Análise SWOT: o que é, para que serve, benefícios e como fazer

Equipe TOTVS | 05 abril, 2022

A análise SWOT é uma ferramenta poderosa que permite entender o cenário competitivo de um negócio no mercado. Ela ajuda as empresas a melhor se planejarem estrategicamente, servindo como base para uma melhor tomada de decisão corporativa.

Hoje, o complexo mundo dos negócios exige que as empresas não apenas se reinventem com alta frequência, mas que tenham uma visão clara do seu business, do mercado em que atuam e das preferências dos clientes.

No entanto, apesar de ser importante, nem sempre os gestores e líderes de negócio possuem essa visão.

A análise SWOT é uma das ferramentas mais utilizadas para avaliar o cenário corporativo de uma empresa (seja interna ou externamente).

É um levantamento simples, mas extremamente útil, podendo ser feito para uma empresa, um produto, uma indústria toda ou mesmo a nível profissional, com a análise SWOT pessoal.

Neste guia definitivo sobre a análise SWOT, te explicamos tudo sobre o assunto. Confira os tópicos que abordaremos:

  • O que é análise SWOT?
  • Destrinchando os componentes da sigla SWOT
  • Ambiente interno X ambiente externo na análise FOFA
  • Para que serve a análise SWOT?
  • Quais são os benefícios da análise SWOT?
  • Quais são os tipos de análise SWOT?
  • Como fazer uma análise SWOT de uma empresa?
  • Modelo de análise SWOT
  • Como analisar a matriz SWOT?
  • Para que tipo de empresa a análise SWOT é indicada?
  • Análise SWOT: exemplos práticos de empresas
  • Como a tecnologia pode ajudar a fazer a análise SWOT?

E você, pronto para aprender tudo sobre a análise SWOT? É só seguir a leitura!

O que é análise SWOT?

A análise SWOT é uma ferramenta de gestão que se baseia no estudo das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças a uma situação ou empresa, produto, indústria etc.

Inclusive, o acrônimo SWOT é uma sigla para Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). No Brasil, é também conhecido como análise FOFA, basicamente traduzindo a sigla.

Na prática, trata-se de um diagrama visual que permite um estudo simplificado e objetivo de diferentes situações.

Por que “diferentes situações”?

Como mencionamos, a análise SWOT não serve apenas para as empresas, mas para produtos e projetos em si, bem como para pessoas que buscam reavaliar sua carreira profissional.

Para evitar repetições, neste artigo, vamos focar na aplicação da ferramenta para empresas e projetos corporativos, combinado?

A aplicação da análise SWOT parte do pressuposto de que todo negócio (ou ideia de negócio) possui forças e fraquezas.

E como está inserido em um mercado volátil, competitivo e essencialmente movido à inovação, também se depara com oportunidades e ameaças.

Desse modo, com a análise SWOT, é possível basicamente descobrir fatores positivos e negativos em qualquer contexto.

Quem foi o criador da análise SWOT?

O framework original da análise SWOT foi criado pelo consultor empresarial Albert Humphrey no Instituto de Pesquisa Stanford, ainda no fim da década de 1960.

No entanto, ao mergulhar na literatura e nas referências disponíveis hoje, entende-se que não há um consenso sobre quem de fato criou a análise SWOT.

Existem vários estudos de instituições de ensino americanas da década de 1960 que se aproximam do conceito de SWOT como conhecemos hoje, incluindo Stanford e também Harvard.

Fato é que a análise SWOT começou a se popularizar (ainda sem utilizar esse nome, que hoje é conhecido) em várias publicações de administração empresarial.

A primeira aparição do termo “análise SWOT” aconteceu em 1972, em um artigo de jornal por Norman Stait, consultor de gestão britânico.

Destrinchando os componentes da sigla SWOT

Como o próprio nome diz, a análise SWOT é composta de quatro componentes que servem de estrutura para o estudo realizado.

Que tal conhecer a fundo cada um deles e o que significam no contexto da análise? Confira:

Forças (Strenghts)

As forças do seu negócio são os pontos fortes da sua operação — o que você melhor faz e aquilo em que se destaca.

Parte-se da premissa de que, quando falamos de forças, falamos de coisas que sua empresa controla e que podem ser consideradas uma vantagem sobre os concorrentes.

Talvez sua empresa possua uma política de devolução mais amigável ao cliente, ou frete mais barato do que a concorrência ou mesmo um aplicativo mais fácil de utilizar.

Na hora de analisar esses pontos, é preciso olhar para dentro do negócio e buscar em sua cultura organizacional, na gestão de processos, nas suas entregas ou mesmo no seu próprio time de talentos tudo aquilo que se destaca positivamente.

Algumas perguntas que você pode fazer para entender os pontos fortes são:

  • Que recursos você tem?
  • Que conquistas você fez?
  • Quais são suas especialidades?
  • O que o diferencia dos outros?
  • O que te ajuda a atingir metas?
  • Quais são suas principais qualidades positivas?

Fraquezas (Weaknesses)

Já as fraquezas do negócio são aqueles fatores que o destacam negativamente. São coisas que ainda estão sob seu controle (ou ao menos, algum controle), mas que configuram uma desvantagem.

Imagine que, apesar de fácil de utilizar, o aplicativo da sua empresa esteja apenas disponível para Android e não para iOS — ou que apenas possua uma versão em inglês e não em português.

São fraquezas que até podem ser complexas de resolver, mas possuem solução.

Sua análise de fraquezas irá capturar todas as áreas internas de melhoria ou vulnerabilidades que existem dentro do negócio ou do assunto em questão.

Para entendê-las, pergunte-se coisas como:

  • Quais são as principais áreas de melhoria?
  • Internamente, o que dificulta o alcance das metas?
  • O que você precisa para atingir metas de longo prazo?
  • O que está faltando (recursos, tecnologia, metodologias, pessoas etc.)?

Oportunidades (Opportunities)

E as Oportunidades? Quando entendemos o que é análise SWOT, descobrimos que as Oportunidades são coisas que você não controla, mas que pode aproveitar. Ou seja, brechas que podem ser capitalizadas de alguma forma.

Falamos de gaps de entrega na sua concorrência, tendências de mercado, soluções inovadoras que otimizam processos específicos, entre vários outros pontos.

A transformação digital foi um movimento que impactou muito nesse quesito em específico, revolucionando a forma com que as pessoas lidam com soluções digitais, ocasionando disrupção em vários mercados.

A oportunidade é normalmente encarada como um fator exclusivamente externo — mas é possível identificá-la internamente, muito embora seja mais difícil e exija maior atenção.

Para descobrir as principais oportunidades, recomendamos perguntar-se:

  • Como os clientes enxergam sua marca, produto ou serviço?
  • Quais soluções do seu negócio são populares com seu público?
  • Existem recursos externos que você pode usar para atingir metas?
  • Quais as principais tendências atuais que o seu negócio pode aproveitar?

Ameaças (Threats)

As ameaças são fatores externos e completamente fora do seu controle, com potencial de impactar negativamente e prejudicar o seu negócio.

Falamos de, por exemplo, o surgimento de um novo concorrente, com um produto melhor que o seu, e mirando o mesmo público-alvo.

Ou mesmo o fato de que a sua empresa dependa de importações da França e o governo de lá tenha aumentado os tributos sobre estas mercadorias em específicos.

Essas ameaças geralmente incluem regulamentações ou tendências de consumo capazes de afastar os usuários da sua empresa.

Para descobrir as ameaças, recomendamos que questione o seguinte:

  • Seu mercado está estável ou turbulento?
  • Sua marca, produto ou serviço não é mais necessário?
  • Como seu público, setor e mercado veem sua empresa?
  • Existem novos concorrentes em potencial no horizonte?
  • Os concorrentes têm uma certa vantagem sobre sua marca?

Ambiente interno X ambiente externo na análise FOFA

O modelo de análise SWOT é uma ferramenta extremamente flexível, que permite que você mergulhe no ambiente interno e também externo do negócio ou situação em questão.

Percebeu que, ao explicar o que são os componentes da análise FOFA, mencionamos que eles são externos ou internos ao seu negócio?

É que os dois primeiros (Forças e Fraquezas) são pontos internos da sua organização ou situação. Eles podem ser alterados e muitas vezes controlados por você.

Já os fatores externos (Oportunidades e Ameaças) são pontos externos, que não necessariamente são controlados por você ou sua organização.

Para que serve a análise SWOT?

Mas para que serve a análise SWOT? O objetivo é compreender exatamente os pontos fortes e fracos que se destacam em um cenário competitivo, bem como as brechas de mercado

Ao entender as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, sua empresa passa por todos os fatores necessários para que se entenda a direção para o sucesso.

Por exemplo, uma empresa pode aplicá-la como parte da pesquisa de mercado preliminar antes do lançamento de um novo produto, de modo a viabilizar a ideia.

Ou pode realizar a análise diante de uma queda de market share, que obriga a organização a rever sua posição no mercado e entender como pode tomar o topo da concorrência.

Ao entender para que serve a análise SWOT (FOFA) fica evidente que, além de fornecer um panorama geral do cenário competitivo, ela também oferece uma visão de futuro da sua operação e da sua cadeia de valor.

Ou seja, é uma ferramenta que ajuda você a reduzir as chances de falhas no futuro, entendendo quais são suas deficiências e eliminando todos os erros de escopo que podem ser prejudiciais ao seu negócio.

Desse modo, ao entender tudo que influencia sua operação, você basicamente tem todas as cartas na mão.

Isso oferece uma visão mais ampla e transparente do cenário, permitindo uma construção mais eficaz do planejamento estratégico — de modo a se diferenciar dos concorrentes.

Quais são os benefícios da análise SWOT?

Entre as incontáveis ferramentas de gestão de negócios que aparecem por aí, a análise SWOT se destaca pela sua resiliência. O que queremos dizer? Mesmo com décadas de existência, ela continua sendo utilizada.

E isso, mesmo após vários anos de evolução corporativa, é o indicativo de uma certeza: a análise SWOT (FOFA) é extremamente eficaz!

Na prática, falamos de vários benefícios e vantagens ao negócio, ampliando a visão dos gestores e líderes corporativos.

Que tal entender alguns deles? Detalhamos a seguir, confira:

Gera insights para solucionar problemas e gargalos

Uma vez que você entenda para que serve a análise SWOT, consegue entender que essa é uma ferramenta ideal para solucionar problemas e gargalos na sua operação.

O motivo é simples: com essa análise, é mais fácil descobrir novas oportunidades de melhoria e otimização.

Quando você analisa os pontos fracos de sua empresa, não se trata de encontrar culpados, mas sim de entender de forma crítica o que se passa na empresa, compreendendo o que pode ser melhorado.

Essa avaliação, normalmente bastante realista, também ajuda na prevenção de erros estratégicos e oferece uma chance de melhoria contínua em todas as áreas operacionais da empresa.

Ajuda na tomada de decisão

Com isso, você tem em mãos o potencial de não apenas entender sua empresa, mas também seu mercado e a posição da sua marca dentro dele.

Tamanho contexto potencializa sua tomada de decisão, garantindo que entenda como agir e em que direção se mover estrategicamente.

Identifica melhorias nos serviços e produtos

Para crescer no mundo dos negócios, não basta simplesmente entregar excelência, é necessário buscar novas oportunidades.

Isso pode ser feito por uma análise intensa de mercado que ajuda a determinar seus clientes em potencial, possíveis estratégias de expansão e possibilidades diferenciadas de distribuição e gestão logística.

Em geral, trata-se de uma análise que permite a você melhorar sua entrega de valor — mas de forma antecipada, possibilitando um melhor trabalho sobre esses fatores.

Identifica a posição estratégica do negócio

Muitas empresas fazem uma análise SWOT não somente de sua organização, mas de seus principais concorrentes!

O objetivo é ter uma ideia de como a empresa deve se posicionar contra eles.

Assim, é possível mapear as principais fraquezas dos concorrentes de forma direcionada — e, como mencionamos antes, antecipada, com seu próprio planejamento.

Ou seja, é possível identificar a posição estratégica do negócio perante o mercado, mas também de seus concorrentes.

Ajuda a priorizar tarefas

Com a análise SWOT, os líderes de negócio conseguem ter uma visão clara do que é necessário fazer para atingir os objetivos estratégicos.

Desse modo, a empresa pode entender a hierarquia de fraquezas, ameaças e oportunidades, compreendendo exatamente quais delas priorizar na hora de tomar decisões.

Além disso, ajuda na aplicação eficiente de seus próprios recursos.

Cada empresa tem uma oferta limitada de recursos (mão de obra, capacidade produtiva e dinheiro em caixa, por exemplo).

O importante é que a gestão desses recursos seja melhor realizada após entender seus pontos fortes — sabendo como alocar melhor os recursos, de modo a ser mais rentável.

Ajuda a mapear tendências para novos produtos

Por fim, a análise SWOT (FOFA) permite que sua empresa “olhe com uma lupa” para o mercado e tudo que está por vir.

Isso permite mapear as tendências, compreender os riscos envolvidos e direcionar suas estratégias, de modo a cultivar uma cultura inovadora e que busque capitalizar as oportunidades.

Quais são os tipos de análise SWOT?

Um fato interessante sobre a análise SWOT é que essa não é uma ferramenta estática. É claro, entender como analisar a matriz SWOT é importante, mas simples.

Basicamente, trata-se de um diagrama dividido em quatro quadrantes, cada um dedicado a um elemento da análise FOFA.

Essa organização visual proporciona um overview completo da posição da empresa ou da situação em questão.

No entanto, essa matriz serviu de inspiração (ou divide espaço) para outras análises. É por isso que hoje se diz que existem diferentes tipos de estudos SWOT.

Na verdade, o que acontece é que há diferentes matrizes utilizadas na aplicação de Business Performance, com objetivos variados (e outros que se assemelham bastante ao SWOT “comum”).

Que tal conhecer algumas delas?

Análise SOAR

A análise SOAR é um parente da SWOT. Ela mantém as Forças e Oportunidades, mas introduziu Aspirações e Resultados no lugar de Fraquezas e Ameaças.

As aspirações concentram-se no que a organização deseja fazer, a quem deseja servir e onde deseja operar.

Já os resultados abordam como a organização identificará e acompanhará seu progresso em direção às suas Aspirações e Oportunidades.

É uma análise mais voltada ao planejamento estratégico, de modo a ajudar na correta medição da progressão do negócio na direção de suas metas.

Análise PESTEL

A análise PESTEL examina seis fatores: Político, Econômico, Social, Tecnológico, Ambiental e Legal. No Brasil, por conta da tradução, é conhecida como Análise PESTAL.

É uma análise mais complexa, que visa entender se fatores macroeconômicos estão afetando a organização. Entenda:

  • Político: quanto o governo está envolvido nos resultados e/ou no mercado específico de sua empresa? Até que ponto a política impacta na sua atuação?
  • Econômico: quais fatores econômicos (taxas de juros, emprego, valorização da moeda etc.) podem impactar a lucratividade da sua organização?
  • Social: quanto às tendências ou mudanças atuais (crescimento populacional, envelhecimento geracional etc.) impactam sua empresa?
  • Tecnológico: o quanto a inovação e a tecnologia podem impactar sua empresa ou seu mercado?
  • Ambiental: sua organização possui uma gestão ambiental estruturada e essas práticas influenciam sua operação?
  • Legal: mudanças na lei podem afetar diretamente sua empresa, lucratividade e crescimento?

Análise das Cinco Forças de Porter

Essa é uma análise da concorrência de um negócio, que examina as cinco forças que determinam a intensidade competitiva e a atratividade (ou falta dela) de uma indústria em termos de lucratividade.

As cinco forças, como determinadas pelo acadêmico Michael Porter, são:

  1. Rivalidade entre concorrentes;
  2. Poder de barganha dos parceiros comerciais;
  3. Poder de barganha dos compradores;
  4. Ameaça de novos players no mercado;
  5. Ameaça de soluções substitutas.

Análise NOISE

A análise NOISE é uma ferramenta que permite às empresas compreender qual o estado atual de um negócio.

O acrônimo também é uma sigla que se refere a Necessidades (Necessities), Oportunidades (Opportunities), Melhorias (Improvements), Forças (Strengths) e Exceções (Exceptions).

A grande premissa é que você enquadre os problemas em termos do que você não tem — e não exatamente do que precisa superar.

É uma análise que foca em soluções, de modo a identificar obstáculos e buscar novas oportunidades, focando mais nesse lado do que em encontrar fraquezas.

Como fazer uma análise SWOT de uma empresa?

Bom, agora que você aprendeu tudo sobre análise SWOT, é hora de entender como realizar esse levantamento de modo a trazer insights valiosos para o seu negócio.

A seguir, detalhamos um passo a passo que você pode seguir para aplicar essa ferramenta em sua empresa. Vamos lá?

Defina seu posicionamento diante da concorrência

Primeiro, você precisa compreender como o seu negócio se posiciona diante da concorrência.

Ou seja, quais os pontos fortes da sua marca em relação aos competidores? E os pontos fracos?

Quais empresas da concorrência oferecem melhores soluções que a sua marca — e quais são elas?

Entender o panorama atual é uma necessidade, visto que servirá de ponto de partida para sua posterior análise.

Conte com a ajuda da equipe

Agora, você precisa escolher o time que vai ajudar na aplicação da análise SWOT. 

Profissionais com entendimento no assunto, especialmente em pesquisas de mercado, são aqueles que melhor podem desempenhar a função.

É importante contar com aqueles que entendam sobre a empresa e possam contribuir ativamente nas respostas (especialmente dos quesitos internos).

Para obter resultados mais completos e objetivos, uma análise SWOT é melhor conduzida por um grupo de pessoas com diferentes perspectivas e interesses em sua empresa.

Gerenciamento, vendas, atendimento ao cliente e (ou clientes) podem contribuir com insights válidos.

Faça a análise dos fatores internos

Para analisar os fatores internos, é necessário realizar uma pesquisa dentro da empresa (ou com os envolvidos na ideia/situação em questão), analisando suas forças e fraquezas.

Faça a análise dos fatores externos

Já na análise dos fatores externos, será necessário se debruçar em dados e pesquisas de mercado (e muitas vezes realizá-las por si próprio).

Em geral, as empresas ou quem está envolvido em uma análise SWOT fazem um benchmarking completo.

Monte sua matriz

Com os dados em mãos, é hora de montar a matriz da análise SWOT. Procure torná-la o mais objetiva possível, elencando apenas os principais pontos relativos aos componentes.

Identifique se o projeto é viável

Caso a sua análise SWOT tenha o intuito de validar um projeto ou uma nova entrega, é nessa hora que você precisa entender se é realmente viável trazê-lo ao mercado.

Desenvolva uma estratégia

É hora de definir prioridades e planejar a sua estratégia.

Depois de elencar os problemas a serem resolvidos, a próxima grande pergunta que você precisa fazer é de que maneira os pontos fortes podem ser usados para aproveitar as oportunidades e superar as ameaças e fraquezas.

Dependendo da análise SWOT, estratégias de negócios podem ser construídas, levando em consideração o escopo e a posição do negócio no mercado.

Como analisar a matriz SWOT?

A análise SWOT permite que você faça uma leitura bem embasada do seu mercado. Ou seja, é possível tirar conclusões com base em dados amplos e não apenas no seu próprio entendimento parcial.

Afinal, suas suposições podem estar erradas e sua visão enviesada — sem o contexto completo do mercado.

Com a análise SWOT, além de informações concretas sobre o cenário competitivo, você conta com o auxílio de uma equipe variada, para construir uma lista com observações pertinentes e variadas.

Na hora de conduzir a análise, lembre-se de anotar todas as principais Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças.

Após identificar todos os fatores, é hora de reunir o time para discutir e ampliar os resultados.

Recomendamos que, ao trabalhar em cada categoria, você não se preocupe em elaborá-las de maneira aprofundada.

Pelo contrário, tente resumir tudo em alguns bullet points, limitando a no máximo 5 ou 6 deles.

Depois disso, com a matriz finalizada, é hora de realizar um brainstorming para entender quais os insights mais valiosos e quais prioridades devem ser trabalhadas.

Para que tipo de empresa a análise SWOT é indicada?

A análise SWOT é indicada para todos os tipos de negócios — empresas em desenvolvimento, organizações consolidadas, negócios que buscam entender a viabilidade de investir em um projeto, produto ou serviço, entre outras situações.

Uma das principais vantagens dessa matriz é a sua flexibilidade e o dinamismo por trás da sua aplicação.

Tanto que, como mencionamos anteriormente, qualquer um pode fazer uma análise SWOT pessoal, seja na carreira profissional ou em um projeto individual em que se esteja trabalhando.

Análise SWOT: exemplos práticos de empresas

Que tal conferir alguns exemplos práticos do modelo de Análise SWOT de empresas já consolidadas? Separamos 2 exemplos para você conferir, veja só:

Análise SWOT Coca-Cola

SWOTForçasFraquezas
InternoMarca valiosaMaior market share de bebidasMaior canal de distribuição mundialDemanda intensa em todo o mundoA demanda cai no invernoHá alto nível de endividamento por conta das aquisiçõesExiste certa publicidade negativaPossui várias marcas com receita pequena 
OportunidadesAmeaças
ExternoHá uma alta nas demandas por água engarrafadaHá uma alta nas demandas por bebidas saudáveisCrescimento por meio de aquisição de marcas menoresEscassez de águaInclinação do consumidor para um consumo mais saudávelCompetição acirrada com a PepsicoO mercado de refrigerantes está saturado

Análise SWOT Google

SWOTForçasFraquezas
InternoMarca estabelecidaInovadoraPioneira na InternetPossui 99% do market shareNão possui rivais na mercado de mecanismos de buscaÉ dependente da receita de mídias sociaisNão consegue criar um rede social própria que seja bem-sucedidaPossui problemas de privacidade de dados
OportunidadesAmeaças
ExternoPenetração na China e mercados asiáticosPublicidade de mobile em crescimentoCrescimento do uso da Internet em todo mundoCompetição do Facebook com o YoutubeCompetição de novos players que oferecem maior segurança dos dadosCompetição de Apple e Amazon no setor de hardwares (como com assistentes residenciais etc.)

Como a tecnologia pode ajudar a fazer a análise SWOT?

Você pode aproveitar do potencial da tecnologia para aprimorar a análise SWOT.

Claro, você pode encontrar um programa para fazer análise SWOT que simplificam a montagem da matriz, mas falamos de investir em sistemas que melhorem sua coleta de dados.

Uma verdadeira ferramenta de análise SWOT.

Desse modo, é possível analisar as informações e fatores internos e externos com maior profundidade.

Um sistema de gestão empresarial integra os setores da sua empresa, centraliza a coleta de informações e ainda automatiza vários processos, permitindo implementar as melhorias e aproveitar oportunidades de negócio.

ERPs da TOTVS

Os ERPs da TOTVS são ideais para modernizar sua gestão, possibilitando mapear todos os dados e aplicar melhorias em tempo real.

Os sistemas, desenvolvidos pela maior empresa de tecnologia do Brasil, auxiliam empresas de todo o mundo a otimizarem a administração da sua operação.

Com os ERPs da TOTVS, é possível automatizar, padronizar e tornar seus processos mais eficientes.

E o melhor: eles são capazes de atender a empresas de qualquer tamanho e segmento.

Que tal conferir mais sobre os benefícios e diferenciais? Conheça os ERPs da TOTVS!

Nova call to action

Conclusão

A análise SWOT é a chave para o crescimento de um negócio

Até que você não saiba quais fatores podem afetar seu negócio, você não pode planejar estratégias para seu desenvolvimento. Ela ajuda você a avaliar sua empresa interna e externamente e também a examinar criticamente sua posição no mercado.

Além disso, você também pode fazer uma boa pesquisa sobre seus clientes em potencial e concorrentes.

Gostou do nosso guia sobre análise SWOT? Esperamos que ajude você a aplicar essa ferramenta em seu negócio!Agora, que tal seguir acompanhando nossos artigos? Entenda o que é design thinking e como aplicar em seu negócio!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.