Checklist: você já planejou a logística para a Black Friday?

Checklist: você já planejou a logística para a Black Friday?

Equipe TOTVS | GESTÃO VAREJISTA | 06 novembro, 2018

 

Talvez o consumidor preste pouca atenção a este fato, mas por trás da imensa quantidade de ofertas, produtos e transações realizados em uma Black Friday, há todo um esforço de bastidores executado pelas empresas para garantir a fluidez dos processos e uma experiência de compra alinhada às expectativas do cliente.

Contudo, se por um lado o consumidor não está focado nessas questões, por outro, o varejista precisa concentrar os seus recursos e a sua atenção para preparar a logística para a Black Friday. Isso porque essa é certamente uma das datas em que mais se demanda capacidade operacional das empresas. Logo, é essencial se planejar para atender ao alto volume de vendas, pedidos e entregas que precisarão ser realizadas.

Sabendo da importância da logística para o sucesso do varejo, preparamos este artigo para ajudá-lo a planejar esse importante setor para uma Black Friday. Acompanhe!

O impacto da logística na experiência do consumidor

Segundo estimativa divulgada pela Ebit|Nielsin, o comércio eletrônico deve faturar R$ 2,43 bilhões durante a Black Friday deste ano (2018). Uma expectativa que supera em 15% o desempenho atingido em 2017. Além disso, o ticket médio das compras deverá ser de R$607,50, apresentando um aumento de 8% em relação ao ano anterior.

A partir desses dados, o que se pode esperar é um volume bastante considerável de vendas, sobretudo no varejo, seja ele físico ou online. Diante desse cenário de expansão das vendas, ainda que sazonal, um fato é certo: as empresas que pretendem aproveitar essa data precisam planejar a logística de forma estratégica para dar conta de atender à demanda dos consumidores.

Isso porque o abrupto potencial de vendas gerado em um único dia deve ser suportado por ações prévias, as quais foram planejadas ao longo do todo ano. Na realidade do varejo, empresas precisam compor estoques de forma estratégica, reformular acordos com fornecedores, aprimorar os transportes, a fim de ajustar toda a cadeia de suprimentos às projeções esperadas para a Black Friday.

O cerne da questão está no impacto que a logística representa na experiência de compra do consumidor. Afinal, quem compra quer receber o seu produto corretamente, no prazo estabelecido e livre de qualquer aborrecimento.

Por outro lado, isso requer toda uma organização por parte do varejista, que precisa atentar não só aos preços praticados na Black Friday, mas também em toda a jornada de compra do consumidor, desde o momento em que ele concretiza uma compra até a chegada da mercadoria em sua residência.

Como planejar a logística para a Black Friday

Além de uma grande oportunidade de negócios, a Black Friday é também uma excelente maneira de colocar à prova todos os processos logísticos de uma empresa. A necessidade de se estabelecer um fluxo contínuo e eficiente é elevada a outro patamar nesse período, o que significa que o varejista tem pouca margem para falhas.

Sabendo disso, a seguir preparamos um checklist que ajudará você a preparar a logística da sua empresa para conseguir suportar toda a demanda sem surpresas durante ou depois da Black Friday. Veja!

Projetar as vendas de maneira antecipada

Uma das ações mais importantes para obter o sucesso operacional em Black Friday é planejar as vendas. A empresa que consegue antecipar as suas demandas invariavelmente consegue também se preparar de forma mais precisa para lidar com o que está por vir.

Nesse sentido, o varejo precisa se valer de dados concretos, internos e externos que ajudem a dimensionar o volume de transações a que poderá ser submetido durante a Black Friday. Para isso, hoje, conceitos como Business Intelligence e Big Data são uma das principais fontes de informação e insights para orientar as decisões das empresas.

Simular fretes e prazos

A experiência de compra do consumidor é composta de uma série de variáveis. No entanto, quando se trata de uma Black Friday, preços e prazos de entrega acabam ocupando uma posição de maior relevo. Por isso, o varejista deve prestar bastante atenção a tal quesito.

Nesse sentido, é essencial que se trabalhe com uma estratégia de simulação de fretes e prazos de entrega. Devido ao volume de transações, pode ser que a empresa não consiga seguir o mesmo cronograma logístico de períodos de normalidade, tanto em questão de custos quanto de prazo.

Nessa data, é muito comum que os prazos de entrega se dilatem um pouco — e o consumidor sabe disso. Porém, o que não pode acontecer é se faltar com a transparência na hora de informar os prazos ao cliente. A recomendação é fazer a ressalva da possibilidade atrasos e, ainda, simular os fretes com uma margem de segurança, até para que a empresa possa executar planos de contingência, caso algo dê errado.

Prestar atenção ao pós-venda

Embora todo o marketing e a movimentação da Black Friday estejam resumidos em um único dia para o consumidor, a realidade é outra para as empresas: finalizadas as promoções e vendas, dá-se início a uma longa cadeia de processos para que tudo aquilo que foi acordado se concretize da melhor maneira possível.

O pós-venda, então, surge como uma etapa essencial para o sucesso da Black Friday, garantindo uma experiência completa ao cliente. É por isso que o varejo também deve dedicar esforços para atender o consumidor após todo aquele período de intensa movimentação. É hora de disponibilizar canais de atendimento para solucionar dúvidas, receber queixas e auxiliar o consumidor naquilo que ele necessita.

Vale mencionar que o pós-venda é, sem dúvida, um mecanismo de fidelização valioso. Inclusive, pode ser o pontapé para o sucesso das vendas ao longo do ano e na próxima Black Friday.

Preparar a logística reversa

Do mesmo modo que vender e entregar as mercadorias no prazo acordado com o cliente, o sucesso da logística para a Black Friday também depende de uma boa estratégia de logística reversa. Afinal, tal como há o aumento nas vendas, há também um crescimento na quantidade de devoluções de produtos, por inúmeros fatores.

Para se ter uma ideia, a Black Friday já é considerada a principal data do e-commerce brasileiro. Segundo o levantamento realizado pela Ebit|Nielsen, 88,6% dos e-consumidores pretendem comprar na ocasião.

Assim sendo, é natural que, junto às vendas, cresça também os pedidos de substituição de produtos, devoluções e cancelamentos. Por essa razão, é muito importante que os varejistas também se preparem para isso, estabelecendo estratégias de logística reversa compatíveis com o fluxo de pedidos que surgirá. O foco é evitar quaisquer dificuldades e atrasos nesse tipo de demanda, mantendo a satisfação do usuário.

Por fim, planejar a logística para a Black Friday é a chave para que as empresas consigam atuar de maneira satisfatória, aproveitando todo o potencial de conversões que a data promete. Para isso, contar com o reforço da tecnologia é primordial.

Hoje, um ERP garante mais controle aos processos logísticos, integrando dados, informações e diferentes setores ao longo de toda a cadeia. Como reflexo, as empresas trabalham de maneira mais sólida, baseando-se em relatórios precisos, os quais são a base para o planejamento da logística para a Black Friday.

Gostou deste post? Quer aprender também sobre como o Big Data pode ajudar o seu negócio a aproveitar melhor as oportunidades da Black Friday? Aproveite e confira o nosso artigo sobre as aplicações do Big Data no varejo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *