os zoneamentos e as atividades executadas em uma área.

Uma vez que a Unidade de Conservação é criada, o desenvolvimento do plano precisa estar finalizado em até cinco anos, abrangendo todo o território, a zona de amortecimento, os corredores ecológicos e as comunidades que residam nas proximidades, promovendo sua integração e desenvolvimento.

Portanto, o planejamento de manejo se coloca como uma tarefa que exige diversas tomadas de decisão, consultas e compreensão de temas socioeconômicos, ambientais, culturais, históricos e ecológicos da região inserida no SNUC.

Assim como a silvicultura, o plano conta com uma série de estudos e diagnósticos específicos para o ambiente tratado, pois cada território tem suas particularidades e dados multidisciplinares, que devem ser repassados à revisão, à elaboração e ao monitoramento do manejo.

Etapas do plano de manejo

Até agora, falamos sobre as características e a importância do plano de manejo florestal sustentável. O processo pode ser um tanto complexo, por isso, o ideal é dividir suas etapas. Confira quais são elas.

  • Informações: devem constar a categoria do planejamento, se a área florestal é de propriedade pública ou privada, o tipo de vegetação predominante e as características geográficas;
  • Responsáveis: define os técnicos responsáveis por pontos como elaboração do plano, produção de inventário florestal, o representante legal e o executor das tarefas físicas;
  • Objetivos e justificativa: exemplificam as metas finais do planejamento. Exemplos desse ponto são o desenvolvimento de produtos agrícolas em alta escala, juntamente com povoados locais, e a otimização de ciclos de corte de madeira. As técnicas devem ser descritas, assim como as parcerias com institutos de pesquisa;
  • Descrição da região e da propriedade: informa a localização da região florestal, o estado, o município, os marcos limites, a forma de acesso — via terrestre, aérea ou marítima — e as outras coordenadas geográficas;
  • Explanação de características geográficas: descreve a geomorfologia do local, ou seja, suas formas de relevo, clima, solo, bacias hidrográficas, córregos, rios e tipo de fauna presente;
  • Definição de características populacionais: registra informações como índice de desenvolvimento humano (IDH), educação, saúde e saneamento básico,
  • Produção de inventário florestal: descreve a metodologia aplicada no manejo, sua estrutura, densidade, capacidade de produção, análise e acompanhamento de resultados.

Outros dados, como ciclo de corte, projeção de produção periódica e elaboração de mapas, que determinem vias, manutenção de estradas, arraste, carregamento e transporte de produção e resíduos também devem constar no planejamento, bem como detalhes de reflorestamento.

Saiba tudo sobre gestão agrícola

Neste conteúdo, falamos sobre o que é plano de manejo. Mostramos suas principais características, sua relevância para o agronegócio e as etapas fundamentais para a elaboração satisfatória de todo o processo.

A TOTVS é a maior empresa de tecnologia do país e acredita no Brasil que faz. Com sistemas de gestão que atendem a demandas de pequenos, médios e grandes produtores, o ciclo da sua produção rural pode dar um salto em eficiência.

Se você gostou do artigo e quer conhecer mais benefícios que a tecnologia pode proporcionar, confira os diferenciais oferecidos pelo software de gestão agrícola. Para ficar sempre por dentro de todas as novidades, continue acompanhando o blog da TOTVS e não se esqueça de assinar a newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.